Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Categoria

Releases

Longa-metragem “Irmã” é selecionado para o 70º  Festival Internacional de Cinema de Berlim  

Poster_Irma_WEB

Filme escrito e dirigido por Luciana Mazeto e Vinícius Lopes integra a mostra Generation 14plus ao lado de mais outras duas produções brasileiras

 

Primeiro longa-metragem escrito e dirigido por Luciana Mazeto e Vinicius Lopes, Irmã, é uma das quatro produções brasileiras selecionadas para a mostra Generation 14plus Competition 2020 que integra a 70ª edição do Festival de Cinema Internacional de Berlim, que ocorre de 20 de fevereiro a primeiro de março na capital alemã.

Com produção da Pátio Vazio e Jaqueline Beltrame, o filme aborda o tema do feminismo em um road movie experimental e adolescente, com imagens pulsantes. Rodado em 2017 em Porto Alegre, Novo Hamburgo, Maquiné, Gravataí e Mata, RS, a temática feminista guiou também a escolha das cabeças de equipe do longa, e conta com a produção executiva de Jaqueline Beltrame, Direção de Fotografia de Carine Wallauer e Direção de Arte de Gabriela Burck.

Quando a doença de sua mãe se agrava, Ana (Maria Galant) e Julia (Anaís Grala Wegner) viajam ao interior do Rio Grande do Sul em busca de seu pai. No caminho: fantasmas, superpoderes e dinossauros. O elenco também conta com Felipe Kannenberg, Marina Mendo, Nicholas Perlin e Otávio Diello.

A cidade de Mata, interior do estado, tem apenas cinco mil habitantes e é conhecida por seus fósseis de madeira petrificada. Mata recebeu boa parte das gravações do filme, realizado de forma totalmente independente, com um orçamento pequeno da empresa produtora e dos diretores. Irmã contou com diversos apoios e parcerias, incluindo a equipe, e apesar da restrição orçamentária, o filme não se privou de gravar em diversas locações como cachoeiras, estradas, ponte, nas quatro cidades.

A Generation 14plus é uma das mostras competitivas do Festival de Berlim que exibe cinema internacional de ponta, com um programa abrangente de filmes contemporâneos que explora a vida e o mundo de crianças e adolescentes, desfrutando de uma posição única como instigadora do cinema de jovens que quebram convenções. Para mais informações, acesse: facebook.com/irmafilme 

FICHA TÉCNICA

Roteiro e Direção: Luciana Mazeto e Vinícius Lopes

Produção: Jaqueline Beltrame, Leandro Engelke, Luciana Mazeto e Vinícius Lopes

Elenco: Maria Galant, Anaís Grala Wegner, Felipe Kannenberg, Marina Mendo, Nicholas Perlin e Otávio Diello

Produção Executiva: Jaqueline Beltrame

Direção de Fotografia: Carine Wallauer

Direção de Arte: Gabriela Burck

Direção de Produção: Leandro Engelke

Montagem: Luciana Mazeto

Desenho de Som: Kevin Agnes

Assistente de Direção: Eduardo Piotroski

Produção de Elenco: João Pedro Madureira e Leandro Engelke

Preparação de Elenco: João Pedro Madureira e Eder Ramos

Direção de Figuração: Eder Ramos

Gaffer: Caio Rodrigues

Elétrica: Eduardo “JR” Ferreira

1o Assistente de Arte e Contrarregra: Eder Ramos

2o Assistente de arte: Clarissa Virmond

Assistente de Produção: Ana Raquel Pinzon

Cor e VFX: Rafael Duarte

Artista Digital: Taísa Ennes

Ilustração: Martina Nickel

Design Gráfico: Leo Lage

Making of: Ana Raquel Pinzon

Still: Eder Ramos e Ana Raquel Pinzon

Assessoria Jurídica: Patrícia Goulart

Assessoria de Comunicação: Bruna Paulin

 

Apoio:

Locall

Prefeitura Municipal de Mata

A produtora Pátio Vazio foi fundada em 2013 em Porto Alegre. Desde então, produziu mais de dez curtas, incluindo ficção e documentários, que foram exibidos em vários festivais de cinema. No início de 2017, a produtora gravou seu primeiro longa-metragem, intitulado Irmã. Seu segundo longa-metragem, Despedida, foi contemplado com os editais PRODAV 04 – Linha Laboratórios de Capacitação e SAv/MinC 02/2015 – Longa BO Infantil, e encontra-se em finalização. O projeto também participou do PLATAFORMA LAB em 2016, e do BRASIL CINEMUNDI, em 2017, onde recebeu uma menção honrosa do júri. Desde 2016, os membros do Pátio Vazio estão envolvidos na produção e curadoria do festival de cinema Cine Esquema Novo, em Porto Alegre. Seu curta Antes do Lembrar teve sua estreia mundial no IFFR – Festival International de Cinema de Rotterdam 2018. Recentemente o projeto de longa-metragem Vocês, Brancos, não têm Alma também foi contemplado com a linha de desenvolvimento de projetos, PRODAV 05, do FSA, além da série infantil Júlia e a Máquina do Tempo, contemplada no edital de desenvolvimento SAv/MinC

Pois é, Vizinha… comemora 27 anos em cartaz integrando a  programação do 21º Porto Verão Alegre

poisemontagem

Com direção, adaptação e atuação de Deborah Finocchiaro, espetáculo é o único que participou de todas as edições do Festival e é o solo mais longevo da história do teatro gaúcho

 

A atriz Deborah Finocchiaro encerra sua participação no Porto Verão Alegre 2020 com a aclamada comédia Pois é, Vizinha…. As apresentações ocorrem nos dias 28, 29 e 30 de janeiro, às 21h, no Teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa. O texto é uma adaptação de “Uma Donna Sola”, dos italianos Franca Rame e Dario Fo – Nobel de Literatura 1997, escritor, ator e um dos maiores dramaturgos contemporâneos – e retrata a realidade de mulheres que ainda vivem a situação de opressão e violência doméstica. Em sua trajetória, já participou e promoveu inúmeros eventos ligados às questões de gênero, em parceria com diferentes entidades e delegacias para mulher em vários estados brasileiros. Ações que comprovam a função e efetividade da representação cênica como caminho de questionamentos e transformações.

Maria, uma dona-de-casa trancafiada em casa pelo marido “gauchão”, é obrigada a suportar o cunhado semi-paralítico e tarado, o “voyeur” do prédio vizinho, o tarado do telefone e o apaixonado rapaz que é professor de inglês. Um dia se depara com uma vizinha do prédio em frente e desabafa. Aos poucos, o simples cotidiano revela-se patético. É uma comédia que apresenta as relações humanas de uma forma clara e direta, fazendo com que o público se identifique e, através de muitos risos, possa repensar e questionar a própria vida.

Pois é, Vizinha… integrou a programação do Porto Verão Alegre desde seu lançamento, sendo o único espetáculo a participar de todas as 21 edições do evento. Em cartaz desde 1993 e assistida por mais de 200 mil pessoas, a comédia conquistou 14 prêmios e arrebatou plateias dos oito aos 80 anos de diferentes classes sociais no Brasil e Argentina e é o solo mais longevo da história do teatro gaúcho.

Em sua trajetória, Deborah recebeu, além de dezenas de indicações, 32 prêmios. Entre eles nove de Melhor Espetáculo (três deles por Pois é, Vizinha…), 17 de Melhor Atriz (sete por Pois é, Vizinha…), além de Melhor Direção, Melhor Texto Adaptado, Melhor Roteiro e três deles como Melhor Artista de Teatro. Recentemente foi indicada ao Prêmio Açorianos 2019 de Melhor Atriz por Diário Secreto de Uma Secretária Bilíngue, espetáculo que também estará em cartaz na programação do Porto Verão Alegre 2020, dias 17 e 18 de janeiro, sexta 20h e sábado 18h no Instituto Ling.

Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente pelo site do festival ou nas lojas Claro (Shopping Bourbon Country e Praia de Belas), ponto de venda do PVA no Shopping Total, Casarão Verde e Theatro São Pedro com valores entre R$ 20,00 e R$ 32,00. Na hora, na bilheteria do teatro uma hora antes da apresentação, as entradas custam entre R$ 20,00 e R$ 40,00.

SERVIÇO:
Espetáculo teatral “Pois é, Vizinha…”

Quando: 28, 29 e 30 de janeiro | terça, quarta e quinta
Hora: 21h
Local: Teatro do Centro Histórico-Cultural da Santa Casa (Avenida Independência, 75)
Classificação etária: 12 anos

Duração: 60 minutos

Ingressos antecipados com desconto nos pontos de venda do Porto Verão Alegre:

R$ 32,00 (inteira)

R$ 24,00 (Banricompras e Clube do Assinante)

R$ 20,00 (meia-entrada)

Lojas Claro, no Shopping Bourbon Country (Av. Túlio de Rose 80- 2º Piso) e no Shopping Praia de Belas Shopping (Av. Praia de Belas 1181- 2º piso): segunda a sábado, das 10h às 22h e domingos das 14h às 20h;

Shopping Total (Av. Cristóvão Colombo, 545), em frente à Panvel: segunda a sábado, das 10h às 22h e domingos, das 14h às 20h;

Casarão Verde, na Mezanino Produções, no DC Shopping (Rua Frederico Mentz, 1561, Navegantes): segunda a sexta, das 12h às 19h;

Theatro São Pedro, na Chapelaria, a partir do dia 07/01: terça a sábado das 15h às 21h e domingos das 15h às 18h.

Online: http://www.portoveraoalegre.com.br

Ingressos na hora (na bilheteria do teatro uma hora antes do início da apresentação).

R$ 40,00 (inteira)

R$ 32,00 (Banricompras e Clube do Assinante)

R$ 20,00 (meia-entrada)

 

FICHA TÉCNICA:
Do original A Mulher Sozinha de Dario Fo e Franca Rame
Tradução do original Una Donna Sola
– Roberto Vignati e Michel Piccoli
Direção, adaptação e atuação – Deborah Finocchiaro
Ator convidado – Leandro Roos Pires
Cenografia – Rafael Silva
Iluminação e operação de luz – Mauricio Moura
Operação de som – Antonio Perra
Figurino – Cleria Finocchiaro
Projeto gráfico – Eloar Guazelli Filho e Cléo Magueta
Produção e Realização – Companhia de Solos & Bem Acompanhados

 

Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

bruna@brunapaulin.com | Fone 51 984070657

 

 

 

“A adaptação de Una Donna Sola, confirma o talento da atriz e diretora Deborah Finocchiaro cuja performance convincente e vigorosa traduz o sucesso da carreira de Pois é, Vizinha… feita pela própria atriz em 1992, como trabalho de conclusão na Escola de Teatro do  DAD na UFRGS…”

Eleonora Prado, atriz  – 18º Porto Verão Alegre, 16/01/2017 – Porto Alegre/RS

 

“… Deborah Finocchiaro é uma criadora que sabe urdir os elementos empáticos da franca comédia sem sublimar a violência do cotidiano patético da história, num bravo exercício de sensibilidade ao gênero…”

Lucianno Maza, dramaturgo, diretor e crítico de teatro – Blog Zine Cultural, 03/09/2013 – Juiz de Fora/MG

 

“… A montagem causa um conjunto tão grande de sensações que é de perder o fôlego… Como é bom ver Deborah em cena. Como é bom ver uma atriz na sua plenitude…  soberba em cena, dona absoluta do tempo e do espaço do espetáculo. Vai do gesto mais ínfimo aos movimentos mais amplos… Pois é, Deborah. Decididamente, você deu uma aula de teatro e de vida. Obrigado pela sua generosidade.”

Helcio Kovaleski, Diário dos Campos, 14/11/2012 – Ponta Grossa/PR

 

“O Rio Grande do Sul está bem representado pela Companhia de Solos & Bem Acompanhados… Este é um papel para uma grande atriz. Já tinha visto este texto montado em São Paulo, com duas grandes atrizes: Denise Stoklos e Marília Pêra. Deborah não fica devendo nada a nenhuma delas. Esta atriz superlativa, carismática, em sua plenitude artística, incorporou essa personagem, fazendo-a com irreverência, ousadia, despudor, originalidade e… muito fôlego! Afinal, não é fácil manter sozinha a plateia lotada e ligada, gargalhando o tempo todo…”

Vinício Angelici, crítico – http://portal.uepg.br/noticias.php?id=3547- 14/11/2012 – São Paulo/SP

 

“… excelente atriz… Direta, humorada, sinuosa, lacônica por exigência da dramaturgia, a personagem encontra na atriz, e vice versa, uma afinidade teatral muito precisa… Pois é, vizinha… atrai a atenção, mesmo que pelo riso, a uma discussão sobre violência contra a mulher… Seu recado fixa ao riso e à reflexão. Deborah e sua personagem encantam, chocam, comovem e deixam um exemplo de teatro para rir e pensar…  A Cia. de Solos & Bem Acompanhados cumpre seu papel no roteiro e pauta do teatro brasileiro.”

Maneco Nascimento, ator, radialista e jornalista  – Blog do Maneco – http://www.vooz.com.br / manekonascimento.blogspot.com – 11/08/2012 – Teresina/PI

 

“Atriz Deborah Finocchiaro é ovacionada em tragicomédia sobre condição feminina! Ver o público gargalhando, alguns espectadores chorando de tanto rir, e contando as cinco vezes em que a atriz foi aplaudida em cena aberta, é, no mínimo, um grande prazer… Em meio a tantas risadas, a peça faz um alerta importante sobre a condição da mulher diante do machismo e na necessidade de realizarmos nossos sonhos…”

Leidson Ferraz – http://www.fundarpe.pe.gov.br – 23/07/2011 – Garanhuns/PE

 

“… Foram raríssimas as vezes que desviei o olhar daquela mulher engraçadíssima, pueril e, sobretudo, bem-humorada! …Considerada uma das melhores atrizes gaúchas, Deborah tem consciência de cada objeto que põe em cena, espremendo suas utilidades na narrativa de forma original e ousada… Benditas foram as gargalhadas nessa montagem verossímil e potente.”

Guilherme Nervo – percebeoteatro.blogspot.com – 16/01/2010 – Porto Alegre/RS

 

“… Maria serve-se da agilidade de Finocchiaro, de sua disponibilidade vocal, de seu corpo criativo e, principalmente, de seu carisma… Maria sobre Finocchiaro nos faz rir e nos faz pensar sobre a crueldade que nos motiva a rir… Cara Maria, aqui vai minha contribuição. I Love You.”

Rodrigo Monteiro – teatropoa.blogspot.com – 15/01/2010 – Porto Alegre/RS

 

“…Deborah é, sem favor algum, uma das melhores atrizes gaúchas, preparada, articulada, inteligente. Versátil, divertida, curiosa… Ela encenou, em dias diferentes, “Sobre Anjos e Grilos” e “Pois é, Vizinha”… Foram duas apresentações inesquecíveis, tão diferentes entre si, e que causaram uma impressionante ovação da plateia… Deborah protagonizou um verdadeiro triunfo do teatro gaúcho e, através do seu trabalho, diminuiu a distância entre capitais tão distanciadas…”

Luciano Alabarse, Coordenador do Festival Internacional de Teatro Porto Alegre Em Cena – Jornal Usina do Porto, março de 2008Porto Alegre/RS

 

“A atriz Deborah Finocchiaro, um dos grandes nomes da cena nacional, representa como quem mantém uma conversa íntima e descontraída com o público… Simples, carismática, afável, inventiva, criatividade e emoção saltando aos olhos, ela é atriz de mão cheia… ela arranca muitos risos e aplausos, ao mesmo tempo que leva o público a refletir sobre a situação que atravessa em suas relações pessoais e afetivas…”

Aurora Miranda Leão, Tribuna do Ceará, 01/11/2000 – Fortaleza/CE

 

“… Uma atriz que sozinha no palco, conquistou o público não só pela intensidade do texto, mas também pela interpretação impecável… engraçada, Deborah Finocchiaro recebeu o prêmio de Melhor Espetáculo no festival Isnard Azevedo.”

Valéria Rivoire, Diário Catarinense, 12/11/99 – Florianópolis/SC

 

“Texto de Dario Fo e Franca Rame é prova de fogo pela qual Deborah Finocchiaro passa muito bem… simples, feito com prazer de quem explora um território interpretativo, mas sem o exagero de um exibicionismo pessoal, o espetáculo assinado por Deborah é fiel a poética da dupla de autores: Encantar e divertir por intermédio da intérprete.”

Mariângela Alves de Lima,O Estado de São Paulo, 05/06/98 – São Paulo/SP

 

“A peça é um monólogo cheio de vida e de acontecimentos… é extremamente envolvente e divertida, muito bem dirigida e interpretada por Deborah Finocchiaro.”

Agnaldo Ribeiro da Cunha, Diário Popular, 27/05/98 – São Paulo/SP

 

“A alucinada e divertidíssima dona-de-casa Maria, que é o centro de Pois é, Vizinha… “Una Donna Sola”, adaptada brilhantemente pela energética atriz e diretora Deborah Finocchiaro… Pois é , Vizinha…é puro Fo”.

Gilberto Gasparetto, Il Giornale, 03/06/98 – São Paulo/SP

 

“… a dificuldade natural de manter concentração e tensão cômica por exatos 70 minutos são superados com sobra pelo talento de Deborah.”

Renato Mendonça, Zero Hora, 25/01/95 – Porto Alegre/RS

 

“…Deborah Finocchiaro é daquelas atrizes que fisgam o espectador na primeira cena. Personalidade forte e presença marcante, esbanja talento a cada nova montagem. …Pois é, Vizinha… traz a divina Deborah no papel de uma dona-de-casa… onde conduz com humor e sensibilidade a situação-limite vivida pela personagem Maria…”

Newton Pinto da Silva, Correio do Povo, 18/01/95 – Porto Alegre/RS

 

“Se não disse antes, digo agora, sempre fui fã absoluto da atriz  Deborah Finocchiaro, por isso não me surpreende, mas alegra profundamente reencontrá-la tão inteira e completa, num espetáculo como Pois é, Vizinha…”

Antonio Hohlfeldt, Jornal do Comércio, 12/05/94 – Porto Alegre/RS

 

“Deborah Finocchiaro é daquelas manufatoras de tipos que sabe até onde levar os extremos da representação. Do trágico ao hilário ela parece manter a personagem amarrada a uma corda que se distende sutilmente mesmo quando a gargalhada da platéia irrompe.”

Maristela B. Schmidt, Correio do Povo, 23/10/93 – Porto Alegre/RS

 

 

A COMPANHIA:

A Companhia de Solos & Bem Acompanhados, um dos núcleos de criação cênica mais atuantes do Rio Grande do Sul, caracteriza-se pela mescla de diferentes linguagens, versatilidade e escolha de temas que estimulam a reflexão e o pensamento crítico. Em sua trajetória, já atingiu mais de 500.000 pessoas através de seus espetáculos, oficinas e performances. Atualmente tem em seu repertório os espetáculos “Pois é, Vizinha…”, direção Deborah Finocchiaro; “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana”, direção Deborah Finocchiaro e Jessé Oliveira; “GPS GAZA”, direção Camila Bauer, “Caio do Céu”, direção Luís Artur Nunes e “Diário Secreto de Uma Secretária Bilingue”, direção de Vinícius Piedade e Deborah Finocchiaro. As peças curtas “Histórias de Um Canto do Mundo Chamado Sul” e “Erico de Bolso”, os projetos “Palavra de Bolso – Onde a Literatura ganha Voz”, “Sarau Voador – Literatura e Improvisos Transcriados”, que agrega artistas de diferentes áreas para unir a literatura a outras expressões artísticas e as obras literomusicais, “Leitura às Cegas”, “Palavra Balada” e “Benção Poetinha”, a partir da obra de Vinicius de Moraes. Além de dezenas de indicações, recebeu 37 prêmios, entre eles 9 de melhor espetáculo, 18 de melhor atriz, 2 de melhor cenário, 2 de melhor trilha, 1 de melhor direção, texto adaptado, roteiro e 3 prêmios como melhor artista de teatro. Já percorreu mais de 80 cidades no RS, 18 estados brasileiros, Uruguai e Argentina, participando de temporadas, projetos, mostras e festivais nacionais e internacionais.

 

http://www.facebook.com/companhiadesolosebemacompanhados  

http://www.deborahfinocchiaro.com

 

Sarau da Clara Corleone recebe Ana Luiza Azevedo e Otto Guerra na quinta, 16 de janeiro

claracorleone_creditocarolinadisegna

Primeira edição de 2020 traz o tema “Cena de cinema” e ocorre no Von Teese

 

Nesta quinta-feira, 16 de janeiro, às 20h30, o Von Teese recebe a primeira edição 2020 do Sarau da Clara Corleone. O evento literário traz a cada edição um tema que pauta os textos lidos por Clara e as personalidades que participam. O de janeiro será “Cena de cinema”. Dividem o sofá do Von Teese com a anfitriã os diretores Ana Luiza Azevedo e Otto Guerra.

O evento da escritora e atriz já recebeu nomes como Martha Medeiros, Claudia Tajes, Jorge Furtado, Luisa Geisler, Manuela D’Ávila, Fernanda Melchionna, Katia Suman, Carol Anchieta, Roger Lerina, Mirna Spritzer, Paulo Germano, entre outros, e ocorre no local desde 2017.

O “Sarau da Clara Corleone – Cena de Cinema” inicia às 20h30 com couvert de R$ 10,00 (em dinheiro) ou R$ 15,00 (em cartão). O Von Teese fica na Rua Bento Figueiredo 32.

 

Sarau da Clara Corleone

“Cena de cinema” com Ana Luiza Azevedo e Otto Guerra

16 de janeiro, quinta-feira, às 20h30

Couvert a R$ 10,00 em dinheiro// R$ 15,00 em cartão

Von Teese – Rua Bento Figueiredo 32

 

Clara Corleone é formada em Arte Dramática e divide o seu tempo como produtora no estúdio Otto Desenhos Animados, coordenadora da ONG Minha Porto Alegre e hostess do Bar Ocidente às sextas. Comanda o sarau no Von Teese desde 2017 e lançou seu primeiro livro, “o homem infelizmente tem que acabar” em 2019 na Editora Zouk, pelo selo Casa da Mãe Joanna.

Ana Luiza Azevedo nasceu na cidade de Porto Alegre, no Brasil. Formou-se em Artes Plásticas pela UFRGS em 1986, e foi uma das pioneiras da Casa de Cinema de Porto Alegre. Atualmente é uma das responsáveis pelo Núcleo de Criação de Textos para TV e Cinema da Casa de Cinema de Porto Alegre. Está desenvolvendo os roteiros da série O HARÉM e trabalha também em seu novo projeto de longa-metragem AOS OLHOS DE ERNESTO, que está participando de festivais e recebeu o Prêmio da Crítica como “Melhor Filme Brasileiro” na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Otto Guerra é um dos pioneiros da animação autoral no Brasil, onde criou a quadragenária Otto Desenhos, que se tornou uma das produtoras de animação mais importantes do país. É o único diretor com quatro obras na lista dos 100 filmes mais importantes da animação brasileira definida pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (ABRACCINE) no livro “100 anos do cinema de animação no Brasil”. Seu último longa, “A Cidade dos Piratas” (2018), é baseado na obra da cartunista Laerte e foi eleito o Melhor Longa-Metragem de Animação no 41º Festival Internacional do Novo Cinema Latino-Americano de Havana, em Cuba.

 

6ª edição do Kino Beat – Arte em Movimento inaugura última atividade da programação na terça, 21 de janeiro

Sem título-1

 Exposição com obras de Xadalu fica em cartaz até 08 de março no MACRS

 

O Kino Beat – Arte em Movimento encerra sua sexta edição, iniciada em novembro de 2019, com uma exposição que inaugura na terça, 21 de janeiro, no MACRS. Invasão colonial ‘YVY OPATA’ a terra vai acabar, de Xadalu, estará em cartaz com entrada franca na Galeria Xico Stockinger.

A exposição individual reúne fragmentos de diversas imersões do artista Xadalu em aldeias Guaranis. As obras registram o estado atual em que as aldeias se encontram, os conflitos originados pelas retomadas de suas terras, e as constantes ameaças de grupos armados que intimidam as comunidades tradicionais.

A medida que a cidade cresce geograficamente, a aldeia diminui e automaticamente os sonhos sofrem interferências na transição para outro mundo. “Sendo o único lugar seguro, as cidades celestiais são o local de onde viemos e para onde vamos depois de nossa passagem aqui na terra. Mas a Tekoa continua protegida de alguma maneira por nhanderu, o motivo de nossa resistência há mais de 500 anos. O trovão de tupã lá fora mostra sua força de anunciar o tempo passado que o raio cruzou e já não existe mais, e o sol mostra seus raios e nos permite caminhar sobre eles”, conta o artista, que também é responsável pela curadoria da exposição.

De acordo com o curador do festival, Gabriel Cevallos, o Kino 2019 se desenvolveu a partir de premissas que convidam à reflexão sobre algumas urgências do presente. “Estas ideias iniciais, substituem uma palavra central ou um tema fixo para esta edição, e lançam de forma aberta possibilidades para se sentir o mundo em conjunto – ficção, natureza, percepção, conciliação, território, mutação, esperança, mundos possíveis: estes são alguns dos pontos de partida para se imaginar o 6º Kino Beat”, revela.

“Uma outra forma de se repensar os impactos do colonialismo, é assumir como válido o conhecimento produzido pelos povos originários. Ao atuar como um mensageiro entre dois mundos, o artista visual Xadalu traduz parte deste conhecimento e visão de mundo dos índios Guaranis, em obras de arte. O seu processo de escuta atenta e trabalho compartilhado com as aldeias, ressaltam a sua reverência e urgência em dar visibilidade a este mundo que resiste em existir”, afirma o curador do festival.

O 6º Festival Kino Beat – Arte em Movimento foi selecionado pelo edital de patrocínios culturais incentivados da Oi, conta com o apoio do Oi Futuro e com Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Pró-Cultura RS –Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul. A inauguração de Invasão Colonial ‘YVY OPATA’ a terra vai acabar, ocorre às 20h do dia 21 com a participação do Cacique Geral Mburuvixá Tenondé CIRILO. A exposição segue em cartaz até 08 de março.

 

Sobre o artista

Xadalu é artista visual urbano com uma obra que transita entre intervenções nas ruas e exposições em museus, galerias e centros culturais. Sua produção diversificada mescla as colagens da sticker art a técnicas e linguagens como a serigrafia, a pintura, a fotografia e o objeto.

Seu trabalho em street art já foi exibido em mostras coletivas e individuais em instituições de Porto Alegre como Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MAC-RS), Instituto Estadual de Artes Visuais do Rio Grande do Sul (IEAVi), Casa de Cultura Mario Quintana e Museu dos Direitos Humanos do Mercosul. Na Europa, apresentou obras em galerias de Berlim e Florença.

Integra coleções particulares e acervos públicos, como do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) e do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MAC-RS).

É tema do livro “Xadalu — Movimento urbano”, do curta-metragem “Sticker conection” (2015) e do documentário “Xadalu — Filme” (2017), que retratam a produção iniciada em 2004 com as primeiras colagens do indiozinho Xadalu nas ruas de Porto Alegre. Hoje, o personagem é visto em dezenas de cidades do mundo graças à rede estabelecida com outros artistas visuais urbanos praticantes da sticker art que trocam seus adesivos pelo correio.

As questões indígenas acompanham seu trabalho desde o início. Com o envolvimento, realiza temporadas de residência artística em aldeias do sul do Brasil e da Argentina.

Em reconhecimento à defesa da causa indígena aliada a questões socioculturais, foi um dos agraciados pelo Prêmio Humanidades do Instituto Brasileiro da Pessoa 2014. Entre outras diversas distinções, foi eleito em 2012 Melhor Artista na Expo Colex, mostra internacional de sticker art realizada em Santos (SP), e duas vezes indicado ao Prêmio Açorianos de Artes Plásticas da prefeitura de Porto Alegre (2015 e 2016).

Realiza palestras, cursos e oficinas sobre serigrafia e arte urbana, com destaque para o Curso de Extensão em Serigrafia da Universidade de Caxias do Sul (UCS), que ministra desde 2016.

“Caio do Céu” integra a programação 21º Porto Verão Alegre

Caio do Céu. foto Náthaly Weber 9

 Espetáculo com Deborah Finocchiaro e Fernando Sessé tem apresentações nos dias 10, 11 e 12 de janeiro no teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa

 

A Companhia de Solos & Bem Acompanhados inicia sua participação na programação do 21º Porto Verão Alegre com o espetáculo Caio do Céu, com apresentações às 21h nos dias 10, 11 e 12 de janeiro no teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa. A montagem, que abriu a programação da 18ª edição do festival em 2017, traz a obra de Caio Fernando Abreu sob a direção de Luís Artur Nunes com a atriz Deborah Finocchiaro e o músico Fernando Sessé em cena.

Impossível ler  Caio Fernando Abreu sem enxergá-lo, sem senti-lo. Ele é visceral, sincero, confessional, um biógrafo do emocional, um fotógrafo da fragmentação contemporânea, um tradutor do seu tempo. Escreveu, principalmente, sobre o tema que mais lhe despertava a imaginação: a condição humana. Caio do Céu transpõe seu universo para o palco através de crônicas, cartas, contos, poemas, textos teatrais, depoimentos, música ao vivo e projeções. Traz para a cena o próprio artista, por meio de vídeos, com trechos de suas entrevistas. O roteiro, assinado por Deborah, com colaboração na seleção de textos de Nunes, prioriza parte da obra que valoriza a vida em todos os seus aspectos, apresentando também uma face pouco conhecida do autor: um homem vibrante e solar, que se revela desperto para o milagre da existência diante da iminência da morte – muitas vezes abordada com humor, leveza e profundidade. Caio do Céu expõe e questiona os valores da sociedade e, principalmente, as questões da alma humana, da morte e da vida.

Caio Fernando Abreu (1948/1996), um dos autores mais populares da literatura nacional, foi ator, dramaturgo, jornalista e escritor. Traduzido para o alemão, espanhol, francês, inglês, italiano e holandês, mesmo depois de sua morte, segue conquistando uma incrível legião de fãs. Suas frases e pensamentos são compartilhados incansavelmente nas redes sociais por jovens e adultos que reconhecem a profundidade e atualidade da sua obra.

A peça estreou em janeiro de 2017 no Theatro São Pedro e desde então vem conquistando plateias de diferentes idades e classes sociais, obtendo excelente receptividade do público e da crítica. Foi indicado em seis categorias do Prêmio Açorianos de Teatro (espetáculo, roteiro, trilha, produção, atriz e figurino) e vencedor em duas categorias do 8º Prêmio Válvula de Escape e Olhares da Cena 2018 (melhor trilha e melhor atriz). Entre outros, participou do 12º Festival Palco Giratório do SESC, do 28ª Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) em Pernambuco, da 20ª Mostra SESC Cariri de Culturas no Ceará, da XXIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, além de promover o projeto “Caio na Fronteira”, financiado pelo FAC, que ofereceu o espetáculo, o recital homônimo e um conjunto de oficinas para três cidades da fronteira do RS.

Presente desde a primeira edição do festival com a peça Pois é, Vizinha…, Deborah Finocchiaro e sua Companhia de Solos & Bem Acompanhados participa do Porto Verão Alegre 2020 com Diário Secreto de uma Secretária Bilíngue, Sarau Voador – Literatura e Improvisos Transcriados e Pois é, Vizinha… (confira as datas abaixo). Os ingressos para as apresentações estão à venda pelo site do Porto Verão, com valores entre

R$ 20,00 e R$ 40,00 e nos dias de espetáculo na bilheteria do local, mediante disponibilidade. Em breve o festival divulgará os outros pontos de venda.

 

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 60 minutos / CLASSIFICAÇÃO: 12 anos

SERVIÇO:
Espetáculo teatral “Caio do Céu”
Data: 10, 11 e 12 de janeiro | sexta, sábado e domingo
Hora: 21h
Local: Teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa (Av. Independência, 75 – Fone: 51 3213.7258)

Classificação etária: 12 anos
Duração: 60 minutos

Ingressos:

antecipados com descontos

R$ 32,00 (inteira)

R$ 24,00 (Banricompras e Clube do Assinante)

R$ 20,00 (meia-entrada)

 

Ingressos na hora

R$ 40,00 (inteira)

R$ 32,00 (Banricompras e Clube do Assinante)

R$ 20,00 (meia-entrada)

 

Pontos de venda

Online: http://www.portoveraoalegre.com.br

Nos locais das apresentações: somente nos dias das sessões, uma hora antes do início das sessões.

Em breve o Festival irá divulgar os pontos de venda antecipada.

FICHA TÉCNICA:

Textos: Caio Fernando Abreu

Concepção: Deborah Finocchiaro e Luís Artur Nunes

Seleção de textos: Deborah Finocchiaro com a colaboração de Luís Artur Nunes

Roteiro: Deborah Finocchiaro

Direção: Luís Artur Nunes

Atuação e Violão: Deborah Finocchiaro

Atuação, Handpan, Pandeiro, Sampler e Cajon: Fernando Sessé

Músicas: Fernando Sessé (com exceção de “Muros” e “Alento” de Deborah F. e trechos das músicas “Necessidade” e “Amor Nojento” de Laura Finocchiaro)

Direção de Vídeo: Bruno Polidoro e Daniel Dode

Pesquisa de Imagens: Bruno Polidoro

Edição de Vídeo: Daniel Dode

Entrevistas Caio Fernando Abreu: TVE RS e Marian Starosta

Fotos Adicionais (cena Necessidade): Fernanda Chemale

Participação em Vídeo: Marcelo Ádams

Figurino: Antonio Rabadan

Iluminação: Leandro Roos Pires

Técnico de Som e Imagens: Rafael David

Projeto Gráfico: Rafael Sarmento

Consultoria Astrológica: Amanda Costa

Colaborador: Fernando Ramos (Festipoa Literária)

Coordenação de Produção e Direção Geral: Deborah Finocchiaro

Produção e Realização: Companhia de Solos & Bem Acompanhados

Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

A COMPANHIA:

A Companhia de Solos & Bem Acompanhados, um dos núcleos de criação cênica mais atuantes do Rio Grande do Sul, caracteriza-se pela mescla de diferentes linguagens, versatilidade e escolha de temas que estimulam a reflexão e o pensamento crítico. Em sua trajetória, já atingiu mais de 500.000 pessoas através de seus espetáculos, oficinas e performances. Atualmente tem em seu repertório os espetáculos “Pois é, Vizinha…”, direção Deborah Finocchiaro; “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana”, direção Deborah Finocchiaro e Jessé Oliveira; “GPS GAZA”, direção Camila Bauer, “Caio do Céu”, direção Luís Artur Nunes e “Diário Secreto de Uma Secretária Bilingue”, direção de Vinícius Piedade e Deborah Finocchiaro. As peças curtas “Histórias de Um Canto do Mundo Chamado Sul” e “Erico de Bolso”, os projetos “Palavra de Bolso – Onde a Literatura ganha Voz”, “Sarau Voador – Literatura e Improvisos Transcriados”, que agrega artistas de diferentes áreas para unir a literatura a outras expressões artísticas e as obras literomusicais, “Leitura às Cegas”, “Palavra Balada” e “Benção Poetinha”, a partir da obra de Vinicius de Moraes. Além de dezenas de indicações, recebeu 37 prêmios, entre eles 9 de melhor espetáculo, 18 de melhor atriz, 2 de melhor cenário, 2 de melhor trilha, 1 de melhor direção, texto adaptado, roteiro e 3 prêmios como melhor artista de teatro. Já percorreu mais de 80 cidades no RS, 18 estados brasileiros, Uruguai e Argentina, participando de temporadas, projetos, mostras e festivais nacionais e internacionais.

AGENDA Deborah Finocchiaro no PORTO VERÃO ALEGRE 2020:

CAIO DO CÉU

Dias 10, 11 e 12 de janeiro – Sexta, sábado e domingo, 21h

Teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa – Av. Independência, 75 – Fone: 51 3213.7258

 DIÁRIO SECRETO DE UMA SECRETÁRIA BILÍNGUE

Dias 17 e 18 de janeiro – Sexta, 20h e sábado, 18h

Instituto Ling – R. João Caetano, 440 – Três Figueiras – Fone: 51 3533-5700

 SARAU VOADOR – LITERATURA E IMPROVISOS TRANSCRIADOS

Edição “Apenas Um Rapaz Latino Americano” – convidados Lico Silveira e Juarez Fonseca.

Dia 23 de janeiro – quinta-feira, 20h

Barco Cisne Branco

 POIS É, VIZINHA…

Dias 28, 29 e 30 de janeiro – Terça, quarta e quinta, 21h

Teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa – Av. Independência, 75 – Fone: 51 3213.7258

https://www.facebook.com/caiodoceu/

www.instagram.com/caiodoceu.espetaculo/

https://www.facebook.com/companhiadesolosebemacompanhados/

Naira Nawroski Centro de Artes Integradas promove espetáculos adulto e infantil neste final de semana no Teatro do CIEE

Cartaz INFANTIL Naira dez19 - digitalp

“La Boutique Fantasque” e “Samba” contam com apresentações neste sábado e domingo

 

O Naira Nawroski Centro de Artes Integradas promove neste final de semana as apresentações dos espetáculos adulto e infantil, encerrando a programação 2019 da escola, no Teatro do CIEE.

O espetáculo infantil de La Boutique Fantasque, com direção geral de Naira Nawroski, tem sessões no sábado, dia 14 de dezembro, às 16h, e domingo, às 15h30. Concebido pelo coreógrafo russo Léonide Massine, o ballet de repertório de um ato conta a história de uma fantástica loja de bonecas mecânicas.

Para os alunos do Centro de Artes o roteiro foi adaptado buscando a criatividade de cada grupo de crianças, apresentando performances nas modalidades ballet clássico (com os professores Alexandre Ritmann, Gracielli Lattuada e Naira Nawroski), Hip-Hop (professora Luciana Gomes Pinto), Jazz (professora Priscila Ramos Gagliardi) e Sapateado Americano (professor Leonardo Dias).

Ao anoitecer, longe dos olhares humanos, as bonecas e os bonecos ganham vida e vivem seus pequenos dramas. Durante o dia, ficam em exposição na vitrine, dançando para os fregueses. Quando duas famílias de turistas, uma de Espanhóis e outra família de Indianos, chegam à loja, se encantam com muitas bonecas. Os Espanhóis escolhem o Boneco Bailarino, enquanto os Indianos escolhem a Boneca Bailarina.  O casal de bonecos sofre pela separação. Os brinquedos ganham vida e afugentam os turistas que, uma vez do lado de fora, assistem da vitrine a uma alegre dança protagonizada pelo negociante e todos ficam juntos e felizes.

Uma homenagem ao Samba – o espetáculo das turmas da modalidade adulto ocorre no dia 15 de dezembro, às 20h. As canções foram escolhidas à dedo pela sua equipe e carregam a peculiaridade coreográfica de cada professor e sua modalidade.

As coreografias são assinadas por Naira (Fitness Ballet), Priscila Ramos Gagliardi (Jazz), Leonardo Dias (Sapateado Americano), Tirzah Souza (Dança Contemporânea) e Fernanda Metzen (Dança de Salão). As performances contarão com música ao vivo, executadas por Kiti Santos (piano, sax e vocais), Geyson William (violão e cavaquinho), Luciano de Leo (baixo), Tuti Rodrigues, Yago Lima (percurssão) e Leo Dias (flauta transversa e vocais), em uma verdadeira roda de samba em pleno teatro.

“Aqui no Centro de Artes Integradas prezamos pela integração das diferentes disciplinas artísticas e públicos e é uma alegria poder aproximar músicos tão talentosos ao nosso corpo de baile”, revela a diretora e coreógrafa.

Os ingressos para qualquer uma das apresentações custam R$ 60,00 e estarão à venda na bilheteria do teatro nos dias de espetáculo.

 

Sobre Naira Nawroski Centro de Artes Integradas

Escola fundada há 15 anos em Porto Alegre pela bailaria, coreógrafa e professora especializada no ensino de ballet clássico infantil, Naira Nawroski. Naira é graduada em pedagogia – Habilitação em Educação Pré-Escolar pela PUCRS e pós-graduada em Psicomotricidade Relacional pelo Centro Universitário La Salle de Canoas. Durante os anos 1990, estudou na David Howard School, Martha Graham School e Broadway Dance Center em Nova Iorque. Participou de cursos do Método Royal Ballet com Toshie Kobayashi e integrou programa de intercâmbio na Universidade de Coimbra em Portugal no ano 2000.

O Naira Nawroski Centro de Artes Integradas oferece diversas modalidades de dança, como ballet infantil e adulto, dança contemporânea, flamenco, sapateado americano, dança de salão, jazz, hip-hop, entre outras. Naira desenvolveu ao longo destes anos métodos interdisciplinares oferecendo aulas de artes e teatro integradas com as aulas de dança para crianças – uma inovação didática inédita em Porto Alegre.

Mais informações: facebook.com/ Naira.Centro.de.Artes e Instagram @nairanawroski

Augusto Stern lança projeto solo na segunda, 16 de dezembro

BABU INSTAGRAM COM LOGO

Material inédito e autoral do guitarrista e vocalista da banda Fantomaticos apresenta gravações intimistas lançadas em formato de singles

 

A partir da próxima segunda-feira, 16 de dezembro, o público poderá conferir o novo trabalho do músico Augusto Stern. Babu, seu apelido, é o nome de seu novo projeto solo autoral, onde apresentará gravações intimistas em formato de single. Desde o final dos anos 1990, com a criação dos Fantomaticos, Stern é figura constante na cena musical porto-alegrense, tanto com seu trabalho com a banda, quanto com sua participação no espetáculo “Uma Nova Pele”, onde integra o grupo Bruna Paulin e os Esotéricos, além de já ter gravado e produzido diversos músicos da cidade.

Com Babu, o músico apresenta uma nova faceta, seu primeiro trabalho solo. “O nome foi escolhido exatamente para dar uma ideia de intimidade, proximidade, algo que se reflete desde as canções, passando pelo visual e também o formato de veiculação. “Sem a pressão de datas e prazos, meu objetivo é ir apresentando as músicas, fotos, clipes, todo o conteúdo gerado de forma simples, minimalista, quase caseira e bastante espontânea”, conta o compositor e multiinstrumentista. 

“Eu adoro o trabalho com os Fantomaticos, sempre extremamente minucioso, com diversas formas de experimentação até atingir o resultado. É um trabalho artesanal e muito divertido! Porém eu sempre quis aliar a isso um formato que fosse um pouco mais direto e, talvez, mais descompromissado. Com o Babu eu gravo tudo sozinho em casa ou no meu estúdio e faço o lançamento o mais rápido possível. Um pouco no calor da emoção, com a ideia ainda bruta, fresca”, revela.

Primeiro single do projeto, “I Believe Her”, é uma balada de violão em formato de declaração de amor. A música em conjunto com o clipe, compõe uma homenagem às mulheres que foram inspiração na vida do artista. O vídeo foi dirigido por Patrícia Barbieri (sua esposa) e estará online também no dia 16.

Segundo o artista, nesse projeto os lançamentos serão sempre em single, de música em música, e sempre com um vídeo. Vários estilos serão apresentados e haverá espaço para participações mais inusitadas. Babu estará disponível em plataformas como Spotify, iTunes e Deezer e pode ser alcançado pelo link http://trato.red/ibelieveher 

Curso “Produção Executiva em Artes Visuais – planejamento e execução de exposições” ocorre nos dias 17 e 18 de dezembro

jaqueline beltrame_credito thiele elissa

Atividade ministrada por Jaqueline Beltrame ocorre no Hub Criativa Birô, na Casa de Cultura Mario Quintana

 

Ocorre nos dias 17 e 18 de dezembro de 2019 o curso Produção Executiva em Artes Visuais – planejamento e execução de exposições, ministrado por Jaqueline Beltrame. O curso abordará as diversas etapas de realização de exposições, visando capacitar profissionais da área. Dentre os tópicos abordados, estão a relação entre curadoria e produção, como montar o orçamento de uma exposição, negociação de empréstimo de obras, seguro, transporte, produção local de obras para exposição, equipe e fornecedores, especificidades de montagem de vídeo instalações, entre outras atividades que envolvem a produção profissional de exposições em instituições e espaços diversos. As inscrições podem ser feitas pelo Sympla ou através do email jaquebeltrame@gmail.com. Será fornecido certificado após o final do curso, para alunas e alunos presentes nos dois dias.

Jaqueline Beltrame tem duas décadas de experiência em produção cultural, e foi Produtora Executiva da Fundação Iberê Camargo e de diversas edições da Bienal do Mercosul; produziu exposições em locais como Santander Cultural e Instituto Ling. É uma das fundadoras, produtora e curadora do Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira, além de produtora executiva de cinema e projetos culturais em diversas áreas.

O curso tem Apoio do RS Criativo, e Apoio Divulgação da AAMACRS – Associação de Amigos do Museu de Arte Contemporânea do RS.

 

Serviço:

Curso Produção Executiva em Artes Visuais – planejamento e execução de exposições

Data e horário: 17 e 18 de dezembro, das 9h às 13h.

Local: Hub Criativa Birô (Sala Sergio Napp 2), na Casa de Cultura Mario Quintana – Rua dos Andradas, 736, Centro Histórico / Porto Alegre

Inscrições e valores:

No Sympla

Profissionais de área e estudantes: R$150,00 (+ R$15,00 taxas), em até 12 x R$ 17,06

Profissionais de outras áreas: R$200,00 (+ R$20,00 taxas), em até 12 x de R$ 22,75

Link: https://www.sympla.com.br/curso-producao-executiva-em-artes-visuais–planejamento-e-execucao-de-exposicoes__727986

Através do email jaquebeltrame@gmail.com:

Mesmos valores, sem cobrança de taxas, à vista.

Projeto Concha promove Som na Concha na quarta, 18 de dezembro

residenciaconcha_creditoSofiaLerrer.png

 

Show de encerramento da residência artística promovida pelo projeto em 2019 ocorrerá na Concha Acústica do Multipalco Eva Sopher com entrada franca; atividades do projeto este ano contaram com patrocínio do Natura Musical

 

Porto Alegre, 10 de dezembro de 2019 – Na quarta-feira, 18 de dezembro, às 20h, o público poderá conferir com entrada franca o show de encerramento do projeto de residência artística do Projeto Concha 2019, que durante oito meses reuniu 15 artistas locais para integrarem as atividades sob orientação da artista Isabel Nogueira e produção de Alice Castiel. A cada quinze dias a turma participava de atividades com convidadas de diversas áreas. O objetivo do Som na Concha é apresentar um pouco do que foi esse processo para todas elas.

A turma formada pelas musicistas Aline Araújo, Ana Paula Posada, Andressa Ferreira, Bartira Marques, Carina Levitan, Clarissa Ferreira, Giovanna Mottini, Gutcha Ramil, Jordana Henriques, Kaya Rodrigues, Mariana Martinez, Nina Fola, Nina Nicolaiewsky, Rita Zart e Thays Prado frequentou encontros e trabalhou em linguagens musicais, experimentações e composições além de atividades individuais e em grupo que as ajudaram a encontrar novos caminhos para o seus projetos na música. Também receberam as convidas Juçara Marçal, Alessandra Leão, Léa Freire, Winnie Bueno, Mestra Martinha do Coco, Angélica Freitas e Bárbara santos para atividades complementares como expressão corporal, poética, questões sobre feminismo negro além de vivências e trocas de experiência.

Este show especial e único que encerra a programação 2019, apresentará composições e arranjos individuais e coletivos desenvolvidos ao longo do processo da residência e arranjados para o espetáculo.

O Projeto Concha foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018 com com Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Pró-Cultura RS – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul. “Coletivos como o Projeto Concha ampliam a voz de movimentos que buscam maior representatividade dentro e fora do mercado musical”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “De uma forma geral, os coletivos promovem impacto cultural, social e econômico que multiplica o alcance de um patrocínio. A gente investe no coletivo e toda uma rede de pessoas conectada a ele também são impactadas de forma positiva”, completa.

Este ano foram realizados oito shows com onze atrações locais e nacionais e cinco oficinas formativas para mulheres na área de produção musical: fotografia, luteria, produção, iluminação e sonorização.

O Som na Concha ocorre na Concha Acústica do Multipalco Eva Sopher. Em caso de chuva as apresentações serão transferidas para o Foyer do Multipalco na mesma data e horário. Para mais informações acesse: facebook.com/projetoconchapoa

 

Protagonismo no palco

O Projeto Concha é uma iniciativa independente, criada em 2018 pela produtora cultural Alice Castiel. Ao analisar o mercado musical, tanto localmente como em eventos nacionais dos quais participou, ela notou a quantidade e a diversidade de mulheres produzindo, compondo, tocando instrumentos e cantando, mas que muitas vezes, apesar do talento, não tinham acesso a selos, gravadoras ou à programação de festivais. “Em Porto Alegre ou em qualquer cidade do Brasil, a oferta dos principais palcos é majoritariamente protagonizada por homens”, afirma. Como contraponto, Alice propôs uma programação que apresentasse exclusivamente o trabalho de mulheres, a fim de chamar atenção para o que é produzido e muitas vezes ignorado ou preterido pelo circuito oficial da música.

Nas 13 edições do projeto, realizadas no bar Agulha, em Porto Alegre, o público lotou a casa para conhecer o trabalho de mais de 20 mulheres, em apresentações de artistas locais e também de criadoras com projeção na cena nacional, criando um espaço de visibilidade e troca de referências musicais, amparado por uma rede de apoio entre mulheres e conteúdo profissionalizante. Já participaram artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Labaq, Xênia França, Maria Beraldo, Larissa Luz, Juliana Perdigão, intervenções poéticas de Angélica Freitas, Mel Duarte, Luna Vitrolira, Crystal Rocha e as atrações locais Saskia, Raquel Leão, Veña, Pâmela Amaro, Thays Prado, As Aventuras e até uma banda se formou especialmente para uma edição do Concha, batizada de Enxame.

Para mais informações, acesse: facebook.com/projetoconchapoa

 

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. O último edital do programa neste ano selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente para a rica e pulsante produção musical brasileira.

 

SERVIÇO

Som na Concha – show de encerramento da residência artística 2019

Quarta-feira, 18 de dezembro de 2019, 20h

Local: Concha Acústica – Multipalco Eva Sopher (Praça Marechal Deodoro, s/n)

Apresentações de Aline Araújo, Ana Paula Posada, Andressa Ferreira, Bartira Marques, Carina Levitan, Clarissa Ferreira, Giovanna Mottini, Gutcha Ramil, Jordana Henriques, Kaya Rodrigues, Mariana Martinez, Nina Fola, Nina Nicolaiewsky, Rita Zart e Thays Prado

Entrada franca. Em caso de chuva as apresentações ocorrem no Foyer do Multipalco

Blog no WordPress.com.

Acima ↑