Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Última Sessão Acessível de 2019 da Cinemateca Capitólio Petrobras ocorre no 16 de novembro com “Benzinho”

0627_Foto Bianca Aun_Benzinho_out2016

Exibição integra a programação especial 2019 que conta com 26 atividades e patrocínio master da Petrobras. A produção cultural é da Fundacine RS e Prefeitura Municipal de Porto Alegre

 

A última Sessão Acessível de 2019 da Cinemateca Capitólio Petrobras ocorre no sábado, dia 16 de novembro, às 14h, com entrada franca. A exibição de Benzinho integra as dez sessões acessíveis da programação especial da Cinemateca Capitólio Petrobras com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine e Prefeitura Municipal de Porto Alegre, através da Coordenação de Cinema e Audiovisual da Secretaria da Cultura. A exibição terá interpretação em Libras por Celina Xavier, da Ovni Acessibilidade Universal, parceira cultural do projeto.

Benzinho, dirigido por Gustavo Pizzi, traz a história do primogênito de uma família de classe média que é convidado para jogar handebol na Alemanha e lança sua mãe (Karine Teles) em uma espiral de sentimentos, pois, além de ajudar a problemática irmã (Adriana Esteves) a lidar com as instabilidades do marido (Otávio Müller) e se desdobrar para dar atenção aos seus outros filhos, ela terá de enfrentar sua partida antes de estar preparada para tal.

As sessões acessíveis são a exibição de filmes com os recursos de acessibilidade (LIBRAS, audiodescrição e legendas descritivas) abertos. São voltadas ao público específico e a ação amplia a democratização do acesso à Cinemateca garantindo a inclusão de pessoas com deficiências; assim o projeto reforça a vocação da Cinemateca como um espaço de cinefilia e reflexão crítica do cinema e está disponível a todos e todas.

A Programação Especial 2019 da Cinemateca Capitólio Petrobras engloba oito mostras de cinema, quatro eventos “Noites na Cinemateca”, duas masterclasses e duas exposições e ações para o centro de documentação e memória e a manutenção da cabine de projeção, entre outros.

A bilheteria abre 30 minutos antes da sessão, para distribuição de senhas. A Cinemateca Capitólio Petrobras fica na Rua Demétrio Ribeiro 1085 – Esq. com Borges de Medeiros. Mais informações (51) 3289 7453 | http://www.capitolio.org.br | facebook.com/cinemateca.capitolio

Delphus Galeria no Correio do Povo de hoje

correiodopovo_11.11.19.jpg

6ª edição do Kino Beat – Arte em Movimento ocorre a partir de 26 de novembro em Porto Alegre

yonaonestill1

 Festival selecionado pelo edital Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2019, o evento promoverá programação gratuita com diversas atividades.

 

Selecionado pelo edital Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2019, o 6º Kino Beat – Arte em Movimento ocorre de 26 de novembro a 01 de dezembro, com diversas atividades e atrações espalhadas pela cidade. De acordo com o curador do projeto, Gabriel Cevallos, o Kino 2019 se desenvolve a partir de premissas que convidam à reflexão sobre algumas urgências do presente. “Estas ideias iniciais, substituem uma palavra central ou um tema fixo para esta edição, e lançam de forma aberta possibilidades para se sentir o mundo em conjunto – ficção, natureza, percepção, conciliação, território, mutação, esperança, mundos possíveis: estes são alguns dos pontos de partida para se imaginar o festival deste ano”, revela.

A criação da programação passa por diferentes linguagens e suportes, para estabelecer um discurso particular, onde conceitos e intuição, personalizam uma identidade múltipla para o festival. A mudança do subtítulo, de Imagem e Som em Movimento para Arte em Movimento, reforça a natureza incerta do Kino Beat, que abole os termos para expandir ainda mais a suas possibilidades de atuação. “É neste espaço permeável, em que se sonha e propõe arte como um exercício experimental da liberdade, que brotam atividades que não trilham caminhos usuais, e que assumem riscos ao propor aproximações inusitadas”, conta.

Ao estabelecer relações entre um show de funk e o universo das artes visuais, o evento sugere que a produção de sentido e conhecimento pode florescer de qualquer gesto ou objeto, da lacração de uma rima ou de uma obra de arte. O percurso da programação também passa pela subversão e ressignificação de espaços. Ao substituir ofertas publicitárias de grandes outdoors urbanos por imagens oníricas de pequenos cogumelos, a fotógrafa Tuane Eggers revigora a paisagem e desperta a imaginação para outras formas de se reger o mundo. Que não passam apenas pela lógica comercial. Os cogumelos/fungos surgem como uma metáfora para a transformação, ao possibilitarem com sua existência e decomposição, o fluxo da vida. Serão três outdoors com imagens da artista espalhados por diversos pontos da cidade expostos até 26 de dezembro.

A programação do evento inicia na terça-feira, 26 de novembro, às 20h, no Teatro da Unisinos em Porto Alegre com uma apresentação inédita na América do Sul: a performance da Auxuman (abreviação de auxiliar humano) Yona, um avatar virtual que funciona como companheiro digital e performático do processo criativo humano. Obra do tecnólogo e produtor iraniano radicado em Londres Ash Koosha, Yona usa inteligência artificial e ferramentas generativas para escrever, cantar e tocar sua própria música, sintetizando as ideias de produtores e compositores humanos e conectando-as ao público. A performance será seguida com conversa com o artista, medidada pela doutora Adriana Amaral.

No dia 27 é a vez da dupla mxm, de Mirella Brandi e Mueptmo apresentarem no Teatro Unisinos o projeto Axioma.8. A apresentação é disparada pelo som de gravações de um piano, que se somam a sons de outros instrumentos e vozes, manipuladas em tempo real por Mueptmo. A luz criada por Mirella Brandi, intensifica o percurso sensorial, em um diálogo direto com a música, que se transforma em formas e volumes de luz, envolvendo platéia e palco em um ambiente imersivo onde apenas a luz e o som parecem estar presentes.

Além das performances no Teatro Unisinos, será possível conferir com entrada franca uma série de atividades agendadas em diversos espaços da cidade como Agulha, MARGS, Vila Flores, Linha e Teatro da Unisinos. Linn da Quebrada, Rakta, Naves Cilíndricas, DJ TataOgan e o Candombe uruguaio do grupo F5 são algumas das atrações. A programação também contará com obras, atividades e performances com Projeto Sonora, Tomaz Klotzel, Camila Proto, Serraria e Tutti Rodrigues. A programação completa e todas as atrações podem ser conferidas no site kinobeat.com e nas redes sociais do evento: facebook.com/kinobeat | Instagram @kinobeatfestival

O 6º Festival Kino Beat – Arte em Movimento foi selecionado pelo edital de patrocínios culturais incentivados da Oi, conta com o apoio do Oi Futuro e com Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Pró-Cultura RS –Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Mastri – Bolsas, Memória e Ensino na Revista Donna em Zero Hora

zh_09.11.19.jpg

Muovere Cia de Dança Contemporânea em Zero Hora do fim de semana

zh_09.11.19.jpg

Projeto Arte Para Todos Delphus na coluna de Eduardo Conill no Correio do Povo

correiodopovo_08.11.19

Muovere Cia de Dança Contemporânea no Jornal do Comércio de hoje

jc_08.11.19.jpg

Cinemateca Capitólio Petrobras promove mostra sobre filmes brasileiros contemporâneos e inéditos em Porto Alegre

O Prisioneiro da Grade de Ferro (4)

 Atividade conta com sete produções do cinema brasileiro contemporâneo e integra a programação especial 2019 com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine RS e Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Mostra apresenta uma retrospectiva do diretor Paulo Sacramento que participa de sessão comentada no dia 17 de novembro

 

De 12 a 20 de novembro a Cinemateca Capitólio Petrobras promove a mostra Brasil Contemporâneo, uma das 26 atividades do projeto Cinemateca Capitólio Petrobras Programação Especial 2019, aprovado na Lei de Incentivo à Cultura/Governo Federal, com produção cultural da Fundacine RS e Prefeitura Municipal de Porto Alegre, por meio da Coordenação de Cinema e Audiovisual da Secretaria da Cultura. O projeto tem patrocínio master da Petrobras.

Brasil Contemporâneo conta com sete produções, sendo parte delas uma retrospectiva do montador, diretor e produtor paulista Paulo Sacramento, que estreou em 2002 na direção de longas com o documentário O Prisioneiro da Grade de Ferro, eleito pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema – ABRACCINE – um dos maiores documentários brasileiros de todos os tempos. O filme contará com exibição de cópia remasterizada seguida de debate com a presença de Sacramento no domingo, 17 de novembro.

Na quarta-feira, 13 de novembro, a programação terá a sessão comentada de Diz a ela que me viu chorar, de Maíra Buhler, vencedor da mostra principal do festival Olhar de Cinema, com a presença de Marcos Vinicius Maia, integrante do elenco.

Outro destaque é o filme Vermelha, de Getúlio Ribeiro, vencedor da Mostra Aurora do Festival de Tiradentes. O longa conta a história de dois homens que viajam até região rural em busca de uma antiga raiz atingida por um raio. Enquanto eles extraem a raiz, Beto auxilia Gaúcho na reforma do telhado de sua casa, que passa a ser ameaçada diariamente pelo fornecedor de materiais de construção por dívidas em atraso.

No dia 15 de novembro será apresentado o longa inédito no circuito comercial, Os Pássaros de Massachusetts, do gaúcho Bruno de Oliveira, tem sessão comentada com a presença do diretor. O filme foi um dos selecionados na Mostra Competitiva de Longas Gaúchos no Festival de Gramado 2019.

Os ingressos para as sessões custam R$ 10,00, com meia entrada para estudantes, idosos e portadores do Cartão Petrobras com acompanhante, além de gratuidade para os funcionários da Petrobras. A bilheteria abre 30 minutos antes de cada sessão. A Cinemateca Capitólio Petrobras fica na Rua Demétrio Ribeiro 1085 – Esq. com Borges de Medeiros. Mais informações (51) 3289 7453 | http://www.capitolio.org.br | facebook.com/cinemateca.capitolio

 

FILMES

DIZ A ELA QUE ME VIU CHORAR

Brasil, 2019, 85 minutos, DCP

Direção: Maíra Bühler

O filme narra o cotidiano de moradores de um hotel social no centro de São Paulo, numa região marcada pelo uso abusivo de crack. Entre escadas circulares, quartos decorados, elevadores lotados e ao som das músicas do rádio, os personagens de ‘Diz a ela que me viu chorar‘ são atravessados por amores tumultuados e pelo espectro da solidão.

 

VERMELHA

Brasil, 2019, 79 minutos, DCP

Direção: Getúlio Ribeiro

Dois homens viajam até região rural em busca de uma antiga raiz atingida por um raio. Enquanto eles extraem a raiz, Beto auxilia Gaúcho na reforma do telhado de sua casa, que passa a ser ameaçada diariamente pelo fornecedor de materiais de construção por dívidas em atraso.

 

SEUS OLHOS E SEUS OSSOS

Brasil, 2019, 118 minutos, DCP

Direção: Caetano Gotardo

João, cineasta de classe média, passa por uma série de encontros com pessoas como Irene, sua amiga de longa data; Álvaro, seu namorado; Matias, um rapaz que vê no metrô e com quem se envolve sexualmente, entre outros conhecidos e desconhecidos. Esses encontros o afetam e revelam aos poucos um jogo de tempos que mistura vida e processo de criação, presente e memória.

 

OS PÁSSAROS DE MASSACHUSETTS

Brasil, 2019, 85 minutos, DCP

Direção: Bruno de Oliveira

Durante um inverno na cidade de Porto Alegre, Sofia, Fernanda e Bruno se conhecem.

 

O PRISIONEIRO DA GRADE DE FERRO

Brasil, 2003, 123 minutos, DCP

Direção: Paulo Sacramento

Utilizando as técnicas aprendidas em um curso de filmagem ministrado dentro do presídio, os detentos encarcerados no maior centro de detenção da América Latina documentam seu cotidiano, registrando as condições precárias nas quais sobrevivem.

 

RIOCORRENTE

Brasil, 2013, 79 minutos, DCP

Direção: Paulo Sacramento

Marcelo é jornalista. Carlos é um ex-ladrão de automóveis. Renata é uma mulher dividida entre dois relacionamentos tão diversos quanto seus desejos. Exu é o porvir.

 

O OLHO E A FACA

Brasil, 2018, 99 minutos, DCP

Direção: Paulo Sacramento

Roberto trabalha há anos em uma plataforma de petróleo, onde criou fortes vínculos de amizade. Uma inesperada promoção, no entanto, abala a estabilidade de suas relações profissionais em um momento em que também vive uma grave crise familiar.

 

GRADE DE HORÁRIOS

12 de novembro (terça)

19h30 – Riocorrente

 

13 de novembro (quarta)

18h – Riocorrente

19h30 – Diz a Ela que me Viu Chorar + debate

 

14 de novembro (quinta)

18h – O Olho e a Faca

20h – Vermelha

 

15 de novembro (sexta)

18h – Vermelha

19h30 – Os Pássaros de Massachusetts + debate

 

16 de novembro (sábado)

18h – Seus Olhos e Seus Ossos

20h – O Olho e a Faca

 

17 de novembro (domingo)

18h – O Prisioneiro da Grade de Ferro + debate

 

20 de novembro (quarta)

18h – Os Pássaros de Massachusetts

20h – Riocorrente

Projeto Arte Para Todos Delphus na imprensa

metro_07.11.19

 

jc_07.11.19

Blog no WordPress.com.

Acima ↑