Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Cine Esquema Novo 2019 na mídia

correiodopovo_22.11.19

 

jc_22.11.19

6º Kino Beat na coluna Vida Social do Jornal do Comércio de hoje

jc_22.11.19

Cine Esquema Novo 2019 no Metro de hoje

metro_21.11.19.jpg

 A Colmeia estreia em festivais no Brasil e no exterior

A_Colmeia_Poster_1080x1920

 Segundo longa-metragem de Gilson Vargas terá duas premières internacionais a partir de 24 de novembro e chega ao Brasil pela programação do 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

 

A Colmeia, segundo longa-metragem de Gilson Vargas, terá sua estreia em dois festivais internacionais e um nacional a partir de domingo, 24 de novembro. A estreia mundial do projeto ocorre na Estônia, integrando a programação do PÖFF 23 – Black Nights International Film Festival, na mostra Rebels With a Cause. O evento é um dos 15 festivais competitivos membros do FIAPF – International Federation of Film Producers Association, ao lado dos festivais mais importantes do mundo, como Cannes e Tokyo. Em seguida, A Colmeia será exibido na mostra principal do Festival Internacional de Zaragoza, na Espanha, no dia 27 de novembro. O filme concorre com outras cinco produções de diferentes países, como Croácia, Holanda e Índia.

Segundo a organização do PÖFF 23 a sessão Rebels with a Cause (Rebeldes com Causa) exibe “produções que oferecem pontos de vista originais, polêmicos ou com forte valor estético para um ‘público exigente”. O PÖFF é um dos grandes festivais internacionais do mundo hoje, promovendo premières internacionais e lançando no mercado europeu importantes títulos, com especial foco para o cinema de arte.

No Brasil, A Colmeia chega ao público através do 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que ocorre de 22 de novembro a 01 de dezembro. Único representante gaúcho a integrar a Mostra Novos Realizadores, o longa foi selecionado entre 701 inscritos de 22 Estados brasileiros. Segundo os curadores do festival, “Mostra Novos Realizadores pretende jogar luz sobre os novos talentos do audiovisual brasileiro, aqueles que já em seus primeiros filmes demonstram clara identidade narrativa, além de domínio da linguagem cinematográfica”. A Colmeia terá sua première brasileira na sexta-feira, 29 de novembro.

Filmado em 2017 nos municípios de Maratá e Harmonia, interior do RS, o filme situa-se na no período da 2ª Guerra Mundial e traz como protagonistas um grupo de imigrantes alemães que vive isolado no interior do Brasil. Eles tentam se manter invisíveis, mas a curiosidade dos mais jovens e a insegurança perante o novo ambiente instaura uma tensão e um ciclo de violência sem volta. A Colmeia flerta com o cinema de suspense, com doses de poesia visual, refletindo sobre os conflitos gerados pelo medo e a opressão.

Segundo Vargas, diferente de Dromedário no Asfalto, seu filme de estreia, um road movie tanto em seu roteiro quanto em sua produção, A Colmeia é um filme de processo: “tivemos a oportunidade de fazer uma imersão com equipe e atores no universo do filme antes das gravações, com visitas às locações, trabalho de pesquisa dos personagens, aulas de alemão e muito ensaios”, conta.

Durante a pré-produção do longa, o elenco pode desenvolver a construção de seus personagens através de um intenso processo de imersão dos atores, que passaram alguns dias no campo e vivendo na casa onde foram rodadas grande parte das cenas do filme, um casarão erguido em 1864. O grupo viveu como os personagens, trabalhando no campo e realizando as atividades conforme o período em que se passa a história de A Colmeia: “os atores chegaram a passar uma noite sozinhos na casa, fazendo sua própria comida, tomando banho com bacias, usando ferros de passar roupa com brasas e sob a luz de lampiões”, revela o diretor.

No elenco, Rafael Fronskoviak, Janaina Pellizon, Martina Froederich, Renata de Lelis, Thais Petzhold, Samuel Reginato, João Pedro Prates e Andressa Mattos interpretam os imigrantes alemães.

A Colmeia tem roteiro de Matheus Borges, Gilson Vargas e Diones Camargo, que também assina o argumento. A direção de arte é de Gilka Vargas e Iara Noemi e a direção de fotografia de Bruno Polidoro, parceiro de Vargas em seu primeiro longa, em diversos curtas e na série de TV Travessias. O desenho de som e a montagem são por conta de Gabriela Bervian, também parceira do diretor em diversos filmes e na vida afetiva – Gabriela e Gilson, além de casados, são sócios da Pata Negra, produtora que assina o trabalho. A dupla é responsável pela produção executiva do filme, que também conta as produtoras Eduarda Nedel e Deise Chagas na equipe.

O lançamento comercial está previsto para março de 2020, após o filme circular por festivais, com distribuição da Lança Filmes. A Colmeia tem financiamento do FSA Ancine e do FAC Pro-Cultura RS com recursos do Edital Arranjos Regionais, que fomentou a realização de diversos filmes realizados no Rio Grande do Sul, como Yonlu, de Hique Montanari, Rifle, de Davi Pretto e Disforia, de Lucas Cassales. A obra também conta com apoio Institucional do Goethe-Institut Porto Alegre e do Ministério das Relações Exteriores. Para mais informações, acesse: https://www.facebook.com/cinepatanegra/

 

GILSON VARGAS

Gilson Vargas é roteirista, diretor e produtor. Dirigiu diversos curtas-metragens premiados dentro e fora do Brasil, como o curta-metragem “Casa Afogada”, vencedor de quatro Kikitos no Festival de Cinema de Gramado. Em 2015 lançou o seu primeiro longa-metragem, “Dromedário no Asfalto”. Atualmente, está realizando a série de documentário para TV chamada “Travessias”, que também possui versão no formato de longa-metragem e foi filmada em diversos países, incluindo a Rússia, Mongólia, Estados Unidos, Japão, China e Tanzânia. No teatro, fez duas incursões como diretor, tendo recebido o Prêmio Nacional Myriam Muniz pelo espetáculo Crucial Dois Um. Leciona Roteiro e Direção no Bacharelado em Cinema da UNISINOS, no Rio Grande do Sul. A Colmeia é seu segundo longa-metragem. Gilson Vargas é também sócio da produtora Pata Negra, sediada em Porto Alegre.

Cine Esquema Novo 2019 é capa do Segundo Caderno em Zero Hora de hoje

zh_20.11.19.jpg

Brava Gastrobar promove degustação harmonizada de queijos e vinhos do mundo

foto_thiele elissa (39)

Evento ocorre na terça, 26 de novembro com ingressos pelo sympla – http://bit.ly/2QzJg4y

 

Porto Alegre, 19 de novembro de 2019 – Na terça-feira, 26 de novembro, às 19h30, o Brava Gastrobar promove o evento “Queijos e Vinhos do Mundo”, uma parceria do empreendimento com a importadora Vinhos do Mundo. Esta já é a segunda edição do evento, desta vez voltada para vinhos com a cara do verão.

O encontro proporcionará uma experiência de harmonização entre as tábuas de queijos e charcutaria do Brava e 13 rótulos de sete países – bebidas leves e perfumadas, perfeitas para os dias mais quentes, produzidas na África do Sul, Argentina, Chile, França, Itália, Portugal e Uruguai.

A atividade tem duração de 2h horas e os ingressos custam R$ 130,00 à venda pela plataforma Sympla – http://bit.ly/2QzJg4y ou no Brava.

Brava Gastrobar – Inaugurado em abril de 2018, o empreendimento apresenta uma experiência gastronômica única: aquela noite de queijos e vinhos que normalmente costuma acontecer em casa, agora tem um lugar com ambiente ideal para ocorrer. As tábuas com queijos, charcutaria, pães, castanhas e outros acompanhamentos são as protagonistas. Com oito tipos diferentes de tábuas no cardápio, o público encontra produtos premium vindos do Brasil, Itália, Alemanha, França, Dinamarca, Espanha e Holanda, harmonizados com mais rótulos de vinhos e espumantes e cervejas artesanais.

Durante o dia a casa oferece cardápio de sanduíches com os frios disponíveis e a opção de levar para casa as tábuas e os produtos à parte, além das opções de risotos no almoço. Também é possível contratar o serviço de tábuas personalizadas para eventos. A casa funciona de segunda a quarta-feira das 11h às 22h e de quinta-feira a sábado das 11h à meia-noite no Pátio 24 (R. 24 de outubro n°1454). Mais informações: (51) 3307-4331 | facebook.com/BravaGastrobar

 

Queijos e Vinhos do Mundo

26 de novembro, terça-feira, 19h30

Ingressos: R$ 130,00 – http://bit.ly/2QzJg4y ou no Brava

Rótulos selecionados:

África do Sul – Backsbergue Rosé

Argentina – Malma Finca La Papay Sauvignon Blanc | Classe A Las Acequias Chardonnay | Horus Nature Rosé (welcome drink)

Chile – Calcu Reserva Especial Rosé | Casa Silva Cool Coast Sauvignon Blanc | Merlot Grand Terroir de Los Andes Angustura

França – Marquiere Pays Doc Rosé | Duflair Syrah/Gamay/Merlot |  Côtes du Rhone Reserve Ortas

Itália – Badia Di Morrona Bianco

Portugal – Adega de Pegoes Rosé

Uruguai – Bodegas Carrau Cepas Nobles Sauvignon Blanc

Brava Gastrobar – R. 24 de outubro n°1454

Festival Cine Esquema Novo 2019 é capa do caderno Panorama no Jornal do Comércio de hoje

jc_19.11.19

 

jc2_19.11.19

Cinemateca Capitólio Petrobras inaugura equipamento de acessibilidade para a sala de cinema

cineassista

A partir desta semana o espaço conta com equipamento de acessibilidade em sua sala de cinema

Aquisição foi possibilitada por meio do projeto Cinemateca Capitólio Petrobras – Programação Especial 2019 que tem patrocínio master da Petrobras

Porto Alegre, 18  de novembro de 2019 – A partir desta semana a Cinemateca Capitólio Petrobras conta com acessibilidade completa. Desde sua reinauguração, o espaço possui acessibilidade física, com banheiros adaptados, elevador de acesso a todos os andares e espaços reservados para cadeirantes e obesos na plateia da sala de cinema. A partir de agora, a acessibilidade também chegou à tela da sala de cinema, mediante o equipamento que permite aos exibidores tornarem suas salas acessíveis para espectadores com deficiência visual ou auditiva. A aquisição foi possibilitada por meio da realização do projeto Cinemateca Capitólio Petrobras – Programação Especial 2019 que realizou oito mostras de cinema, quatro eventos especiais “Noites na Cinemateca”, duas master classes; duas exposições na Galeria da Cinemateca, dez sessões de cinema acessível e o tratamento de material de acervo, digitalização de cartazes e documentos.

Visando ampliar o acesso à Cinemateca, o projeto fez a aquisição do equipamento que permite acesso a espectadores com deficiência visual ou auditiva e, assim cumprir com a legislação brasileira vigente, IN 128 / 2016. O equipamento se chama CineAssista e possui três aparelhos (smartphones) que possibilitam a fruição do filme, dentro da sala de cinema, em conjunto com os demais espectadores, por intermédio dos recursos de acessibilidade (LIBRAS, legendas descritivas e audiodescrição – AD) em sistema fechado.

O processo de implementação do equipamento está sendo um aprendizado para todas as pessoas envolvidos nesta ação, pois para que seu uso seja bem-sucedido, é necessária a qualificação da equipe. Para isto, os funcionários da Cinemateca estão se preparando para melhor atender aos usuários, contando com a assessoria da Ovni Acessibilidade Universal. “Tudo para que a comunidade de Pessoas com Deficiência se sinta incluída e faça parte deste novo momento da Cinemateca”, afirma Beto Rodrigues, presidente da FUNDACINE.

“Para termos certeza da funcionalidade do equipamento foi realizado um teste onde foram convidados Rafael Braz, psicólogo clínico e consultor em audiodescrição, Ana Luisa Paganelli Caldas, professora de Libras da UFRGS e doutoranda na UFPEL, Eraldo Fortini, professor e Celina Xavier intérprete de LIBRAS, que puderam avaliar o uso dos smartphones numa sessão exclusiva. Para eles o equipamento é eficaz e colabora para a inclusão e democratização do cinema”, conta Beto Rodrigues.

Já na primeira semana que acessibilidade será possível conferir as produções “Diz a ela que me viu chorar”, “O olho e a faca”, “A cidade dos piratas” e “Legalidade”, em cartaz na programação da Cinemateca.

“A democratização do acesso do público ao cinema passa, necessariamente, pela acessibilidade plena com filmes com audiodescrição, LIBRAS e legendes descritivas”, afirma Luiz Alberto Cassol, vice-presidente da Fundacine.

O uso do equipamento de acessibilidade será viabilizado mediante agendamento prévio do público interessado nas sessões de filmes que possuem os recursos de acessibilidade. Como o aparelho é móvel será possível aos usuários escolherem a cadeira que desejam sentar, por isso é importante, chegar antecipadamente para que a equipe da Cinemateca possa atender da melhor maneira e instalar o aparelho. A Cinemateca Capitólio Petrobras fica na Rua Demétrio Ribeiro 1085 – Esq. com Borges de Medeiros. Mais informações (51) 3289 7458 | http://www.capitolio.org.br | facebook.com/cinemateca.capitolio 

COMO FUNCIONA:

O uso do equipamento de acessibilidade será viabilizado mediante agendamento prévio do público interessado nas sessões de filmes que possuem os recursos de acessibilidade.

A Cinemateca Capitólio Petrobras é um espaço cultural e diante desta prerrogativa exibe mostras, filmes de diferentes nacionalidades e produzidos em diferentes épocas, possuindo uma programação diferenciada das demais salas de exibição, por isso, a exibição de filmes que possuam os recursos de acessibilidade fechada está sujeita a programação dos mesmos e, quando o filme dispuser de tais recursos haverá a divulgação nas mídias tradicionais e on line.

Cada aparelho (estarão disponíveis 03 smartphones por sessão) é individual e neste há o aplicativo de acessibilidade, devendo o usuário selecionar a modalidade mais adequada. Mesmo durante a exibição do filme é possível mudar a tecnologia de acessibilidade, conforme a necessidade ou o conforto. O aparelho não possui iluminação para não interferir na luminosidade da sala e da projeção; possui uma instalação móvel com adaptador no braço da cadeira e espaço para a inserção do smartphone. (PHOTO).

Mais informações:

http://www.capitolio.org.br

3289-7458 (Administração)

cinematecacapitolio@gmail.com

https://www.facebook.com/cinemateca.capitolio/

https://www.instagram.com/cinematecacapitolio/

Cine Esquema Novo 2019 no Correio do Povo de hoje

correiodopovo_18.11.19.jpg

Blog no WordPress.com.

Acima ↑