Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Porto Alegre recebem solo estrelado por Claudia Abreu em outubro

‘Virginia’, dirigido por Amir Haddad, marca a estreia da atriz como autora teatral em um mergulho no universo de Virigina Woolf

Claudia Abreu retorna aos palcos gaúchos a partir de 04 de outubro, realizando uma turnê por Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Porto Alegre, com apresentações de seu mais recente projeto no teatro, Virginia. A montagem, que já passou por temporadas de sucesso em São Paulo e Belo Horizonte, é o resultado dos vários atravessamentos que Virginia Woolf (1882-1941) provocou em Claudia Abreu ao longo de sua trajetória. A vida e a obra da autora inglesa são os motores de criação deste espetáculo, fruto de um longo processo de pesquisa e experimentação que durou mais de cinco anos. Primeiro monólogo da carreira da atriz, o solo marca ainda a sua estreia na dramaturgia e o retorno da parceria com Amir Haddad, que a dirigiu em ‘Noite de Reis’ (1997). O projeto conta com a co-direção de Malu Valle
A relação de Claudia com Virginia Woolf começa em ‘Orlando’, montagem assinada por Bia Lessa, em 1989. Aos 18 anos, ela travou contato inicial com a escritora de clássicos como ‘Mrs Dalloway’, ‘Ao Farol’ e ‘As Ondas’. No entanto, somente em 2016, com a indicação de uma professora de literatura, que a atriz reencontrou e mergulhou de cabeça no universo da autora. Após ler e reler alguns livros, incluindo as memórias, biografias e diários, a vontade de escrever sobre Virginia falou mais alto.
‘Eu me apaixonei por ela novamente. Fiquei fascinada ao perceber como uma pessoa conseguiu construir esta obra brilhante com tanto desequilíbrio, tragédias pessoais e problemas que teve na vida. Como ela conseguiu reunir os cacos?’, questiona a atriz, que enxerga Virginia também como um marco de maturidade em sua trajetória: ‘o texto também vem deste desejo de fazer algo que me toca, do que me interessa falar hoje. De falar do ser humano, sobre o que fazemos com as dores da existência, sobre as incertezas na criação artística, e também falar da condição da mulher ontem e hoje. Não poderia fazer uma personagem tão profunda sem a vivência pessoal e teatral que tenho hoje’, avalia.
A dramaturgia de Virginia foi concebida como inventário íntimo da vida da autora. Em seus últimos momentos, ela rememora acontecimentos marcantes em sua vida, a paixão pelo conhecimento, os momentos felizes com os queridos amigos do grupo intelectual de Bloomsbury, além de revelar afetos, dores e seu processo criativo.
A estrutura do texto se apoia no recurso mais característico da literatura da escritora: a alternância de fluxos de consciência, capaz de ‘dar corpo’ às vozes reais ou fictícias, sempre presentes em sua mente.
‘Fazer o monólogo foi uma opção natural neste processo, pois todas as vozes estão dentro dela. Eu nunca quis estar sozinha, sempre gostei do jogo cênico com outros colegas, mas a personagem me impeliu para isso’, analisa Claudia, cujo processo de criação se desenvolveu a partir de uma série de improvisações solitárias que fez ao longo dos últimos anos, em especial durante o período pandêmico, já acompanhada por Amir Haddad.
A chegada de Amir ao projeto vem ao encontro do desejo de Claudia em encenar o seu próprio texto. ‘Ele tem como premissa a liberdade, permite que o ator seja o autor de sua escrita cênica, isso foi fundamental em todo o processo. O ator é um ser da oralidade, a maior parte do texto foi escrita também a partir do que eu improvisava de maneira espontânea e depois organizava como dramaturgia’, relata a atriz, que se aventurou na escrita pela primeira vez com o roteiro da série ‘Valentins’, em 2017, da qual também é co criadora.
Malu Valle, que assina a codireção da montagem, chegou no processo quando Amir se recuperava de covid e teve uma contribuição valiosa em Virginia com seu olhar feminino. 
As apresentações no RS iniciam por Santa Cruz do Sul na terça-feira, 04 de outubro, às 20h30 no Teatro Mauá. Em Santa Maria, a performance ocorre no Theatro Treze de Maio, na quinta-feira, dia 06. Encerrando a circulação pelo RS, Claudia sobe ao palco do Theatro São Pedro no sábado e domingo, dias 08 e 09. Os ingressos custam entre R$ 30,00 e R$ 100,00 em Santa Cruz e  R$ 60,00 e R$ 120,00 em Santa Maria, à venda pela plataforma Sympla. Em Porto Alegre, as entradas estão à venda pelo site do teatro com valores entre R$ 20,00 e R$ 100,00. 

Virginia – turnê RS

Santa Cruz do Sul, 04 de outubro, 20h30
Teatro Mauá – Rua Cristóvão Colombo, 366, Prédio 2, Higienópolis
Ingressos – https://www.sympla.com.br/evento/virginia-teatro-maua-santa-cruz-do-sul/1714258

Santa Maria, 06 de outubro, 20h
Theatro Treze de Maio – Praça Saldanha Marinho, s/n, Centro
Ingressos https://www.sympla.com.br/evento/virginia-theatro-treze-de-maio/1713326

Porto Alegre, 08 de outubro, 21h, 09 de outubro, 18h
Theatro São Pedro – Praça Marechal Deodoro, s/n
Ingressos https://theatrosaopedro.eleventickets.com/#!/evento/db8d37c491981456850b844929e14ec5bfff7c0a

Sinopse resumida: Claudia Abreu estreia seu primeiro monólogo, que foi idealizado e escrito por ela a partir da vida e da obra de Virginia Woolf (1882-1941). Em cena, a atriz interpreta a genial escritora inglesa, cuja trajetória foi marcada por tragédias pessoais e uma linha tênue entre a lucidez e a loucura. A estrutura do texto se apoia no recurso mais característico da literatura da escritora: a alternância de fluxos de consciência, capaz de ‘dar corpo’ às vozes reais ou fictícias, sempre presentes em sua mente.

“Minha querida Virginia,
Minha relação com sua literatura começou aos dezoito anos, quando encenei no teatro uma adaptação de seu romance “Orlando”. Como eu era muito jovem, talvez não tenha tido o entendimento total da profundidade da obra, mas me lembro de achá-la bastante moderna para a época em que foi escrita. Era surpreendente o questionamento simbólico acerca das questões de gênero ali presentes, principalmente por se tratar da primeira metade do século XX. Uma escritora avant la lettre.
Meu reencontro com você, Virginia, aconteceu de maneira fulminante há alguns anos. Eu comecei a me aventurar na escrita e conheci uma professora de literatura que auxiliava escritores com seu olhar sofisticado, além de sugerir valiosas referências literárias. Divagando entre uma aula e outra, eu disse a ela que tinha vontade de escrever sobre uma história que tivesse uma fluência no tempo coexistente, eu queria que as personagens passeassem pelas várias fases da vida, que dialogassem com elas mesmas no passado, assim como no futuro.
Fluxo de consciência, essa era chave. Assim eu poderia viajar em todas as mentes, por todas as fases da existência E qual foi a minha surpresa? Você tinha revolucionado a literatura alternando os fluxos de consciência de forma brilhante!
Imaginei um encontro fictício nosso, quando lhe contaria impressões de minhas leituras, falaria de como sua sensível e aguda percepção da realidade me iluminava, o quanto sua personalidade extraordinariamente singular me inspirava Li suas biografias, seus diários, suas memórias E descobri algo que me parecia impossível sua vida era tão interessante quanto sua literatura Como sobreviveu, tendo os nervos tão frágeis, a tantas tragédias familiares, às depressões, às violações à sua sensibilidade? Ainda hoje me compadeço de suas angustiantes crises nervosas.
O desejo de reviver sua existência no teatro foi um processo natural.
Desde então, todos os caminhos me levaram a você, Virginia.
Passei os últimos anos dedicada à tarefa de tentar fazer um recorte potente e amoroso de sua vida
Espero que goste
Com carinho,
Cláudia”

VIRGINIA – FICHA TÉCNICA
CLÁUDIA ABREU Idealização Dramaturgia Atuação
AMIR HADDAD Direção
MALU VALLE Codireção
MARCIA RUBIN Direção de Movimento
MARCELO OLINTO Figurinos
BETO BRUEL Iluminação
DANY ROLAND Trilha Sonora com colaboração de José Henrique Fonseca
BRUNA MORETI Operação de som
IGOR SANE Assistente de iluminação / operação de Luz
CAROLINA PINHEIRO Design gráfico
FOTOS Rogério Faissal, Pablo Henriques e José Henrique Fonseca
ASSESSORIA DE IMPRENSA LOCAL Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor
PRODUÇÃO LOCAL Letícia Vieira – Primeira Fila Produções
PRODUÇÃO EXECUTIVA Carlos Chapeu
DADÁ MAIA Direção de Produção

Rancho Tabacaray recebe Piquete Refúgio El Topador 2022 a partir de quinta, 08 de setembro

Novo empreendimento do projeto El Topador sediará programação especial em comemoração à Semana Farroupilha

A partir desta quinta-feira, 08 de setembro, o Rancho Tabacaray abre as portas para a programação do Piquete Refúgio El Topador 2022. O empreendimento, inaugurado em junho deste ano, é o mais novo local do projeto El Topador, comandado pelo mestre parrillero Antônio Costaguta. O Rancho surge como um local de valorização da cultura dos povos sulistas, com a gastronomia como um desses pilares, ao lado da história e das artes. “Acredito que entender a gastronomia de um local é conhecer um pouco da sua história. E nada melhor do que reunir as pessoas para boa música, conversas, um braseiro forte e muita carne para cultura do ritual”, revela o parrillero e comunicador, diplomado pela Escuela Argentina de Parrilleros em Buenos Aires, e formado na MasterClass Los Siete Fuegos com Francis Mallmann, do Bodega y Restaurante Garzón.
Este é o primeiro ano que a programação do Piquete El Topador será presencial. Na semana mais querida pelos gaúchos, há dois anos Costaguta promove uma programação especial relacionada à data. Em 2020 e 2021 foram veiculadas uma série de lives com músicos regionalistas como Ernesto Fagundes, Maria Alice, Erlon Péricles, Marcelo Oliveira, Ricardo Bergha, Thiago Reder, Analise Severo, Ranieri Spohr e André Teixeira, que mobilizaram mais de 85 mil visualizações.
A programação de 2022 conta com 11 eventos, com ações para instituições e sete lives-shows (transmissão no canal no YouTube do projeto com plateia presencial). Entre 08 e 10 de setembro, das 14h às 16h, o Rancho abrirá as portas para receber as instituições Pão dos Pobres e Spaan e o projeto Gurizadaí da Vila Planetário. Os 90 convidados vão acompanhar gratuitamente atividades artísticas e degustação de receitas típicas.
A partir de quarta-feira, 14 de setembro, diariamente ocorrem as live-shows, performances musicais que serão transmitidas pelo YouTube e contarão com plateia presencial (com 60 vagas por dia, ingressos via Sympla). Integram o lineup o Grupo Mas Bah, Guilherme Valadas e Jadir Filho, Jari Terres, Maria Alice e Nicole Carrion, Shana Müller, Ângelo Franco e encerrando no dia 20, Paquito e Joia. Nos dias 14, 15, 16, 17 e 19 de setembro, os eventos iniciam às 18h no módulo presencial com transmissão ao vivo a partir das 20h; já no domingo, dia 18, e no feriado, a performance será no almoço (confira os detalhes no serviço do release).  
Localizado na zona sul de Porto Alegre, o local foi construído no fim do século XIX pelo italiano Vicente Monteggia que estabeleceu ali sua casa, uma capela, uma escola, um moinho de farinha de milho e um engenho de moer cana-de-açúcar. Entusiasmado com a beleza do local e com a adequação da terra para o cultivo da uva, Monteggia estimulou a vinda de novas famílias de colonos para Vila Nova. Em homenagem a este importante personagem, deu-se a uma das ruas de acesso ao bairro o nome de Avenida Vicente Monteggia. A Vila Nova é um bairro único, principalmente por sua formação, teve grande destaque econômico devido sua produção agrícola no final do século XIX, importante não apenas para Porto Alegre, mas para a história da colonização italiana no RS. A história da Vila Nova se funde com a história da família Monteggia, uma história de empreendedorismo e cooperativismo liderada por Vicente Monteggia, negociante de terras, industrial, agricultor, comerciante, organizador de empresas, construtor e técnico em construção de estradas (Agrimensor). Ele foi um dos responsáveis pelo surgimento do bairro e o grande responsável por seu desenvolvimento.
O Rancho Tabacaray contará em breve com um espaço para contar a história da família e sua importância no crescimento da zona sul de Porto Alegre. O nome do rancho surge de uma placa, encostada há 30 anos em um galpão em Santana do Livramento, cidade natal de Costaguta. O significado: o filho de um grande líder. Para mais informações, acesse: https://www.eltopador.com.br/ https://www.instagram.com/eltopador
Saiba mais
EL TOPADOR 
Somos uma multiplataforma dedicada a disseminar a cultura do assado em sua essência, falando sobre toda a cadeia produtiva da carne, do homem do campo até ela chegar na mesa em forma de gastronomia. Acreditamos no poder do fogo como forma agregadora da vida, proporcionando encontros e experiências memoráveis. Levamos em nossa mala de garupa a bandeira do Rio Grande do Sul, abraçando a arte, história, cultura e pessoas que fazem deste pago um lugar único e especial.
Nossa missão é levar para nossa comunidade conteúdo de qualidade, informação, conhecimento, arte, cultura e entretenimento, junto de parceiros. Além de produzir documentários, programa de entrevistas e TV, lives, curso online e criação de conteúdo para redes sociais, o projeto El Topador também vive de encontros. De eventos dos mais variados tipos e tamanhos à festas de casamento, cursos e festivais de gastronomia pelo Brasil afora. Somos referência no Rio Grande do Sul e no Brasil quando o assunto é churrasco e cultura.
Criado há sete anos pelo mestre parrillero Antônio Costaguta, o El Topador conta com os empreendimentos Refúgio El Topador e Rancho Tabacaray, os programas Buenas Hermanos e Desbravando, além de promover cursos e workshops. 
Antônio Costaguta nasceu na fronteira, em Santana do Livramento/RS, divisa do Brasil com o Uruguai. Traz da família um pouco desta origem do “Gaucho”, unindo o amor e a cultura das duas pátrias. Fez desta tradição do mundo rural e campeiro a sua essência, se especializando na cultura do assado e do fogo e se tornando um dos grandes expoentes do Estado quando o assunto é valorização da cadeia produtiva da carne, promovendo e disseminando um consumo consciente da pecuária produzida nos vastos campos verdes do nosso Bioma Pampa.
Formado em Publicidade e Propaganda pela ESPM, tem sobretudo um olhar romântico e bucólico da vida do gaúcho e do nativismo. Andou por países como Uruguai e Argentina. Aprendeu nesses lugares técnicas que revelam sua essência: é mestre parrillero com mais de 10 anos de assados, diplomado pela Escuela Argentina de Parrilleros em Buenos Aires, e formado na MasterClass Los Siete Fuegos com Francis Mallmann, do Bodega y Restaurante Garzón. Atualmente Antônio tem um programa dominical no SBT RS chamado “Na Beira do Fogo”. Além de apresentador, é curador e gestor do programa.

PIQUETE REFÚGIO EL TOPADOR 2022
08/09 – 14h – 16h: Ação com Pão dos Pobres
09/09 – 14h – 16h: Ação com Spaan
10/09 – 14h – 16h: Ação com projeto Gurizadaí da Vila Planetário
18h – 22h: Evento para convidados com acendimento da Chama Crioula

LIVE-SHOWS (aberto ao público) – ingressos a R$ 123,00
14/09 – Grupo Mas Bah, às 20h (evento no Rancho das 18h às 22h)
15/09 – Guilherme Valadas e Jadir Filho, às 20h (evento no Rancho das 18h às 22h)
16/09 – Jari Terres, às 20h (evento no Rancho das 18h às 22h)
17/09 – Maria Alice e Nicole Carrion, às 20h (evento no Rancho das 18h às 22h)
18/09 – Shana Müller, às 14h (evento no Rancho das 12h às 16h)
19/09 – Ângelo Franco, às 20h (evento no Rancho das 18h às 22h)
20/09 – Paquito e Joia, às 12h (evento no Rancho das 11h às 15h)
De 14 a 19 de setembro a casa servirá cardápio e pratos saindo da parrilla e bebidas (valor não incluso no ingresso). Na quarta-feira, dia 20, o almoço contará com assados no fogo de chão e buffet de acompanhamentos (bebidas à parte), por R$ 245,00 por pessoa (ingresso e almoço incluso).
60 vagas por dia. Crianças de até 08 anos não pagam

Série de imersões artísticas multidisciplinares Farol.live ocupará o Cine Farol Santander com programação ao longo de 10 meses

  • Com patrocínio do Santander, primeira temporada do Farol.live contará com 20 performances ao vivo a partir de 21 de setembro, além de atividades formativas;
  •  Já estão confirmadas as apresentações de nomes como Kiko Dinucci, Fernando Velasquéz, Guizado, Manuela Eichner e da dupla francesa Franck Vigroux e Kurt d’Haeseleer.

Ingressos à venda no link

A partir de 21 de setembro, o Cine Farol Santander, no Farol Santander Porto Alegre, será ocupado a cada quinze dias e se transformará em um palco e laboratório para criações ao vivo. O Farol.live, projeto produzido pelo festival Kino Beat e Cuco Produções, é um espaço de incentivo à criação e experimentação em diversas linguagens e tecnologias, suas intersecções e desdobramentos. A programação conta com variadas imersões artísticas envolvendo nomes da cena cultural brasileira, apostando no cruzamento de música, artes visuais, artes cênicas, audiovisual e tudo mais que couber no imaginário de cada artista envolvido.

Com curadoria de Gabriel Cevallos, fundador e curador do Kino Beat Festival, as apresentações serão desenvolvidas de forma inédita ou em adaptações pensadas especificamente para o espaço, explorando os recursos e limitações da sala enquanto dispositivo criativo. Ao longo de 10 meses, o público poderá conferir 20 performances da primeira edição reunindo artistas de diferentes vertentes, com projetos comissionados ou adaptados que serão gravados ao vivo na sala e difundidos pelos canais do projeto.

Iniciando a programação, o Farol.live recebe a performance Rastilho Encruzilhada na quarta, 21 de setembro, às 20h. A performance audiovisual inédita reúne o compositor e instrumentista Kiko Dinucci e o artista multimídia Fernando Velazquéz, a partir do mais recente álbum de Kiko, Rastilho.

Já estão confirmadas as participações de Clarrisa Ferreira e Marília Kosby, Guizado e Manuela Eichner em outubro, a dupla francesa Franck Vigroux e Kurt d’Haeseleer em novembro e o projeto Cine Rabeca, em dezembro. Novas atrações e datas serão confirmadas em breve.

Além das performances, atividades formativas gratuitas também serão promovidas como oficinas, palestras, vivências e workshops, criados a partir de tópicos práticos e teóricos derivados das apresentações artísticas. “O corpo presente, seja na prática dos artistas envolvidos ou na fruição do público, será premissa das apresentações. O objetivo é promover e difundir a produção artística autoral do estado do RS em intercâmbio com a produção nacional”; revela o curador.

Os ingressos custam R$ 15,00 com benefícios de meia-entrada, e já estão à venda por meio da plataforma Sympla. O projeto prevê algumas apresentações gratuitas, que serão informadas com antecedência. Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto) de estudante, idosos, PNE, jovens de baixa renda, entre outros, os documentos válidos são determinados pela Lei Federal 12.933/13. Para mais informações, acesse: https://www.instagram.com/farol.live.poa/

Esse projeto é financiado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, patrocínio do Santander e realização da Secretaria Especial da Cultura – Ministério do Turismo – Governo Federal.

Farol.live

21/09Rastilho Encruzilhada, com Kiko Dinucci e Fernando Velazquéz (ingressos esgotados):

Rastilho Encruzilhada é o encontro de dois artistas múltiplos. Uma performance audiovisual inédita que tem como propulsor o violão-criador do disco Rastilho, de Kino Dinucci. Reprocessado em tempo real por Fernando Velázquez, a matéria sônica se expande e metamorfoseia em encruzilhadas improvisadas ao lustre de imagens que ecoam cinemas outros. Rastilho, último álbum de Kiko, compositor/violonista/guitarrista das bandas Metá Metá e Passo Torto, gravado apenas com violão, foca nas possibilidades percussivas do instrumento. Kiko Dinucci traz uma abordagem baseada em características melódicas e rítmicas com influências que vão do violão de Baden Powell às linhas melódicas do guembri marroquino. Fernando Velázquez é artista multimídia. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, performances audiovisuais e imagens geradas com recursos algorítmicos. Se interessa pelo cruzamento da arte com outras áreas do conhecimento como a ciência, a filosofia e a antropologia visual. Ingressos aqui

Outubro 

04/10 – Poesia Xucra, com Clarrisa Ferreira e Marília Kosby, com participação de Lorenzo Beust:

A performance poesia xucra junta a violinista Clarissa Ferreira e a poeta Marília Kosby numa intervenção artística com aires de extremíssimo sul. As artistas, nascidas no interior gaúcho e radicadas em Porto Alegre, apresentam canções autorais e a leitura de poemas, além de experimentações sonoroas. Em poesia xucra, cruzam-se o universo do livro Mugido (ou diários de uma doula), de Marília, e a trajetória como musicista e pesquisadora de Clarissa, autora do livro Gauchismo Líquido. Acompanha a performance um zine homônimo, com as letras, poemas e código QR das canções. Ingressos aqui

Guizado e Manuela:

Manuela e Guizado apresentam o projeto que começou virtualmente na pandemia, com composições sonoras, interferências e colagens manuais criadas e projetadas em tempo real – das lives do Instagram para o ao vivo. Manuela Eichner é artista visual. Seu trabalho percorre desde vídeos e performances até ilustrações, instalações e murais, tendo a colagem como principal técnica e linguagem enquanto a expande para além do bidimensional. Guizado está entre os nomes mais celebrados da ótima safra da música independente brasileira. O trompetista e compositor segue se superando na arte de mesclar elementos sonoros orgânicos com sintetizadores e outras programações eletrônicas.

Novembro – The Island, com Franck Vigroux e o Kurt d’Haeseleer:

O concerto audiovisual “The Island” é a mais recente colaboração entre o compositor Franck Vigroux e o videoartista Kurt d’Haeseleer. Uma dupla prolixa que procura encontrar modos comuns de linguagem artística e tenta inventar experiências sinestésicas com uma identidade própria. A apresentação é uma experiência sensorial, associativa e eletrizante, inspirada em várias histórias de ilhas e vales destinados a serem submersos pela construção de uma barragem hidrelétrica, causando profundas convulsões humanas e geográficas. As imersões de Naussac em Lozère (uma aldeia engolida em 1980), o romance “adeus, ilhota”, de Valentin Rasoutine, ou a barragem das 3 Gargantas na China (que é tão grande que influenciou a velocidade de rotação do Planeta Terra). “Ilha” questiona a substituição de um mundo por outro e a nossa crença cega no progresso. Um universo fantasmagórico se desdobra através de música e imagens de vídeo que dobram a realidade, resultando em uma “jornada mental” por uma topografia de lugares em mutação.

Dezembro – Cine Rabeca:

Cine Rabeca é uma performance multimídia, um cine-concerto, um documentário que se expande para o palco onde a música conduz arquivos de volta à vida e a montagem versa sobre o tempo, a memória, os desaparecimentos e a incessante fabricação de imagens. Renata Rosa é cantora, compositora e rabequeira. Seu cd de estreia Zunido da mata recebeu o Prêmio Choc de lAnnée do Le Monde de la Musique e a projetou para uma sólida carreira internacional com inúmeras turnês e prêmios. Desde então realizou criações especiais para o Museu do Louvre, Théâtre de la Ville de Paris, Olimpíadas Rio 2016, registros especiais para as Rádios Nacionais Holandesa e Alemã e recebeu o Prêmio da Música Brasileira. Seu CD Encantações foi eleito TOP 10 pela BBC e foi nominada Artista do Ano em 2018 no Reino Uido pela Songlines Britânica. Atuou durante 11 aos como rabequeira do cavalo-marinho Boi Brasileiro, de Condado, ao lado de Luiz Paixão.

Sobre o Farol Santander Porto Alegre

Criado para relembrar o passado, marcar o presente e iluminar o futuro, o Farol Santander Porto Alegre completou três anos em março de 2022. Neste período, recebeu 11 exposições de artes visuais, em diversas temáticas, com artistas nacionais e internacionais, divididas entre os espaços do Grande Hall e do Átrio. Em 2022, o Farol Santander ampliou sua atuação cultural com concertos de música clássica e popular, além de espetáculos de dança. Participaram respectivamente a Orquestra de Câmara da ULBRA e a Cisne Negro Cia. de Dança.

O Cine Farol Santander, no sobsolo do prédio, exibe programações com títulos e mostras cinematográficas de cineastas brasileiros e internacionais.

O histórico edifício no Centro da capital gaúcha, construído na década de 1930 e tombado pelo patrimônio histórico e artístico estadual, também possui atrações permanentes.

Na Galeria, a exposição fixa Memória e Identidade apresenta a história da cidade, do prédio e da política monetária brasileira. Já no subsolo, a outra mostra permanente, Os Dois Lados da Moeda, conta com um importante acervo de numismática do Rio Grande do Sul, propondo uma analogia entre as moedas “oficiais” e “não oficiais” que circulavam na região Nas laterais da sala é contada a evolução da moeda oficial do estado brasileiro.

Além dos espaços já citados, o Farol Santander Porto Alegre conta ainda com duas arenas para discussões e debates acerca de temas como cultura e gastronomia. O subsolo, que já conta com o Cine Farol Santander e a mostra Os Dois Lados da Moeda, ainda oferece aos visitantes um café.

Fábrica do Futuro recebe exposição Chronos e Kairós nos dias 01 e 02 de setembro

Mostra do artista e designer Daniel Confortin reúne peças de arte com valor afetivo produzidas com materiais naturais e de reaproveitamento da indústria

Inaugura na próxima quarta-feira, 31 de agosto, na Fábrica do Futuro, a exposição Chronos e Kairós, do artista e designer Daniel Confortin. O evento marca uma nova fase na carreira do criativo, que reúne cerca de 60 criações, peças de arte com valor afetivo, convidando o visitante a experimentar um ambiente aconchegante, intimista e sensorial. As peças, desenhadas e executadas pelo próprio artista, em seu atelier, com materiais naturais e de reaproveitamento da indústria, são produzidas cruzando técnicas ancestrais e design arrojado, utilizando palha, madeira, couro e corda e acrílico de segundo ou terceiro reuso, entre outros insumos.

Confortin iniciou no mercado da moda, criando as marcas Loucos e Santos, de sapatos, e Confortin Fatto a Mano, onde desenvolvia bolsas feitas à mão, com matérias primas sustentáveis e respeito ao artesanato local.  O projeto alcançou projeção internacional, integrando a feira Lineapelle de Milão, em 2017, e produzindo parcerias com marcas como Animale, Farm, Schutz, Arezzo, Patbo, Jorge Bischoff e Maria Filó, além de ter desenvolvido peça piloto para Stella McCartney. 

O grande insight para trabalhar com objetos de decoração aconteceu durante uma viagem a Tóquio, no Japão. Encantado pelo cuidado com o espaço que a cultura japonesa preserva, Daniel volta ao Brasil inspirado a construir o próprio lar com o mesmo respeito pela tradição e a ancestralidade. “Aqui o valor está no tempo dedicado. E é nesse espírito que a Coleção Chronos e Kairós nasce”, revela. “A partir da oportunidade de nos reconectarmos através das nossas casas, levamos um pedacinho da mata e da palha para dentro de casa, mudando a maneira como entendemos o próprio conceito de bem estar”.

Nascido em Igrejinha, Daniel Confortin tem sua trajetória marcada pela criatividade. Filho de serigrafista e costureira, ele cresceu rodeado pela indústria do calçado. As peças, todas produzidas artesanalmente, são criadas com palhas de taboa, bananeira, milho e buruti, madeira de reflorestamento, cordas em couro e corda náutica. “São muitas mãos que transformam natureza em arte com a junção da tradição familiar de fazer, com o reuso dos materiais”, conta.

A mostra ocupará durante dois dias o Lounge da Fábrica do Futuro. O espaço desde 2020 tem recebido diversos eventos voltados à arte, como Festival Porto Alegre em Cena, Feira do Livro de Porto Alegre, Noite dos Museus e o lançamento da Revista Corpo Futuro. “Encontramos o espaço perfeito onde pudemos construir uma ambientação que acolha toda a proposta da mostra. As peças são objetos de arte para além de sua funcionalidade, nada melhor que estar em um espaço de arte para apresentá-las”, afirma o artista, que construirá no lounge uma experiência sensorial onde os visitantes poderão manipular objetos e matérias primas. Chronos e Kairós poderá ser visitada pelo público em geral na quinta e sexta-feira, 1 e 2 de setembro, com entrada franca, das 18h às 21h, no Lounge da Fábrica do Futuro (Rua Câncio Gomes, 609). 

Chronos e Kairós – por Daniel Confortin

Visitação aberta ao público na quinta e sexta-feira, 01 e 02 de setembro, das 18h às 21h

Fábrica do Futuro – Rua Câncio Gomes, 609

https://www.confortin.art.br/

Rapper africana Sampa The Great integra line up do Baile de cinco anos do Agulha

Evento com mais de 8h de duração ocorre no sábado, 20 de agosto, na URB Stage, com diversas atrações

Lineup conta com nomes como o pernambucano Patrick Tor4, 8TET 4+4 e Minha Luz é de LED

Há cinco anos surgia no 4º Distrito de Porto Alegre um espaço de existência e resistência cultural, responsável por um movimento que provocou uma nova conexão da população com uma região até então esquecida da cidade. No sábado, 20 de agosto, o Agulha celebra seu aniversário com evento expandido na URB Stage. Desde 2017 o bar recebeu mais de 300 shows de nomes como Duda Beat, Jards Macalé, Rubel, Perota Chingo, Luedji Luna, KL Jay, Jovem Dionísio, Terno Rei, Tuyo, Mateus Aleluia e tantos outros, no palco mágico dos cavalinhos, tornando-se referência na cena musical nacional. 

Capitaneando as mais de 8h de comemorações, está a rapper africana Sampa The Great, em sua primeira turnê no Brasil. Uma das vozes mais requisitadas do rap contemporâneo, SAMPA é a primeira musicista a ganhar o prestigiado prêmio Australian Music Prize por duas vezes, sendo destacada por Michelle Obama em sua playlist pessoal e uma das vozes africanas documentadas por Johnnie Walker. A artista zambiana desembarca dos festivais Coachella, nos Estados Unidos, e Glastonbury, no Reino Unido, direto para o palco da URB Stage, um espaço também sediado no 4º Distrito para essa grande celebração. 

O grande baile também contará com DJ sets com Faylon e Tom Nudes representando o coletivo Turmalina e Hustla e Cocoa Mami representando o Coletivo Bronx. O DJ e radialista pernambucano Patrick Tor4, 8TET 4+4 com participação de Nina Nicolaiewsky e o bloco Minha Luz é de LED também integram o lineup. O evento expandido começará com aquece na rua, em frente à URB Stage, com opções gastronômicas e atrações surpresa. Ao longo da noite, o público poderá conferir além dos shows e os DJs, uma sala de jogos, espaço de descompressão e lojinha. 

O Agulha trouxe uma nova cara à região do 4º Distrito de Porto Alegre, que antes estava abandonada e ajudou a impulsionar uma série de outros empreendimentos, desde pubs, bares e casas de eventos. Hoje o beco da Rua Conselheiro Camargo está repaginado misturando boa gastronomia, referência em coquetelaria e uma curadoria de shows impecável que já fazem parte da história da cena cultural da cidade.

Os ingressos, à venda pela plataforma Sympla, custam entre R$ 50,00  e R$ 180,00. Mais informações acesse https://www.instagram.com/agulha.poa/

| SERVIÇO |

Baile de Aniversário ~ 5 anos ~ Agulha 

Sampa The Great ~ Show 

Bronx e Coletivo Turmalina ~ DJ Sets 

Patrick Tor4

8TET 4+4 (part. Nina Nicolaiewsky)
Minha luz é de LED

Data: Sábado, 20 de Agosto de 2022

Horário: 18h 

Local: URB Stage, R. Beirute, 45 – Navegantes, Porto Alegre – RS, 90240-080, Brasil

Classificação: 16 anos

Co-Realização: Distrito Jazz 

Projeto Visual: André Mosquito e Pyetra Salles

Vídeos: O CORRE @ocorrelab 

_

| INGRESSOS NO SITE DA SYMPLA |

(Com opção de boleto bancário, disponível até 5 dias úteis antes do evento. Sujeito à taxa de conveniência).

Lista Preta/Indígena – R$ 50 (lote exclusivo para pessoas pretas e indígenas)

Lote Promocional – R$ 60

1º lote Solidário* / Meia-entrada** – R$ 75 | Inteira: R$ 150

2º lote Solidário* / Meia-entrada** – R$ 90 | Inteira: R$ 180

* Solidário – Valor reduzido, mediante doação de 1kg de alimento não perecível ou um item de higiene pessoal. As doações deverão ser entregues no Agulha, na entrada do evento. Modalidade válida para todos os públicos.

** Meia-entrada – Para o benefício da meia-entrada de estudante (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do evento. Todos os documentos válidos para esse benefício são determinados pela Lei Federal 12.933/13. Você pode conferir cada um deles aqui: https://bileto.sympla.com.br/meia-entrada/

CURADORIA

SAMPA THE GREAT

Em sua primeira turnê brasileira, a premiada rapper africana Sampa The Great, desembarca em Porto Alegre em agosto, após aclamada participação nos festivais Coachella, Primavera e Glastonbury. A artista apresenta o show de seu primeiro álbum de estúdio, “The Return”, trabalho que levou três das seis indicações ao ARIA Music Awards, além de quatro categorias do Music Victoria Awards e o cobiçado Australian Music Prize (AMP). Sampa foi consagrada como a primeira artista a ganhar duas vezes o prestigiado prêmio da música australiana. Nascida na Zâmbia, criada em Botswana e vivendo por um tempo na Austrália, as noções de lar sempre desempenharam um papel fundamental no trabalho de Sampa Tembo. Em nenhum lugar isso ficou mais aparente do que em seu álbum de estreia, descrito pela NPR como “um portal para a psique de uma artista africana que viajou o mundo em busca de si mesma”. “The Return” é um registro construído em anos de alma pessoal e musical. 

COLETIVO TURMALINA

O coletivo Turmalina articula criativos do circuito da música eletrônica da periferia de Porto Alegre e da região metropolitana e traz dois representantes de peso para embalar os festejos, os DJs Faylon e Tom Nudes.

COLETIVO BRONX

Criado em 2016, o coletivo de jovens porto-alegrenses vem propondo uma reflexão sobre a negritude e os seus entornos através da representatividade. Para trazer essa energia para o palco do baile, teremos 90s Hustla (Rhuan Santos) e COCOA MAMI (Clara Soares) nas pickups.

PATRICK TOR4

O DJ e radialista @patricktor4 é hoje um dos principais DJs e produtores brasileiros representando a cidade do Recife e o Nordeste brasileiro. Trabalha com música contemporânea, buscando entender as sutilezas que criam o irresistível pop tropical e club music com os distintos sabores do Brasil. De copas do mundo a clubes suados e – claro – os jogos olímpicos, trazendo a diversidade pop tropical e seus próprios remixes e composições.


8TET 4+4 (part. Nina Nicolaiewsky)
O 8TET 4+4 vai trazer toda a mistura da música brasileira e jazz numa apresentação que tem a interação como protagonista. Samba, swing e bebop se misturam com improvisação em releituras e temas originais. O grupo liderado por @lucaspbrum (Guitarra) é formado por grandes músicos da cena instrumental de Porto Alegre: @zuba_gaita (Harmônica), @bruno_trp (Trompete), @augustossax (Sax Alto), @cristiano.ludwig.1 (Sax Tenor), @oleobitt (Piano), @mateus.albornoz (Baixo Acústico) e @gomes_mano (Bateria). A apresentação para o baile de 5 anos do Agulha conta com a participação especial da multiartista, @ninanicolaiewsky , que chega para somar com a sua linda voz em alguns temas!

MINHA LUZ É DE LED

Tecnologia e tradição se encontram no bloco Minha Luz é de Led, que anima o carnaval carioca alternativo. Ao som de sucessos do tecnobrega, pop internacional, funk, mashups, beats anos 80 e até MPB, o bloco saiu pela primeira vez no carnaval de 2014, vindo da vontade de oito amigos em fazer um carnaval diferente, com fantasias eletrônicas, que piscam e acendem, usando brinquedos e fitas de LED vindas da china, para ornamentar não só suas fantasias como também a Bananobike: um sistema de som construído em um triciclo, uma solução de mobilidade sonora que utilizam para discotecar no bloco. Minha Luz é de Led tem como conceito fundamental o “tecnotosco”, mais tosco do que tecno, ideia comprada pelo público, que sempre comparece com adereços e fantasias de LED, desde o primeiro desfile.

Nei Lisboa se apresenta em Florianópolis na quarta-feira, 6 de julho, em forma acústico

Compositor faz show solo no Teatro Ademir Rosa, apresentando seu mais recente trabalho, o EP Pandora, além de diversos sucessos da carreira

Na quarta-feira, 06 de julho, às 20h30, o público de Florianópolis poderá conferir o show do compositor Nei Lisboa no Teatro Ademir Rosa. O músico se apresenta em formato acústico, lançando o EP Pandora, seu mais recente projeto, que conta com cinco faixas inéditas. Disponível nas plataformas de áudio desde o final do ano passado, Pandora foi produzidodurante o confinamento pela covid-19, com a participação dos músicos à distância mesclada com o trabalho presencial em estúdio. Entre as novas canções estão Capitão do matoNós é que vivemosBom lugarFoi você quem convidou e a faixa-titulo Pandora.

Sobre elas, a palavra do compositor: As cinco faixas trazem em comum, como pano de fundo, um olhar mordaz sobre o Brasil pós-golpe e todo o retrocesso que nos abateu desde então, cuja responsabilidade tem nome, cnpj, patente e concessão de canal (…) Mas escrevo canções, não ensaios. Então, embora levando um papo reto, as letras carregam também pedaços de sonhos, metáforas, humores e – últimas da caixa – esperanças que se possa ainda sobrepor a um tempo dos mais obscuros.”

Nesse retorno aos palcos pós-covid, Nei apresenta também um pouco do Em casa e ao vivo, programa que conduziu pela internet com muito sucesso ao lado de Cintia Belloc durante a pandemia. Pequenas intervenções de vídeo devem colorir o roteiro do show e divertir aqueles que acompanharam as lives ou que conhecerão agora a personagem Bebete, estrela das minisséries levadas ao ar dentro do programa.

O público pode contar ainda com um apanhado de sucessos no setlist, como Telhados de Paris, Pra te lembrar, Cena beatnik, Relógios de sol e No boleto ou no cartão, e participar ele próprio daquilo que já é tradição em show de Nei Lisboa: um bis no meio do espetáculo, com pedidos gritados e atendidos – dentro do possível e audível – na hora.

Os ingressos custam entre R$ 50,00 e R$ 120,00 e estão à venda pela plataforma Sympla: www.sympla.com.br/neilisboa.

________________


O quê: show Pandora, com Nei Lisboa (violão e voz)

Onde: Teatro Ademir Rosa (Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica, Florianópolis) 

Quando: 06 de julho de 2022

Horário: 20h30

_____________

Ingressos:

1º lote

meia-entrada*: R$ 50,00 / inteira:  R$ 100,00       

2º lote

meia-entrada*: R$ 60,00 / inteira:  R$ 120,00       


* Estudantes, professores, idosos, menores de 18 anos, pessoas com deficiência e doadores de sangue.


_______________________________

Todas as Informações, downloads e kit para a imprensa do EP Pandora estão em www.neilisboa.com.br

Terceira edição da Revista Corpo Futuro tem lançamento na terça-feira, 21 de junho

Evento na Fábrica do Futuro reunirá convidados e será transmitido pelo canal do projeto no YouTube com audiodescrição simultânea

Versão acessível estará disponível gratuitamente no site www.corpofuturo.com

Chega ao mercado no dia 21 de junho a terceira edição da Revista Corpo Futuro, que marca a data com evento de lançamento para convidados na Fábrica do Futuro, em Porto Alegre. A ação, que reunirá parte da equipe envolvida nesta edição, será transmitida pelo canal do projeto no YouTube e contará com audiodescrição. Reunindo mais de 20 colaborações de arte, moda, performance, poesia, fotografia, pintura e artigos, a publicação de 180 páginas reforça sua missão de valorizar a leitura e contemplação de obras criadas para arte impressa. 

A edição de 2022 conta com versão impressa, que será comercializada por R$ 30,00 em diversos locais do país, também conta com versão em PDF disponibilizada gratuitamente no site www.corpofuturo.com. O PDF conta com versão acessível em formato de audiodescrição para pessoas cegas e com baixa visão, desenvolvida por uma equipe de seis profissionais que trabalharam durante mais de um mês  no conteúdo, coordenados pela OVNI Acessibilidade Universal. Esta é a segunda edição da publicação que conta com uma versão acessível gratuita. 

Segundo o editor-chefe e curador Fernando Zugno, a Corpo Futuro é um “espaço para promover o debate de ideias, pensamentos, assuntos, estéticas diferentes. Criações e inspirações de regiões, universos e vivências diversos com o propósito de pensar o futuro. É arte sobre arte sobre papel reunidos numa revista que respira, que choca, embeleza, informa, desconcentra, desconcerta, mas, ao mesmo tempo, também nos apazigua com conhecimento”. Publicada pela Canard Produções, com produção da Primeira Fila Produções, conta com edição e curadoria de Carol Anchieta e reúne nomes como Anna Mariano, Araquém Alcântara, Bruno Barbosa, Cris Bartis, Deri Andrade, projeto Ecopoética, Eliane Brum, Else Bischheuer, Elza Lima, Fernanda Simon, Guilherme Fernandes, Lilo Clareto, Nina Fola, Pri Barbosa, Projeto Gompa, Rudinei Borges, Sandra Benites, Wanessa Yano e Xadalu. A foto de capa, um registro da performance “Iconoclasta”, de Julha Franz, é de Pedro Karg. O projeto gráfico e design são de Dídi Jucá.

“Essa edição, a mais brasileira de todas, também é a mais madura”, afirma Zugno, curador, diretor artístico e criador do projeto. “Ela traz de forma mais enraizada a contrainformação,  sobretudo através das novas presenças em espaços como universidades, museus, moda, direção artística, fotografia e dramaturgia. Essas presenças são os corpos futuros que acreditamos. Os corpos carregados de pensamentos e instintos em potencial de criação de beleza capazes de salvar o mundo. Uma artista abre caminho para outra que desencadeia em outro que se mescla com outras e, assim, vamos fazendo uma (n)ação”.

De acordo com a jornalista, mestra em design e curadora da Corpo Futuro, Carol Anchieta, “estas páginas refletem as experiências dos nossos corpos diversos e para onde quer que os levamos. Seja para a mata, o ambiente acadêmico (enriquecedor, de excelência e ao mesmo tempo amedrontador e excludente), os muros da rua, os ateliês, as galerias, os quilombos e, principalmente nesses últimos tempos, as nossas casas. Arte é resistência. Resistência não só na produção de arte, mas também no refletir a arte. Sempre foi. Mas no tempo presente, afirmar e firmar o corpo na arte num período de vivência pandêmica certamente exigiu muito mais dessa resistência”.

Com financiamento da Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, através do Pró-Cultura RS/ LIC e  patrocínio da PMI Foods, a Corpo Futuro será distribuída gratuitamente a bibliotecas comunitárias, bem como para instituições de educação e cultura da cidade e do estado do RS. A Revista Corpo Futuro nasceu em 2020 e apresenta diversos formatos de contribuições que podem ser fruídos na ordem proposta ou de maneira independente, sem pressa ou com a preocupação do factual.

Versão impressa será distribuída no Brasil e no exterior

Em 2022, a Revista Corpo Futuro estará disponível para mais leitores. A edição impressa será distribuída para cidades como Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Salvador e Recife, à venda em livrarias e lojas de museus. “Estamos muito felizes de ver a revista chegando em outras praças, inclusive no exterior, com exemplares à venda em Portugal”, revela Zugno.

Edição acessível 

Segundo Mimi Aragón, da OVNI, “o PDF acessível é um arquivo como qualquer outro neste formato. Porém, caso ele seja utilizado em um leitor de tela, o programa transforma não somente os textos em comunicação sonora, mas também as imagens, fazendo com que a pessoa que está acessando o documento tenha uma experiência completa da publicação. Assim, tanto pessoas cegas ou com baixa visão quanto pessoas que enxergam podem experienciar o mesmo conteúdo”, afirma. 

A versão acessível contou com audiodescrição da empresa Ver com Palavras, audiodescrição das imagens de Rosangela Favaro, revisão de Lívia Motta, formatação do PDF acessível de Wagner Caruso e produção da OVNI. Felipe Monteiro  e Laercio San’Anna, consultores da equipe, têm deficiência visual e foram os primeiros a testar e conferir a publicação, confirmando que a experiência funciona corretamente.

O arquivo conta com a descrição completa das imagens em formato de texto, para que pessoas que enxergam possam conferir como funciona a audiodescrição sem necessitarem utilizar um leitor de telas. “É uma oportunidade de quem não necessita da audiodescrição conhecer um pouco como funciona, aproximando e familiarizando cada vez mais pessoas”, conta Mimi. 

No dia 21, a partir das 19h30,  o evento presencial de lançamento será transmitido ao vivo pelo canal do projeto no YouTube e contará com audiodescrição simultânea, onde o processo desta edição será apresentado com depoimentos de parte da equipe. A edição em PDF é gratuita e estará disponível na noite de lançamento no site. Para saber mais, acesse: @FuturoCorpo no Facebook e @RevistaCorpoFuturo no Instagram

Lançamento Edição Acessível da Revista Corpo Futuro – 3a edição

21 de junho, com evento presencial para convidados na Fábrica do Futuro em Porto Alegre + 

Transmissão ao vivo do evento de lançamento pelo YouTube do projeto a partir das 19h30: https://youtu.be/qGOlU72XLpE

Transmissão com audiodescrição: https://youtu.be/XIawHIB3kVo 

PDF acessível disponível gratuitamente pelo site http://www.corpofuturo.com

Edição impressa à venda por R$ 30,00 

CORPO FUTURO

Editor-chefe e Curador

Fernando Zugno • canardproducoes.com

Editora e Curadora

Carol Anchieta • @carolanchieta

Publicada pela Canard Produções

Foto de Capa

Registro da performance Iconoclasta de Julha Franz com foto de Pedro Karg

Colaborações

Anna Mariano, Araquém Alcântara, Bruno Barbosa, Cris Bartis, Deri Andrade, projeto Ecopoética, Eliane Brum, Else Bischheuer, Elza Lima, Fernanda Simon, Guilherme Fernandes, Lilo Clareto, Nina Fola, Pri Barbosa, Projeto Gompa, Rudinei Borges, Sandra Benites, Wanessa Yano e Xadalu. 

Revisão de Textos

Clara Corleone

Diagramação e Arte Final

Dídi Jucá • didijuca.com

Comunicação

Bruna Paulin / Assessoria de Flor em Flor • brunapaulin.com

Produção

Letícia Vieira / Primeira Fila Produções • @primeirafilaproducoes

Produção de acessibilidade

OVNI Acessibilidade Universal 

Audiodescrição

Ver Com Palavras

Roteiro 

Rosangela Favaro

Revisão

 Lívia Motta

Consultoria

Felipe Monteiro 

Formatação PDF acessível

Wagner Caruso

Consultoria em acessibilidade

Laercio Sant´Anna

Patrocínio

PMI Foods

Financiamento

Pró-Cultura RS

Secretaria da Cultura

Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Tássia Reis encerra programação do Circuito Orelhas edição 2021/2022 na quinta-feira, 12 de maio, no Agulha

Projeto realizou circulação por cinco cidades do RS promovendo atividades formativas e performances de artistas locais e nacionais com patrocínio Natura Musical

Ingressos estão à venda pela plataforma Sympla

Na quinta-feira, 12 de maio, o Circuito Orelhas, projeto patrocinado pela plataforma Natura Musical, promove a última sessão da etapa de performances ao vivo em cinco cidades do RS, encerrando em Porto Alegre, com show de Tássia Reis e os show cases de Nego Joca, Baile do Duda & Daw e Nina Fola no Agulha. Os ingressos já estão à venda pelo Sympla por R$ 20,00.

A edição 2021/2022 do projeto ocorreu em Porto Alegre, Santa Maria, Caxias do Sul, Uruguaiana e Pelotas e contou com equipes técnicas selecionadas em cada localidade por meio de edital, além de showcases de grupos locais. A circulação também contou com performances de Filipe Catto, Brisa Flow, Jup do Bairro e Marina Sena.

Tássia Reis retorna à Porto Alegre com o show de lançamento do disco Próspera D+ – um formato deluxe que expande e dá sequência ao universo criado por ela em 2019. Com 11 canções, o quentíssimo e brilhante álbum marca o mergulho que a artista faz na cena pop e vem com uma energia dedicada, de renovação, funcionando como trilha sonora de um levante que pode ser emocional ou até mesmo financeiro. O recado é sobre se reerguer e se manter forte. 

Além de Tássia, três artistas locais se apresentam em formato showcase, a partir das 19h: Nego Joca, Baile do Duda & Daw e Nina Fola. Nego Joca leva à programação o showcase de Pré-História: Introdução ao Sonho de Guri, Vol. II Deluxe (2021). Na companhia do DJ Cainan Xavier, o setlist aborda a sensação de precariedade que pende sobre a cena a atual cena de rap em Porto Alegre, além dos traumas subjetivos de um homem negro. Entretanto, há respiros nas baladas românticas, no desejo de fruição, ambição e ostentação. Aos que buscam a mistura entre versos versáteis e linhas sagazes sobre as camadas de boom bap, trap e R&B, o show será um prato cheio.

Dawmata e Duda Raupp, ambos produtores musicais, transmitem através de suas máquinas e parafernálias tecnológicas a energia sonora de um baile extremamente groovante, performando seus “beats” autorais que transitam dentro do mundo da música eletrônica malemolente. Muito inspirados em artistas como Kaytranada e DeeKapz, a dupla constrói todo seu espetáculo com base na discotecagem e no uso de Hardwares e Softwares de produção musical. A performance promove a tônica de baile e festa, interseccionando gêneros como Funk e R&B para criar uma atmosfera na qual se possa dançar das mais variadas formas sem parar por um segundo sequer.

Nina Fola é mulher negra, cantora, compositora e percussionista, nascida e criada nas rodas – de Batuque, de Samba e de Capoeira. Seu trabalho autoral une a música contemporânea e a sua ancestralidade, com um repertório que passeia pelo samba, batuque, swing e jazz. Neste novo projeto de Nina, temos outras linguagens musicais somadas, buscando nos samples de instrumentos orgânicos, tambores, couros, sementes, guitarras, violão, contrabaixo, inserção de trilhas, efeitos com sonoridades sintéticas que dialogam com uma roupagem mais minimalista e contemporânea, inseridas na produção atual do mercado fonográfico e se aproximando musicalmente das novas gerações sem se afastar dos ritmos e da pesquisa da música afro-brasileira.

O Circuito Orelhas foi selecionado pelo edital Natura Musical, por meio da lei estadual de incentivo à cultura do Rio Grande do Sul (Pró-Cultura), ao lado de Dessa Ferreira, Pâmela Amaro, Gravina DasMina e Feijoada Turmalina, por exemplo. No Estado, a plataforma já ofereceu recursos para 39 projetos até 2020, como Filipe Catto, Tem Preto no Sul, Borguetti e Yamandu, Zudizilla, Sons que Vem da Serra e Thiago Ramil.

“Natura Musical sempre acreditou na força da música para mobilizar as pessoas. Para refletir esse propósito e dar espaço a diferentes vozes, a plataforma apoia artistas, bandas e projetos de fomento à cena capazes de amplificar debates como a diversidade, a sustentabilidade e o impacto positivo na sociedade”, afirma Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding.

O Circuito Orelhas foi criado em 2019 com o objetivo de fortalecer o cenário musical de Porto Alegre e impulsionar novos artistas, promovendo shows de variados portes, para públicos diversos e em diferentes palcos da cidade. Idealizado pelos produtores culturais Bruno Melo, Diego Groisman e Miriane Brock, o Orelhas promoveu desde sua criação 15 eventos, recebendo 41 artistas e 5 intervenções de arte visual em 8 palcos diferentes e um festival online, mobilizando ao todo 4.500 pessoas presencialmente e milhares de pessoas online. Os três amigos, apaixonados por música, trabalharam juntos na produção de alguns dos maiores shows que já ocorreram na cidade, como Rolling Stones, Paul McCartney, Roger Waters e Foo Fighters, e levam toda a expertise das mega produções para eventos independentes dentro e fora do palco. 

Vendo a grande diferença de estrutura e mídia que artistas internacionais têm em relação aos artistas brasileiros, e ainda mais para artistas locais em início de carreira, o projeto se propôs a mudar aos poucos essa realidade. Ao longo do seu primeiro ano de vida, o Circuito Orelhas criou parcerias estratégicas com empresas locais para que a suas produções oferecessem todas etapas de um mega evento, como transporte, hospedagem, catering, mídia, nas devidas proporções, mas com qualidade, em um trabalho caloroso e atencioso com todos artistas. 

Para acompanhar as novidades e saber mais informações sobre a edição 2021/2022 do Circuito Orelhas, acesse o perfil do projeto: https://www.instagram.com/circuitoorelhas/

Shows:

PORTO ALEGRE |Tássia Reis + Nego Joca, Baile do Duda & Daw e Nina Fola – 12 de maio

Agulha – Rua Conselheiro Camargo, 300 – Ingressos: a R$ 20,00 https://www.sympla.com.br/evento/circuito-orelhas-apresenta-tassia-reis-agulha/1529373

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a plataforma de cultura da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu cerca de R$ 174,5 milhões no patrocínio de mais de 518 projetos – entre trabalhos de grandes nomes da música brasileira, lançamento e consolidação de novos artistas e projetos de fomento às cenas e impacto social positivo. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do País e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais. Em 2020, o edital do Natura Musical selecionou 43 projetos em todo o Brasil e promoveu mais de 300 produtos e experiências musicais, entre lançamentos de álbuns, clipes, festivais digitais, oficinas e conferências. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, com uma programação contínua de lives, performances, bate-papos e conteúdos exclusivos, agora digitalmente.

Circuito Orelhas: Idealizado pelos produtores culturais Diego Groisman, Bruno Melo e Miriane Brock, o Circuito Orelhas fortalece o cenário musical de Porto Alegre e impulsiona novos artistas, promovendo shows de variados portes, para públicos diversos e em diferentes palcos da cidade. Os três amigos, apaixonados por música, já trabalharam juntos na produção de alguns dos maiores shows que já aconteceram na cidade e levam toda a expertise das megaproduções para realizar eventos independentes com muita qualidade dentro e fora do palco. Em 2021 o projeto terá uma edição especial patrocinada pela plataforma Natura Musical, que circulará por cinco cidades do RS. 

Glória Groove se apresenta na estreia do Rolê Fest – Edição Neon em 20 de abril no Pepsi On Stage 

Performance integra a programação dos 250 anos de Porto Alegre e contará com participações de DJ Hans Ancina, DJ Leticia Sartoreto, DJTiago Thi, G.A.LB., Drag Queen Kloe Saviñon e atrações surpresa

Porto Alegre recebe no dia 20 de abril de 2022, às 22h, no palco do Pepsi On Stage o Rolê Fest – Edição Neon, que promoverá o show de Glória Groove. A drag queen é uma das artistas de maior sucesso do momento, com mais de 80 milhões de streams nas plataformas digitais. Seu mais recente lançamento, A Queda, é o clipe pop solo mais visto e mais curtido de 2021. 
Gloria  é cantora, dubladora e drag queen brasileira. Ainda com o nome de Daniel Garcia, começou a trabalhar na infância, e fez parte de uma das formações do ‘Balão Mágico’ em 2002. Em 2006, participou do quadro ‘Jovens Talentos’ do ‘Programa Raul Gil’, e chamou atenção: acabou escalado para a novela ‘Bicho do Mato’, da Record. Como dubladora, deu voz a diversos desenhos famosos, como ‘Hannah Montana’ e ‘Digimon’. Como cantora de pop e funk, lançou diversos hits, entre eles ‘Bumbum de Ouro’, ‘Arrasta’ e ‘YoYo’. “Glória é meu alter-ego, o binóculo que escolhi colocar para enxergar o mundo. Antes de tudo, ela é a personificação da superação.. Uma figura desafiadora, questionadora e brilhante. No fundo ela é apenas a super-heroína da imaginação do pequeno Daniel, que neste caso sou eu. O criador”.
Após o sucesso do EP “Affair” (2020), a multiartista inaugura sua nova fase musical, com o álbum “LADY LESTE”, Como primeiro single, Gloria apostou em “BONEKINHA”, mas teve sua melhor estreia solo com a faixa “A QUEDA”, segundo single da nova era, disponíveis em todas as plataformas digitais. “Lady Leste é meu sonho (…), sinto que esse álbum é o que sempre quis ser como artista, não tenho mais um medo das pessoas verem minha versatilidade como mistério. Ele é meu passado (Leste) e meu futuro (Lady) esse ponto de ruptura”, afirma.
A apresentação de Glória em Porto Alegre marca a estreia de um novo evento, uma novidade assinada pela Bolico Produções: a Rolê Fest. A iniciativa pretende promover shows, espetáculos e atividades culturais em diversos formatos. A edição Neon, que inicia a programação, contará com outras atrações que serão divulgadas nos próximos meses. Outra novidade são as modalidades de ingressos: além de pista premium, pista e mezanino, o público poderá adquirir o ingresso Balada Premium Liberty, que conta com uma festa privada, com ingressos limitados, pré-abertura dos portões com DJs e espumante liberado. Além disso, é possível comprar entradas com valor especial na categoria Friends +: a cada dois ingressos comprados juntos, há um desconto de em torno de 40% nos tickets, dependendo da categoria adquirida.
O evento, que integra a agenda dos 250 anos de Porto Alegre, conta com as performances de DJ Hans Ancina, DJ Leticia Sartoreto, DJTiago Thi, G.A.LB., Drag Queen Kloe Saviñon, além atrações surpresa na balada premium e acessibilidade em Libras com a Rita D’Libra.
Os ingressos estão à venda através da plataforma de vendas SYMPLA. Para mais informações: contato@bolicoproducoes.com.br|https://www.instagram.com/rolefestoficial/

Bolico Produções apresenta: Rolê Fest – Edição Neon – com Glória Groove
20 de abril, 22h, no Pepsi On Stage – Av. Severo Dullius, 1995
Ingressos à venda pela plataforma SYMPLA
2 Lote
Pista: R$150,00 – Meia: R$75,00 – Friends +: R$250,00 (Friends + compra de 2 ingressos)
Mezanino: R$170,00 – Meia: R$85,00 – Friends +: R$280,00
Pista Premium Liberty: R$240,00 – Meia:  R$120,00 – Friends +: R$420,00
Balada Premium: R$ 400,00 (O ingresso individual dará acesso a uma balada ao som de DJs e espumante liberado por 40 minutos). (Ingressos limitados)
3 Lote:
Pista: R$180,00 – Meia: R$90,00 – Friends +: R$310,00 (Friends + compra de 2 ingressos)
Mezanino: R$200,00 – Meia: R$100,00 – Friends +: R$330,00
Pista Premium Liberty: R$280,00 – Meia:  R$140,00 – Friends +: R$500,00
Balada Premium: R$ 440,00 (Ingresso individual ao som de DJs e espumante liberado por 40 minutos). (Ingressos limitados)

Realização: A Bolico Produções atua no mercado de produção de shows e eventos corporativos. Com sede em Porto Alegre, tem posição de destaque no mercado de shows no Sul do Brasil.Dirigida por Fábio Bolico, empresário no ramo há mais de 17 anos com vasta experiência na área. Especialista em agenciamento de carreira, produção artística e executiva, realização de shows musicais, eventos corporativos, festas de Prefeituras, feiras comemorativas, feiras do livro, eventos culturais e produção e realização de lives. https://www.instagram.com/bolicoproducoes/

Blog no WordPress.com.

Acima ↑