Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

“Cartazes: uma história do cinema brasileiro” inaugura em 23 de julho na Cinemateca Capitólio Petrobras

1964_Deus e o diabo na terra do sol

Exposição com cartazes que retratam a história do cinema brasileiro durante 90 anos tem curadoria da historiadora Alice Trusz e integra a programação especial com 26 atividades com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine e Prefeitura Municipal de Porto Alegre

 

Porto Alegre, 17 de julho de 2019 – Inaugura na próxima terça-feira, 23 de julho, na Cinemateca Capitólio Petrobras, a exposição Cartazes: uma história do cinema brasileiro, que acompanha os principais fatos da história do cinema brasileiro entre 1928 (ano da inauguração do Cine-Theatro Capitólio) e 2018, data em que o prédio, onde hoje está sediada a Cinemateca Capitólio Petrobras, completou seu 90º aniversário, por meio de uma narrativa construída a partir de uma seleção de alguns de seus cartazes mais significativos, boa parte deles pertencentes ao acervo da instituição. Cartazes integra a programação especial com 26 atividades com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine e Prefeitura Municipal de Porto Alegre através da Secretaria da Cultura/Coordenação de Cinema e Audiovisual.

 

Com curadoria assinada pela historiadora Alice Trusz, concepção visual da designer Tatiana Sperhacke e expografia a cargo de Andreia Vigo, a exposição é formada por três módulos: o primeiro deles apresenta uma linha do tempo, com 101 cartazes, fotografias e pequenos textos. O segundo módulo exibe um slide-show, que projeta uma seleção de cartazes digitalizados. Já o terceiro e último módulo traz uma projeção de trechos dos filmes representados nos cartazes da exposição.

O público é convidado a percorrer a história do cinema brasileiro em suas distintas temporalidades, valorizando o cartaz como peça fundamental para a divulgação dos filmes, e que por isso mesmo são peças que se constituem como objeto de interesse para o acervo da Cinemateca, tanto por seu valor documental quanto artístico.

“Nesta exposição, os cartazes de cinema são abordados enquanto peças de uma coleção museológica e fatores de cultura. Sob este novo estatuto, eles passam a servir como documentos históricos de práticas culturais, que informam sobre as formas de promoção publicitária do cinema, as mudanças no gosto do público, a história do design gráfico e a história do cinema. Como referências dos filmes, eles permitem evocar a sua lembrança e, assim, ganham um novo valor. Eles são memória e provocam memória, dos filmes e da experiência subjetiva de tê-los assistido”, revela a curadora. Alice contou com a assessoria de pesquisa de Marcus Mello e Rosemeri Iensen.

A abertura ocorre às 19h30 de 23 de julho e a visitação segue com entrada franca até 29 de setembro, de terça a sexta-feira das 09h às 20h30 e sábados, domingos e feriados das 14h às 20h30.

Para Visitas Orientadas, os interessados devem entrar em contato pelo email cdmcapitolio@gmail.com ou pelo telefone (51) 3289 7463.

A Cinemateca Capitólio Petrobras conta, em 2019, com o projeto Cinemateca Capitólio Petrobras programação especial 2019 aprovado na Lei Rouanet/Governo Federal, que será realizado pela FUNDACINE – Fundação Cinema RS e possui patrocínio master da PETROBRAS. O projeto contém 26 diferentes atividades entre mostras, sessões noturnas e de cinema acessível, master classes e exposições.

A Cinemateca Capitólio Petrobras fica na Rua Demétrio Ribeiro 1085 – Esq. com Borges de Medeiros. Mais informações (51) 3289 7453 | http://www.capitolio.org.br | facebook.com/cinemateca.capitolio

 

 

CARTAZES: Uma História do Cinema Brasileiro no Capitólio

 Cartazes de cinema são peças gráficas que representam nossa cultura material, nossos sistemas de ideias e valores, nossas concepções de mundo. Como produtos históricos, eles revelam aspectos da dinâmica social, em suas contradições e transformações. Os cartazes, sendo objetos, possuem uma trajetória social, ao longo da qual desempenham diferentes usos e funções, sendo atribuídos de sentidos. Produzidos para divulgar um filme e atrair o espectador ao cinema, os cartazes podem, a seguir, ser descartados ou guardados por um colecionador privado ou institucional.

Nesta exposição, os cartazes de cinema são abordados enquanto peças de uma coleção museológica e fatores de cultura. Sob este novo estatuto, eles passam a servir como documentos históricos de práticas culturais, que informam sobre as formas de promoção publicitária do cinema, as mudanças no gosto do público, a história do design gráfico e a história do cinema. Como referências dos filmes, eles permitem evocar a sua lembrança e, assim, ganham um novo valor. Eles são memória e provocam memória, dos filmes e da experiência subjetiva de tê-los assistido.

Ao evidenciarmos certos aspectos da história do cinema brasileiro a partir dos cartazes de seus filmes mais relevantes, buscamos oferecer um panorama inicial de um processo histórico muito mais amplo e complexo, daí o caráter apenas exploratório da curadoria. No entanto, esperamos com tal amostra da coleção de cartazes de cinema do Centro de Documentação e Memória da Cinemateca Capitólio Petrobrás despertar a comunidade para a sua importância para além de meios de comunicação comercial, espaços de criação artística e formação estética, fomentando o seu reconhecimento e preservação também como repositórios de nossa memória, documentos de nossa história e formadores de nossa identidade cultural.

Alice D. Trusz

Historiadora e curadora

 

Ficha técnica
Pesquisa e Curadoria: Alice D. Trusz
Expografia: Andreia Vigo
Concepção visual e Design gráfico: Tatiana Sperhacke
Assessoria de pesquisa: Marcus Mello, Rosemeri Iensen
Projeto de mobiliário e Coordenação de montagem: Eduardo Saorin

Edição de vídeo: Kevin Agnes
Produção: Débora Palhares, Juli Fossatti, Paola Mallmann

Macarenando Dance Concept na coluna de Luiz Gonzaga Lopes no Correio do Povo

correiodopovo_14.07.19.jpg

Chef Carlos Kristensen promove vivência gastronômica na Casa Alma

LR_180203_114386

Cozinhando e Contemplando ocorre no sábado, 27 de julho, na Praia da Silveira em Santa Catarina

 

No sábado, 27 de julho, o chef Carlos Kristensen promove uma vivência gastronômica na Casa Alma, na Praia da Silveira, SC. “Cozinhando e Contemplando” é um encontro intimista, como se o chef estivesse em casa cozinhando para os amigos. Em um clima descontraído e acolhedor, Kristensen prepara um cardápio de inverno que traz o melhor dos frutos do mar locais, carnes do Pampa Gaúcho, acompanhados de insumos da horta do local.

Além de poderem experienciar o lugar – a Casa Alma localiza-se em um terreno abraçado pelo mar e a montanha – os participantes poderão acompanhar todo o processo de produção do jantar. “É uma experiência de aproximação com o cozinheiro e os convidados, em uma casa muito especial e uma gastronomia para ficar na memória”, revela o chef. O evento inicia às 17h, para aproveitar o pôr-do-sol e a vista do espaço e também todo o preparo do menu.

O guitarrista Fernando Noronha assina a trilha da noite, promovendo um show com os clássicos do blues e também composições autorais. As vagas são limitadas e os ingressos custam R$ 450,00 e as reservas devem ser feitas pelos telefones (48) 99154.7772 e (51) 99982.7631

 

Carlos Kristensen é um dos maiores defensores e divulgadores dos ingredientes gaúchos no Brasil. Seu projeto Internacionalmente Local estuda os biomas e produtos gaúchos e fomenta o trabalho de dezenas de produtores do RS.

O chef carrega uma extensa lista de premiações, sendo um dos principais nomes do cenário gastronômico do sul do país, e seu restaurante, Hashi, já foi vencedor do guia Veja Comer e Beber Porto Alegre o Melhor Contemporâneo por 08 anos consecutivos.

Seu mais novo empreendimento, o UM Bar&Cozinha, inagurado em setembro de 2017, apresenta um cardápio de comida simples e saborosa, de ingredientes orgânicos e sazonais, onde reúne o trabalho de mais de 80 famílias de pequenos produtores artesanais.

Alguns Reconhecimentos

RESTAURANTE

Guia Veja Comer e Beber Porto Alegre: Melhor Restaurante Contemporâneo: 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017 | Melhor Restaurante de Porto Alegre: 2013

Revista Sabores do Sul: Melhor Restaurante Contemporâneo: 2011, 2012, 2013, 2014 e 2017 | Melhor Menu Degustação: 2015 | Melhor Almoço (UM) 2018

CHEF

Guia Veja Comer e Beber Porto Alegre: Chef do Ano: 2009, 2010, 2011, 2013, 2015 e 2018

Revista Sabores do Sul: Chef do Ano: 2017, 2018

facebook.com/carloskristensen | @kristensen

 

Cinemateca Capitólio Petrobras promove Sessão Acessível e Masterclass sobre produção criativa no sábado, 27 de julho

historietas-1

 

Atividades integram a programação especial com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine e Prefeitura Municipal de Porto Alegre

 

No sábado, 27 de julho, a Cinemateca Capitólio Petrobras promove Sessão Acessível e Masterclass sobre produção criativa.  As duas atividades integram a programação especial da Cinemateca Capitólio Petrobras com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine e Prefeitura Municipal de Porto Alegre, através da Coordenação de Cinema e Audiovisual da Secretaria da Cultura.

A animação Historietas Assombradas é a quarta das dez sessões acessíveis que ocorrem até novembro no Capitólio. Pepe mora com sua avó, uma bruxa fazedora de poções, desde que era um bebê. Após descobrir que seus pais estão vivos, decide sair em busca deles, mas acaba atraindo a atenção de Edmundo, um vilão que precisa de Pepe para alcançar a imortalidade. O filme tem sessão gratuita às 14h e conta com interpretação em Libras feita pela Ovni Acessibilidade Universal, parceira cultural do projeto. As sessões acessíveis da Programação Especial 2019 da Cinemateca Capitólio Petrobras contam com legendagem descritiva, audiodescrição e libras e a bilheteria abre 30 minutos antes da sessão, para distribuição de senhas.

Durante a manhã, das 09h às 12h, ocorre a masterclass Produção Criativa em Cinema, ministrada pelo produtor Rodrigo Teixeira, da RT Features. No Brasil, esteve à frente de longas-metragens como O Cheiro do RaloTim MaiaAlemãoHelenoAbismo Prateado e O Animal Cordial. No mercado internacional, produziu premiados filmes como Me Chame Pelo Seu NomeFrances HaLove e A Bruxa. Teixeira apresenta os segredos por trás dos seus filmes de sucesso e conta os principais aprendizados e desafios da sua carreira como produtor de cinema e curador. As inscrições já estão esgotadas.

A Masterclass faz parte das ações do projeto Cinemateca Capitólio Petrobras – Programação Especial 2019. Tratam-se de duas grandes aulas, nas quais profissionais de cinema de renome internacional irão compartilhar suas experiências de forma crítica e reflexiva. Ambos os cursos, com duração de 3h, abordarão o processo criativo na realização cinematográfica, com ênfase a aspectos particulares de cada profissional convidado.

“As masterclasses ampliam a atuação da Cinemateca como espaço de fruição e reflexão do cinema ao trazer profissionais diretamente envolvidos na concepção e na realização de filmes numa possibilidade muito rica de troca com o público e em especial com estudantes e profissionais de cinema de Porto Alegre. Estamos também muito felizes com a realização da programação acessível que garante a

democratização do acesso e a inclusão de pessoas com deficiências visuais e auditivas à programação da Cinemateca”, afirma Andreia Vigo, Diretora da Cinemateca Capitólio Petrobras.

A Cinemateca Capitólio Petrobras fica na Rua Demétrio Ribeiro 1085 – Esq. com Borges de Medeiros. Mais informações (51) 3289 7453 | http://www.capitolio.org.br | facebook.com/cinemateca.capitolio

Sobre o filme

Sinopse:

Pepe mora com sua avó, uma bruxa fazedora de poções, desde que era um bebê. Após descobrir que seus pais estão vivos, decide sair em busca deles, mas acaba atraindo a atenção de Edmundo, um vilão que precisa de Pepe para alcançar a imortalidade.

 LIBRAS (Ficha técnica)
Intérprete: Regiane Pereira
Revisão: Thaisy Payo
Captação e Edição: Camilla Fuente

Masterclass Produção Criativa de Cinema

O produtor Rodrigo Teixeira apresenta os segredos por trás dos seus filmes de sucesso e conta os principais aprendizados e desafios da sua carreira como produtor de cinema e curador. Rodrigo revela os caminhos para viabilizar projetos audiovisuais de impacto e como torná-los produtos atrativos ao mercado. Cinéfilo e leitor compulsivo, ele conta como a compra de direitos autorais de obras literárias contribuiu para que ele desse saltos exponenciais em sua carreira internacional. Da escolha das histórias até o lançamento nas salas de cinema, o curso acompanha a trajetória do mestre em aulas que trazem cases de sucesso, processos de financiamento, plano de negócios, relação com estúdios, distribuidores, diretores e parceiros.
Rodrigo Teixeira é fundador da RT Features e um dos mais proeminentes produtores brasileiros da atualidade. No Brasil, esteve a frente de longas-metragens como O Cheiro do RaloTim MaiaAlemãoHelenoAbismo Prateado e O Animal Cordial. No mercado internacional, Rodrigo produziu premiados filmes como Me Chame Pelo Seu NomeFrances HaLove e A Bruxa. Desde 2016, é integrante da Academia de Arte e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Com a produção de Me Chame Pelo Seu Nome foi indicado ao Globo de Ouro e disputou quatro estatuetas no Oscar 2018, tendo arrebatado a estatueta de Melhor Roteiro Adaptado.
Em 2018, o produtor emplacou três filmes indicados ao Independent Spirit Awards, principal premiação do cinema independente americano, além de Call me By Your Name, foram indicados Patti Cake$ e A Ciambra. A Ciambra, exibido no Festival de Cannes em 2017, foi o primeiro filme produzido pela parceria de Teixeira com o diretor Martin Scorsese por meio da Sikelia Productions, selo que financia filmes de cineastas emergentes em todo o mundo.Com três filmes selecionados para o Festival de Cannes 2019, ganhou Grand Prix na Un Certain Regard com A Vida Invisível de Eurídice Gusmão de Karim Aïnouz e o prêmio de melhor filme pelos críticos de cinema – FIPRESCI com o The Lighthouse do diretor Robert Eggers, estrelado por Robert Pattinson e Willem Dafoe. Rodrigo está finalizando neste momento o thriller de ficção científica Ad Astra de James Gray com Brad Pitt e Tommy Lee Jones,  Wasp Network de Olivier Assayas estrelado por Penélope Cruz, Gael Garcia Bernal, Wagner Moura e Édgar Ramírez e Alemão 2 do diretor José Eduardo Belmonte

Naira Nawroski Centro de Artes Integradas promove oficina de dança contemporânea para crianças nas férias

cartaz

Ministrado pela bailarina e antropóloga Geórgia Macedo, atividade é voltada para alunos de nova a 12 anos e 13 a 15 anos

 

Porto Alegre, 12 de julho de 2019 – O Naira Nawroski Centro de Artes Integradas promove a partir de 22 de julho a Oficina de Férias de Inverno Arteira – Dança Contemporânea para crianças e adolescentes. Ministrada pela bailarina e antropóloga Georgia Macedo, a atividade é voltada para alunos de nove a 12 anos e 13 a 15 anos.

Essa oficina entende educação como um estado de atenção. Atenção ao nosso corpo em movimento, ao ambiente em que estamos e às pessoas que compartilham esse espaço. Os exercícios que serão trabalhados têm base nos vetores da dança contemporânea, trazendo novas possibilidades de movimentos locomotores e funcionais aos alunos.” A oficina busca incentivar a arteirice do aluno para que crie repertórios, sozinhos e junto com seus colegas, que expressam o que desejam contar com o seu corpo e a partir do lugar que a imaginação deles os leva”, revela Geórgia, que desenvolve pesquisas que cruzam dança e antropologia.

A oficina terá turmas de segunda a quinta-feira das 09h30 às 11h30 (09 a 12 anos) e das 14h às 16h (13 a 15 anos). As aulas ocorrem de 22 a 25 de julho (1ª fase) e de 29 de julho a 01 de agosto (2ª fase). Cada fase custa R$ 180,00, com desconto para os alunos da escola (R$ 150,00). Informações e matrículas (51) 3331-6260 ou naira-nawroski@uol.com.br. O Naira Nawroski Centro de Artes Integradas fica na Rua João Guimarães, 200, Santa Cecília, Porto Alegre – RS.

 

 

Arteira – Dança Contemporânea para crianças e adolescentes – com Geórgia Macedo

1ª Fase – de 22 a 25 de Julho

Turma 09 a 12 anos – das 09h30 às 11h30 (2 horas/aula total de 8 horas a oficina)

Turma 13 a 15 anos  – das 14h às 16h (2 horas/aula total de 8 horas a oficina)

 

2ª Fase – de 29 de Julho a 1 de Agosto

Turma 09 a 12 anos – das 09h30 às 11h30 (2 horas/aula total de 8 horas a oficina)

Turma 13 a 15 anos  – das 14h às 16h (2 horas/aula total de 8 horas a oficina)

 

VALORES:

Curso de 8 horas R$ 180,00

Curso de 6 horas R$ 150,00

Aula Individual    R$ 60,00

Para alunos do Naira Nawroski Centro de Artes Integradas o Curso de 8 horas será de R$ 150,00.

 

Geórgia Macedo vem compondo sua trajetória nos movimentos que circulam entre a dança e a antropologia. Estudou dança clássica por 10 anos no Ballet Vera Bublitz e após, buscando interdisciplinaridade, iniciou aulas de técnicas circenses. Desde 2016 estuda dança contemporânea com Eva Schul. Em 2018 começou a explorar a intersecção entre a dança e a performance com o GEDA; trabalhou com o coletivo Les Gens d’Uterpan (Paris – FR), na performance Pièce en 7 morceaux; e criou Afluência, um espetáculo performático que une a linguagem da dança, da música e das artes visuais. Geórgia é professora da Naira Nawroski Centro de Artes Integradas desde 2017 e também trabalha com antropologia da educação e antropologia visual sendo uma das curadoras e organizadoras da Mostra de Cinema Tela Indígena.

 

Sobre Naira Nawroski Centro de Artes Integradas

Escola fundada há 15 anos em Porto Alegre pela bailaria, coreógrafa e professora especializada no ensino de ballet clássico infantil, Naira Nawroski. Naira é graduada em pedagogia – Habilitação em Educação Pré-Escolar pela PUCRS e pós-graduada em Psicomotricidade Relacional pelo Centro Universitário La Salle de Canoas. Durante os anos 1990, estudou na David Howard School, Martha Graham School e Broadway Dance Center em Nova Iorque. Participou de cursos do Método Royal Ballet com Toshie Kobayashi e integrou programa de intercâmbio na Universidade de Coimbra em Portugal no ano 2000.

O Naira Nawroski Centro de Artes Integradas oferece diversas modalidades de dança, como ballet infantil e adulto, dança contemporânea, flamenco, sapateado americano, dança de salão, jazz, hip-hop, entre outras. Naira desenvolveu ao longo destes anos métodos interdisciplinares oferecendo aulas de artes e teatro integradas com as aulas de dança para crianças – uma inovação didática inédita em Porto Alegre.

Mais informações: facebook.com/ Naira.Centro.de.Artes e Instagram @nairanawroski

 

Projeto Concha na imprensa

jc_12.07.19

 

correiodopovo_12.07.19

 

zh_12.07.19

Goethe-Institut Porto Alegre na mídia

metro_11.07.19

jc_11.07.19

correiodopovo_11.07.19

Sarau da Clara Corleone em Zero Hora de hoje

zh_09.07.19.jpg

Mostra sobre Cinema, Ciência e Tecnologia ocorre de 18 a 31 de julho na Cinemateca Capitólio Petrobras

umhomemcomumacamera01

Cinema, Ciência e Tecnologia: Diálogos Possíveis traz mais de 20 filmes que traduzem o impacto sociocultural e muitas transformações vivenciadas no século XX e integra a programação especial com 26 atividades com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine e Prefeitura Municipal de Porto Alegre

 

Porto Alegre, 08 de julho de 2019 – A Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta de 18 a 31 de julho a mostra Cinema, Ciência e Tecnologia: Diálogos Possíveis com mais de vinte filmes, entre curtas e longas, que trazem múltiplas perspectivas a respeito da intersecção tripla entre os saberes. Em diferentes tempos e territórios, as obras traduzem o impacto sociocultural e muitas transformações vivenciadas no século vinte.

A mostra é dividida em dez seções temáticas – Enigmas, Investigações, Ilusões, Experiências, Artifícios, Limites, Aprendizados, Consciências, Horizontes e Horrores – e apresenta obras que contribuíram com reflexões instigantes sobre as transformações tecnológicas testemunhadas pela própria história do cinema, como Matrix, de Lilly e Lana Wachowski, Um Homem com a Câmera, de Dziga Vertov, O Fundo do Coração, de Francis Ford Copolla e Razzle Dazzle: The Lost World, de Ken Jacobs.

A sessão de abertura, na quinta-feira, 18 de julho, às 19h30, apresenta uma das primeiras exibições brasileiras do longa-metragem A Noite Amarela, destaque do Festival de Rotterdam deste ano, dirigido pelo paraibano Ramon Porto Mota. O diretor estará presente para um debate após a exibição. A sessão de encerramento, na quarta-feira, 31 de julho, às 19h30, conta com a ficção-científica Plano Controle, o mais novo filme da realizadora de Baronesa, Juliana Antunes, seguido da versão restaurada do longa-metragem Abrigo Nuclear, de Roberto Pires, um clássico sci-fi brasileiro. Juliana estará presente e participa de uma conversa após a sessão.

Outra estreia importante na cidade é Mirante, longa-metragem experimental de Rodrigo John, que parte de um registro de mais de 10 anos das janelas de um apartamento no Centro de Porto Alegre. Completam a programação brasileira Branco Sai, Preto Fica, o híbrido entre documentário e ficção-científica de Adirley Queiróz, e o retrato das indígenas do Alto Xingu As Hiper Mulheres, de Takumã Kuikuro, Leonardo Sette, Carlos Fausto. O Auge do Humano, co-produção entre Argentina e Brasil, de Eduardo Williams, ganha sessão comentada pela Gogó Conteúdos Sonoros, a equipe responsável pela criação sonora do filme.

A programação também destaca grandes pioneiras do cinema, com filmes de Maya Deren, nome essencial do cinema de vanguarda, Julie Dash e Zeinabu irene Davis, integrantes do movimento L. A. Rebellion, grupo de realizadores que saíram da Universidade da Califórnia em Los Angeles e transformaram o cinema negro dos Estados Unidos, e Kathleen Collins, diretora de Sem Chão, outro marco da produção afro-americana realizada na década de 1980.

 O diálogo com as artes visuais no recorte temático da mostra está presente nas exibições do documentário Giuseppe Penone, sobre a obra de um dos grandes nomes da Arte Povera, que será comentado pelas pesquisadoras Marina Câmara e Maria Ivone dos Santos, e do vídeo da artista Nancy Holt que registra a criação Sun Tunnels, uma das obras-primas da Land Art.

A mostra ainda apresenta filmes impactantes de Michelangelo Antonioni, James Gray, David Cronenberg e Kiyoshi Kurosawa.

A Cinemateca Capitólio Petrobras conta, em 2019, com o projeto Cinemateca Capitólio Petrobras programação especial 2019 aprovado na Lei Rouanet/Governo Federal, que será realizado pela FUNDACINE – Fundação Cinema RS e possui patrocínio master da PETROBRAS. O projeto contém 26 diferentes atividades entre mostras, sessões noturnas e de cinema acessível, master classes e exposições.

Os ingressos para as sessões custam R$ 10,00, com meia entrada para estudantes, idosos e portadores do Cartão Petrobras com acompanhante, além de gratuidade para os funcionários da Petrobras. A bilheteria abre 30 minutos antes de cada sessão. A Cinemateca Capitólio Petrobras fica na Rua Demétrio Ribeiro 1085 – Esq. com Borges de Medeiros. Mais informações (51) 3289 7453 | http://www.capitolio.org.br | facebook.com/cinemateca.capitolio

 

 

FILMES

 ENIGMAS

 A Noite Amarela

Brasil, 2019, 100 minutos, DCP

Direção: Ramon Porto Mota

O que pode ser morrer, frente ao medo de existir? Uma viagem de turma de adolescentes paraibanos para uma cidade pequena.

 

O Mistério de Oberwald

(Il Mistero di Oberwald)

Itália/Alemanha, 1980, 129 minutos, digital

Direção: Michelangelo Antonioni

Sebastian, um homem procurado, chega ao Castelo de Oberwald para matar a rainha, mas desmaia antes do crime. Ele é a imagem do rei assassinado no dia do casamento.

 

INVESTIGAÇÕES
Mirante

Brasil, 2019, 79 minutos, DCP

Direção: Rodrigo John

Morador observa os habitantes do centro de Porto Alegre, enquanto uma reviravolta na história do Brasil ecoa velhos fantasmas. No vidro das janelas, o lado de fora e o de dentro se misturam, numa sinfonia fora do tempo.
Giuseppe Penone

Brasil, 2018, 52 minutos, HD

Direção: Pedro Urano

Em seu estúdio em Turim, o artista apresenta alguns de seus trabalhos mais emblemáticos e o entendimento sobre a natureza e o tempo que eles contém. Acompanhamos a instalação da obra “Elevazione” no Inhotim, visitamos o “jardim das esculturas fluidas” – uma expressiva coleção de esculturas ao ar livre instalada permanentemente por Penone nos arredores de Turim – e flagramos o artista trabalhando no bosque próximo a sua casa de campo em San Raffaele.

ILUSÕES

Matrix

Estados Unidos/Austrália, 1999, 135 minutos, HD

Direção: Lilly e Lana Wachowski

Em um futuro próximo, jovem programador é atormentado por estranhos pesadelos: está conectado por cabos em um imenso sistema de computadores.

 

  1. A. Rebellion: Julie Dash e Zeinabu irene Davis

 

Ciclos

(Cycles)

Estados Unidos, 1989, 17 minutos, digital

Direção: Zeinabu irene Davis

Uma mulher aguarda a menstruação. Sua apreensão logo se aprofunda em transe.

 

Diário de uma Freira Africana

(Diary of an African Nun)

Estados Unidos, 1977, 15 minutos, digital

Direção: Julie Dash

O fluxo de consciência de uma freira negra vivendo em Uganda.

 

Ilusões

(Illusions)

Estados Unidos, 1982, 36 minutos, digital

Direção: Julie Dash

O encontro entre uma assistente de produção de Hollywood e uma cantora negra contratada para dublar atrizes brancas em cenas musicais.

 

EXPERIÊNCIAS

Cavaleiros Divinos – Os Deuses Vivos do Haiti

(Divine Horsemen: The Living Gods of Haiti)

Haiti/Estados Unidos, 1977, 53 minutos, HD

Direção: Maya Deren, Teiji Ito e Cherel Ito

Estudo etnográfico íntimo das danças e rituais de Vodu filmado por Maya Deren durante seus anos no Haiti (1947-1951). Edição feita por Teiji Ito e Cherel Ito nos anos 1970.
Z – A Cidade Perdida

(The Lost City of Z)

Estados Unidos, 2016, 141 minutos, DCP

Direção: James Gray

O explorador britânico Percy Fawcett viaja para a Amazônia no início do século XX e descobre evidências de uma civilização avançada que pode ter habitado a região.

 

ARTIFÍCIOS

Sun Tunnels

Estados Unidos, 1978, 26 minutos, digital

Direção: Nancy Holt

Sun Tunnels documenta a produção da obra-prima da Land Art criada pela artista Nancy Holt em 1976.
O Fundo do Coração

(One From the Heart)

Estados Unidos, 1982, 107 minutos, HD

Direção: Francis Ford Coppola

Numa Las Vegas onírica, Hank e Frannie decidem que seu casamento chegou ao fim. As novas paixões podem ser tão ilusórias quanto o brilho da cidade que os cerca.

 

LIMITES

Um Homem com uma Câmera

(Chelovek s kinoapparatom)

União Soviética, 1929, 68 minutos, HD

Direção: Dziga Vertov

A cidade acorda. A câmera-olho inicia sua aventura neste marco da vanguarda soviética dos anos 1920.

 

O Auge do Humano

(El Auge de Humano)

Argentina, 2016, 100 minutos, DCP

Direção: Eduardo Williams

Exe, argentino, Alf, moçambicano e Archie, das Filipinas, acabam se conhecendo na internet enquanto buscam algum tipo de conexão.

 

APRENDIZADOS

Sem Chão

(Losing Ground)

Estados Unidos, 1982, 86 minutos, HD

Direção: Kathleen Collins

Professora de filosofia vive crise com o marido, um pintor vanguardista. Longa de estreia Kathleen Collins e marco do cinema negro dos EUA.

 

O Professor Aloprado

(The Nutty Professor)

Estados Unidos, 1963, 107 minutos, HD

Direção: Jerry Lewis

Professor atrapalhado (e apaixonado) inventa uma fórmula para se transformar em outro homem.

 

CONSCIÊNCIAS

A Vida de Galileu

(Galileo)

Reino Unido, 1975, 139 minutos, digital

Direção: Joseph Losey

Galileu Galilei busca, por meio de instrumentos e da verificação científica, a validade das teorias de Copérnico. Adaptação da obra de Brecht.
Branco Sai, Preto Fica

Brasil, 2015, 94 minutos, DCP

Direção: Adirley Queiroz

Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, Marquim e Sartana. Dimas vem do futuro para encontrar Sartana e provar que a culpa é da sociedade repressiva. Marquim trabalha numa invenção que irá levar a voz e a música de Ceilândia para o espaço.

 

HORIZONTES

As Hiper Mulheres

Brasil, 2012, 80 minutos, DCP

Direção: Takumã Kuikuro, Leonardo Sette, Carlos Fausto

Temendo a morte da esposa idosa, um velho pede a seu sobrinho que realize o maior ritual feminino do Alto Xingu, para que ela possa cantar uma última vez.

 

Razzle Dazzle: The Lost World

Estados Unidos, 2008, 92 minutos, digital

Direção: Ken Jacobs

Jacobs manipula digitalmente um curta de Thomas Edison de 1903, onde um grupo de crianças monta uma espécie de montanha russa.

 

HORRORES

Pulse

(Kairo)

Japão, 2001, 118 minutos, HD

Direção: Kiyoshi Kurosawa

Adolescentes japoneses investigam uma série de suicídios ligados a uma página de internet que promete aos visitantes a chance de se conectarem com os mortos.

 

eXistenZ

Canadá/Reino Unido, 1999, 96 minutos, HD

Direção: David Cronenberg

Uma renomada designer de jogos de realidade virtual é vítima de uma intensa perseguição por fanáticos religiosos que querem assassiná-la.

 

 

SESSÃO DE ENCERRAMENTO

Plano Controle + Abrigo Nuclear

Plano Controle

Brasil, 2018, 15 minutos, DCP

Direção: Juliana Antunes

Em um contexto político distópico, Marcela usa um novo serviço do celular para deixar o país.

Abrigo Nuclear

Brasil, 1981, 85 minutos, HD

Direção: Roberto Pires

O planeta foi contaminado por múltiplas explosões nucleares e os sobreviventes dos eventos vivem sob o solo, num abrigo controlado por cientistas. Após um acidente dentro do local, um grupo de rebeldes decide desafiar as restrições impostas e subir para a superfície

 

GRADE DE HORÁRIOS

18 a 31 de julho de 2019

18 de julho (quinta)

16h – A Vida de Galileu

19h30 – A Noite Amarela + debate com Ramon Porto Mota

 

19 de julho (sexta)

16h – Branco Sai, Preto Fica

18h – O Mistério de Oberwald

20h30 – Cavaleiros Divinos – Os Deuses Vivos do Haiti

 

20 de julho (sábado)

16h – Z – A Cidade Perdida

18h30 – Branco Sai, Preto Fica

20h – Giuseppe Penone + debate

 

21 de julho (domingo)

16h – A Vida de Galileu

18h30 – Sun Tunnels + debate

19h30 – O Mistério de Oberwald

 

23 de julho (terça)

16h – Matrix

18h30 – Um Homem com a Câmera

20h – O Fundo do Coração

 

24 de julho (quarta)

16h – O Fundo do Coração

18h – Um Homem com a Câmera

19h30 – O Auge do Humano + debate com integrantes da Gogó Conteúdo Sonoros

 

25 de julho (quinta)

16h – As Hiper Mulheres

17h30 – Z – A Cidade Perdida

20h – Razzle Dazzle: The Lost World

 

26 de julho (sexta)

16h – Branco Sai, Preto Fica

18h – O Professor Aloprado

20h – Projeto Raros Especial: Sem Chão + debate com Juliana Costa

 

27 de julho (sábado)

16h – As Hiper Mulheres

18h – Matrix

20h30 – L. A. Rebellion: Julie Dash e Zeinabu irene Davis

 

28 de julho (domingo)

16h – Pulse

18h – Um Homem com a Câmera

19h – Mirante + debate com Rodrigo John

 

30 de julho (terça)

16h – Pulse

18h – Z – A Cidade Perdida

20h30 – eXistenZ

 

31 de julho (quarta)

18h – eXistenZ

19h30 – Plano Controle + Abrigo Nuclear (debate com Juliana Antunes)

Blog no WordPress.com.

Acima ↑