Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

correiodopovo_13.04.18.jpg

Muovere Cia de Dança promove financiamento coletivo para participar de evento na Espanha

gosmma (158)

A Muovere é a primeira companhia gaúcha selecionada para o M.A.P.A.S – evento mais importante do mercado de Artes Cênicas mundial que ocorre em julho nas Ilhas Canárias

Porto Alegre, 12 de abril de 2018 – A Muovere Cia de Dança foi uma das 33 selecionadas em Artes Cênicas, para integrar a programação do M.A.P.A.S – Mercado de Las Artes Performativas Del Atlântico Sur, que ocorre em Tenerife, Ilhas Canárias, na Espanha, de 11 a 15 de julho. O evento contará com companhias de Países como o México, Espanha, Marrocos, Portugal, África, Argentina, Canadá, Costa Rica, Uruguai, Chile, Colômbia, Tunísia e Nigéria.

O M.A.P.A.S é o primeiro e mais importante mercado profissional que promove o encontro entre criadores de Artes Cênicas ao vivo – música, teatro, dança, circo e artes de rua – da América Latina, África e sul da Europa e encontros com responsáveis pela programação de teatros, espaços culturais, festivais e outros eventos de todo o mundo. É um grande fórum referência das indústrias culturais mundiais.

O grupo promove duas campanhas para apoiar os custos da viagem para a equipe.

Uma delas é a de financiamento coletivo através da plataforma Catarse – https://goo.gl/aDZrpU. No rol de recompensas os apoiadores encontram desde um ‘gracias y um beso’; passando por ‘pasito, pasito’ em aulas de dança a domicílio; aulas de espanhol; coreografias para eventos e festividades, até um Workshop Desvio, em contribuições que vão de R$ 10,00 a R$ 400,00.

A outra é direcionada a empresas com interesse em projetar suas marcas através de contrapartidas locais e internacionais. “Trata-se de um encontro transcontinental relevante, cuja oferta é a de lançar, internacionalmente, os artistas e projetos selecionados”, revela a diretora da companhia, Jussara Miranda. “As empresas que apoiarem nossa participação estarão em uma vitrine para todo o mundo, em uma janela de divulgação inédita”, declara.

Desvio, espetáculo da Muovere que estreou em 2012, foi o projeto da companhia selecionado entre mais de 1300 inscrições do mundo todo, com a vantagem que integrará as duas atividades do M.A.P.A.S: showcase, uma apresentação da performance para o público no local, e rodada de negócios, encontros com programadores de espaços culturais e curadores de mostras e festivais internacionais, onde o grupo poderá firmar participações em eventos e Festivais de apresentações do seu repertório.

Desvio é um projeto de dança para a rua. Teve sua montagem inspirada em três bairros de Porto Alegre com foco na pesquisa de movimentos corporais de pedestres, condutores de automotivos, comerciantes e moradores das comunidades, envolvendo os padrões da sinalização de trânsito como mote. Através do Prêmio Artes de Rua FUNARTE/ MINC; dos Projetos Poéticas da Cidade e Circuito SESC de Artes/SP, e SESC RS, tem circulado pelas regiões sul e sudeste entre 2014 e 2018. Jussara Miranda assina pela Direção Geral e coreográfica e Diego Mac a Direção Artística,Produção operacional de Ana Paula Reis e produção executiva e captação de recursos de Ana Adams.

A Muovere Cia de Dança vive seus 30 anos de atividades atuando em criação, produção, formação e pesquisa em dança. Em seu repertório constam 36 produções. Atualmente oferta quatro projetos: dois para o público infantil (Dancinfância: Tóin – dança para bebês e Tóin2: dança para segunda infância), Choking, espetáculo sobre dança e tecnologia, para o público adulto, e Desvio, projeto de performance para a rua, público diverso. Para saber mais, acesse: facebook.com/MuovereCiadeDancaContemporanea

jc_12.04.18.jpg

Projeto Boa Sorte promove programação em Porto Alegre nos dias 13 e 14 de abril

Boa Sorte_credito_RonaldoGutyerrez (4)

Com patrocínio do Instituto Caixa Seguradora, projeto conta com apresentação de espetáculo, palestras, bate-papos e testagem rápida para levar informação sobre a vida dos portadores do vírus HIV

Boa sorte: o musical conta em tom forte e autobiográfico a história do ator e youtuber Gabriel Estrela

Em cartaz desde 2015, o projeto Boa Sorte chega a Porto Alegre nos dias 13 e 14 de abril com uma série de atividades no Centro Histórico-Cultural Santa Casa. O projeto tem como objetivo levar informação, cultura e arte para jovens e adultos sobre o universo das pessoas que vivem com HIV. A programação conta com apresentações da peça Boa Sorte: o musical, escrita pelo diretor, ator e youtuber Gabriel Estrela, que conta, em forte tom autobiográfico, como foi receber a notícia, aos 18 anos, que era portador do vírus.

Com um repertório de canções da MPB, Boa sorte: o musical traz o relato autobiográfico do jovem que recebe a notícia de que é portador do vírus da Aids. Em cena, o rapaz repensa seus relacionamentos com amigos, família, namorado e médicos depois do diagnóstico, sempre acompanhado de música ao vivo. “Descobri-me vivendo com HIV muito jovem e se na época eu tivesse a referência de outras pessoas soropositivas vivendo bem e dispostas a conversar abertamente, tudo teria sido menos complicado”, recorda o autor e diretor da peça, Gabriel Estrela, hoje aos 26 anos.

Sob a direção de Estrela, o musical conta com jovem e talentoso elenco formado por Lola Portela, Mariana Sancar, Gabriel Neves, Mauro Silva e Thiago Catellani, além de banda formada por Bianca Paysan (violão), Fernando Bastos (piano e direção musical) e Marília Nóbrega (violoncelo).

Para o diretor do Instituto Caixa Seguradora, Grègoire Saint Gal de Pons, a qualidade artística do espetáculo é um bom caminho para trazer à tona a discussão sobre o comportamento e a saúde sexual dos jovens. “Patrocinar o espetáculo fortalece o Instituto e os nossos programas de juventude, pois discute o HIV e Aids sob a perspectiva da vida. É essa a realidade que tentamos levar aos jovens por meio dos nossos patrocínios, pesquisas e projetos”, afirma Grègoire.

O projeto Boa Sorte está em turnê desde o início de março e já passou por Brasília e São Paulo. Após a temporada em Porto Alegre, o público de Curtiba e Belo Horizonte também poderá participar. Para além das sessões teatrais, o projeto se sustenta na tríade apresentação do espetáculo, bate-papo com o diretor sobre como é viver com HIV nos tempos atuais e o Pavilhão Solidário, espaço que reúne ONGs e instituições com atividades centradas na prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis, com exposições, oficinas e palestras. Em Porto Alegre, estão previstas palestras e debates com Ronaldo Hallal, Bia Pacheco, Leticia Ikeda e Gerson Winkler na sexta e

Carla Almeida, Claudia Penalvo, ONG Nuances e Gerson Winkler no sábado às 13h30 e Testagem Rápida para HIV, um posto de saúde móvel da Secretaria Municipal da Saúde que oferece testagem com acompanhamento de profissionais especializados e capacitados, além de apoio e acolhimento. A atividade ocorre no dia 13 de abril, das 16h às 20h. Toda a programação do Pavilhão Solidário tem entrada franca.

As apresentações do espetáculo ocorrem às 15h e 20h no teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa, com ingressos entre R$ 15,00 e R$ 30,00 à venda no local, duas horas antes de cada sessão.

Sobre Gabriel Estrela

O ator e diretor de teatro goiano Gabriel Estrela iniciou sua carreira como ator em Brasília, tendo atuado em musicais para o público adulto e infantil. Colaborou com a websérie “Eu só quero amar”, da Rede Globo, sobre casais sorodiferentes, numa mistura de documentário e ficção, para aproximar ainda mais o público jovem do tema. A experiência, de misturar entretenimento com informação, o levou a Nova York para participar de uma Reunião de Alto Nível sobre o fim da epidemia da Aids na Sede da ONU (Organização das Nações Unidas).

Em 2013 Gabriel criou e dirigiu a primeira versão do espetáculo, que foi reencenado em 2015 marcando o início do Projeto Boa Sorte. No mesmo ano, criou o canal de mesmo nome no Youtube, que rendeu dois vídeos com a youtuber Jout Jour Prazer falando sobre preconceito, cotidiano e saúde, rendendo mais de 800 mil visualizações. Em 2017, o canal ganhou o Prêmio YouPix Creators Pitch.

Sobre o diretor musical – Fernando Bastos

Fernando Bastos é professor de canto membro da International Voice Teachers of Mix (IVTOM) e licenciado em Música pela Universidade de Brasília. Estudou canto com as professoras Dani Baggio e Dra. Daniela Stieff, além de ter feito aulas com os professores Dean Kaelin (EUA), Dr. Hubert Noé (Áustria) e Adam Roebuck (EUA). Natural de Brasília, lá fez a preparação vocal e direção musical de diversos projetos. Ministra aulas particulares de canto desde 2012, com foco na preparação de atores para teatro musical. Atualmente é professor de Técnica Vocal na 4ACT Performing Arts em São Paulo.

Link para fotos: https://goo.gl/KGnX4n

Vídeos: O que é o projeto e quem é Gabriel Estrela

Gabriel Estrela e Jou Jout: uma aula sobre HIV/Aids

 

Ficha técnica

Texto e direção: Gabriel Estrela
Direção musical: Fernando Bastos
Iluminação: Ramon Lima
Cenografia e Figurinos: Breno Abreu
Com Lola Portela, Mariana Sancar, Gabriel Neves, Mauro Silva e Thiago Catellani
Banda: Bianca Paysan, Fernando Bastos e Marília Nóbrega
Fotos: Ronaldo Gutierrez
Arranjo ”Vivo”: Maria Barrilari
Programação Visual: Denise Bacelar
Operador de luz: Alexandre Zullu
Operador de som: Kleber Marques
Assessoria Jurídica: Olivieri Associados
Coordenação financeira: Cleonice Chaves
Produção de figurinos: 7 Company Studio
Produção executiva: Mcd Produções
Direção de Produção: Fernanda Signorini
Realização: Signorinimkt Produções Culturais Ltda
Idealização: Fernanda Signorini e Gabriel Estrela
Patrocínio: Instituto Caixa Seguradora
Produção Local: Primeira Fila Produções

Assessoria de Imprensa Local: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Duração da peça: 55 minutos

Bate-papo com Gabriel Estrela e convidados: 40 minutos

Classificação indicativa: Livre

 

Projeto Boa Sorte em Porto Alegre

Centro Histórico-Cultural Santa Casa – Av. Independência, 75

13 e 14 de abril

 

Palestras e debates: sexta e sábado às 13h30, na Sala Anexa – entrada franca

DIAS:

13 DE ABRIL – SEXTA – A descoberta da sorologia e como viver com HIV/AIDS – 13h30 às 15h

RONALDO HALLAL – Consultor do programa municipal, estadual e nacional de DST AIDS. Hoje faz parte do serviço de infectologia da Santa Casa, atende no ambulatório de DST/AIDS em Viamão e é mestrando em ciências médicas na UFRGS.

BIA PACHECO – Ativista independente, atuando com foco nas áreas de prevenção às infecções sexualmente transmissíveis, sexualidade em geral e cidadania positiva para o HIV.

LETICIA IKEDA – Professora da Unisinos e Médica Referência no tratamento e acompanhamento de pessoas com HIV/AIDS no Estado do Rio Grande do Sul.

GERSON WINKlER – Foi Assessor da Coordenação Geral de Politicas Publicas da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, Prefeitura Municipal de Porto Alegre até novembro de 2016. Coordenou a Área Técnicas da SMS e em especial a de IST AIDS e Hepatites Virais da SMS entre os anos de 2011 a maio de 2016. Membro fundador do Comitê de Mortalidade por AIDS de Porto Alegre entre 2011 e 2016. Atuou em organizações da sociedade civil na área de Direitos Humanos, sobretudo diretos de pessoas vivendo com HIV e Aids. Fundou e presidiu o Grupo de Apoio à Prevenção da Aids do Rio Grande do Sul (1989-1993).

 

14 DE ABRIL – SÁBADO – Como se organizam as entidades que lutam contra HIV/AIDS – 13h30 às 15h

CARLA ALMEIDA – Presidente do GAPA – ONG com 28 anos é uma das entidades pioneiras na luta contra o HIV/Aids, o Grupo de Apoio à Prevenção da Aids do Rio Grande do Sul (GAPA/RS)

SOMOS – Claudia Penalvo –  Pedagoga pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos  e mestra em EDUCAÇÂO (PPGEdu) pela Universidade Federal do Rio Grande. Tem experiência na área de Educação com ênfase em sexualidades, juventudes, educação em saúde, LGBT e prevenção de HIV/aids. O SOMOS – Comunicação, Saúde e Sexualidade é um grupo situado em Porto Alegre (RS) que realiza ações transdisciplinares, tendo como base os direitos humanos, com ênfase em direitos sexuais e direitos reprodutivos, a partir da articulação das áreas de educação, saúde, comunicação e arte. A sua missão é trabalhar por uma sociedade plural e democrática por meio da afirmação de direitos. A trajetória do SOMOS iniciou-se em 10 de dezembro de 2001, quando ele foi fundado por militantes advindos/as das áreas de luta contra a aids e do movimento LGBT. A proposta era desenvolver ações sociais com abordagens inovadoras direcionadas à comunicação e à saúde.

NUANCES – O Nuances é uma ONG de livre expressão sexual que realiza, desde 1991, diversas atividades culturais e manifestações, além de auxiliar na promoção e prevenção de saúde da comunidade LGBT.

GERSON WINKlER – Foi Assessor da Coordenação Geral de Politicas Publicas da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, Prefeitura Municipal de Porto Alegre até novembro de 2016. Coordenou a Área Técnicas da SMS e em especial a de IST AIDS e Hepatites Virais da SMS entre os anos de 2011 a maio de 2016. Membro fundador do Comitê de Mortalidade por AIDS de Porto Alegre entre 2011 e 2016. Atuou em organizações da sociedade civil na área de Direitos Humanos, sobretudo diretos de pessoas vivendo com HIV e Aids. Fundou e presidiu o Grupo de Apoio à Prevenção da Aids do Rio Grande do Sul (1989-1993).

Apresentações do espetáculo: sexta e sábado às 15h e 20h, no teatro

Ingressos:

R$ 30,00 – à venda na bilheteria do teatro duas horas antes do espetáculo

50% de desconto para:
Estudantes (Com Carteira de Identificação Estudantil)
Pessoas com deficiência, inclusive seu acompanhante quando necessário.
Idosos e Terceira Idade (Cartão de Aposentado ou RG para maiores de 60 anos)
Jovens com idade de 15 a 29 anos de baixa renda inscritos no Cadastro Único Para Programas Sociais do Governo Federal (Mediante a apresentação da Identidade Jovem, acompanhada de documento de identificação com foto expedido por órgão público e válido em todo o território nacional)

correiodopovo_08.04.18.jpg

Macarenando Dance Concept na mídia

jc_06.04.18correiodopovo_06.04.18

Semente – Mostra Infantil de Cinema e Sustentabilidade na imprensa

correiodopovo_05.04.18metro_05.04.18

Festival de Cinema Janela Itinerante ocorre em abril em três municípios do RS

Janela Itinerante_Cartaz

Projeto com financiamento Pró-Cultura e Governo do Estado do RS levará a Cidreira, Palmares do Sul e Capivari do Sul filmes e atividades formativas

 

A partir de 12 de abril as cidades de Cidreira, Palmares do Sul e Capivari do Sul receberão a primeira edição do Festival de Cinema Janela Itinerante, que promove programação gratuita para o público infantojuvenil. O projeto é um desdobramento do Festival Primeira Janela – Festival de Cinema Infantojuvenil, que acontece em Porto Alegre desde 2014.

O Janela Itinerante visa levar conteúdos audiovisuais até regiões que não possuem a facilidade de acesso ao universo do cinema, possibilitando crianças e adolescentes a experienciar, vivenciar e ser inserido no contexto do audiovisual. A programação conta com a projeção de filmes raramente exibidos em circuito comercial, visando despertar o interesse da nova geração pelo cinema e oportunizando pela primeira vez o acesso de muitas crianças e jovens a uma sessão de cinema.

O tema desta edição é o som no cinema, elemento de expressão importante na composição dos filmes e que pauta a seleção das obras exibidas, assim como as atividades promovidas pelo evento. Com programação dividida em três dias, o Janela Itinerante promove exibição de filmes, debates com realizadores, oficinas e workshops em escolas dos municípios que receberão o evento e encerra no terceiro dia com a exibição do longa-metragem “As Aventuras do Avião Vermelho”, que terá sua trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra Villa-Lobos.

O primeiro dia de atividades conta com a exibição dos curtas-metragens “Vento” de Betânia Furtado, “Pierre e a mochila”, de Iuli Gerbase, e “Lipe, Vovô e o Monstro”, de Felipe Steffens e Carlos Mateus Souza, que foi realizado em conjunto com os alunos do segundo ano da escola municipal de ensino fundamental Vereador Antônio Giudice, em Porto Alegre. Após a exibição, integrantes da equipe realizadora de um dos filmes participam de bate-papo com o público.

No segundo dia de atividades os alunos de 13 a 18 anos participam do Workshop “O Som no Cinema”, ministrado por Caio Amon, onde os integrantes vão explorar o universo do som e da trilha sonora, investigando como são feitos alguns dos recursos mais utilizados no cinema. Para os pequenos, a oficina “Histórias Contadas – Efeitos Sonoros”, contempla crianças de 06 a 12 anos e trabalha a percepção sensível, construção e expressão do som através de vivências, exercícios, jogos e brincadeiras.

Encerrando a programação, no sábado, às 19h30, um cinema a céu aberto receberá a comunidade dos locais para assistir ao longa-metragem de Frederico Pinto e José Maia “As Aventuras do Avião Vermelho”, que terá trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra Villa-Lobos que conta com 45 crianças e jovens de 10 a 24 anos.

Com o propósito de aprofundar o diálogo entre cinema e educação, encantar, divertir e despertar na criança e nos jovens a paixão pelo cinema, o Festival Janela Itinerante pensa o cinema e a educação, linguagens que se enriquecem mutuamente, como instrumento de transformação, formação, difusão, qualificação, reciclagem e criatividade. Para que esta formação siga ao longo do ano letivo, uma atividade especial para professores foi realizada no dia 29 de março, em Cidreira. O 1º Encontro Pensando Cinema e Educação com as cineastas, pesquisadoras e educadoras Gilka Vargas e Iara Noemi reuniu 200 professores. A utilização da tecnologia – tão presente na vida dos alunos –, respeitando as múltiplas linguagens da criança e do adolescente, constitui-se em um desafio. Entendendo o cinema como uma arte importante na formação e expressão do indivíduo, como uma forma de produzir conhecimento e como facilitador para trabalhar questões pertinentes às diferentes idades, as palestrantes apresentaram o cinema como mediador no processo de aprendizagem em sala de aula.

O Festival de Cinema Janela Itinerante ocorre em Cidreira entre os dias 12 a 14 de abril, Palmares do Sul de 19 a 21 e Capivari do Sul de 26 a 28, com todas as atividades com entrada franca, financiamento Pró-cultura RS e Governo do Estado do Rio Grande do Sul e realização Mobb Moving Images e Ckooqo Entertainment. Informações no site www.janelaitinerante.com.br .

 

I FESTIVAL DE CINEMA JANELA ITINERANTE – DE 12 A 28 DE ABRIL

Cidreira – 12, 13 e 14 de abril

Palmares do Sul – 19, 20 e 21 de abril

Capivari do Sul – 26, 27 e 28 de abril

 

Programação

Exibição de curtas-metragens para as escolas.

Horário: período manhã (09h30 às 11h30) e período tarde (14h00 às 16h00)

Vento – direção Betânia Furtado – Animação – 13’ – Porto Alegre/RS

Sinopse: Uma garrafa com uma mensagem desperta em Gabriel, um garoto solitário, a vontade de aprender a ler e descobrir que o sonho pode estar mais perto do que se imagina.

 

Pierre e a Mochila – direção Iuli Gerbase – Ficção – 10’30” – Porto Alegre/RS

Sinopse: Pierre, um menino de 10 anos, muda-se para a casa de seu avô, após sua mãe ter o abandonado. No novo colégio, Ana, Elisa e Fauna, três meninas muito teimosas, irão ajudá-lo a ficar alegre enquanto eles preparam seu projeto para a aula de ciências: um musical sobre as invenções de Tomas Edison.

 

Lipe, Vovô e o Monstro – direção Felipe Steffens e Carlos Mateus Souza – Animação – 9’ – Porto Alegre/RS

Sinopse: Um menino vai passar o final de semana no sítio dos avós. Durante uma pescaria, ele conhece um segredo de seu avô, e acaba fazendo uma nova e inusitada amizade. Filme realizado em conjunto com os alunos do 2º ano da escola municipal de ensino fundamental Vereador Antônio Giudice, em Porto Alegre.

 

Oficina e Workshop para as escolas:

O Som no Cinema

Ministrante: Caio Amon

Faixa etária: 13 a 18 anos

Horário: período manhã (09h às 11h) e período tarde (14h às 16h)

Ementa: Nesta oficina iremos explorar o universo do desenho de som e da trilha sonora, investigando como são feitos alguns dos recursos mais utilizados no cinema. O objetivo é ampliar a escuta para os sons do cinema (e do mundo!), e ver o som como possibilidade de criação. A partir deste momento, os sons ao seu redor nunca mais serão os mesmos.

Histórias Contadas – Efeitos Sonoros

Ministrante: Teresa de Lucena e Naida Machado

Faixa etária: 06 a 12 anos

Horário: período manhã (09h às 12h) e período tarde (14h às 17h)

Ementa: A oficina contará uma história através do som e trabalhará com a percepção sensível, construção e expressão do som através de vivências, exercícios, jogos e brincadeiras. As fontes dos trabalhos propostos são a arte educação, a educação brincante, a educação biocêntrica e a percussão corporal.

Mostra Especial de Encerramento na Praça

Orquestra formada por 45 crianças e jovens tocando ao vivo a trilha sonora do filme “As aventuras do avião vermelho”, de Frederico Pinto e José Maia, simultaneamente com a projeção. A Orquestra Villa-Lobos é o resultado do trabalho de educação musical desenvolvido há 26 anos na Escola Municipal de Ensino Fundamental Heitor Villa-Lobos e tem por objetivo proporcionar a crianças e jovens da Lomba do Pinheiro, periferia de Porto Alegre, o acesso ao conhecimento musical e a vivências artísticas e socializadoras, sendo um agente transformador na comunidade.

As Aventuras do Avião Vermelho  Direção Frederico Pinto e José Maia – Animação – 1h10m – Porto Alegre/RS – Ano 2014

Sinopse: O filme conta a história de Fernandinho, um menino de 8 anos, que perdeu a mãe há pouco tempo, tornando-se um garoto solitário, sem amigos e com problemas de relacionamento com o pai e na escola. Sem saber como lidar com a situação, o pai tenta conquistá-lo com presentes. Nada funciona até que ele dá para o filho um livro de sua infância. Encantado com a história, Fernandinho decide que precisa de um avião para salvar o Capitão Tormenta – aviador personagem do livro, que está preso no Kamchatka. A bordo do Avião Vermelho e junto com seus brinquedos favoritos, Ursinho e Chocolate, que ganham a vida com sua imaginação, Fernandinho visita lugares inusitados, como a Lua e o fundo do mar, e percorre diferentes territórios – África, China, Índia, Rússia. Ao longo dessa jornada, Fernandinho descobre o prazer da leitura, a importância de ter amigos e o amor do pai.

 

Ficha técnica

Financiamento: Pró-cultura RS e Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Realização: Mobb Moving Images e Ckooqo Entertainment

Direção Geral e Curadoria: Patrícia Monegatto

Produção Executiva: Letícia Góes Schaurich

Direção de Produção: Tatiana Sirtoli

Assistente de Produção: Nathália Severo

Comunicação e Entretenimento: Letícia Góes Schaurich e Rafael Franskowiak

Coordenação Técnica: Bruna Abubakir e Kadu Mirapalhete

Direção Musical: Everton Rodrigues

Regente Orquestra Villa-Lobos: Cecília Silveira

Músicos Convidados: Vanessa Costa (Trompa) e Felipe Schütz (Contrabaixo)

Técnico de Som: Tiago Becker

Coordenação Pedagógica: Gilka Vargas e Iara Noemi

Apresentador e Mágico: Sandro Dreher

Oficina: Teresa de Lucena e Naida Machado

Workshop: Caio Amon

Ilustração: Galvão Bertazzi

Design Gráfico e Website: Rafael Franskowiak

Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Social Media: Okta Branding & Design

Vinheta: Bruna Abubakir e Max Laux

Locução Vinheta: Amanda de Sá Matos, Antônio de Almeida Bueno, Benício Schaurich Franskowiak, João Vitor de Sá Matos, Juan Ferronato Pinto, Matheus Severo, Miguel Franskowiak Bacaicoa da Silva e Nathália Severo.

Making Of: Fábio Canale

Concepção Troféu: Sandro Dreher

Produção Troféu: Brascril

Projeção, Iluminação e Sonorização: Impacto Vento Norte

Transporte: Motorhome Frajola

zh_03.04.18.jpg

Blog no WordPress.com.

Acima ↑