Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Categoria

Fotografia

Documentário Em Busca do Cavalo Crioulo na coluna de Eduardo Conill no Correio do Povo

correiodopovo_20.08.19.jpg

ABCCC inaugura Espaço Cultural com documentário de Fagner Almeida na quinta, 22 de agosto

02

Fotógrafo lança série documental “Em Busca do Cavalo Crioulo” na Expointer e em outubro expõe obra no Louvre

 

Na próxima quinta-feira, 22 de agosto, às 18h, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Crioulo, ABCCC, inaugura Espaço Cultural na Expointer, com exibição do episódio 1 da série documental “Em Busca do Cavalo Crioulo”, do fotógrafo Fagner Almeida.

“Em Busca do Cavalo Crioulo” convida a uma viagem além dos redutos tradicionais da raça, mostrando onde e como são os criatórios da Itália, Alemanha, França e Suíça. “Em Busca do Cavalo Crioulo” conta com cinco episódios, cada um tratando especificamente de cada país. Nessa primeira temporada, estamos abordando a criação na Itália, Alemanha, França e Suíça, mais um capítulo específico sobre a Fieri Cavalli. “Para isso, ficamos durante 30 dias, entre outubro e novembro de 2018, percorrendo as cabanas europeias, com uma equipe de três pessoas, incluindo um cinegrafista, uma jornalista e eu, que fiz os registros em fotos e também em vídeos. Conseguimos um material fantástico e até eu fiquei surpreso com as coisas que vi e pudemos registrar. Nunca imaginei que houvesse tanta gente na Europa apaixonada pelos crioulos assim”, conta.

A série tem como objetivo apresentar o cavalo Crioulo fora do seu eixo tradicional, nas mais distintas culturas e nas mais adversas situações de extremos lugares, mostrando a adaptação da raça a qualquer local. “Tenho feito diversos trabalhos fora do estado e em outros países e quero mostrar até onde o Crioulo pode chegar”, revela.

A história de Fagner Almeida em busca do Cavalo Crioulo é uma trajetória de longa data. Em 2020, prestes a completar 10 anos como profissional e de trabalhos com a raça, o fotógrafo já percorreu distâncias que o levaram até Crioulos em territórios como a América do Sul, América do Norte e Europa.  Em 2010 começou a fotografar a Marcha da Resistência, uma das principais modalidades da raça. Fagner também é autor do livro “Marcha de Resistência Cavalo Crioulo – 20 anos Jaguarão”. A partir de 2012 o fotógrafo começou a trabalhar em provas do Freio de Ouro. No ano de 2014 fotografou pela primeira vez o World Equestrian Games (WEG) realizado na Normandia/França. Em 2016 trabalhou nas Olímpiadas, fazendo cobertura das provas de hipismo para a Revista Horse.

Ao final de 2016 é destacado pela imprensa americana no TOP15 melhores fotógrafos equestres do mundo. Na Europa, no ano de 2017, foi fotógrafo na feira de Golegã Lusitano em Portugal e também da Fieracavalli na Itália. Em 2018 Fagner também esteve presente em Tryon, nos Estados Unidos, para outra edição de um dos maiores eventos equestres do mundo: o World Equestrian Games. Recentemente em Lima no Peru, fez toda cobertura do hipismo nos jogos Pan-americanos.

Em outubro o artista embarca para a França, onde uma de suas fotos integra o Salão Internacional de Arte Contemporânea de Paris, que ocorre de 18 a 20 de outubro no Le Carroussel do célebre museu. Almeida foi um dos selecionados pela curadora Lisandra Miguel, que conheceu seu trabalho através de uma pintura de Raquel Fernandes, que usou os cavalos retratados pelo artista em sua obra – inclusive estarão expostos lado a lado em Paris. “Eu nem consigo acreditar ainda. Fico muito feliz em deixar minha marca, e mais orgulhoso ainda por saber que conquistei esse espaço através do Cavalo Crioulo, uma grande paixão desde adolescência.

Sobre o Espaço Cultural ABCCC

Anexo ao restaurante do Cavalo Crioulo, no Parque de Exposições Assis Brasil, palco da Expointer, o Espaço Cultural da ABCCC vai abrigar exposição de trabalhos de artistas que contam com projetos apoiados pela entidade. Durante a Expointer, as exibições serão com dias e horários pré-definidos. O presidente da ABCCC, Francisco Kessler Fleck, explica que o objetivo do novo espaço é promover a cultura no meio Crioulo. O público terá acesso integral às obras, podendo participar, apoiar e aprender sobre os conteúdos e seus respectivos artistas”, assegura. O primeiro trabalho apresentado ao público é o primeiro episódio do documentário “Em Busca do Cavalo Crioulo”. Nos dias seguintes, o local exibirá trabalhos de artistas como Caé Braga (escultor e artista plástico), Cassio Selaimen (cuteleiro), Felipe Constant (artista plástico), Henrique Fagundes da Costa (escritor e pesquisador), Eduardo Rocha (fotógrafo), Raul Sartor Filho (artista prateiro) e Renato Dalto (jornalista e escritor). A programação completa do Espaço Cultural pode ser conferida no site www. crioulo.org.br

Projeto Concha divulga programação para o mês de agosto

Paola-Kirst---foto-de-divulgaçao-(1)---CRÉDITO-VITÓRIA-PROENÇA

Atividades do projeto com patrocínio do Natura Musical contam com show com Paola Kirst e Gabriela Lery no dia 15 de agosto, além de oficinas de fotografia e luteria gratuitas exclusivamente para  mulheres

Ingressos à venda no link – http://bit.ly/conchadeagosto

Porto Alegre, 29 de julho de 2019 – A edição de agosto do Projeto Concha 2019 conta com show de Paola Kirst e Gabriela Lery na quinta-feira, 15 de agosto, no Agulha, e duas oficinas gratuitas exclusivamente para mulheres: uma  de fotografia musical, ministrada por Vitória Proença, e lutheria, por Bruna Zanotto.

As atividades integram a programação do projeto que este ano conta com o patrocínio do Natura Musical e promove, além de apresentações de cantoras e compositoras brasileiras, uma residência artística de quinze artistas, que ocorre de abril a dezembro e uma série de oficinas formativas na área de produção cultural para o público feminino.

No dia 15 de agosto, o Agulha recebe dois nomes da nova geração da música local: Paola Krist e Gabriela Lery. Gabriela Lery é musicista, compositora e professora de música. Natural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, deu início aos estudos musicais em 2001. Como compositora, trabalhou em parceria com artistas brasileiros, ingleses, malteses e estadunidenses e é baixista na orquestra feminina de bateria e percussão As Batucas, coordena o grupo vocal feminino As Batucas, além de lecionar aulas de canto popular. O show no Agulha marca o pré-lançamento de seu primeiro EP, Coleção, acompanhada de Isabel Nogueira, Julia Pianta e Bruno Vargas.

Natural de Rio Grande, RS, Paola Kirst atua como cantora, compositora e performer. Vencedora do prêmio de melhor intérprete no 32° Festival Moenda da Canção (Santo Antônio da Patrulha/RS) em 2018, ao final do mesmo ano lançou seu primeiro disco, Costuras que me bordam marcas na pele, produzido por Wagner Lagemann e indicado ao Prêmio Açorianos de Música na categoria Revelação do Ano. Paola busca traçar uma trajetória de experimentação para o uso do corpo e da voz como instrumento de expressão poética. Em suas canções aborda o cotidiano vivenciado pelo olhar feminino, experimental e faminto de uma artista.

Duas atividades formativas integram a programação de agosto do Concha, exclusivamente para o público feminino e com entrada franca. Nos dias 15 e 16 de agosto a fotógrafa e designer Vitória Proença ministra o Workshop de Fotografia Musical. A oficina tem como objetivo capacitar a aluna que já tem como pré-requisito noções básicas de fotografia, para atuação na área da fotografia musical, através de conhecimentos técnicos, teóricos e práticos. Conta ainda com uma atividade prática integrada com o show do Projeto Concha de Agosto, realizando a cobertura do evento. As inscrições gratuitas devem ser feitas pelo link – http://bit.ly/2OpqMEx até 10 de agosto. A lista das selecionadas será divulgada no dia 12 de agosto pelas redes sociais do projeto.

Encerrando as atividades deste mês, a luthier Bruna Zanotto oferece a Oficina de Lutheria, onde ensinará às participantes a a fazer pestanas (nut) e rastilhos, regulagem e retífica. Os instrumentos selecionados são instrumentos de corda, como violão, guitarras (com variadas pontes), baixo e cavacoInscrições gratuitas através do formulário online http://bit.ly/310uaad até  23 de agosto e divulgação das selecionadas no dia 25 pelas redes do Concha.

O Projeto Concha foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018 com com Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Pró-Cultura RS – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul. “Coletivos como o Projeto Concha ampliam a voz de movimentos que buscam maior representatividade dentro e fora do mercado musical”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “De uma forma geral, os coletivos promovem impacto cultural, social e econômico que multiplica o alcance de um patrocínio. A gente investe no coletivo e toda uma rede de pessoas conectada a ele também são impactadas de forma positiva”, completa.

Os ingressos do show no dia 15 custam entre R$ 15,00 e R$ 60,00 e podem ser adquiridos pelo sympla – http://bit.ly/conchadeagosto ou no local, no dia do show, mediante disponibilidade.

Protagonismo no palco

O Projeto Concha é uma iniciativa independente, criada em 2018 pela produtora cultural Alice Castiel. Ao analisar o mercado musical, tanto localmente como em eventos nacionais dos quais participou, ela notou a quantidade e a diversidade de mulheres produzindo, compondo, tocando instrumentos e cantando, mas que muitas vezes, apesar do talento, não tinham acesso a selos, gravadoras ou à programação de festivais. “Em Porto Alegre ou em qualquer cidade do Brasil, a oferta dos principais palcos é majoritariamente protagonizada por homens”, afirma. Como contraponto, Alice propôs uma programação que apresentasse exclusivamente o trabalho de mulheres, a fim de chamar atenção para o que é produzido e muitas vezes ignorado ou preterido pelo circuito oficial da música.

Nas 11 edições do projeto, realizadas no bar Agulha, em Porto Alegre, o público lotou a casa para conhecer o trabalho de mais de 20 mulheres, em apresentações de artistas locais e também de criadoras com projeção na cena nacional, criando um espaço de visibilidade e troca de referências musicais, amparado por uma rede de apoio entre mulheres e conteúdo profissionalizante. Já participaram artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Labaq, Xênia França, Maria Beraldo, Larissa Luz, Juliana Perdigão, intervenções poéticas de Angélica Freitas, Mel Duarte, Luna Vitrolira, Crystal Rocha e as atrações locais Saskia, Raquel Leão, Veña, Pâmela Amaro, Thays Prado, As Aventuras e até uma banda se formou especialmente para uma edição do Concha, batizada de Enxame.

Para mais informações, acesse: facebook.com/projetoconchapoa

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. O último edital do programa neste ano selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente para a rica e pulsante produção musical brasileira.

 

SERVIÇO

Projeto Concha apresenta Paola Kirst e Gabriela Lery no Agulha

Quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Local: Agulha – Rua Conselheiro Camargo, 300

Horários: O bar abre às 19h e a apresentação começa pontualmente às 22h

Ingressos (à venda  no sympla – http://bit.ly/conchadeagosto)

Lote Promocional limitado – R$ 15 – apenas online;

1º lote Solidário* / Meia-entrada** – R$ 20 – na internet (com opção de boleto bancário);

2º lote Solidário* e na Hora/ Meia-entrada** – Solidário* / Meia-entrada** – R$ 30

* Solidário – Valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou itens de higiene pessoal, disponível para qualquer pessoa. As doações deverão ser entregues no Agulha, no momento da entrada ao evento.

 

** Meia-entrada – Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados na Lei Federal 12.933/13.

 

Workshops

Fotografia Musical, com Vitória Proençahttp://bit.ly/2OpqMEx

Dia 15 de agosto, das 9h às 12h e das 13h às 18h – Linha (Av. São Pedro, 540 – Bairro São Geraldo) e das 22h às 00h – Agulha (R. Conselheiro Camargo, 300 – Bairro São Geraldo)

Dia 16 de agosto, das 14h às 18h – Linha (Av. São Pedro, 540 – Bairro São Geraldo)

O objetivo do Workshop de Fotografia Musical | Projeto Concha é capacitar a aluna que já tem como pré-requisito noções básicas de fotografia, para atuação na área da fotografia musical, através de conhecimentos técnicos, teóricos e práticos. Conta ainda com uma atividade prática integrada com o show do Projeto Concha de Agosto, realizando a cobertura do evento.

Vitória Proença é fotógrafa, designer, e sempre foi obcecada em tentar transformar todo estímulo em imagem. Com a música não foi diferente. Atualmente, é coordenadora do núcleo de fotografia do festival Morrostock, participa do projeto Pedra Redonda Estúdio e seu braço audiovisual Na Pedra Redonda, e é idealizadora do projeto Fosso Coletivo.

 

Lutheria, com Bruna Zanottohttp://bit.ly/310uaad

Dia 31 de agosto, das 8h30 às 11h30 e das 13h às 18h – Linha (Av. São Pedro, 540 – Bairro São Geraldo)

Nessa oficina iremos aprender a fazer pestanas (nut) e rastilhos, regulagem e retífica. Os instrumentos selecionados são instrumentos de corda, como violão, guitarras (com variadas pontes), baixo e cavaco. Sendo que com mesmos princípios pode-se aplicar a ukuleles e até mesmos violinos e contrabaixos acústicos.

Bruna Zanotto, nascida numa família de marceneiros, aprendeu os princípios da marcenaria na própria casa, trabalhou na empresa de móveis Voler, e na empresa Preza, que produz óculos de madeira reciclada. Na luthieria, dedicou-se a empresa Évorah, sendo aprendiz dos mestres luthiers Evandro Rosa, André Moraes e Moisés Rodrigues. Seu foco é que o instrumento seja parte do musico, deixando-o conforme cada um o usa, seja macio para os suaves e cheio de timbre para os que tocam pesado, cada regulagem de um instrumento se baseia no como o dono o usa.

3º Prêmio AF de Arte Contemporânea divulga os selecionados

Post FB IG

 

Júri selecionou dez artistas que integram mostra coletiva que ocorre a partir de 23 de julho no porão do Paço Municipal

 

Porto Alegre, 24 de junho de 2019 – Foram divulgados na última quarta-feira, 19 de junho, os dez artistas selecionados do Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea 2019. Em sua terceira edição, a premiação busca estimular a produção das artes visuais contemporâneas no Rio Grande do Sul, com a missão de dar apoio e incentivo para artistas em início de carreira. O evento é uma realização da Aliança Francesa Porto Alegre e Ministério da Cidadania através da Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Timac Agro e apoio do Centre Intermondes e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

O júri brasileiro, composto por Adriana Boff, Bruna Fetter, Diego Groisman, Paulo Miyada e Patrice Pauc, e o júri francês do Centre Intermondes representado por Edouard Mornaud e Flavie Monnierselecionaram os seguintes concorrentes: Alexandre Garbini de Nadal, Bruno Cesar Eder Giasson, Camila Proto, Francine Rocha Lasevitch, Henrique Fagundes Machado, Joana Burd, Letícia Arais Lopes, Marcelo Chardosim Fraga, Oendu de Mendonça e Vitória de Oliveira Macedo. A lista integra a Mostra Coletiva do 3º Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea, que inaugura no dia 23 de julho, às 19h, no Porão do Paço da Prefeitura Municipal de Porto Alegre (Praça Montevidéu, 10) com curadoria de Groisman.

Os três vencedores da edição 2019 foram Letícia Arais Lopes (1º lugar), Alexandre Garbini de Nadal, (2º lugar) e Marcelo Chardosim Fraga (3º lugar). Letícia foi premiada com uma residência artística de dois meses no Centre Intermondes, em La Rochelle, na França, com passagem e alojamento incluídos, um prêmio em dinheiro no valor de R$ 8.000,00 como incentivo à produção do artista, ajuda de custo para o período da estadia em La Rochelle de R$ 3.000,00, além de uma  bolsa de estudos na Aliança Francesa Porto Alegre. A residência está programada para os meses de agosto e setembro de 2019. O segundo e o terceiro lugar também serão premiados com bolsas de estudo na Aliança Francesa de Porto Alegre.

A exposição seguirá em cartaz com entrada franca até 04 de outubro.

Inscrições para o 3º Prêmio AF de Arte Contemporânea encerram nesta sexta-feira, 31 de maio

Post FB IG

Premiação oferece dois meses de residência artística no Centre Intermondes, na França

 

Encerram nesta sexta-feira, 31 de maio, as inscrições para o Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea 2019. Em sua terceira edição, a premiação busca estimular a produção das artes visuais contemporâneas no Rio Grande do Sul, com a missão de dar apoio e incentivo para artistas em início de carreira. O evento é uma realização da Aliança Francesa Porto Alegre e Ministério da Cidadania através da Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Timac Agro e apoio do Centre Intermondes e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

Para se inscrever, é preciso morar no Rio Grande do Sul. Cada participante pode concorrer com até três obras. Podem participar da seleção as seguintes artes visuais contemporâneas: pintura, gravura, desenho, serigrafia, fotografia, escultura, grafite, vídeo arte, arte performática, vídeo, transmídia e instalação. Os interessados devem fazer sua inscrição no site da Aliança Francesa de Porto Alegre (www.afpoa.com.br), onde podem encontrar o regulamento completo e a ficha de inscrição.

O melhor trabalho será premiado com uma residência artística de dois meses no Centre Intermondes, em La Rochelle, na França, com passagem e alojamento incluídos, um prêmio em dinheiro no valor de R$ 8.000,00 como incentivo à produção do artista, ajuda de custo para o período da estadia em La Rochelle de R$ 3.000,00, além de uma  bolsa de estudos na Aliança Francesa Porto Alegre. A residência está programada para os meses de agosto e setembro de 2019.

O segundo e o terceiro lugar também serão premiados com bolsas de estudo na Aliança Francesa de Porto Alegre. Em 2018, os vencedores foram David Ceccon (1º lugar), Marcelo Armani (2º lugar) e Manoela Cavalinho (3ª colocação).

Ao todo, dez trabalhos serão selecionados. A lista de artistas participantes e os três primeiros lugares será divulgada em 19 de junho. As obras serão expostas em uma Mostra Coletiva, programada para 23 de julho no Porão do Paço Municipal da Prefeitura de Porto Alegre.  A exposição seguirá em cartaz com entrada franca até 04 de outubro.

correiodopovo_26.03.19

Inscrições abertas para o 3º Prêmio AF de Arte Contemporânea

Post FB IG

Premiação apresentada pelo Ministério da Cidadania e Aliança Francesa Porto Alegre oferece dois meses de residência artística no Centre Intermondes, na França

Porto Alegre, 20 de março de 2019 – Estão abertas as inscrições para o Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea 2019. Em sua terceira edição, a premiação busca estimular a produção das artes visuais contemporâneas no Rio Grande do Sul, com a missão de dar apoio e incentivo para artistas em início de carreira. As inscrições estão abertas de 19 de março a 31 de maio de 2019.

Para se inscrever, é preciso morar no Rio Grande do Sul. Cada participante pode concorrer com até três obras. Podem participar da seleção as seguintes artes visuais contemporâneas: pintura, gravura, desenho, serigrafia, fotografia, escultura, grafite, vídeo arte, arte performática, vídeo, transmídia e instalação. Os interessados devem fazer sua inscrição no site da Aliança Francesa de Porto Alegre (www.afpoa.com.br), onde podem encontrar o regulamento completo e a ficha de inscrição.

O melhor trabalho será premiado com uma residência artística de dois meses no Centre Intermondes, em La Rochelle, na França, com passagem e alojamento incluídos, um prêmio em dinheiro no valor de R$ 8.000,00 como incentivo à produção do artista, ajuda de custo para o período da estadia em La Rochelle de R$ 3.000,00, além de uma  bolsa de estudos na Aliança Francesa Porto Alegre. A residência está programada para os meses de agosto e setembro de 2019.

O segundo e o terceiro lugar também serão premiados com bolsas de estudo na Aliança Francesa de Porto Alegre. Em 2018, os vencedores foram David Ceccon (1º lugar), Marcelo Armani (2º lugar) e Manoela Cavalinho (3ª colocação).

Ao todo, dez trabalhos serão selecionados. A lista de artistas participantes e os três primeiros lugares será divulgada em 19 de junho. As obras serão expostas em uma Mostra Coletiva, programada para 23 de julho no Porão do Paço Municipal da Prefeitura de Porto Alegre.  A exposição seguirá em cartaz com entrada franca até 04 de outubro.

Essa é a terceira edição do prêmio no Rio Grande do Sul, que é realizado pela Aliança Francesa de Porto Alegre e pelo Ministério da Cidadania por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Rouanet), com patrocínio da Timac Agro e apoio do Centre Intermondes e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

Aliança Francesa Porto Alegre promove programação gratuita em comemoração ao Dia Internacional da Francofonia

Nina Rouge - creditos Fabio Alt 2018

Diversas atividades ocorrem na sede Moinhos de Vento, a partir de sexta, 15 de março

 

Porto Alegre, 12 de março de 2019 – Para celebrar a volta às aulas e o Dia Internacional da Francofonia, comemorado mundialmente no dia 20 de março, a Aliança Francesa  Porto Alegre promove, a partir desta sexta-feira, 15 de março, diversas atividades gratuitas na sede Moinhos de Vento.

Em cartaz de 15 de março a 24 de maio, a exposição O mundo é minha pátria: a migração haitiana e senegalesa no Brasil propõe um olhar diferente sobre a realidade do RS que, nos últimos anos, recebeu haitianos e senegaleses que tentam se integrar à realidade brasileira. Os fotógrafos Diego Vara, Mateus Bruxel e Tadeu Vilani acompanharam durante dois anos o dia a dia e os desafios desses migrantes que vieram ao Brasil na busca por um futuro.

O resultado desse trabalho fotográfico dá espaço para a discussão das políticas migratórias em terras brasileiras. A língua francesa ressoa hoje com novos sotaques no sul do Brasil. O objetivo desta exposição é mostrar a diversidade dos mundos francófonos, mas, também, mostrar os obstáculos enfrentados diariamente por homens e mulheres que buscam uma vida melhor.

Também no dia 15, às 19h, com realização da AFPOA e Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, e patrocínio da Timac Agro, a sede Moinhos de Vento abre as portas para receber a jornalista, produtora cultural e DJ Nanni Rios com um set muito especial de boas-vindas. Nanni convida o público a uma viagem pela música brasileira de todas as épocas: da Tropicália à novíssima MPB, passando por Bossa Nova, carimbó e manguebeat, tudo temperado com o que há de mais dançante na música francesa contemporânea.

No sábado, 16 de março, às 17h, a  AFPOA  recebe o público para uma tarde de Chanson Francesa, com atrações muito especiais: Nina Rouge, Daniel Debiagi e Philipe Philippsen, vencedores das edições 2018, 2015 e 2013 do Festival da Canção Francesa se apresentam acompanhados dos músicos Jackson Spindler (teclado), Bruno Vargas (baixo) e Otávio Moura (bateria).

Nina foi a grande vencedora da edição 2018 do Festival, onde levou o título nacional em novembro do ano passado. Daniel é cantor e compositor, foi vice-campeão na final nacional do 8º Festival, e recentemente lançou seu primeiro álbum, “Sem Chover em Teus Olhos”. Philipe Philippsen é ator, músico e artista de rua. Em 2013 venceu a etapa RS e em 2018 levou o segundo lugar.

Todas as atividades têm entrada franca. A Aliança Francesa Porto Alegre Sede Moinhos de Vento fica na rua Dr. Timóteo, 752. Mais informações (51) 3222-6070 | recepcao@afpoa.com.br |  (51) 98427-9742

 

 

Dia Internacional da Francofonia

A Francofonia é uma das grandes áreas linguísticas mundiais. Não se limita a um idioma em comum, dado que é também fundamentada na partilha dos valores humanistas que foram veiculados pela língua francesa. São os dois pilares sobre os quais está alicerçada a Organização Internacional da Francofonia.

Criada em 1970, a Organização Internacional da Francofonia (OIF) tem por missão dar corpo a uma solidariedade ativa entre os 80 Estados e governos que a compõem (57 membros e 23 observadores) – ou seja, mais de um terço dos Estados membros das Nações Unidas -, totalizando uma população de mais de 890 milhões de pessoas, 274 milhões das quais são francófonas.

 

Língua francesa

  • Há 300 milhões de francófonos no mundo.

Estima-se em 300 milhões o número de francófonos no mundo, 72 milhões dos quais são locutores francófonos parciais.

  • O francês é a 5ª língua mais falada do planeta e a única, com o inglês, a ser falada nos cinco continentes.
  • É a 2ª língua de negócios no espaço europeu e a 3ª no mundo.
  • O francês é a 4ª língua na Internet.

 

A Francofonia

  • OIF: 88 Estados e governos – A Organização Internacional da Francofonia (OIF) agrupa 88 Estados e governos (dos quais, 27 observadores), repartidos pelos cinco continentes.
  • Francofonia: um bilhão e meio de habitantes – Os 88 Estados e governos da OIF totalizavam um bilhão e meio de habitantes, ou seja, 16% da população mundial.
  • OIF : mais de um terço dos Estados membros da ONU Os 84 Estados e governos da Organização Internacional da Francofonia representam mais de um terço dos membros das Nações Unidas.
  • Em 32 Estados e governos membros ou observadores da OIF, o francês é língua oficial, sozinho ou juntamente com outras línguas.
  • Espaço francófono: 20% do comércio mundial de mercadorias
  • Há 900 000 professores de francês no mundo
  • 125 milhões de pessoas em situação de aprendizagem que envolve o francês
  • 60% dos francófonos têm menos de 30 anos
  • 55% de francófonos na África

Fonte: Site Oficial da Organização Internacional da Francofonia

 

Sobre a Aliança Francesa

A Aliança Francesa está presente no Brasil desde 1885 e é o único curso de ensino da língua francesa reconhecido pelo Ministério da Educação Nacional francês. Seu primeiro centro foi fundado no Rio de Janeiro, apenas dois anos após a criação da sede, em Paris.

Há mais de 50 anos promovendo a língua e a cultura francesas em Porto Alegre, a Aliança Francesa é uma associação sem fins lucrativos, registrada sob o nome de Centro Franco-Brasileiro, reconhecida de utilidade pública pelo decreto estadual nº 22 524 de 13/07/73 e pelo decreto municipal nº 3816 de 23/11/73.

A Aliança Francesa de Porto Alegre propõe cursos para todas as idades e níveis, inclusive nas épocas de férias, com professores especializados e total apoio pedagógico.

Para os adultos, além do curso de francês – com diferentes cargas horárias e novas turmas a cada mês – há diversos cursos específicos e ateliês culturais.

Por fim, única credenciada a realizar os exames para obtenção dos diplomas de proficiência linguística DELF e DALF, é também centro de aplicação de testes e exames internacionalmente reconhecidos.

Em parceria com os agentes culturais gaúchos, a Aliança Francesa organiza durante todo o ano espetáculos de teatro, de circo e de dança contemporânea, mostras de artes plásticas e de cinema, concertos de música erudita e shows de música popular. Também recebe palestrantes da França e de países de língua francesa.

Unidade Moinhos

Rua Dr. Timóteo, 752, Moinhos de Vento | CEP: 90570-040 | Porto Alegre – RS

(51) 3222-6070 | recepcao@afpoa.com.br |  (51) 98427-9742

Pano Pop lança coleção de peças com imagens de cinco cidades

16-02 story 01

 

Marca desenvolve coleções-cápsula com estampas de Porto Alegre desde 2014; Coleção Cidades traz imagens de Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo, Londres e Nova York a partir desta quinta, 14 de fevereiro

 

Após o sucesso da coleção Porto Alegre Pano Pop, a marca portoalegrense lança a coleção-cápsula “Cidades”, que estará disponível na loja a partir desta quinta, 14 de fevereiro. Com estampas de imagens clicadas pelo sócio da marca, Chico Lisboa, a linha possui apenas 30 peças entre vestidos, blusas e camisetas de Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo, Londres e  Nova York.

A ideia da coleção com imagens da cidade surgiu em 2014, durante a Copa do Mundo, como uma opção de presente para os visitantes. Desde então, a empresa produz coleções-cápsula de vestuário. “Esse projeto veio com o objetivo de mostrarmos um ponto de vista que muitas vezes passa batido por quem vive aqui, e deixa de ver beleza onde vive. Temos cartões postais lindos em Porto Alegre e essa é uma maneira de redescobrir a cidade”, revelam os proprietários da marca com sede no Bom Fim. Agora é a vez de lugares fora do Estado: “são locais que gostamos  muito de visitar e que renderam ótimos cliques”.

Toda a linha de produção ocorre localmente, desde o desenvolvimento das imagens e curadoria de Chico e Simone Martins, também sócia, passando por modelagem, corte e finalização das peças. “Gostamos de ressaltar que tudo é feito aqui, ou no nosso escritório ou em fornecedores próximos, da ideia ao produto final”, contam.

“Valorizamos a questão da peça única, já que temos uma produção praticamente on demand. Cada imagem vai apenas para uma peça de cada modelo, o que mantem a exclusividade e originalidade”.

A Pano Pop funciona de segunda sábado, das 10h às 19h, na Rua Fernandes Vieira, 656. Para mais informações, acesse: facebook.com/redepanopop | @panopop

 

Sobre a marca

A Pano Pop foi fundada em 2013 por Simone Martins e Chico Lisboa, desenvolvendo peças com estampas exclusivas em vestuário feminino, masculino e infantil além de peças de decoração. A loja conta com acessórios e calçados, sempre valorizando produtores locais e regionais. Sua sede na Rua Fernandes Vieira também conta com o Studio Leo Zamper Bom Fim, duas marcas unidas em um único espaço a serviço da beleza, moda e lifestyle no bairro mais descolado da cidade.

 

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑