Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

mês

novembro 2018

correiodopovo_25.11.18.jpg

5º Kino Beat apresenta Cornucópia Sunset no dia 01 de dezembro no Vila Flores

OKO DJ Photo 3

Evento reúne artistas locais e internacionais, com destaque para DJ Oko (França)

 

Porto Alegre, 25 de novembro de 2018 – O Vila Flores recebe neste sábado, 01 de dezembro, das 16h às 20h, shows de Saskia, DJ Oko (França), Repetentes 2008 (RJ) e M. Takara (SP), integrando a Cornucópia Sunset do 5º Festival Kino Beat. O evento tem patrocínio master da Oi e patrocínio Stella Artois, apoio cultural do Oi Futuro, com financiamento Pró-Cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul.

No meio do caminho entre um concerto e uma festa, a Cornucópia Sunset propõe uma tarde/noite de abundância de ritmos, tempos e sonoridades. O percurso musical parte da introspecção instrumental, se desenrola em poesia com beats lo-fi, abre a pista com disco music brasileira robotizada, e acaba numa miscelânea de sons globais feitos para dançar. Cornucópia é um símbolo representativo da abundância. Na mitologia greco-romana era representada por um vaso em forma de chifre, com uma abundância de frutas e flores.

A programação no Vila Flores inicia com show do paulistano M. Takara, que apresenta “Música Resiliente Para Pessoas e Lugares”, um registro que retrata as amizades e colaborações com nomes como Joe Lally, Nathan Bell, Tim Kerr e Hanna Olivegren, que ele conheceu mais de perto durante passagem desses artistas pelo Brasil.

Às 17h a cantora gaúcha Saskia apresenta o melhor de sua produção musical, em uma performance potente que não se permite encaixar em um único estilo musical. A irreverente compositora utiliza a música não apenas como uma válvula de escape, mas também para abordar questões particulares da vida na metrópole.

Na sequência, o produtor musical Repetentes 2008, do Rio de Janeiro, um dos mais ambiciosos projetos da música eletrônica brasileira, apresenta músicas influenciadas pela cultura digital e o Vaporwave.

Encerrando a programação no Vila Flores, às 19h, a francesa DJ Oko apresenta repertorio eclético com sons contemporâneos e futuristas, passando pela música dos anos 1980. A apresentação de OKO está sendo realizada em parceria com a Aliança Francesa de Porto Alegre e Institut Français, e conta com o patrocínio da TIMAC Agro e financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Ministério da Cultura – Governo Federal. Mais informações: facebook.com/kinobeat |kinobeat.com | Instagram @kinobeatfestival

Takara (SP)

“Música Resiliente Para Pessoas e Lugares” é um registro que retrata as amizades e colaborações do paulistano Mauricio Takara (baterista do Hurtmold) com nomes como Joe Lally, Nathan Bell, Tim Kerr e Hanna Olivegren, que conheceu mais de perto durante passagem desses artistas pelo Brasil. “Música Resiliente…” tenta, em um momento de confusões geopolíticas e ondas de separatismo, celebrar o lado humano e congregante da criação musical, por meio de uma viagem do brasileiro por algumas cidades americanas, em que reencontra essas parcerias e conexões. O resultado é uma música viva e espontânea, na qual prevalece o uso de improvisos e conversas sonoras entre instrumentos de corda, percussão e vozes, com atmosferas e espaço para cores diversas. Ficha técnica: M.Takara (voz, eletrônicos, percussões). Duração: 45 min.

Saskia (Porto Alegre)

Saskia apresenta o melhor de sua produção musical, em uma performance potente que não se permite encaixar em um único estilo musical. A compositora transborda irreverência utilizando a música não apenas como uma válvula de escape, mas também para abordar questões particulares da vida na metrópole. Com 22 anos e natural de Porto Alegre, Saskia grava músicas desde 2010. Compositora, cantora e produtora musical, já lançou suas tracks pelo grupo de artistas negros NON International, além de ser membra da Coletividade.NÁMÍBIÀ, grupo afrobrasileiro de música, arte e performance. Suas gravações lofi utilizam poucos recursos e intercalam linhas melancólicas de guitarra e teclado orgânicos com beats pegados eletrônicos e plásticos que transitam entre o trap, o indie e o folk. SASKIA empodera-se enquanto mulher negra e periférica e lança seu primeiro álbum físico em 2019 pelo projeto Natura Musical. Ficha técnica: Composição, Produção e Performance Musical: Saskia Peter Produção Executiva: Bruna Anele e Gabriela Marluce https://soundcloud.com/salnasalada

Repetentes 2008 (RJ)

O fascínio pela década de 1980/90 e a maneira única como Gabriel Guerra consegue retratar a cultura digital dessa época são algumas das principais razões pelas quais Repetentes 2008 é um dos mais ambiciosos projetos da música eletrônica brasileira. Longe de qualquer estereótipo que o Vaporwave possa ter proposto, suas músicas sintetizam muito além de sonoridades e timbres, mas a sensação de estar vivendo uma espécie de Zeitgeist que permeia pelos arcade games, comerciais da loja Mapping e vinhetas Hans Donner. https://soundcloud.com/repetentes2008

Oko DJ (França)

OKO DJ, sob seu nome real Marine, tem sido elogiada pelo ecletismo e pela qualidade de suas seleções, quebrando barreiras entre gêneros e ritmos. De sons contemporâneos e futuristas a música dos anos 80, da música corporal fria a atmosferas exóticas, os sets do OKO DJ são marcados por um sabor e liberdade únicos. http://shapeplatform.eu/artist/oko-dj/

A apresentação de OKO está sendo realizada em parceria com a Aliança Francesa de Porto Alegre e Institut Français, e conta com o patrocínio da TIMAC Agro e financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Ministério da Cultura – Governo Federal.

Cornucópia Sunset

01 de dezembro
Das 16h às 22h
Vila Flores – R. São Carlos, 753 – Floresta, Porto Alegre
Entrada franca

Sobre o Kino Beat

O Kino Beat é um Festival de música, performances audiovisuais multimídia e artes integradas. A partir dos pilares, imagem (Kino) e som (Beat), apresenta artistas e atividades multidisciplinares, que utilizam de diversos modos as tecnologias no processo criativo de suas obras. O experimental, o sensorial e a imersão, são premissas para composição do seu programa, que se espalha pela cidade, ocupando teatros, galerias, museus, espaços culturais e casas noturnas. Diluindo fronteiras entre linguagens e gêneros, as atrações de natureza híbrida, são apresentadas em diversos formatos, transitando entre shows musicais, performances audiovisuais, exposições, oficinas, seminário, mostras de filmes e festas.

 

12ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos chega a Porto Alegre e Viamão no dia 04 de de dezembro

Lucio Flávio 2

Porto Alegre, 23 de novembro de 2018 – A 12ª Edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos chega a Porto Alegre e Viamão no dia 04 de dezembro, com sessões gratuitas no Sesc Viamão e Cinemateca Capitólio Petrobras, além de exibições itinerantes mediante agendamento.  Este é o quinto ano consecutivo que o evento conta com produção local da Primeira Fila Produções,.

Em 2018, aDeclaração Universal dos Direitos Humanos completa 70 anos de existência e é o tema do festival. A mostra será realizada nos meses de novembro e dezembro nas 26 capitais do país e no Distrito Federal e a programação é totalmente gratuita.  Ao todo, serão exibidos 40 filmes, divididos em 4 mostras: Temática, Panorama, Mostrinha, dedicada ao público infanto-juvenil, e Homenagem, que celebra a carreira do ator e diretor Milton Gonçalves. A mostra é uma iniciativa do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), com realização do Instituto Cultura em Movimento (ICEM).

Os filmes abordam as diversas temáticas dos Direitos Humanos, como memória e verdade, questões de gênero, população negra, população indígena, população LGBT, imigrantes, direito das pessoas com deficiência, direito da criança, direito dos idosos, direito da mulher, direito à saúde, direito à educação, diversidade religiosa e meio ambiente.  Para permitir a acessibilidade, todas as sessões contam com closed caption, e em sessões selecionadas haverá áudio descrição e Libras. Os espaços onde ocorrem as exibições também possuem estrutura acessível para receber os diferentes públicos, além de contar com a programação em Braille para consulta.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos surgiu em 1948 como um grito de liberdade e o clamor por respeito, contra o fascismo e as milhões de mortes da 2ª Guerra Mundial. Segundo a Diretora de Promoção e Educação em Direitos Humanos do MDH, Juciara Rodrigues, a Mostra promove ações públicas que transcendem governos, por isso já está em sua 12ª edição. “Trata-se de uma revolução silenciosa e maravilhosa. Vai até as pessoas para mostrar a elas a importância de ser cidadão e do respeito ao próximo. Chega até elas levando educação amorosa e libertária, para que possam refletir qual o nosso papel no mundo. É uma forma de lutar e resistir a qualquer tipo de opressão, de objeção em relação ao exercício da nossa cidadania e direitos.”, diz Juciara.

Para instituições,  grupos e escolas que tenham interesse em receber a itinerância da Mostra ou participar das sessões programadas, os agendamentos devem ser feitos pelo email contato@primeirafilaproducoes.com.br ou através do telefone 51 982980541 até 30 de novembro. O evento ocorre nos dias 04, 05, 06, 07, 11, 13 e 14 de dezembro. Mais informações, acesse: facebook.com/mostradecinemaedireitoshumanosnomundors

Lau Patrón lança 71 Leões, pela editora Belas Letras com sessão de autógrafos no sábado, 01 de dezembro, em São Paulo

Giselle Sauer III

Um relato intenso e sincero dos 71 dias em que autora morou no hospital junto com o filho João Vicente, diagnosticado com síndrome raríssima e autoimune. Uma história sobre afeto, dor e renascimento que chega às principais livrarias do país em novembro

 

Livro à venda pelo site https://belasletras.com.br/produto/71-leoes/

 

No sábado, 01 de dezembro, o público de São Paulo poderá participar do lançamento do livro “71 Leões”, de Lau Patrón, que contará com sessão de autógrafos na Livraria da Vila da rua Fradique Coutinho. Nas livrarias, a publicação pode ser adquirida pelo site https://belasletras.com.br/produto/71-leoes/.

“Esse livro é a minha montanha-russa particular e um convite para as pessoas entrarem comigo nela. Um convite de autoconhecimento, de reflexão. E espero que possa tocar e auxiliar, de alguma forma, outras histórias.” Nas palavras da autora Lau Patrón, 71 Leões é mais do que um livro sobre sua experiência com a maternidade. “É um livro sobre dor e amor. Todos os sentimentos complexos e às vezes incoerentes que fazem parte dos nossos processos de transformação.”

Nascida em Porto Alegre, filha de pai uruguaio e mãe gaúcha, a publicitária Lau tinha 25 anos quando seu filho João Vicente – o leãozinho, como ela chama desde a gestação – então com um ano e oito meses de idade, foi diagnosticado com a Síndrome Hemolítica Urêmica atípica, uma condição rara, genética, que causa falhas no sistema imunológico. Em meio a uma crise da doença, ele teve um AVC isquêmico que deixou sequelas motoras.

A jovem, que nunca havia almejado a maternidade, viu sua vida se transformar de maneira repentina. Em um dia ela acompanhava o filho correndo e brincando feliz no parque e, no outro, percebia os primeiros sinais da doença, que o levaria até quase a morte. Foi quando a vida virou do avesso. João recebeu um diagnóstico grave e um prognóstico desesperador, e Lau descobriu que o amor é o grande norteador de escolhas, e que força é o que fazemos a partir daquilo que dói.

Desde então, ela buscou possibilidades de tratamento, investiu em diversos tipos de terapia e hoje o menino já senta sozinho, desenha, voltou a movimentar as mãos e fica até de pé – resultados jamais esperados na época. Durante todo esse período, Lau mobilizou muitas pessoas, por meio de campanhas na internet. A página no Facebook “Avante Leãozinho” (facebook.com/avanteleaozinho) possui mais de 19 mil seguidores; e a autora já foi tema de diversas reportagens na imprensa nacional, e recentemente, participou do Tedx Unisinos, com um recorde de visualizações do vídeo de sua fala: https://www.youtube.com/watch?v=9eyCmr7At04&feature=youtu.be

Em 71 Leões, lançado pela Editora Belas Letras, que chega às principais livrarias do país em novembro, a autora narra os 71 dias que viveu no hospital ao lado do filho; 50 deles na UTI. Em formato de diário, o livro intercala cartas da mãe para o filho, relatos autobiográficos da vida de Lau, com a sequência dos acontecimentos, dia após dia, que iniciaram no dia 14 de outubro de 2013, quando João foi internado, até o dia 23 de dezembro daquele ano, quando recebeu alta.

Com narrativa potente, a autora compartilha cada detalhe íntimo e profundo da complexidade daqueles dias, transportando o leitor às paredes frias do hospital e ao ambiente hostil que pode ser uma UTI. Lau gravou a própria experiência, fazendo relatos diários em áudio de tudo o que ia acontecendo. A inspiração para essa narrativa veio a partir do filme Elena (2012), da atriz e cineasta brasileira Petra Costa.

Com 71 Leões pronto, Lau entrou em contato com a cineasta, que aceitou o convite e escreveu a apresentação do livro. “O livro provoca espasmos. Espasmos de choro, riso, espasmos de reconhecimento. Daquilo que escondíamos de nós mesmos. Uma travessia da qual saímos do outro lado mais vivos. E mais alegres também. Hoje agradeço Elena por me levar à Lau. A me conectar com uma mulher que, com apenas 30 anos, carrega a potência de ser uma das grandes autoras do nosso tempo”, escreveu Petra.

“71 Leões são linhas que falam de dor e de amor – e eu ainda não conheci coisas mais universais que isso”, conclui.

 

Lau Patrón

Lau Patrón nasceu em Porto Alegre em 1988, meio uruguaia e meio brasileira. Trabalhou como produtora audiovisual e publicitária durante bons anos, antes de se tornar mãe do João Vicente. Faz três anos que criou a página Avante Leãozinho, onde divide suas reflexões sobre inclusão, além de acolher outras famílias. Vem desenvolvendo mais projetos nesse sentido, é uma palestrante TEDx, odeia a palavra “superação”, e acredita apenas na mudança que passa pelo afeto. Ela não é só uma publicitária, mãe ou mulher latino-americana feminista. Em seu microcosmo, Lau é um universo todo. E como tal, tem suas próprias leis: escrever é uma delas. Pelos cotovelos – histórias, poesias, crônicas que vem guardando na gaveta há anos. 71 Leões é seu primeiro livro.

 

71 Leões: Uma história sobre afeto, dor e renascimento

 

Laura Patrón

ISBN: 9788581744544

Família/Maternidade

Autoajuda/ Autobiografia

Número de páginas: 192

Formato: 15x21cm

Editora: Belas Letras

Preço de capa: 39,90

Peso (em Kg): 0,500

 

Sinopse

Em um domingo de sol, a publicitária Lau Patrón corria pelo parque tentando alcançar o seu filho João Vicente, um menininho alegre e destemido de um ano e meio, que ela sempre chamou de Leãozinho. No outro dia, assistia ele sofrer uma crise violenta e misteriosa. Um fio de vida escorrendo para longe do seu colo de mãe. E tudo virou do avesso. Diagnosticado com uma síndrome raríssima, João estava morrendo. Este livro é um diário intenso e sincero dos setenta e um dias que Lau morou no hospital, muitos ao lado de seu filho em coma em um box de UTI, esperando a vida ou a morte. Um relato comovente e poderoso onde Lau nos dá uma dimensão real das pessoas, das emoções fluidas, da não existência de heróis. Do amor, como fonte de escolhas. Do olhar para a dor, sem medo, e com alguma ternura. De não matar leões por dia e, sim, recebê-los com reverência. Um por dia, um a mais na matilha. Para avançar. Para ir avante.

 

LANÇAMENTO 71 LEÕES EM SÃO PAULO

Quando: 01 de dezembro, sábado

Horário: 15h às 18h

Local: Livraria da Vila – Fradique Coutinho – Térreo (R. Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena)

Entrada gratuita

Kino Beat promove estreia de espetáculo multimídia, performances e show da banda paulista Hurtmold

05_HRTMLD_Cover_AndreCalvente

Tema da Abundância orienta a linha curatorial do festival de música, performances audiovisuais e multimídia e artes integradas que ocorre até 13 de janeiro de 2019

 

Porto Alegre, 21 de novembro de 2018 – Com atividades programadas até 13 de janeiro de 2019, Porto Alegre recebe a quinta edição do Kino Beat, festival de música, performances audiovisuais multimídia e artes integradas. Em um cenário de crise política, econômica e ideológica, o evento resiste, celebra e apresenta uma programação que reúne formatos de atividades já consagradas nas edições anteriores e lança propostas inéditas. O Kino Beat tem patrocínio master da Oi e patrocínio Stella Artois, apoio cultural do Oi Futuro, com financiamento Pró-Cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul.

Na próxima sexta-feira, 23 de novembro, às 20h, o Teatro do Sesc recebe a estreia do espetáculo multimídia inédito “Tudo Nasce de uma Ferida Íntima”, produzido especialmente para o evento. Desenvolvido de forma colaborativa e horizontal por Mirna Spritzer, Isabel Nogueira e Gabriel Cevallos, conta com desenho de luz de Mirella Brandi. Duas mulheres em cena. Construída apenas com registros de autoras, a dramaturgia de “Tudo Nasce” é formada por textos líricos, reportagens, entrevistas, textos escritos especialmente pra ocasião, áudios de Marielle Franco e Angela Davis, além de trechos do filme ”Um corpo feminino”, de Thais Fernandes. Uma performance de palavras, vozes, sons e luz, em remix de gestos e vozes de mulheres.

Na quarta-feira, 28 de novembro, às 20h, é a vez de Luciano Zanatta, Isabel Nogueira, Chico Machado e Alessandra Bochio apresentarem suas performances no Lugar. O LUGAR é um espaço de investigação artística compartilhado por Chico Machado, Isabel Nogueira, Luciano Zanatta, Alessandra Bochio e Felipe Merker Castellani. Os artistas apresentação parte de sua produção atual, trazendo o entrelaçamento de sonoridades, vídeos e objetos sonoros inusitados.

 “Estes artistas, que trabalham tanto individualmente como em parceria, comungam da busca por experimentações que chegam a transgredir os limites ou bordas tradicionais destas diversas linguagens artísticas, gerando também a necessidade da criação de conceitos e nomenclaturas que acompanhem esta investigação”, revela Gabriel Cevallos, curador do Kino Beat. Utilizando-se tanto de alta como de baixas tecnologias, a inventividade aparece em seus trabalhos tanto nos processos compositivos e de criação como nos modos de tocar os aparelhos e instrumentos que utilizam. Desejosos da necessidade de inventar instrumentos e modos operacionais que, se não são novos, são pouco usuais, estes artistas pesquisadores (todos artistas/professores de cursos de arte de universidades federais do Rio Grande do Sul) transitam entre as artes visuais, a música, o vídeo e a arte sonora, gerando performances com uma abundância de estímulos multissensoriais.

Encerrando o primeiro mês de programação do 5º Kino Beat, o sexteto paulistano Hurtmold chega pela primeira vez em Porto Alegre com seu show comemorativo de 20 anos de carreira, na sexta-feira, 30 de novembro, às 20h, no Theatro São Pedro. O Hurtmold foi formado em 1998 na cidade de São Paulo São Paulo pelos amigos Mauricio Takara, Guilherme Granado, Marcos Gerez, Mário Cappi e Fernando Cappi. A banda vem se apresentando pelo Brasil e exterior e lançando discos desde então. Em 2003, Rogério Martins se integra ao Hurtmold.

Uma banda de rock mas com diversas outras referências (musicais ou não), e que ao longo do tempo foi se firmando como um dos principais nomes do cenário da música alternativa e instrumental no Brasil. Com 7 discos lançados, o Hurtmold já dividiu o palco com músicos como o norte-americano Rob Mazurek, o brasileiro Paulo Santos (Uakti) e o suiço Thomas Rohrer. Individualmente seus integrantes colaboraram com os artistas Naná Vasconcelos, Pharoah Sanders, Bill Dixon, Roscoe Mitchell, Toninho Horta, Prefuse 73, Dan Bitney (Tortoise), Joe Lally (Fugazi), Mike Ladd, High Priest, entre outros

Todas as atividades são gratuitas, com distribuição de senhas a partir das 19h no dia do evento no Teatro do Sesc e Lugar e às 13h do dia 30 na bilheteria do Theatro São Pedro. Mais informações: facebook.com/kinobeat |kinobeat.com | Instagram @kinobeatfestival

Tudo nasce de uma ferida íntima (Espetáculo multimídia)

23 de novembro no Teatro do Sesc, às 20h – distribuição de senhas a partir das  19h

O Kino Beat tem o histórico de incentivo à criação e desenvolvimento de shows e espetáculos inéditos para compor a sua programação. Para esta edição o espetáculo Tudo nasce de uma ferida íntima, foi desenvolvido de forma colaborativa e horizontal por Mirna Spritzer, Isabel Nogueira e Gabriel Cevallos. Participação especial de Thais Fernandes com o curta-metragem “Um corpo feminino” e deseho e luz de Mirella Brandi.

Sons, poesia de sons e música. Música de palavras e gestos. Remix de ser muitas mulheres. Universo de sensações. Dor e prazer. Som e fúria. Fragmentos de entrevistas, depoimentos, poesia e escritas pessoais. Tudo nasce de uma ferida íntima. Cinema e luz projetando corpos femininos. Duas mulheres em cena. Outras tantas nas vozes e imagens. Um quebra-cabeças em loop. Em cena, o sentimento, o ruído, a celebração de ser agora.

Textos: Angélica Freitas, Cássia Pinto, Daniela Delias, Eliane Brum, Isabel Nogueira, Mirna Spritzer, Dea Trancoso, Sophia de Mello Breyner Andresen, Wislawa Symborska e Xoxotas de Pelotas.  Entrevistas de Angélica Lidell e Debora Noal

 

Luagáricos no Lugar: Performances de Luciano Zanatta, Isabel Nogueira, Chico Machado e Alessandra Bochio

28 de novembro às 20h – Performances dos 4 residentes do atelier/studio LUGAR – distribuição de senhas a partir das 19h

O LUGAR é um espaço de investigação artística compartilhado por Chico Machado, Isabel Nogueira, Luciano Zanatta, Alessandra Bochio e Felipe Merker Castellani. Nesta noite de performances estes artistas vão apresentar parte de sua produção, trazendo o entrelaçamento de sonoridades, vídeos e objetos sonoros inusitados.

Estes artistas, que trabalham tanto individualmente como em parceria, comungam da busca por experimentações que chegam a transgredir os limites ou bordas tradicionais destas diversas linguagens artísticas, gerando também a necessidade da criação de conceitos e nomenclaturas que acompanhem esta investigação. Utilizando-se tanto de alta como de baixas tecnologias, a inventividade aparece em seus trabalhos tanto nos processos compositivos e de criação como nos modos de tocar os aparelhos e instrumentos que utilizam. Desejosos da necessidade de inventar instrumentos e modos operacionais que, se não são novos, são pouco usuais, estes artistas pesquisadores (todos artistas/professores de cursos de arte de universidades federais do Rio Grande do Sul) transitam entre as artes visuais, a música, o vídeo e a arte sonora, gerando performances com uma abundância de estímulos multissensoriais, cujos resultados podem ser apreciados nesta noite performática.

Ficha técnica: Com Alessandra Bochio, Chico Machado, Felipe Merker Castellani, Isabel Nogueira e Luciano Zanatta.

Manipulação de softwares, hardwares, câmeras de vídeo, vídeo-projeção e objetos sonoros.

Duração: 90 minutos

 

HURTMOLD – 20 ANOS (São Paulo)

30 de novembro às 20h – Theatro São Pedro  – distribuição de senhas a partir das 13h

Pela Primeira vez em Porto Alegre, o sexteto paulistano Hurtmold chega para o Festival Kino Beat com seu show comemorativo de 20 anos de carreira.
O Hurtmold foi formado em 1998 na cidade de São Paulo São Paulo pelos amigos Mauricio Takara, Guilherme Granado, Marcos Gerez, Mário Cappi e Fernando Cappi. A banda vem se apresentando pelo Brasil e exterior e lançando discos desde então. Em 2003, Rogério Martins se integra ao Hurtmold.
Uma banda de rock mas com diversas outras referências (musicais ou não), e que ao longo do tempo foi se firmando como um dos principais nomes do cenário da música alternativa e instrumental no Brasil. Com 7 discos lançados, o Hurtmold já dividiu o palco com músicos como o norte-americano Rob Mazurek, o brasileiro Paulo Santos (Uakti) e o suiço Thomas Rohrer. Individualmente seus integrantes colaboraram com os artistas Naná Vasconcelos, Pharoah Sanders, Bill Dixon, Roscoe Mitchell, Toninho Horta, Prefuse 73, Dan Bitney (Tortoise), Joe Lally (Fugazi), Mike Ladd, High Priest, entre outros

HURTMOLD
Fernando Cappi – guitarra
Guilherme Granado – teclado, sinth
Marcos Gerez – baixo
Mário Cappi – guitarra
Mauricio Takara – bateria e trompete
Rogério Martins – percussão e clarone

Endereços:

TEATRO DO SESC  Av. Alberto Bins, 665 – Centro

LUGAR Subsolo, Av. Independência, 745 – Independência

THEATRO SÃO PEDRO Praça Mal. Deodoro, S/N – Centro Histórico

Sobre o Kino Beat

Kino Beat é um Festival de música, performances audiovisuais multimídia e artes integradas. A partir dos pilares, imagem (Kino) e som (Beat), apresenta artistas e atividades multidisciplinares, que utilizam de diversos modos as tecnologias no processo criativo de suas obras. O experimental, o sensorial e a imersão, são premissas para composição do seu programa, que se espalha pela cidade, ocupando teatros, galerias, museus, espaços culturais e casas noturnas. Diluindo fronteiras entre linguagens e gêneros, as atrações de natureza híbrida, são apresentadas em diversos formatos, transitando entre shows musicais, performances audiovisuais, exposições, oficinas, seminário, mostras de filmes e festas.

Longa-metragem Rasga Coração na coluna de Patrícia Kogut no jornal O Globo de hoje

oglobo_19.11.18.jpg

Das Tripas Sentimento (2018) e Dance a Letra Caetano voltam a cartaz na Casa Cultural Tony Petzhold

TRIPA-789

Macarenando Dance Concept investe em temporada compartilhada para apresentar espetáculos inspirados em Elis Regina e Caetano Veloso

 

A Macarenando Dance Concept terá dupla jornada nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro com a apresentação dos espetáculos “Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano”, às 19h, e “Das Tripas Sentimento (2018)”, às 21h30, na Casa Cultural Tony Petzhold.

Após 18 anos de sua estreia, o espetáculo Das Tripas Sentimento ganhou uma nova versão, estreada em setembro de 2018. Elis Regina é a personagem que inspirou a montagem original e que segue alimentando esta nova versão. Das Tripas Sentimento (2018) objetiva cultivar, através da linguagem da dança, a memória cultural da música brasileira tendo como fonte a forte interpretação da imortal cantora. “A proposta é resgatar o sentimento Elis através do universo poético que o seu canto nos sugestiona. Sua trajetória marcada por atitudes inflamadas de guinadas estéticas (e políticas) radicais e interpretações transcendentes nos leva a refletir sobre o percurso da linha evolutiva da sociedade em que vivemos. E, no momento atual em que se faz urgente ouvir uma das vozes femininas mais importantes desse país, direção e equipe se unem no desafio de realizar este projeto. Em 2000, homenageamos. Em 2018, reivindicamos a VOZ”, declara June.

O título do espetáculo vem de uma frase da artista: “é preciso fazer das tripas sentimento para poder viver neste país”. Nada mais emblemático neste momento em que estamos vivendo. No repertório do espetáculo, 19 canções célebres da carreira de Elis pautam as cenas que contam com a dramaturgia de Gui Malgarizi e pesquisa de Eunice Muniz da Silva.

Para quem assistiu a versão de 2000 de Das Tripas… terá a grata surpresa de reencontrar em cena os bailarinos Diego Mac – filho de June, diretor da Macarenando e que na época iniciava sua carreira artística – Thais Petzhold e Dani Boff que integravam o elenco original da montagem. Acompanham Diego, Thais e Dani os bailarinos Cassandra Calabouço, Denis Gosh, Lu Paludo e Rossana Scorza.

Já “Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano” apresenta um conjunto de coreografias criadas a partir da pesquisa de gestos literais para 30 letras de músicas da obra de Caetano Veloso. A obra é derivada do jogo coreográfico Dance a Letra, que consiste em criar danças a partir da mímica de letras de músicas famosas. O procedimento é desenvolvido pela Macarenando Dance Concept desde 2013 no espetáculo Abobrinhas Recheadas – O Jogo, que explora a relação da dança com o humor e a comédia e é o primeiro Stand-Up Dance Comedy do RS. Em “Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano”, o procedimento Dance a Letra ganha novas camadas por meio do aprofundamento do estudo da literalidade gestual enquanto elemento de composição cênico-coreográfica e da articulação à poética musical de Caetano Veloso.

“Num Brasil pós-Queer-Museu, Caetano Veloso e suas canções iluminam nove bailarinos, dois diretores e uma produtora em um espetáculo. Em um tempo tão partido, cheio de partidas e particionamentos, inundado de intolerância, homofobia, machismo, transfobia, racismo, pós-verdades, vítimas silenciadas e humanos despidos de direitos, louco talvez seja aquele que se pensa inteiro sem a arte e sem o artista. E nós continuamos Macarenando e dançando Caetano ao pé da letra. Se as lágrimas forem salgadas demais, garantimos que a doçura dos risos equilibrará a luta”, afirmam os diretores Diego Mac e Gui Malgarizi.

A Casa Cultural Tony Petzhold estará aberta a partir das 18h durante a temporada, com o bar funcionando, para receber o público e já entrar no clima antes e entre as apresentações, oferecendo drinks e cardápio criados especialmente para os espetáculos. A curta temporada ocorre nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro, com apresentações às 19h (Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano) e às 21h30 (Das Tripas Sentimento 2018). Os ingressos custam R$ 40,00. Valor promocional de R$ 70,00 com ingresso para os dois espetáculos. Ingressos antecipados online ou venda presencial na Loja Imaginarium Iguatemi e Casa Cultural Tony Petzhold. Durante as apresentações, os ingressos estarão à venda uma hora antes do espetáculo. A Casa Cultural Tony Petzhold fica na Avenida Cristovão Colombo, 400. Mais informações: facebook.com/macarenando | (51) 98918 2124

TEMPORADA

30 de novembro, 01 e 02 de dezembro
Às 19h | Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano
Às 21h30 | Das Tripas Sentimento (2018)

LOTAÇÃO: 40 LUGARES

COMBO (ingressos para os 2 espetáculos)

INTEIRA: R$ 70

MEIA: R$ 35 (50% de desconto para professores, estudantes, classe artística e idosos, conforme legislação)

 VALORES

INTEIRA: R$ 40

MEIA: R$ 20 (50% de desconto para professores, estudantes, classe artística e idosos, conforme legislação)

 

COMO COMPRAR

– Online (taxa de conveniência de 10% paga pelo cliente):
https://elisecaetano.eventize.com.br/

 – Presencial:

Loja Imaginarium – Shopping Iguatemi (Av. João Wallig, 1800). Pagamento somente em dinheiro

Casa Cultural Tony Petzhold (Cristóvão Colombo, 400): de segunda a sexta, das 9h às 12h. Pagamento somente em dinheiro.

– Na hora:

1h antes do espetáculo. Pagamento somente em dinheiro

 

EVENTO

https://www.facebook.com/events/1157637451059398/

 

FICHA TÉCNICA: DAS TRIPAS SENTIMENTO

Direção artística e coreográfica: June Machado

Elenco: Cassandra Calabouço, Dani Boff, Denis Gosch, Diego Mac, Lu Paludo, Rossana Scorza, Thais Petzhold

Dramaturgia: Gui Malgarizi

Direção de pesquisa: Eunice Muniz da Silva

Direção de Produção: Sandra Santos
Produção e Cenário: Arthur Bonfanti

Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos

Coordenação das Garrafas: Giulia Baptista Vieira e Gustavo Petri

Assessoria de imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Visagismo: Equipe Studio Leo Zamper – Leo Zamper, Becca Martins, Gui Kaufmann e Lucas Lemes

Fotografias: Gui Malgarizi e Claudio Etges

Gestão do projeto: Diego Mac

Realização: Macarenando Dance Concept e Casa Cultural Tony Petzhold

Duração: 90 minutos

Classificação etária: livre

FICHA TÉCNICA: DANCE A LETRA GRUPÃO POCKET LIVE GESTOS CAETANO
Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano
Direção: Diego Mac e Gui Malgarizi

Coreografia: Diego Mac
Produção: Sandra Santos
Elenco: Aline Karpinski Dias, Arthur Bonfanti, Daniela Aquino, Dani Dutra, Dani Boff, Denis Gosch, Giulia Baptista Vieira, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree Jr.
Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
Assistência de produção e iluminação: Arthur Bonfanti e Giulia Baptista Vieira
Trilha sonora: montagem de Diego Mac e Gui Malgarizi a partir da obra de Caetano Veloso
Assessoria de imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor
Fotos: Cintia Bracht
Apoio: Casa Cultural Tony Petzhold
Realização: Macarenando Dance Concept

Duração: 45 minutos

Classificação etária: livre

+ INFO

facebook.com/macarenando

macarenando@macarenando.com.br

(51) 9 8918 2124

Livro “71 Leões” na Folha de São Paulo de hoje

O trabalho de assessoria de imprensa para a editora Belas Letras é uma parceria da Dona Flor Comunicação e Assessoria de Flor em Flor.folhadesp_18.11.18.jpg

Cine Esquema Novo 2018 em Zero Hora

zh_15.11.18.jpg

Blog no WordPress.com.

Acima ↑