Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

Vinícola Guatambu

Guatambu na imprensa

revistazaffari

bonvivant2_julho2016

revistabonvivant_julho2016

Guatambu Estância do Vinho é a primeira vinícola da América Latina a ser 100% movida a energia solar

guatambu2_creditoalexandreteixeira

Parque solar com mais de 600 placas está em funcionamento desde 16 de maio

 

Desde a última segunda-feira, dia 16 de maio, a Guatambu Estância do Vinho, de Dom Pedrito, RS, está funcionando através de energia solar. A segunda edição do vinho Épico iniciou seu envase com 100% de energia limpa. O parque solar com 600 painéis foto-voltaicos que servem para suprir 100% da demanda energética do empreendimento, tornou a Guatambu na primeira vinícola da América Latina a ser movida a energia solar. O projeto esteve em período de teste a partir de 2013, com 18 painéis instalados fornecendo parte da energia para as instalações.

A radiação solar na região da Campanha Gaúcha é 40% maior do que na região mais ensolarada da Alemanha, por exemplo, que é um dos líderes no uso da energia fotovoltaica. Apesar dessas condições favoráveis, o uso de energia solar para geração elétrica ainda é pouco considerado como uma opção para alimentar indústrias e residências. “Na região da Campanha, temos em média 3.200 horas de sol durante o ano, uma energia que chega de forma gratuita, limpa, silenciosa e inesgotável”, conta o sócio-proprietário da Guatambu, Valter José Pötter. “Para se ter uma ideia, uma hora de sol na superfície da Terra contém mais energia do que o planeta utiliza em um ano”, revela.

O principal objetivo do projeto de energia solar é fazer que o empreendimento seja gerador da sua própria energia, aproveitando a nova resolução normativa da ANEEL, a qual estabelece o sistema de compensação de energia elétrica no Brasil, possibilitando que os consumidores possam reduzir custos de eletricidade construindo seus próprios geradores com até 1MW de potência instalada, realizando uma compensação do que foi produzido e trocado com a rede de  distribuição, abatendo mensalmente os valores na fatura  de energia.

O investimento de R$ 1,5 milhões tem previsão de retorno em oito anos. Além de economia de energia elétrica, o sistema registra a redução na emissão de CO2 e devolverá à rede de energia a produção sobressalente que não for utilizada.  “Nosso consumo no pico é de 20 mil quilowatts por mês. Com a instalação do sistema fotovoltaico, vamos garantir uma economia financeira, de energia e ganhos ecológicos”, afirma Pötter. “Nossa trajetória empresarial sempre foi norteada pela inovação e sustentabilidade econômica, social e ambiental dos empreendimentos. No caso da vinícola não poderia ser diferente”. As placas também servirão como cobertura do estacionamento, na entrada da propriedade. Todos equipamentos foram importados de empresas da Itália e Alemanha.

O próximo passo é tornar o negócio vitivinícola pioneiro na utilização do Selo Solar. “É muito importante destacar nossa preocupação com o meio ambiente aos nossos clientes.  Com o selo, ele terá a informação de que está consumindo um produto fabricado utilizando a energia limpa”, revela.

A sustentabilidade também é encontrada no fornecimento de água do local. Reservatórios foram construídos para captar água da chuva, que é utilizada para PPCI e irrigação dos jardins. Outra parte segue para estação de tratamento, construída dentro dos padrões da Organização Mundial da Saúde, produzindo 500 litros de água potável por hora, que é utilizada para no complexo industrial e enoturístico. Nos vinhedos, também não poderia ser diferente: em 2014 a sócia-proprietária e enóloga da Guatambu, Gabriela Hermann Pötter implementou um projeto-piloto com uma técnica sustentável e ecológica no controle de doenças fúngicas, com a utilização de micro-organismos que combatem naturalmente os fungos sem o uso de químicos.

Saiba Mais

Vantagens da energia solar

  • Redução de perdas por transmissão e distribuição de energia, já que a eletricidade é consumida onde é produzida;
  • Baixo impacto ambiental ;
  • Fornecimento de maiores quantidades de eletricidade nos momentos de maior demanda (ex.: o uso de condicionadores de ar e dos sistemas de refrigeração dos tanques e câmaras frias é maior no verão, quando há maior incidência solar e, consequentemente, maior geração elétrica solar);
  • Rápida instalação, devido à sua grande modularidade e curtos prazos de instalação
  • Energia limpa, sem resíduos
  • Sem ruídos
  • Inesgotável
  • Ilimitada

Desvantagens

  • Investimento alto – em média R$7.500,00/Kwp
  • Retorno a médio prazo
  • Variações de produção conforme luminosidade

Sobre a Guatambu

A Guatambu é uma vinícola boutique que trabalha com administração familiar, em pequena escala, somente com uvas próprias, lotes limitados e garrafas numeradas, em Dom Pedrito, na Campanha Gaúcha, desde 2003. Situada no coração do pampa gaúcho, na fronteira com o Uruguai, o cultivo da videira é marcado por um terroir com mais de 2.300 horas de luminosidade durante o período vegetativo da videira e escassez de chuvas no verão, garantindo a maturação fenólica das uvas e a opulência de seus vinhos.

A vinícola conta com um complexo enoturístico, que engloba área de produção, auditório, sala de degustação, salão com parrilla para eventos e loja, com referências arquitetônicas voltadas à cultura gaúcha e às estâncias do pampa, sendo considerada referência em estilo, beleza e modernidade. Mais informações, acesse o site: http://www.guatambuvinhos.com.br/

Guatambu é capa da revista Dinheiro Rural

dinheiro1dinheiro2

caras_01.08.2013

Guatambu lança dois novos rótulos

 Espumante Guatambu Rosé Brut e vinho Rastros do Pampa Tannat foram apresentados durante inauguração da sua vinícola enoturística

No dia 06 de junho foi inaugurada a vinícola enoturística da Guatambu Estância do Vinho, em Dom Pedrito, RS, na Campanha Gaúcha. O evento marcou o lançamento de dois novos rótulos produzidos pela empresa: o vinho Rastros do Pampa Tannat e o espumante Guatambu Rosé Brut. O ator Thiago Lacerda participou do evento.

O espumante Rosé Brut, destaca-se por ser o primeiro do Brasil a ser elaborado com uvas Gewüztraminer e Pinot Noir, da safra 2012, colhidas manualmente dos vinhedos próprios da Estância pelo método Champenoise, onde a segunda fermentação acontece na própria garrafa, permanecendo por 12 meses sob contato com as leveduras. Exibe uma delicada cor rosa claro com tons salmão, aromas florais como rosas e jasmim, e, em segundo plano, aromas de morango e cereja. Com perlage fino e abundante, apresenta-se cremoso, com amplo volume e grande frescor. Conforme Valter José Pötter, diretor da vinícola, a procura pelo novo rótulo, que tem edição limitada de 2.500 garrafas numeradas, está bastante intensa. “Elaboramos um espumante frutado e com muito frescor, que reflete a cara do Brasil, um país alegre e jovem” – comenta Alejandro Cardozo, enólogo uruguaio consultor da vinícola. No momento do lançamento do produto, o global Thiago Lacerda lembrou que o primeiro encontro com sua esposa, a atriz Vanessa Lóes, foi brindando com espumante rosé.

Já o vinho Rastros do Pampa Tannat, primeiro varietal desta categoria da Guatambu, expressa caráter, bastante corpo e destaca-se pela maciez. Fruto de uma excelente vindima, da safra 2012, este vinho de grande estrutura e taninos bem maduros é o resultado de um manejo rigoroso dos vinhedos que limitam a produção a 7.000 Kilos por hectare de fruta colhida em seu momento ótimo de maturação.Tem grande intensidade de cor roxo-violácio quase preto, com aromas de frutas escuras como amora, agregando notas complexas de chocolate e tabaco.

Foi armazenado por três meses em barris de carvalho francês e produzido em uma partida limitada de 5.100 garrafas numeradas.

O agendamento para visitas e pacotes turísticos iniciou no dia 18 de junho, através do email visita@guatambuvinhos.com.br. Os interessados têm à disposição quatro possibilidades de tour pela vinícola, que incluem desde visita às instalações, degustação de vinhos e espumantes, almoço, até cavalgada no vinhedo. A vinícola aposta forte no enoturismo, visando permitir ao visitante mergulhar no contexto da cultura do pampa gaúcho e da criação de animais da estância.

Sobre a Guatambu

A Guatambu Estância do Vinho é uma vinícola boutique de Dom Pedrito, RS. Seu trabalho é realizado através de administração familiar, em pequena escala, somente com uvas próprias, lotes limitados e garrafas numeradas desde 2003. Mais informações, acesse o site:http://www.guatambuvinhos.com.br/

Guatambu no Campo e Lavoura

Guatambu na coluna de Milena Fischer

Na ZH de hoje:

Espumante Poesia do Pampa Brut é escolhido para brindar o evento Contemporâneas

Na próxima terça-feira (14), às 19h, em Porto Alegre, acontece o projeto Contemporâneas: Universo Feminino, evento que reúne moda, gastronomia e música no Vilaró Parilla Louge. O espumante Poesia do Pampa Brut, da Vinícola Guatambu, é o escolhido para  acompanhar as bruschettas, mini risotos e  mini saladas que compõem o cardápio do coquetel. Medalha de Ouro no 8º Concurso Mundial Bruxelas Brasil, o vinho chama a atenção pelo aroma diferenciado e frutado, vindo do corte de uvas 80% Chardonnay e 20% Sauvignon Blanc da safra 2011. Feito pelo método Charmat, conserva enorme frescor e leveza, ideal para brindar momentos de descontração e integração como este.

Sobre a Guatambu

Contando com administração familiar e visando diversificar seus produtos, a cinqüentenária Estância Guatambu, tradicional empresa do agronegócio, de Dom Pedrito, iniciou em 2003 o projeto de produção de uvas viníferas, com a implantação do vinhedo com mudas importadas da França e da Itália, visando aproveitar o excelente clima da Campanha Gaúcha, bastante adequado para esta atividade.

No segundo semestre, a Guatambu inaugura a sua estância enoturística, a 14km da cidade de Dom Pedrito. Situada no pampa gaúcho, o projeto busca uma identificação com a arquitetura local, a cultura gaúcha, e as influências das estâncias da região do pampa. Sob o conceito de pátio central, a vinícola se desenvolverá em forma de U com iluminação e ventilação voltadas para o seu interior, como forma de abrandar o Minuano que sopra na campanha e proporcionar condições térmicas ideais para a produção de vinhos de qualidade. A vinícola possui uma arquitetura voltada para o turismo, com sala de degustação técnica, varejo, espaço gourmet com culinária típica da região e salão de eventos. Conforme Valter José Pötter, proprietário da estância Guatambu, o que motivou a família a investir na vinícola foram as premiações internacionais que os primeiros vinhos produzidos com uvas da Guatambu receberam, ao longo dos últimos 3 anos, o que consolida a região dos pampas como uma das mais promissoras da América para produção de vinhos finos.

Guatambu no JC

Destaque na coluna de Danilo Ucha de hoje:

Blog no WordPress.com.

Acima ↑