Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

Redenção

jc_20.04.18.jpg

Espetáculo inspirado nos contos e lendas de João Simões Lopes Neto tem apresentações em Porto Alegre

zaoris_divulgacao-(6)

“Zaoris” estreia no dia 25 de abril na Redenção

Estreia no dia 25 de abril em Porto Alegre o espetáculo “Zaoris”. A montagem inspirada no universo de Simões Lopes Neto tem temporada de 12 apresentações entre abril e junho deste ano. Inspirado nos contos e lendas do escritor pelotense, o espetáculo mergulha no universo do escritor e traz à cena duas lendas e nove canções criadas a partir da obra do escritor que é considerado a principal figura do regionalismo rio-grandense.

Zaoris conta com quatro atores e seis músicos em cena, com composições de Ita, Dico e Fernando Keiber. O musical que tange as lendas e contos simonianos através da narrativa transmitida pela oralidade, onde diversas vozes representam o estereótipo do contador de causos Blau Nunes. Intercalando lendas e canções, Zaoris relê o gaúcho dos séculos 19 e 20 e o apresenta no século 21, simbolizando os valores que sobrevivem ao tempo.

A direção de cena é de Adriane Mottola e direção musical de Fernando Keiber. Marco Froncjowiak e Maura Sobrosa Ramos assinam a cenografia, Fernando Ochôa a iluminação e Alexandre Magalhães e Silva os figurinos.

No dia 25, o público poderá conferir duas apresentações gratuitas do espetáculo, às 16h e 18h. Após a sessão das 18h, haverá um bate papo sobre o processo de criação do espetáculo. No dia 01 de maio, as apresentações serão no estacionamento da Usina do Gasômetro. Até junho, mais oito performances serão divulgadas.

A Realização é da Gaia Cultura e Arte, através do projeto contemplado em Edital do FAC – prêmio Iacen, com financiamento do Pró-Cultura RS, e apoio institucional Prefeitura Municipal de Porto Alegre/Secretaria de Governança/Centros Administrativos Regionais.

Saiba Mais

Zaoris

Figura pertencente ao folclore, o Zaori refere-se à pessoa nascida numa Sexta- Feira santa. Possuidora de dons especiais, seus olhos, muito brilhantes, de um brilho mágico e misterioso possuem o poder de ver através de corpos opacos, terras ou montanhas, assim conseguindo localizar tesouros escondidos.

ROTEIRO

Música – GENEROSO (Ita Keiber) – sobre a lenda O Anguera

Música – Trezentas Onças (Ita Keiber) – sobre conto homônimo

Lenda – Zaoris (João Simões Lopes Neto – 1913)

Música – Zaoris (Dico Keiber e Ita Keiber) – sobre a lenda homônima

Música – Mãe do Ouro (Fernando Keiber e Ita Keiber) – sobre a lenda A Mãe do Ouro

Música – À Sombra da Salamanca (Fernando Keiber) – sobre a lenda A Salamanca do Jarau

Música – Casa Branca (Ita Keiber) – sobre a lenda A Casa de M’Bororé

Lenda – A M’boitatá (João Simões Lopes Neto – 1913)

Música – Noite Grande (Fernando Keiber e Ita Keiber) – sobre a lenda A M’boitatá.

Música – Sumidouro (Fernando Keiber e Ita Keiber) – sobre o conto No Manantial

Música  – Uiara  (Ita Keiber) – sobre a lenda A Uiara

FICHA TÉCNICA

REALIZAÇÃO: Gaia Cultura & Arte

COORDENAÇÃO GERAL: Márcia Giovana da Costa

PRODUÇÃO EXECUTIVA: Alexandre Mattos Meireles (Lua Nova) e Duda Keiber (222 Produtora)

PRODUÇÃO LOCAL: Tiago Wyse (Porto Alegre/RS)

COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA: Natália da Costa Weingartner e Jamile Pereira

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Mariele Salgado e Bruna Paulim

DIREÇÃO MUSICAL: Fernando Keiber

DIREÇÃO DE ATORES: Adriane Mottola

ASSISTENTE DE DIREÇÃO: Luciana Tondo

CENOGRAFIA: Marco Fronckowiak e Maura Sobrosa Ramos

CRIAÇÃO DE ILUMINAÇÃO: Fernando Ochôa

FIGURINOS: Alexandre Magalhães e Silva

MÚSICOS

Voz: Fernando Keiber

Guitarra: Titeu Moraes

Baixo: Paulo Liska

Bateria: Duda Cunha

Percussão: Rafael Pavão

Acordeon: Matheus Kleber

ATORES

Paulo Roberto Farias

Mariana Rosa

Danuta Zaghetto

Rodrigo Mello

Serviço

Zaoris

Dia 25 de abril, 16h e 18h

Parque Farroupilha (Redenção) em frente ao Monumento ao Expedicionário.

Entrada Franca

Após a apresentação das 18h, haverá um bate papo sobre o processo de criação do espetáculo

Dia 1º de maio, 16h e 18h

Estacionamento da Usina do Gasômetro.

Entrada Franca

Após a apresentação das 18h, haverá um bate papo sobre o processo de criação do espetáculo


zh_27.03.15,jpgzh_14.03.15

Espetáculo “Flor da Vida” na imprensa

jc_06.03.15 metro_06.03.15

Flor da Vida tem segunda temporada durante o mês de março

 Flor-da-Vida-(113)_credito_CristiannoCaetano

Espetáculo do Teatro Mototóti tem apresentações aos sábados na Redenção

 

O espetáculo Flor da Vida tem segunda temporada durante o mês de março, aos sábados, na Redenção. Vencedor do prêmio Funarte Artes na Rua 2013 esta é a quarta produção da companhia.

Reafirmando a característica de visitar um terreno desconhecido a cada novo espetáculo, em Flor da Vida o grupo se aventurou em dois grandes desafios: trabalhar com a linguagem do palhaço e contar a história de vida dos integrantes do Mototóti.

A dramaturgia de Flor da Vida foi construída a partir de uma tragédia que os atores Fernanda Beppler e Carlos Alexandre viveram. No ano de estreia do primeiro espetáculo do grupo – O Vendedor de Palavras – um incêndio avassalador destruiu quase tudo o que eles tinham em casa, exceto o material do teatro. “Flor da Vida é o momento em que transformamos a dor desse triste episódio em riso e em arte”, revelam.

Para mergulhar na arte da palhaçaria, o grupo buscou parceiros mais experientes na área. Assim surgiram os intercâmbios com palhaços gaúchos, uma iniciativa que proporcionou trocar experiências com oito grupos/artistas da capital e interior do Rio Grande do Sul. Mais tarde, se juntou ao trabalho um dos grandes mestres da palhaçaria no Brasil: Ésio Magalhães. Com ele, os atores tiveram grande imersão prática tanto no desabrochar das figuras de Charle’s Tone e Thalia Taluda, como no desenho e direção do espetáculo. Foi uma construção feita em Porto Alegre, sede do Mototóti, e Campinas, sede do Barracão Teatro.

A busca do grupo por uma arte cada vez mais autoral, alcança em Flor da Vida um ponto alto. Onde além de estar em cena, os criadores também estão responsáveis pela dramaturgia, direção geral, cenografia e trilha sonora. Esta última, pela primeira vez é trazida à cena mesclando música ao vivo com trilha sonora gravada.

A temporada inicia no dia 07 e segue até o dia 28 de março, sempre aos sábados, às 16h, na Redenção, próximo ao Recanto Europeu. Todas as apresentações tem entrada franca. Para saber mais, acesse: www.teatromototóti.com.br.

Sinopse: O Teatro Mototóti fala de sua própria jornada ao contar a  história de dois palhaços, que se encontram e buscam realizar seu grande sonho: fazer teatro! Provando dos sabores e dissabores da vida de casal, Charle’s Tone e Thalia Thaluda caminham juntos fazendo escolhas dia-a-dia, até que um incêndio arrebatador destrói tudo o que eles têm. Bem, quase tudo. De acordo com a  simbologia da Flor da Vida*, cada passo interfere diretamente no desenho de uma história. Qual será o desfecho desses dois? Para onde eles foram quando pensavam já não ter mais para onde ir? Este é um momento de grande alquimia do Grupo, que se vale da linguagem do palhaço para tocar o intangível e contar a história de amor, superação e perseverança de seus criadores.

* Flor da Vida é o nome dado a uma figura geométrica formada por vários círculos sobrepostos, num padrão de flor, representando as formas fundamentais de espaço e tempo. Nesse sentido é uma expressão visual da vida, tecendo ligações entre todos os seres, carregando em si informações básicas de todas as coisas vivas. Acredita-se, desde a mais remota antiguidade, que cada molécula de vida, cada célula em nosso corpo conhece este padrão: ele é o padrão da criação e da vida em todo lugar. Então não poderíamos ter encontrado uma simbologia melhor para acolher nosso novo trabalho: A Flor da Vida.

O Teatro Mototóti existe há oito anos e já possui quatro espetáculos em seu repertório. Formado pelos atores Carlos Alexandre e Fernanda Beppler em 2007, o grupo vem se destacando no cenário de teatro de rua, atuando em todo o país, tendo como características de trabalho a pesquisa e prática permanentes em teatro de rua e a construção/manutenção de um repertório de espetáculos, com o propósito de colocar em cena trabalhos autorais que dialoguem com o público nos mais diferentes lugares.

O primeiro espetáculo, O Vendedor de Palavras – Prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz 2008 –   já foi assistido por 80 mil espectadores em mais de 270 apresentações e ganhou uma versão em espanhol, para apresentações na Argentina e Uruguai. A segunda montagem do grupo, i-MUndo – Prêmio FUNARTE Artes Cênicas na Rua 2010 – estreou em setembro de 2011 na capital gaúcha e vem realizando participações em importantes mostras e festivais pelo país.  Ao final de 2012, o Grupo comemorou seu quinto ano de atividades, trazendo à cena mais um espetáculo de teatro de rua, “Folia dos Reis”, um auto que conta a história do Natal sob a perspectiva dos três Reis Magos. O espetáculo estreou no Natal luz de Gramado e integra as principais festividades de Natal do Sul do país.

Em 2013 o Grupo trouxe à cena a história da vida e obra de Hermeto Pascoal, com a peça “Hermeto Pascoal: o mago dos sons”, que mescla a linguagem teatral com a contação de histórias. 2014 foi o ano da estreia de Flor da Vida, quarto espetáculo do repertório do Grupo, contemplado com o Prêmio FUNARTE Artes na Rua (Circo Dança e Teatro) 2013. Este trabalho teve orientação de Esio Magalhães (Barracão Teatro – Campinas/SP), referência na linguagem do palhaço no Brasil.

Serviço

Flor da Vida

De 07 a 28 de março, aos sábados, às 16h

Redenção – próximo ao Recanto Europeu

Entrada Franca

Blog no WordPress.com.

Acima ↑