Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

Projeto Concha

Projeto Concha na imprensa

jc_16.05.19correiodopovo_16.05.19zh_16.05.19

Projeto Concha traz Martinha do Coco e Grupo Três Marias para edição de maio

Martinha do Coco_Leo Pacheco

 Shows ocorrem no dia 16 de maio, no Agulha, localizado em Porto Alegre (RS)

Ingressos à venda no link – https://bit.ly/2VbHSnp

Porto Alegre, 09 de maio de 2019 – Na próxima quinta-feira, 16 de maio, o Projeto Concha 2019 promove mais uma edição, recebendo Martinha do Coco e Três Marias. Há mais de seis anos o grupo portoalegrense em cantando e contando histórias da Mestra Griô (indivíduos que tem o compromisso de preservar e transmitir histórias, fatos históricos e os conhecimentos e as canções de seu povo) Martinha do Coco, e terá a alegria de recebê-la no Agulha para dividirem o mesmo palco.

O show integra a programação do projeto que este ano conta com o patrocínio do Natura Musical e promove, além de apresentações de cantoras e compositoras brasileiras, uma residência artística de quinze artistas, que ocorre de abril a dezembro.

Referência musical, cultural e afetiva do grupo Três Marias desde o seu início, Martinha acaba de lançar seu segundo álbum, que conta com a direção musical de uma das Marias, Andressa Ferreira. “Para a edição do Concha teremos uma noite especial, com o show das Três Marias e em seguida o show Perfume Dela, da Mestra Martinha do Coco, acompanhada das marias e convidadas especiais”, revela Alice Castiel, curadora do projeto.

O Projeto Concha foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018 com com Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Pró-Cultura RS – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul. “Coletivos como o Projeto Concha ampliam a voz de movimentos que buscam maior representatividade dentro e fora do mercado musical”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “De uma forma geral, os coletivos promovem impacto cultural, social e econômico que multiplica o alcance de um patrocínio. A gente investe no coletivo e toda uma rede de pessoas conectada a ele também são impactadas de forma positiva”, completa.

Os ingressos custam entre R$ 20,00 e R$ 60,00 e podem ser adquiridos pelo sympla – https://bit.ly/2VbHSnp ou no local, no dia do show, mediante disponibilidade.

Protagonismo no palco

O Projeto Concha é uma iniciativa independente, criada em 2018 pela produtora cultural Alice Castiel. Ao analisar o mercado musical, tanto localmente como em eventos nacionais dos quais participou, ela notou a quantidade e a diversidade de mulheres produzindo, compondo, tocando instrumentos e cantando, mas que muitas vezes, apesar do talento, não tinham acesso a selos, gravadoras ou à programação de festivais. “Em Porto Alegre ou em qualquer cidade do Brasil, a oferta dos principais palcos é majoritariamente protagonizada por homens”, afirma. Como contraponto, Alice propôs uma programação que apresentasse exclusivamente o trabalho de mulheres, a fim de chamar atenção para o que é produzido e muitas vezes ignorado ou preterido pelo circuito oficial da música.

Nas 11 edições do projeto, realizadas no bar Agulha, em Porto Alegre, o público lotou a casa para conhecer o trabalho de mais de 20 mulheres, em apresentações de artistas locais e também de criadoras com projeção na cena nacional, criando um espaço de visibilidade e troca de referências musicais, amparado por uma rede de apoio entre mulheres e conteúdo profissionalizante. Já participaram artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Labaq, Xênia França, Maria Beraldo, Larissa Luz, Juliana Perdigão, intervenções poéticas de Angélica Freitas, Mel Duarte, Luna Vitrolira, Crystal Rocha e as atrações locais Saskia, Raquel Leão, Veña, Pâmela Amaro, Thays Prado, As Aventuras e até uma banda se formou especialmente para uma edição do Concha, batizada de Enxame.

Para mais informações, acesse: facebook.com/projetoconchapoa

||| Martinha do Coco

Mestra Martinha do Coco é cantora, compositora que desenvolve um trabalho autoral com expressões culturais ligadas à música, dança e brincadeiras populares com influências da cultura nordestina e afro-brasileira como samba de côco, maracatu e ciranda ressignificadas com a incorporação de elementos culturais da vida no cerrado.

Lançou  em 2017 o álbum “Rodas Griô” e em 2018 ” O Perfume dela”. É a mulher negra de maior expressão na Cultura Popular no DF.

 

||| Três Marias

Três Marias é um projeto idealizado por mulheres musicistas de diversas origens e trajetórias que se encontram no universo da música popular através da vivência e troca com mestras e mestres parceir@s, enquanto um movimento de reencontro consigo mesmas, de resistência, fortalecimento, valorização de saberes populares e protagonismo feminino.

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. O último edital do programa neste ano selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente para a rica e pulsante produção musical brasileira.

 

SERVIÇO

Projeto Concha apresenta Martinha do Coco e Três Marias e convidadas

Quinta-feira, 16 de maio de 2019

Local: Agulha – Rua Conselheiro Camargo, 300

Horários: O bar abre às 19h e a apresentação começa pontualmente às 22h

 

Ingressos (à venda  no sympla – https://bit.ly/2VbHSnp)

1º lote Solidário* / Meia-entrada** – R$ 20 – na internet (com opção de boleto bancário);

2º lote Solidário*  e na Hora/ Meia-entrada**  – Solidário* / Meia-entrada** – R$ 30

 

* Solidário – Valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou itens de higiene pessoal, disponível para qualquer pessoa. As doações deverão ser entregues no Agulha, no momento da entrada ao evento.

** Meia-entrada – Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados na Lei Federal 12.933/13.

*** Valores de inteira: R$ 40 e R$ 60

 

Assessoria de Imprensa | Projeto Concha
Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Telefone: (51) 98407-0657

email: bruna@brunapaulin.com

 

Assessoria de Imprensa | Natura Musical

Conteúdo Comunicação

Telefone: (11) 5056-9800

Aline Paz: aline.paz@conteudonet.com

Luciana Rabassallo: luciana.rabassallo@conteudonet.com

 

 

 

Projeto Concha divulga selecionadas da Residência Artística 2019 e promove primeira atração musical, com show de Anelis Assumpção

Anelis Taurina por caroline bittencourt 18

 

As atividades que ocorrem entre abril e dezembro de 2019, contemplaram 15 mulheres da música

Com ingressos esgotados, show da artista paulistana ocorre no dia 11 de abril, no Agulha, localizado em Porto Alegre (RS)

O Projeto Concha divulgou a lista de selecionadas para a Residência Artística do projeto, que ocorrerá de abril a dezembro de 2019 em Porto Alegre (RS). Foram mais de 50 inscrições e 15 nomes foram escolhidos pela comissão de seleção, formada pela maestrina, flautista, oboísta e educadora musical Priscila Santana, a cantora, compositora e instrumentista Juliana Perdigão e a escritora, compositora e produtora Estrela Leminski.

Foram selecionadas as artistas Aline Araújo, Ana Paula Posada, Andressa Ferreira, Bartira Marques, Carina Levitan, Clarissa Ferreira, Giovana Mottini, Gutcha Ramil, Jordana Henriques, Kaya Rodrigues, Mari Martinez, Nina Fola, Nina Nicolaiewsky, Rita Zart e Thays Prado.

Residência na Concha é um projeto que visa estimular a produção e pesquisa de mulheres do Rio Grande do Sul que trabalham com música e que terão orientação da artista sonora Isabel Nogueira. As selecionadas participarão de Masterclasses com artistas como Juçara Marçal, Alessandra Leão, Angélica Freitas e Bárbara Santos.

O Projeto Concha foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018 com o apoio da Lei Pró Cultura (RS) e da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. “Coletivos como o Projeto Concha ampliam a voz de movimentos que buscam maior representatividade dentro e fora do mercado musical”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “De uma forma geral, os coletivos promovem impacto cultural, social e econômico que multiplica o alcance de um patrocínio. A gente investe no coletivo e toda uma rede de pessoas conectada a ele também são impactadas de forma positiva”, completa.

O edital tem como objetivo selecionar artistas interessadas na construção artística e intercâmbio, no debate sobre a criação individual e coletiva, no espaço para o amadurecimento criativo e principalmente no conhecimento de novas linguagens sonoras. Após a residência, as participantes realizarão uma mostra de encerramento com apresentação de seus trabalhos desenvolvidos durante o período.

As atividades iniciam no sábado, 13 de abril, na Sala de Música do Multipalco Eva Sopher. No dia 27 Juçara Marçal ministra a primeira masterclass. “Esta masterclass será para apresentação dos projetos das residentes e uma conversa mais profunda sobre os caminhos de cada um. A presença da cantora e compositora Juçara Marçal, que em sua obra mistura ancestralidade e contemporaneidade, trabalhando ritmos originários brasileiros com a modernidade da música eletrônica, irá ser de extrema importância para que as artistas reconheçam o caminho que querem seguir durante o ano de residência”, revela a criadora do Concha, Alice Castiel.

Para 2019, a programação será dividida em três eixos: difusão, formação e estímulo à produção. No eixo difusão, serão realizados shows com artistas nacionais e locais, que acontecerão em oito edições mensais, com o primeiro agendado para 11  de  abril, com Anelis Assumpção (ingressos esgotados). A partir dos shows, será gravada uma coletânea de oito músicas, uma de cada artista, que será disponibilizada gratuitamente nas principais redes de compartilhamento musical.

No eixo formação, o Projeto Concha oferecerá seis oficinas gratuitas que buscam a formação do mercado técnico e artístico musical, voltadas para mulheres, exclusivamente, com conteúdos e datas a serem divulgados em breve. “A ideia é instrumentalizar para todos os departamentos de produção novas profissionais – precisamos de mulheres trabalhando na sonorização, iluminação, produção de palco, etc”, conta.

Além de pensado através de atrações femininas, o Concha também coloca as mulheres em protagonismo em sua ficha técnica: o projeto é totalmente produzido por mulheres e conta com apenas um nome masculino em sua ficha técnica – em torno de 16 pessoas estarão envolvidas durante a edição de 2019 do projeto.

A primeira edição do Projeto Concha 2019 apresenta a paulistana Anelis Assumpção, com show no dia 11 de abril no Agulha (Rua Conselheiro Camargo, 300) com ingressos esgotados. No disco Taurina (lançado em 2018), que para ouvidos mais desavisados parece se tratar da característica gulosa da astrologia, Anelis tece camadas do próprio cotidiano, nos joga para dentro da sua vida e das suas relações pessoais (incluindo a irmã Serena e o pai Itamar), ao mesmo tempo que sutilmente descreve um pouco a vida de cada uma de nós.

“Letras cheias de pequenas e deliciosas metáforas embaladas por muito reggae-dub fazem do show de Taurina uma experiência para ser degustada e saboreada intensamente”, declara a criadora  e curadora do Concha, Alice Castiel.

O Projeto Concha foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018 com o apoio da Lei Pró Cultura (RS) e da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. “Coletivos como o Projeto Concha ampliam a voz de movimentos que buscam maior representatividade dentro e fora do mercado musical”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “De uma forma geral, os coletivos promovem impacto cultural, social e econômico que multiplica o alcance de um patrocínio. A gente investe no coletivo e toda uma rede de pessoas conectada a ele também são impactadas de forma positiva”, completa.

Para mais informações, acesse: facebook.com/projetoconchapoa

Protagonismo no palco

O Projeto Concha é uma iniciativa independente, criada em 2018 pela produtora cultural Alice Castiel. Ao analisar o mercado musical, tanto localmente como em eventos nacionais dos quais participou, ela notou a quantidade e a diversidade de mulheres produzindo, compondo, tocando instrumentos e cantando, mas que muitas vezes, apesar do talento, não tinham acesso a selos, gravadoras ou à programação de festivais. “Em Porto Alegre ou em qualquer cidade do Brasil, a oferta dos principais palcos é majoritariamente protagonizada por homens”, afirma. Como contraponto, Alice propôs uma programação que apresentasse exclusivamente o trabalho de mulheres, a fim de chamar atenção para o que é produzido e muitas vezes ignorado ou preterido pelo circuito oficial da música.

Nas 11 edições do projeto, realizadas no bar Agulha, em Porto Alegre, o público lotou a casa para conhecer o trabalho de mais de 20 mulheres, em apresentações de artistas locais e também de criadoras com projeção na cena nacional, criando um espaço de visibilidade e troca de referências musicais, amparado por uma rede de apoio entre mulheres e conteúdo profissionalizante. Já participaram artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Labaq, Xênia França, Maria Beraldo, Larissa Luz, Juliana Perdigão, intervenções poéticas de Angélica Freitas, Mel Duarte, Luna Vitrolira, Crystal Rocha e as atrações locais Saskia, Raquel Leão, Veña, Pâmela Amaro, Thays Prado, As Aventuras e até uma banda se formou especialmente para uma edição do Concha, batizada de Enxame.

Orientação: Isabel Nogueira

Isabel Nogueira é Compositora-performer e musicóloga, doutora em musicologia (UAM/ Espanha) e graduada em piano (UFPel). Professora Titular do Departamento de Música (IA/UFRGS), atuando na graduação e pós-graduação. Coordena o Grupo de Pesquisa em Estudos de Gênero, Corpo e Música (UFRGS), tem trabalhos publicados sobre os temas de música e gênero, performance e criação sonora. Escreve regularmente para a Revista Linda de Cultura Eletroacústica, produziu textos para o Festival de Jazz do SESC/SP em 2018 e coordenou o Simpósio sobre Gênero, Corpo e Som no Congresso da ANPPOM, também em 2018. Participa dos coletivos Medula Experimentos Sonoros (RS), Strana Lektiri (com Leandra Lambert/RJ) e tem um trabalho em duo com a artista sonora Linda O Keeffe (UK).

Masterclass Inaugural (Juçara Marçal)

Juçara Marçal é cantora do grupo Metá Metá. Também já integrou os grupos Vésper Vocal e A Barca. Lançou em 2014 o disco solo ENCARNADO, com músicas de Kiko Dinucci, Rodrigo Campos, Tom Zé, entre outros compositores. O disco ganhou o Prêmio APCA – Melhor Álbum de 2014, Prêmio Governador do Estado – Melhor Álbum – Voto do Júri, e Prêmio Multishow de Música Compartilhada, entre outros. Em 2015, lançou ANGANGA, em parceria com Cadu Tenório, músico e experimentador carioca. Em 2017, com Rodrigo Campos e Gui Amabis, lançou o disco Sambas do Absurdo, inspirado no livro de Albert Camus.

Masterclass de escrita/composição (Angélica Freitas)

Angélica Freitas é autora dos livros de poesia “Rilke Shake” (vencedor do Best Translated Book Award, nos Estados Unidos, em 2016) e “Um útero é do tamanho de um punho” (Prêmio APCA de poesia em 2012), bem como da graphic novel “Guadalupe”, em colaboração com o artista visual Odyr. Seus poemas apareceram em revistas como Poetry (EUA), Modern Poetry in Translation (Reino Unido), Granta (Reino Unido) e The White Review (França), e sua obra já foi publicada em Portugal, Alemanha, Espanha, Argentina e Estados Unidos. Em 2010, recebeu a Bolsa Petrobrás de criação literária com o projeto para a escrita “Um útero é do tamanho de um punho”, e, em 2011, a Jean-Jacques Rousseau Fellowship, da Academia Schloss Solitude (Stuttgart, Alemanha) para o desenvolvimento de uma performance poética (que se transformou na série “Canções de Atormentar”, realizada com a cantora e multi-instrumentista Juliana Perdigão).

 

Masterclass expressão corporal (Bárbara Santos)

BÁRBARA SANTOS é atriz, performer, roteirista e realizadora em Teatro e Cinema. Artista convidada do FESTVILA 2018. Divide com Chico César o espetáculo “Camaradas – Fantasia para dueto, camerata, camarim, atentado e passeata”, onde explora ações performativas e os limites expressivos do corpo nu. Integrante do Coletivo Estopô Balaio, tem experiência como atriz de teatro trabalhado com diversos grupos e artistas como Teatro Oficina Uzyna Uzona, Denise Stoklos, Núcleo TUSP de Teatro. Participou como performer de vários saraus poéticos, entre eles o Projeto Ciranda: Jogo da Palavra Falada. Idealizadora da Coletiva Arenga Filmes, realiza seu primeiro filme como roteirista e codiretora, em parceria com Ana Carolina Marinho e Anna Zêpa.


Masterclass Canto Popular (Alessandra Leão)

Alessandra Leão é Compositora, cantora e percussionista, nascida em Pernambuco. Foi uma das integrantes/fundadoras da banda Comadre Fulorzinha. Em 2006, inicia sua carreira solo com CD “Brinquedo de Tambor”, em 2009, lança o CD “Dois Cordões” e mais recentemente a trilogia de EPs “Língua”: composta pelos EPs “Pedra de Sal” (2014), “Aço” (2015) e “Língua” (2015). Entre esses discos, também lançou os CDs dos projetos: “Folia de Santo” (2008) e “Guerreiras – Trilha Sonora Original” (2010).

Curadoria e Coordenação Projeto Concha: Alice Castiel é formada em Produção Audiovisual na PUCRS e trabalha com produção cultural desde 2010 na cidade de Porto Alegre. Depois de produzir alguns shows pontuais na cidade como Metá Metá(SP) e Graveola(MG), direcionou seu trabalho para a música e hoje em dia gerencia criativamente e operacionalmente o Projeto Concha, projeto voltado a sensibilização e a escuta de artistas mulheres. Com 9 meses de vida, o Concha já recebeu artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Xenia França e Maria Beraldo, além de trabalhar diretamente com artistas da cena local. Alice também produz e agencia bandas e projetos da cidade como a instrumental Trabalhos Espaciais Manuais e os cantautores Thays Prado e Pedro Cassel.

Selecionadas Residência Artística Projeto Concha 2019

Aline Araújo

Ana Paula Posada

Andressa Ferreira

Bartira Marques

Carina Levitan

Clarissa Ferreira

Giovana  Mottini

Gutcha Ramil

Jordana Henriques

Kaya Rodrigues

Mari Martinez

Nina Fola

Nina Nicolaiewsky

Rita Zart

Thays Prado

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. O último edital do programa neste ano selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente para a rica e pulsante produção musical brasileira.

Projeto Concha apresenta Anelis Assumpção – Agulha

Quinta-feira, 11 de abril de 2019

Local: Agulha – Rua Conselheiro Camargo, 300

Horários: O bar abre às 19h e a apresentação começa pontualmente às 22h

Ingressos esgotados

JC_27.02

zh_26

Projeto Concha divulga edital de seleção para Artistas Residentes durante 2019

cartazconcha

As inscrições gratuitas para Residência na Concha estão abertas de 14 de fevereiro a 14 de março

Porto Alegre ,13 de fevereiro de 2019 – Vencedor do edital 2018 do projeto Natura Musical e com Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Secretaria de Estado da Cultura – Pró-Cultura RS – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul, o Projeto Concha chega a sua segunda edição em 2019 com uma programação estendida, que terá, além das apresentações musicais, um projeto de Residência Artística, que ocorrerá quinzenalmente em Porto Alegre de  abril a dezembro deste ano.

Residência na Concha é um projeto que visa estimular a produção e pesquisa de mulheres do Rio Grande do Sul que trabalham com música, e que selecionará 15 artistas que terão orientação da artista sonora Isabel Nogueira e participarão de Masterclasses com artistas como Juçara Marçal, Alessandra Leão, Angélica Freitas e Bárbara Santos, além de outros nomes que serão confirmados em breve

O edital tem como objetivo selecionar artistas interessadas na construção artística e intercâmbio, no debate sobre a criação individual e coletiva, no espaço para o amadurecimento criativo e principalmente no conhecimento de novas linguagens sonoras. Após o período de residência, as participantes realizarão uma mostra de encerramento com apresentação de seus trabalhos desenvolvidos durante o período.

Programação 2019 será dividida em três eixos – difusão, formação e produção

Projeto Concha é uma iniciativa independente, criada em 2018 pela produtora cultural Alice Castiel. Ao analisar o mercado musical, tanto localmente como em eventos nacionais dos quais participou, ela notou a quantidade e a diversidade de mulheres produzindo, compondo, tocando instrumentos e cantando, mas que muitas vezes, apesar do talento, não tinham acesso a selos, gravadoras ou à programação de festivais. “Em Porto Alegre ou em qualquer cidade do Brasil, a oferta dos principais palcos é majoritariamente protagonizada por homens”, afirma. Como contraponto, Alice propôs uma programação que apresentasse exclusivamente o trabalho de mulheres, a fim de chamar atenção para o que é produzido e muitas vezes ignorado ou preterido pelo circuito oficial da música.

Nas 11 edições do projeto, realizadas no bar Agulha, em Porto Alegre, o público lotou a casa para conhecer o trabalho de mais de 20 mulheres, em apresentações de artistas locais e também de criadoras com projeção na cena nacional, criando um espaço de visibilidade e troca de referências musicais, amparado por uma rede de apoio entre mulheres e conteúdo profissionalizante. Já participaram artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Labaq, Xênia França, Maria Beraldo, Larissa Luz, Juliana Perdigão, intervenções poéticas de Angélica Freitas, Mel Duarte, Luna Vitrolira, Crystal Rocha e as atrações locais Saskia, Raquel Leão, Veña, Pâmela Amaro, Thays Prado, As Aventuras e até uma banda se formou especialmente para uma edição do Concha, batizada de Enxame.

Para 2019, a programação será dividida em três eixos: difusão, formação e estímulo à produção. No eixo difusão, serão realizados shows com artistas nacionais e locais, que acontecerão em oito edições mensais. Como estratégia de ampliação do acesso, parte dos ingressos serão comercializados a preços populares e outra parte será distribuída gratuitamente para mulheres envolvidas com projetos sociais.  A partir dos shows, será gravada uma coletânea de oito músicas, uma de cada artista, que será disponibilizada gratuitamente nas principais redes de compartilhamento musical. Já está confirmada a atração para o lançamento do Projeto Concha 2019 – a cantora e compositora Anelis Assumpçäo, que mistura em seu trabalho vocais sensuais a arranjos irreverentes, pitadas de dub, afrobeat e grooves brasileiros e apresentará seu mais recente álbum, Taurina, lançado em 2018. Filha do falecido cantor e compositor Itamar Assumpçäo, Anelis representa o espírito livre de amarras da vanguarda da música de São Paulo, bem como o toque de originalidade que ela herdou de seu pai. Suas raízes paulistas correm profundas dentro do seu estilo, levando a música pra frente, capturando algo novo, mesmo que ainda mantendo o sabor do vintage/analógico vivo.

Atrações nacionais e locais integram a programação dos shows, que serão divulgadas ao longo dos meses.

“O Projeto Concha preza pela diversidade musical e regional, dando visibilidade a artistas e trabalhos que dificilmente chegariam ao estado, e também dando luz as artistas do RS que estão fortalecendo seus trabalhos”, declara Alice.

No eixo formação, o Projeto Concha oferecerá seis oficinas gratuitas que buscam a formação do mercado técnico e artístico musical, voltadas para mulheres, exclusivamente, com conteúdos e datas a serem divulgados em breve. “A ideia é instrumentalizar para todos os departamentos de produção novas profissionais – precisamos de mulheres trabalhando na sonorização, iluminação, produção de palco, etc”, conta Alice.

Além de pensado através de atrações femininas, o Concha também coloca as mulheres em protagonismo em sua ficha técnica: o projeto é totalmente produzido por mulheres e conta com apenas um nome masculino em sua ficha técnica – em torno de 16 pessoas estarão envolvidas durante a edição de 2019 do projeto.

O eixo produção será o momento da residência artística gratuita, que fornecerá subsídios técnicos e criativos para a fomentar a produção autoral, além de orientação e acompanhamento. As inscrições devem ser enviadas até às 23h59 do dia 14 de março pelo link https://goo.gl/A5YnwU. É necessário ser maior de 18 anos, residente do estado do Rio Grande do Sul, ser mulher, cis, ou trans, possuir trabalhos individuais e autorais já existentes e trajetória artística comprovada e disponibilidade para participar de no mínimo 80% dos encontros e da mostra de encerramento do projeto. Para mais informações, acesse:facebook.com/projetoconchapoa

Residência Artística – Residência na Concha – inscrições de 14 de fevereiro a 14 de  março

Número de vagas: 15 vagas

Abril a dezembro de 2019

Inscrições – https://goo.gl/A5YnwU

  1. de horas aula por encontro quinzenal:8h

Número total de horas/aula:  128h

 Inscrições: via formulário online, com envio de projeto artístico. A curadoria selecionará as residentes com base nos seguintes critérios: produção autoral, relevância artística, originalidade, localidade (ser do estado do RS)

A Residência artística acontecerá durante um período de oito meses e os encontros serão quinzenais. A seleção das 15 artistas participantes se dará através de carta motivacional e projeto musical enviado para uma banca curatorial.

Durante a residência as artistas trabalharão individualmente seus projetos e de forma coletiva colaborando com os projetos das colegas, acompanhadas pela orientadora Isabel Nogueira. Também haverá masterclasses com profissionais da área da poesia, do teatro, da canção popular, entre outras.  (O final da residência se dará com um show de apresentação dos projetos trabalhados, em evento gratuito e aberto ao público.

Orientação: Isabel Nogueira

 Isabel Nogueira é Compositora-performer e musicóloga, doutora em musicologia (UAM/ Espanha) e graduada em piano (UFPel). Professora Titular do Departamento de Música (IA/UFRGS), atuando na graduação e pós-graduação. Coordena o Grupo de Pesquisa em Estudos de Gênero, Corpo e Música (UFRGS), tem trabalhos publicados sobre os temas de música e gênero, performance e criação sonora. Escreve regularmente para a Revista Linda de Cultura Eletroacústica, produziu textos para o Festival de Jazz do SESC/SP em 2018 e coordenou o Simpósio sobre Gênero, Corpo e Som no Congresso da ANPPOM, também em 2018. Participa dos coletivos Medula Experimentos Sonoros (RS), Strana Lektiri (com Leandra Lambert/RJ) e tem um trabalho em duo com a artista sonora Linda O Keeffe (UK).

Masterclass Inaugural (Juçara Marçal)

Esta masterclass será para apresentação dos projetos das residentes e uma conversa mais profunda sobre os caminhos de cada um. A presença da cantora e compositora Juçara Marçal, que em sua obra mistura ancestralidade e contemporaneidade, trabalhando ritmos originários brasileiros com a modernidade da música eletrônica, irá ser de extrema importância para que as artistas reconheçam o caminho que querem seguir durante o ano de residência.

Juçara Marçal é cantora do grupo Metá Metá. Também já integrou os grupos Vésper Vocal e A Barca. Lançou em 2014 o disco solo ENCARNADO, com músicas de Kiko Dinucci, Rodrigo Campos, Tom Zé, entre outros compositores. O disco ganhou o Prêmio APCA – Melhor Álbum de 2014, Prêmio Governador do Estado – Melhor Álbum – Voto do Júri, e Prêmio Multishow de Música Compartilhada, entre outros. Em 2015, lançou ANGANGA, em parceria com Cadu Tenório, músico e experimentador carioca. Em 2017, com Rodrigo Campos e Gui Amabis, lançou o disco Sambas do Absurdo, inspirado no livro de Albert Camus.

Masterclass de escrita/composição (Angélica Freitas)

Nesta Masterclass as residentes irão se encontrar com a poeta pelotense Angélica Freitas que irá trabalhar a escrita e as composições, falando de métrica, rimas e como trabalhar subjetividades nas escolhas de temas. Nesta masterclass as artistas irão exercitar a escrita de uma composição própria para que depois seja musicada coletivamente.

Angélica Freitas é autora dos livros de poesia “Rilke Shake” (vencedor do Best Translated Book Award, nos Estados Unidos, em 2016) e “Um útero é do tamanho de um punho” (Prêmio APCA de poesia em 2012), bem como da graphic novel “Guadalupe”, em colaboração com o artista visual Odyr. Seus poemas apareceram em revistas como Poetry (EUA), Modern Poetry in Translation (Reino Unido), Granta (Reino Unido) e The White Review (França), e sua obra já foi publicada em Portugal, Alemanha, Espanha, Argentina e Estados Unidos. Em 2010, recebeu a Bolsa Petrobrás de criação literária com o projeto para a escrita “Um útero é do tamanho de um punho”, e, em 2011, a Jean-Jacques Rousseau Fellowship, da Academia Schloss Solitude (Stuttgart, Alemanha) para o desenvolvimento de uma performance poética (que se transformou na série “Canções de Atormentar”, realizada com a cantora e multi-instrumentista Juliana Perdigão).

Masterclass expressão corporal (Bárbara Santos)

A Masterclass de expressão corporal será um dia em que as residentes irão se movimentar para trabalhar o corpo e a presença no palco. Muitas artistas ficam limitadas apenas nas questões sonoras e esquecem que quando estão no palco devem criar ligações com o público através de seus movimentos, danças ou postura. A atriz Bárbara Santos irá aplicar exercícios de teatro e dança para que as artistas soltem os movimentos e criem uma consciência maior sobre o próprio corpo.

BÁRBARA SANTOS é atriz, performer, roteirista e realizadora em Teatro e Cinema. Artista convidada do FESTVILA 2018. Divide com Chico César o espetáculo “Camaradas – Fantasia para dueto, camerata, camarim, atentado e passeata”, onde explora ações performativas e os limites expressivos do corpo nu. Integrante do Coletivo Estopô Balaio, tem experiência como atriz de teatro trabalhado com diversos grupos e artistas como Teatro Oficina Uzyna Uzona, Denise Stoklos, Núcleo TUSP de Teatro. Participou como performer de vários saraus poéticos, entre eles o Projeto Ciranda: Jogo da Palavra Falada. Idealizadora da Coletiva Arenga Filmes, realiza seu primeiro filme como roteirista e codiretora, em parceria com Ana Carolina Marinho e Anna Zêpa.

Masterclass Canto Popular (Alessandra Leão)

Alessandra Leão, vinda direto de Pernambuco e trazendo em suas raízes a música tradicional do nordeste como o coco e a ciranda, irá apresentar para as residentes novas formas de cantar, de usar a voz, através de exercícios práticos e de explanações teóricas e históricas a respeito do canto no Brasil. Por estarmos no Rio Grande do Sul, muitas vezes afastadas da cultura popular de outras regiões, esses encontros irão transformar a música que as artistas do Sul estão fazendo, as colocando em contato com outras possibilidades sonoras.

 Alessandra Leão é Compositora, cantora e percussionista, nascida em Pernambuco. Foi uma das integrantes/fundadoras da banda Comadre Fulorzinha. Em 2006, inicia sua carreira solo com CD “Brinquedo de Tambor”, em 2009, lança o CD “Dois Cordões” e mais recentemente a trilogia de EPs “Língua”: composta pelos EPs “Pedra de Sal” (2014), “Aço” (2015) e “Língua” (2015). Entre esses discos, também lançou os CDs dos projetos: “Folia de Santo” (2008) e “Guerreiras – Trilha Sonora Original” (2010).
Nesses 20 anos de carreira, Alessandra Leão atuou ao lado de músicos como: Antônio Nóbrega, Siba, Juçara Marçal, Guilherme Kastrup, Tulipa Ruiz, Cátia de França, Jorge Du Peixe (Nação Zumbi), Anelis Assumpção e Assucena (Bahias e Cozinha Mineira), tem parcerias com Chico César, Kiko Dinucci, Juliano Holanda e Lívia Mattos.

Desde o início dos anos 2000, faz apresentações na Europa, América Latina, América do Norte. Atualmente, circula com os shows: “Língua”, com repertório baseado no seu último trabalho; “LeãoCaçapa”, duo com o músico, arranjador, compositor e produtor Caçapa; e “Punhal de Prata”, com Rafa Barreto, guitarrista e compositor, em um show que celebra os quatro primeiros discos de Alceu Valença, lançados nos anos de 1970.

Curadoria e Coordenação Projeto Concha: Alice Castiel é formada em Produção Audiovisual na PUCRS e trabalha com produção cultural desde 2010 na cidade de Porto Alegre. Depois de produzir alguns shows pontuais na cidade como Metá Metá(SP) e Graveola(MG), direcionou seu trabalho para a música e hoje em dia gerencia criativamente e operacionalmente o Projeto Concha, projeto voltado a sensibilização e a escuta de artistas mulheres. Com 9 meses de vida, o Concha já recebeu artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Xenia França e Maria Beraldo, além de trabalhar diretamente com artistas da cena local. Alice também produz e agencia bandas e projetos da cidade como a instrumental Trabalhos Espaciais Manuais e os cantautores Thays Prado e Pedro Cassel.

Projeto Concha 2019

Idealização, produção e curadoria: Alice Castiel

Produção Executiva: Liege Biasotto

Assistência de Produção: Sofia Lerrer

Arte Gráfica: Silvia Pont

Midias Sociais: Daniele Rodrigues

Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin

Orientação residência: Isabel Nogueira

Oficinas: Vitória Proença, Flora Guerra, Carol Zimmer, Alice Castiel, Bruno Zanotto

Masterclasses residência: Juçara Marçal, Alessandra Leão, Angélica Freitas, Bárbara Santos

Fotografia: Elizabeth Thiel

Captação em Video: Lisi Kieling

Blog no WordPress.com.

Acima ↑