Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

Marcel Pagnol

A Mulher do Padeiro na imprensa

correiodopovo_16.02.14 osul_16.02.14 zerohora_16.02.14 zerohora2_15.02.14 correiodopovo_15.02.14 zerohora_15.02.14 osul_15.02.14JC_14.02.2014

metro_14.02.14

A Mulher do Padeiro na imprensa

correiodopovo_05 osul_05.10.2013

Espetáculo “A Mulher do Padeiro” estreia no dia 04 de outubro na Cia de Arte

evandro_soldatelli2_credito_luciane_pires_ferreira

Monólogo com Evandro Soldatelli tem direção de Ramiro Silveira e dramaturgia de Ismael Caneppele

Estreia no dia 04 de outubro o espetáculo A Mulher do Padeiro, com direção de Ramiro Silveira, dramaturgia de Ismael Caneppele e concepção e atuação de Evandro Soldatelli. O texto original, de Marcel Pagnol, publicado em 1938, também conta com uma versão para o cinema, filme que inspirou Soldatelli neste projeto. Nessa montagem, baseada no roteiro original, a traição da mulher e seu amante é contada pelo ponto de vista do padeiro que deixa de fazer pães para os habitantes de sua vila após a fuga de sua esposa. A montagem é o primeiro espetáculo adulto com Soldatelli no elenco em Porto Alegre depois de sete anos.

Há 20 anos, o ator assistiu a produção de Pagnol. O desejo de montar o texto do dramaturgo e cineasta francês surgiu há três anos, quando buscava materiais para um teste de elenco: “Passei um bom tempo em busca do filme e foram alguns meses de trabalho para a tradução. O desafio depois do texto em mãos era transformar uma obra dos anos 1930 em uma linguagem mais contemporânea, que se aproximasse de mim e do que buscava artisticamente no momento”, revela. Após longo período de pesquisas de linguagem, Soldatelli afirma que esse processo de criação de personagem foi o mais rico e produtivo de sua carreira. “Nunca reuni tantas referências e tanto material para um diretor trabalhar”.

O diretor Ramiro Silveira revela: “A clássica obra de Marcel Pagnol, La Femme du Boulanger, foi um ponto de partida para redescobrirmos sensações, experimentadas por alguém que é abandonado. E navegando por diversas camadas de percepção, um alguém que se permite estar nos três papéis que definem esta história: o marido, a mulher e o amante”.

A dramaturgia se deu através do processo de pesquisa. O escritor e ator Ismael Caneppele integrou o projeto, construindo o texto através da concepção de pesquisa de Soldatelli. A temporada de estreia conta com o workshop O ator autor, ministrado por Caneppele, que acontece nos dias 7, 9, 14, 16, 21 e 23 de outubro das 11h30 às 14h. A atividade visa exercitar a autonomia do ator na criação dramatúrgica, através de exercícios práticos onde cada participante desenvolverá a sua própria narrativa. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do email nahausportoalegre@gmail.com com currículo e carta de intenção.

A Mulher doPadeiro segue em cartaz até o dia 27 de outubro, com sessões de sexta a domingo, às 21h, na Cia de Arte. Ingressos a R$ 20,00, com 50% de desconto para idosos, estudantes e classe artística.  

Saiba Mais

Evandro Soldatelli

Evandro Soldatelli trabalha como ator de teatro, cinema e televisão há 20 anos. Participou em 2007 das montagens de “Hamlet”, direção de Luciano Alabarse e “Mamãe Foi Pro Alaska” de Ramiro Silveira. Neste mesmo ano, mudou-se para São Paulo onde atuou em “Macbeth – a peça escocesa”, direção de Regina Galdino, “Trilogia de Alice”, ganhador do 12 Festival da Cultura Inglesa, “Bras-Ilha, Carnavalização e Civilização na Cidade Ideal” com a Cia da Revista  e dividiu o palco durante sete meses com Irene Ravache no espetáculo “A Reserva”. Em 2011, voltou a Porto Alegre, onde começou a desenvolver uma pesquisa de linguagem teatral e integrou o elenco da série “Força Tarefa” dirigida por José Alvarenga Jr. Em 2012 foi dirigido por Jorge Furtado e Ana Azevedo no especial “Doce de Mãe” da Rede Globo. Este ano protagonizou, junto com Leonardo Machado a minissérie “Para Que Servem os Homens”, produção da RBS TV que vai ao ar em outubro.

Ramiro Silveira

Doutorando em Pedagogia do Teatro – Formação do Artista Teatral pela USP, Mestre em Direção Teatral (MFA Theatre Directing – distinction) pela Middlesex University – Londres e Bacharel em Artes Cênicas – Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Para sua formação estudou também na GITIS (Academia Russa de Teatro) em Moscou, no RESAD (Escola Superior de Arte Dramática) em Madri e no Teatro Nacional de Bangkok.

Em 2003 e 2004 foi o coordenador geral do Festival Internacional de Teatro e Dança Porto Alegre Em Cena. Desde 2008 é professor de interpretação para cinema e televisão na escola Globe-SP, onde também dirige os espetáculos teatrais de conclusão de curso. Desde 1995 atua profissionalmente como diretor de teatro, tendo sido indicado por duas vezes ao Prêmio Açorianos de  Direção Teatral pelos espetáculos: Toda Nudez Será Castigada, de Nelson Rodrigues (2001) e True West –  Mamãe Foi Pro Alaska, de Sam Shepard (2006). Em 2003 ganhou o prêmio Criação Teatral Volkswagen com o espetáculo A Cantora Careca, de Eugène Ionesco. Também foi diretor assistente para Luke Dixon (Theatre Nomad – Londres) em Macbeth de William Shakespeare e Break at Day de Noel Creig, apresentados em Hong Kong, África do Sul, Canadá, França, Espanha e Inglaterra.

Desde 2001 aprofunda sua pesquisa em direção de atores, desenvolvendo um método próprio de processo de ensaio (Teatro Playground) o qual utiliza em direções de atores e workshops no Brasil e exterior. Este método é tema do doutorado em direção de atores que atualmente realiza na USP, em São Paulo.

Ismael Caneppele

Ismael Caneppele escreveu o livro que deu origem ao filme Os Famosos e Os Duendes da Morte, bem como roteirizou e atuou na película de mesmo nome. Em 2008 estreia como romancista com “Música para Quando as Luzes se Apagam”, pela editora Jaboticaba.

Premiado pela Academia Brasileira de Letras por Os Famosos e Os Duendes da Morte, foi apontado por Caetano Veloso em sua coluna dominical no jornal O Globo como a mais importante revelação literária recente.

Em 2012 levou aos palcos a peça instalação Kollwizstrasse 52, em parceria com Esmir Filho, no MIS, Museu da Imagem e do Som em São Paulo.

Atualmente prepara-se para lançar seu mais novo livro “Verlust [baleia]”. Semanalmente Caneppele escreve sua coluna para o jornal Zero Hora, de Porto Alegre.

A Mulher do Padeiro

De 04 a 27 de outubro

Sextas, sábados e domingos, 21h

Cia de Arte – Rua dos Andradas, 1780

Ingressos a R$ 20,00 – descontos de 50% para idosos, estudantes e classe artística

zerohora_01.10

Blog no WordPress.com.

Acima ↑