Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

Macarenando Dance Concept

Macarenando Dance Concept em Zero Hora do fim de semana

zh_10.08.19.jpg

Macarenando Dance Concept na mídia

correiodopovo_09.08.19

 

jc_08.08.19

 

zh_07.08.19

Macarenando Dance Concept no Correio do Povo

correiodopovo_21.07.19.jpg

Macarenando Dance Concept comemora 05 anos de fundação com programação especial no Theatro São Pedro

IMG_2540

Evento com quatro espetáculos e bate-papo com artistas e equipe ocorrem de 09 a 11 de agosto

Nos dias 09, 10 e 11 de agosto a Macarenando Dance Concept chega ao Theatro São Pedro para celebrar seus cinco anos de existência, promovendo um evento com quatro espetáculos do grupo e um bate-papo com artistas e equipe. A Macarenando Dance Concept é uma iniciativa cultural que investe na Dança como linguagem protagonista fundada em 2013 por Diego Mac. Inserida na perspectiva do desenvolvimento cultural e econômico junto à indústria criativa, a companhia aposta no bom humor e em experiências artísticas originais para se aproximar do público, mobilizar pessoas e provocar transformações.

A “Macarena”, nome que batiza o grupo, é uma canção da dupla espanhola Los Del Río, que obteve imenso sucesso durante os anos 1990 após a criação da célebre coreografia por uma bailarina de flamenco, que se espalhou pelo mundo em 1996 como o hit do verão. Por aqui a iniciativa que utilizou o nome da dança “insiste em resgatar, valorizar e reprocessar o que está a nossa volta e também aquilo que nós mesmos criamos e deixamos no mundo”, afirma Mac. Nestes cinco anos, a Macarenando conta com público total de mais de 10 mil pessoas, mais de 500 produções, passando por diversas cidades e espaços culturais e 14 criações em seu repertório.

Para as comemorações no Theatro São Pedro, estão agendadas as apresentações dos espetáculos Abobrinhas Recheadas: Dance a Letra, Abobrinhas Recheadas Rei Roberto, Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano e Das Tripas Sentimento (2018), além de uma edição especial do projeto Conversas Macarenando.

A programação inicia no dia 09 de agosto, às 21h, com Abobrinhas Recheadas: Dance a Letra. Primeiro espetáculo de Stand-Up Dance Comedy do RS, a obra explora a união da dança e da comédia e apresenta coreografias criadas a partir da pesquisa de gestos literais para letras de músicas brasileiras, que vão de Chico Buarque a Tom Jobim, passando por canções como Construção, Águas de Março, Emoções e Faroeste Caboclo, além dos hits regionais como Amigo Punk, Tertúlia e Porto Alegre é Demais!

No sábado, a Macarenando recebe o público para uma edição do Conversas Macarenando, na Sala de Oficinas do Multipalco Eva Sopher. O bate-papo, uma roda de conversa promovida pela Macarenando Dance Concept e composta por toda e qualquer pessoa interessada em conversar sobre DANÇA e assuntos que dela partem ou que nela chegam, ocorre em diversos espaços trazendo temas relacionados ao mundo da dança. Esta edição especial comemorativa será um encontro de artistas e equipe da companhia para dividir um pouco da história do grupo com o público. A atividade tem entrada franca e as inscrições devem ser feitas pelo formulário até dia 09 de agosto – http://bit.ly/conversas10AGO.

Às 18h, o público poderá conferir o espetáculo Abobrinhas Recheadas: Rei Roberto, uma espécie de versão do espetáculo “Abobrinhas Recheadas: Dance a Letra” somente com músicas da obra do cantor e compositor Roberto Carlos. A performance estreou em 2018 dentro da programação do projeto Ponto de Teatro do Instituto Ling, que promove montagens inéditas de grupos locais com apoio do espaço. Abobrinhas Recheadas: Rei Roberto foi construído a partir de resgates muito pessoais da equipe e que de alguma maneira alcança os mais diversos públicos: “ninguém é imune a Roberto Carlos. Na primeira passada, selecionei quase 300 canções. Precisei de um olhar de fora para controlar o fã”, declara o diretor. Músicas como Além do horizonte, Não vou ficar, Se você pensa, Esse cara sou eu, Todos estão surdos e Eu te darei o céu integram o setlist com 53 canções da performance.

Às 21h é a vez de Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano, que apresenta um conjunto de coreografias criadas a partir da pesquisa de gestos literais para 30 letras de músicas da obra de Caetano Veloso. Em Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano, o procedimento Dance a Letra ganha novas camadas por meio do aprofundamento do estudo da literalidade gestual enquanto elemento de composição cênico-coreográfica e da articulação à poética musical do compositor baiano.

“’Dance a Letra…Caetano’ foi criado num Brasil pós-Queer-Museu. Em um tempo tão partido, cheio de partidas e particionamentos, inundado de intolerância, homofobia, machismo, transfobia, racismo, pós-verdades, vítimas silenciadas e humanos despidos de direitos, louco talvez seja aquele que se pensa inteiro sem a arte e sem o artista. E nós continuamos Macarenando e dançando Caetano ao pé da letra.”, diz Gui Malgarizi, diretor do espetáculo junto com Diego Mac.

No domingo, encerrando a mostra, às 18h ocorre a apresentação do mais recente espetáculo da Macarenando, Das Trips Sentimento (2018). Após 18 anos de sua estreia, o espetáculo Das Tripas Sentimento ganhou uma nova versão, estreada em setembro de 2018. Elis Regina é a personagem que inspirou a montagem original e que segue alimentando esta nova versão. Das Tripas Sentimento (2018) objetiva cultivar, através da linguagem da dança, a memória cultural da música brasileira tendo como fonte a forte interpretação da imortal cantora.

“A proposta é resgatar o sentimento Elis através do universo poético que o seu canto nos sugestiona. Sua trajetória marcada por atitudes inflamadas de guinadas estéticas (e políticas) radicais e interpretações transcendentes nos leva a refletir sobre o percurso da linha evolutiva da sociedade em que vivemos. E, no momento atual em que se faz urgente ouvir uma das vozes femininas mais importantes desse país, direção e equipe se unem no desafio de realizar este projeto. Em 2000, homenageamos. Em 2018, reivindicamos a VOZ”, declara June Machado, diretora das duas versões do espetáculo e mãe de Diego.

O título do espetáculo vem de uma frase da artista: “é preciso fazer das tripas sentimento para poder viver neste país”. Nada mais emblemático neste momento em que estamos vivendo. No repertório do espetáculo, 19 canções célebres da carreira de Elis pautam as cenas que contam com a dramaturgia de Gui Malgarizi.

Os ingressos custam R$ 30,00 para qualquer uma das apresentações, com 50% de desconto para estudantes, idosos, classe artística e professores, mediante comprovação e estão à venda pelo site https://vendas.teatrosaopedro.com.br ou na bilheteria do teatro. O evento Macarenando 05 Anos conta com apoio da Casa de Teatro de Porto Alegre e Theatro São Pedro. Mais informações: https://www.facebook.com/macarenando

 

Cinco anos de Macarenando – por Diego Mac e Gui Malgarizi

A Macarenando Dance Concept é uma iniciativa cultural que investe na Dança como linguagem protagonista na criação de conteúdos artísticos, fornecimento de criatividade e oferecimento de cursos e treinamentos. Inserida na perspectiva do desenvolvimento cultural e econômico junto à indústria criativa, opera na simplicidade, no bom humor, na proposição da experiência sensível, na aproximação com o público, na popularização da dança cênica, na formação de plateia, no agenciamento com diferentes setores e mercados, e no desejo de mudar o mundo, mobilizar pessoas e provocar transformações. Completados cinco anos de existência e chegado o momento de celebração, é inevitável imaginar um jeito de tentar resumir essa jornada. Mas “como medir um ano?”, já questionava Jonathan Larson em “Seasons of Love”. Em horas? Em dias? Aulas? Beijos? Em bilheteria? Bom dia? Centímetros? Em coreografias? Desistências? Em dinheiro? Discussões? Emojis? Espectadores? Espetáculos? Festas? Em fitas de linóleo? Fracassos? Gestos? Em lágrimas? Likes? Luas? Movimentos? Músicas? Noites? Obras? Patrocínios? Pores do sol? Em prêmios? Projetos aprovados? Quilômetros rodados? Em risos? Sustos? Títulos? Vídeos? Em xícaras de café? O próprio compositor nos dá um caminho em sua canção: meça com o amor. Pois bem; quem conhece um pouco da jovem história da Macarenando sabe o quanto nos empenhamos arduamente para celebrar a Cultura, Arte e a Dança por meio do nosso trabalho, com a vivacidade mais contundente que podemos ter, num esforço diário para responder à pergunta: O QUE SE FAZ COM O QUE JÁ SE TEM? Essa pergunta não é nada nova para nós. Não à toa, a Macarena dá nome a essa iniciativa, que desde 2013 insiste em resgatar, valorizar e reprocessar o que está a nossa volta e também aquilo que nós mesmos criamos e deixamos no mundo. Pensar no que já se tem e apontar caminhos para a valorização e o reaproveitamento das nossas conquistas são, sim, também, atitudes éticas, poéticas, políticas, empáticas, amorosas e sustentáveis frente aos possíveis desabamentos trágicos que podem aparecer na vida humana em sociedade. Com o olho vivo, com a piada da ponta da língua ao dedo do pé, com o braço firme para o golpe, com o coração aberto e com a cabeça bem feita para os giros, aí estamos, mostrando um pouco do que temos e de como pretendemos seguir em frente.

Serviço – Mostra Macarenando Dance Concept 05 anos

09, 10 e 11 de agosto – Theatro São Pedro

  • [09/ago, 21h] ABOBRINHAS RECHEADAS: DANCE A LETRA
  • [10/ago, 10h] CONVERSAS MACARENANDO: bate-papo com artistas e equipe Macarenando – Sala de Oficinas Multipalco Eva Sopher – inscrições até 09/08 pelo link http://bit.ly/conversas10AGO.
  • [10/ago, 18h] ABOBRINHAS RECHEADAS: REI ROBERTO
  • [10/ago, 21h] DANCE A LETRA…CAETANO
  • [11/ago, 18h] DAS TRIPAS SENTIMENTO (2018)

 

FICHA TÉCNICA | ABOBRINHAS RECHEADAS: DANCE A LETRA

  • Direção e coreografia: Diego Mac e Gui Malgarizi
  • Bailarinos: Daniela Aquino, Diego Mac, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree
  • Produção: Sandra Santos
  • Assistência de produção: Giulia Baptista Vieira e Arthur Bonfanti
  • Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
  • Operação de som: Dani Dutra
  • Fotos: Gui Malgarizi e Dani Dutra
  • Duração: 75 minutos
  • Classificação etária: livre

 

FICHA TÉCNICA | ABOBRINHAS RECHEADAS: REI ROBERTO

  • Direção: Diego Mac e Gui Malgarizi
  • Coreografia: Aline Karpinski Dias, Arthur Bonfanti, Dani Boff, Daniela Aquino, Dani Dutra, Denis Gosch, Diego Mac, Giulia Baptista Vieira, Gui Malgarizi, Juliana Rutkowski, Nilton Gaffree Jr. e Sandra Santos.
  • Produção: Sandra Santos
  • Elenco: Aline Karpinski Dias, Arthur Bonfanti, Daniela Aquino, Dani Dutra, Denis Gosch, Giulia Baptista Vieira, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree Jr.
  • Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
  • Trilha sonora: montagem de Diego Mac e Gui Malgarizi a partir da obra de Roberto Carlos
  • Duração: 60 minutos
  • Classificação etária: livre

FICHA TÉCNICA | DANCE A LETRA…CAETANO

  • Direção: Diego Mac e Gui Malgarizi
  • Coreografia: Diego Mac
  • Produção: Sandra Santos
  • Elenco: Aline Karpinski Dias, Arthur Bonfanti, Daniela Aquino, Dani Dutra, Dani Boff, Denis Gosch, Giulia Baptista Vieira, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree Jr.
  • Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
  • Assistência de produção e iluminação: Arthur Bonfanti e Giulia Baptista Vieira
  • Trilha sonora: montagem de Diego Mac e Gui Malgarizi a partir da obra de Caetano Veloso
  • Fotos: Cintia Bracht e Gui Malgarizi
  • Duração: 45 minutos
  • Classificação etária: livre

 

FICHA TÉCNICA | DAS TRIPAS SENTIMENTO (2018)

  • Direção artística e coreográfica: June Machado
  • Elenco: Cassandra Calabouço, Dani Boff, Denis Gosch, Diego Mac, Joana Amaral, Rossana Scorza, Thais Petzhold
  • Dramaturgia: Gui Malgarizi
  • Direção de pesquisa: Eunice Muniz da Silva
  • Direção de Produção: Sandra Santos
  • Produção e Cenário: Arthur Bonfanti
  • Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
  • Fotografias: Gui Malgarizi e Claudio Etges
  • Gestão do projeto: Diego Mac
  • Duração: 90 minutos
  • Classificação etária: livre

Mostra Macarenando Dance Concept 05 anos

  • Realização: Macarenando Dance Concept
  • Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor
  • Apoio: Casa de Teatro, Theatro São Pedro

Macarenando Dance Concept na coluna de Luiz Gonzaga Lopes no Correio do Povo

correiodopovo_14.07.19.jpg

Abobrinhas Recheadas tem apresentações na Livraria Cultura nos dias 07, 08, 09 de junho

abobrinhas_creditoguimalgarizi

 Livraria Cultura recebe o único espetáculo de STAND UP DANCE COMEDY do RS

 

Porto Alegre, 16 de maio de 2019 – Primeiro espetáculo de Stand-Up Dance Comedy do RS, Abobrinhas Recheadas realiza sua 15ª Temporada nos dias 07, 08, 09 de junho, sexta e sábado às 20h, e domingo às 18h30, no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura, no Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, 80).

O público poderá conferir a versão Dance a Letra do espetáculo, com coreografias criadas a partir da mímica de letras de músicas famosas, que vão de Chico Buarque a Tom Jobim, passando por canções como Construção, Águas de Março, Show das Poderosas, Emoções e Faroeste Caboclo, além dos hits regionais como Amigo Punk, Tertúlia e Porto Alegre é Demais!, apresentadas por Daniela Aquino, Diego Mac, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree

Produzido pela Macarenando Dance Concept, Abobrinhas Recheadas explora a união da dança e do humor e colabora na aproximação do público com as artes cênicas. A montagem foi indicada em quatro categorias do Prêmio Açorianos de Dança 2009 e venceu em duas: Melhor Bailarino (Nilton Gaffrée) e Melhor Espetáculo eleito pelo Júri Popular (Prêmio RBS Cultura).

Segundo o diretor Gui Malgarizi, “o arranjo coreográfico de elementos comuns da cultura permite explorarmos a comicidade cênica da dança, trazendo diferentes formas de questionamento do corpo, da cultura pop, da mídia, da política. Com humor, aproximamos o público da dança e fomentamos a formação de plateias na área”.

Os ingressos custam R$ 40,00 com 50% de desconto para estudantes, maiores de 60 anos e classe artística pelo site http://bit.ly/abobrinhascultura   ou presencialmente na  Livraria Cultura. Mais informações: http://www.macarenando.com.br/abobrinhasrecheadas
https://www.facebook.com/abobrinhasrecheadas

Abobrinhas Recheadas – Dance a Letra
07, 08, 09 de junho
Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h30
Teatro Eva Herz da Livraria Cultura, no Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, 80).

Duração: 80 minutos
Classificação Etária: Livre

 

Ingressos
R$ 40
50% desconto para estudantes, +60 e classe artística

 

Pontos de venda
Online: http://bit.ly/abobrinhascultura

Presencial: Livraria Cultura do Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, 80)

 

Ficha técnica
Direção e coreografia: Diego Mac e Gui Malgarizi
Bailarinos: Daniela Aquino, Diego Mac, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree
Produção: Sandra Santos
Assistência de produção: Giulia Baptista Vieira e Arthur Bonfanti
Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
Fotos: Gui Malgarizi e Dani Dutra
Assessoria de imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor
Apoio: Casa Cultural Tony Petzhold e Casa de Teatro
Realização: Macarenando Dance Concept

Vídeos

 

Mais informações
http://www.macarenando.com.br/abobrinhasrecheadas
https://www.facebook.com/abobrinhasrecheadas

http://www.macarenando.com.br
https://www.facebook.com/macarenando

Evento
https://web.facebook.com/events/423728041524643/

Das Tripas Sentimento (2018) e Dance a Letra Caetano voltam a cartaz na Casa Cultural Tony Petzhold

TRIPA-789

Macarenando Dance Concept investe em temporada compartilhada para apresentar espetáculos inspirados em Elis Regina e Caetano Veloso

 

A Macarenando Dance Concept terá dupla jornada nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro com a apresentação dos espetáculos “Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano”, às 19h, e “Das Tripas Sentimento (2018)”, às 21h30, na Casa Cultural Tony Petzhold.

Após 18 anos de sua estreia, o espetáculo Das Tripas Sentimento ganhou uma nova versão, estreada em setembro de 2018. Elis Regina é a personagem que inspirou a montagem original e que segue alimentando esta nova versão. Das Tripas Sentimento (2018) objetiva cultivar, através da linguagem da dança, a memória cultural da música brasileira tendo como fonte a forte interpretação da imortal cantora. “A proposta é resgatar o sentimento Elis através do universo poético que o seu canto nos sugestiona. Sua trajetória marcada por atitudes inflamadas de guinadas estéticas (e políticas) radicais e interpretações transcendentes nos leva a refletir sobre o percurso da linha evolutiva da sociedade em que vivemos. E, no momento atual em que se faz urgente ouvir uma das vozes femininas mais importantes desse país, direção e equipe se unem no desafio de realizar este projeto. Em 2000, homenageamos. Em 2018, reivindicamos a VOZ”, declara June.

O título do espetáculo vem de uma frase da artista: “é preciso fazer das tripas sentimento para poder viver neste país”. Nada mais emblemático neste momento em que estamos vivendo. No repertório do espetáculo, 19 canções célebres da carreira de Elis pautam as cenas que contam com a dramaturgia de Gui Malgarizi e pesquisa de Eunice Muniz da Silva.

Para quem assistiu a versão de 2000 de Das Tripas… terá a grata surpresa de reencontrar em cena os bailarinos Diego Mac – filho de June, diretor da Macarenando e que na época iniciava sua carreira artística – Thais Petzhold e Dani Boff que integravam o elenco original da montagem. Acompanham Diego, Thais e Dani os bailarinos Cassandra Calabouço, Denis Gosh, Lu Paludo e Rossana Scorza.

Já “Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano” apresenta um conjunto de coreografias criadas a partir da pesquisa de gestos literais para 30 letras de músicas da obra de Caetano Veloso. A obra é derivada do jogo coreográfico Dance a Letra, que consiste em criar danças a partir da mímica de letras de músicas famosas. O procedimento é desenvolvido pela Macarenando Dance Concept desde 2013 no espetáculo Abobrinhas Recheadas – O Jogo, que explora a relação da dança com o humor e a comédia e é o primeiro Stand-Up Dance Comedy do RS. Em “Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano”, o procedimento Dance a Letra ganha novas camadas por meio do aprofundamento do estudo da literalidade gestual enquanto elemento de composição cênico-coreográfica e da articulação à poética musical de Caetano Veloso.

“Num Brasil pós-Queer-Museu, Caetano Veloso e suas canções iluminam nove bailarinos, dois diretores e uma produtora em um espetáculo. Em um tempo tão partido, cheio de partidas e particionamentos, inundado de intolerância, homofobia, machismo, transfobia, racismo, pós-verdades, vítimas silenciadas e humanos despidos de direitos, louco talvez seja aquele que se pensa inteiro sem a arte e sem o artista. E nós continuamos Macarenando e dançando Caetano ao pé da letra. Se as lágrimas forem salgadas demais, garantimos que a doçura dos risos equilibrará a luta”, afirmam os diretores Diego Mac e Gui Malgarizi.

A Casa Cultural Tony Petzhold estará aberta a partir das 18h durante a temporada, com o bar funcionando, para receber o público e já entrar no clima antes e entre as apresentações, oferecendo drinks e cardápio criados especialmente para os espetáculos. A curta temporada ocorre nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro, com apresentações às 19h (Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano) e às 21h30 (Das Tripas Sentimento 2018). Os ingressos custam R$ 40,00. Valor promocional de R$ 70,00 com ingresso para os dois espetáculos. Ingressos antecipados online ou venda presencial na Loja Imaginarium Iguatemi e Casa Cultural Tony Petzhold. Durante as apresentações, os ingressos estarão à venda uma hora antes do espetáculo. A Casa Cultural Tony Petzhold fica na Avenida Cristovão Colombo, 400. Mais informações: facebook.com/macarenando | (51) 98918 2124

TEMPORADA

30 de novembro, 01 e 02 de dezembro
Às 19h | Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano
Às 21h30 | Das Tripas Sentimento (2018)

LOTAÇÃO: 40 LUGARES

COMBO (ingressos para os 2 espetáculos)

INTEIRA: R$ 70

MEIA: R$ 35 (50% de desconto para professores, estudantes, classe artística e idosos, conforme legislação)

 VALORES

INTEIRA: R$ 40

MEIA: R$ 20 (50% de desconto para professores, estudantes, classe artística e idosos, conforme legislação)

 

COMO COMPRAR

– Online (taxa de conveniência de 10% paga pelo cliente):
https://elisecaetano.eventize.com.br/

 – Presencial:

Loja Imaginarium – Shopping Iguatemi (Av. João Wallig, 1800). Pagamento somente em dinheiro

Casa Cultural Tony Petzhold (Cristóvão Colombo, 400): de segunda a sexta, das 9h às 12h. Pagamento somente em dinheiro.

– Na hora:

1h antes do espetáculo. Pagamento somente em dinheiro

 

EVENTO

https://www.facebook.com/events/1157637451059398/

 

FICHA TÉCNICA: DAS TRIPAS SENTIMENTO

Direção artística e coreográfica: June Machado

Elenco: Cassandra Calabouço, Dani Boff, Denis Gosch, Diego Mac, Lu Paludo, Rossana Scorza, Thais Petzhold

Dramaturgia: Gui Malgarizi

Direção de pesquisa: Eunice Muniz da Silva

Direção de Produção: Sandra Santos
Produção e Cenário: Arthur Bonfanti

Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos

Coordenação das Garrafas: Giulia Baptista Vieira e Gustavo Petri

Assessoria de imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Visagismo: Equipe Studio Leo Zamper – Leo Zamper, Becca Martins, Gui Kaufmann e Lucas Lemes

Fotografias: Gui Malgarizi e Claudio Etges

Gestão do projeto: Diego Mac

Realização: Macarenando Dance Concept e Casa Cultural Tony Petzhold

Duração: 90 minutos

Classificação etária: livre

FICHA TÉCNICA: DANCE A LETRA GRUPÃO POCKET LIVE GESTOS CAETANO
Dance a Letra Grupão Pocket Live Gestos Caetano
Direção: Diego Mac e Gui Malgarizi

Coreografia: Diego Mac
Produção: Sandra Santos
Elenco: Aline Karpinski Dias, Arthur Bonfanti, Daniela Aquino, Dani Dutra, Dani Boff, Denis Gosch, Giulia Baptista Vieira, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree Jr.
Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
Assistência de produção e iluminação: Arthur Bonfanti e Giulia Baptista Vieira
Trilha sonora: montagem de Diego Mac e Gui Malgarizi a partir da obra de Caetano Veloso
Assessoria de imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor
Fotos: Cintia Bracht
Apoio: Casa Cultural Tony Petzhold
Realização: Macarenando Dance Concept

Duração: 45 minutos

Classificação etária: livre

+ INFO

facebook.com/macarenando

macarenando@macarenando.com.br

(51) 9 8918 2124

Das Tripas Sentimento (2018) estreia em 20 de setembro na Casa Cultural Tony Petzhold

Das Tripas Sentimento (2024) - Foto Gui Malgarizi

Espetáculo de dança retorna 18 anos depois em nova montagem aos palcos de Porto Alegre e reivindica a voz de uma das maiores cantoras da música brasileira: Elis Regina

Após 18 anos de sua estreia, o espetáculo Das Tripas Sentimento retorna a Casa Cultural Tony Petzhold em uma nova versão que terá première no dia 20 de setembro. Com direção de June Machado e direção musical de Geraldo Flach, o projeto obteve sucesso absoluto de público e crítica: mais de 5.000 espectadores; seis Troféus Açorianos de Dança (levou as categorias Espetáculo, Bailarina, Figurino, Cenário, Trilha-Sonora e Produção); e apresentações emblemáticas, como a primeira atração do grande show de inauguração do Anfiteatro Pôr do Sol.

Elis Regina é a personagem que inspirou a montagem original e que segue alimentando esta nova versão. Das Tripas Sentimento (2018) objetiva cultivar, através da linguagem da dança, a memória cultural da música brasileira tendo como fonte a forte interpretação da imortal cantora. “A proposta é resgatar o sentimento Elis através do universo poético que o seu canto nos sugestiona. Sua trajetória marcada por atitudes inflamadas de guinadas estéticas (e políticas) radicais e interpretações transcendentes nos leva a refletir sobre o percurso da linha evolutiva da sociedade em que vivemos. E, no momento atual em que se faz urgente ouvir uma das vozes femininas mais importantes desse país, direção e equipe se unem no desafio de realizar este projeto. Em 2000, homenageamos. Em 2018, reivindicamos a VOZ”, declara June.

O título do espetáculo vem de uma frase da artista: “é preciso fazer das tripas sentimento para poder viver neste país”. Nada mais emblemático neste momento em que estamos vivendo. No repertório do espetáculo, 19 canções célebres da carreira de Elis pautam as cenas que contam com a dramaturgia de Gui Malgarizi e pesquisa de Eunice Muniz da Silva. Integram a trilha do espetáculo composições como Romaria, Cartomante, Gracias a La Vida, Dois pra lá Dois pra Cá, Deus Lhe Pague, Travessia, Alô Alô Marciano, Como Nossos Pais, Velha Roupa Colorida, entre outras.

Para quem assistiu a versão de 2000 de Das Tripas… terá a grata surpresa de reencontrar em cena os bailarinos Diego Mac – filho de June, diretor da Macarenando e que na época estreava como bailarino no espetáculo – Thais Petzhold e Dani Boff que integravam o elenco original da montagem. Acompanham Diego, Thais e Dani os bailarinos Cassandra Calabouço, Denis Gosh, Lu Paludo e Rossana Scorza.

A Casa Cultural Tony Petzhold estará aberta a partir das 18h durante a temporada, com o bar funcionando, para receber o público e já entrar no clima antes da apresentação, oferecendo drinks e cardápio criados especialmente para o espetáculo. A temporada ocorre de 21 a 30 de setembro com apresentações de sexta a domingo sempre às 20h e ingressos a R$ 60,00. Valor promocional de R$ 50,00 para venda antecipada (unidades limitadas) online ou nos pontos de venda (Casa Tony Petzhold e Loja Imaginarium Iguatemi. Durante as apresentações, os ingressos estarão à venda uma hora antes do espetáculo.  A Casa Cultural Tony Petzhold fica na Avenida Cristovão Colombo, 400. Mais informações:facebook.com/macarenando | (51) 98918 2124

TEMPORADA DE ESTREIA

20/set: première para convidados

21, 22, 23/set | 20h

28, 29, 30/set | 20h

LOTAÇÃO: 40 LUGARES

LOTE PROMO (unidades limitadas)

INTEIRA: R$ 50

MEIA: R$ 25 (50% de desconto para estudantes, idosos e classe artística, conforme legislação)

 VALORES

INTEIRA: R$ 60

MEIA: R$ 30 (50% de desconto para estudantes, idosos e classe artística, conforme legislação)

 COMO COMPRAR

– Online (taxa de conveniência de 10% paga pelo cliente): https://dastripassentimento2018.eventize.com.br

 – Presencial:

Casa Cultural Tony Petzhold (Cristóvão Colombo, 400): das 9h às 18h. Pagamento somente em dinheiro.

Loja Imaginarium – Shopping Iguatemi (Av. João Wallig, 1800). Pagamento somente em dinheiro

– Na hora:

1h antes do espetáculo.

 

 EVENTO

https://www.facebook.com/events/235687507261540/

 FICHA TÉCNICA

Direção artística e coreográfica: June Machado

Elenco: Cassandra Calabouço, Dani Boff, Denis Gosch, Diego Mac, Lu Paludo, Rossana Scorza, Thais Petzhold

Dramaturgia e Iluminação: Gui Malgarizi

Direção de pesquisa: Eunice Muniz da Silva

Direção de Produção: Sandra Santos

Produção e Cenário: Arthur Bonfanti

Coordenação das Garrafas: Giulia Baptista Vieira

Assessoria de imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Visagismo: Equipe Studio Leo Zamper  – Leo Zamper, Becca Martins, Gui Kaufmann e Lucas Lemes

Fotografias: Gui Malgarizi e Claudio Etges

Gestão do projeto: Diego Mac

Realização: Macarenando Dance Concept e Casa Cultural Tony Petzhold

Duração: 90 minutos

Classificação etária: livre

+ INFO

facebook.com/macarenando

macarenando@macarenando.com.br

(51) 9 8918 2124

Depoimentos equipe:

JUNE MACHADO (DIRETORA ARTÍSTICA E COREÓGRAFA)

“Das Tripas Sentimento (2018)” é um projeto que transita no universo musical eliseano e que se apropria da linguagem da dança como forma de expressão artística. Nesse contexto, o que prevalece é o sentido poético que o canto de Elis sugestiona ao bailarino-intérprete. E a coisa acontece assim, fio por fio, até o desenrolar de toda a trama.

GUI MALGARIZI (DRAMATURGISTA)

Surpresa. Felicidade. Honra. Expectativa.

Essas são as sensações que me vêm à mente quando penso no convite para integrar a equipe do “Das Tripas Sentimento 2018”. Na sequência, a palavra de ordem passou a ser: Desafio. “Qual será o espaço do dramaturgista nesta obra?”

Tateei pelo processo por certo tempo. Naquele ar multifacetado e sinuoso dos incessantes laboratórios, consegui abrir os sentidos para mergulhar no universo “eliseano” proposto-declamado pela diretora e coreógrafa June Machado. Os “big bangs” começam a estalar naquele espaço tão restrito-infinito: a sala de ensaio-espetáculo, onde os corpos dos artistas íntegros-inteiros eram tatuados pela voz da diretora.

Em algum momento, aquela frase presente no texto da concepção da obra, que ecoava há tanto, faz sentido: “hoje reivindicamos a voz”. De que voz estamos falando? “A de Elis”, seria a resposta óbvia. Talvez um ponto de partida. Mas por que reivindicá-la? Essa é a investigação que acabou por caracterizar o espaço do dramaturgista. Os prolongamentos começam a surgir quando nos damos conta que, tal qual Elis, somos artistas usando nossa voz-cena para preencher o mundo e dançar as vozes, mesmo ante qualquer força em sentido contrário, continuarão a dançar nos palcos que ainda restarem.

EUNICE MUNIZ DA SILVA (DIRETORA DE PESQUISA)

Participar da equipe que está trabalhando o espetáculo “Das Tripas Sentimento 2018” é uma honra enorme, principalmente, por desfrutar do convívio e da cumplicidade com direção, produção, artistas talentosos, pessoas tão vocacionadas e especiais, que se entregam com muito afeto e disponibilidade artística para o êxito do trabalho.

               Elaborar e executar uma obra artística inspirada no universo da cantora Elis Regina é um grande desafio. A irreverência de Elis observada e estudada em cada palavra cantada dá sentido aos poemas e aos arranjos das canções, com suas interpretações memoráveis e inesquecíveis expondo toda a sua emoção. A interpretação de Elis era feita com coragem como um ato do coração, uma virtude do ser humano, uma força para agir apesar das dificuldades ou dos perigos. É com esta inspiração que trabalhamos cada etapa do espetáculo e desejamos que isso chegue ao público.

Elis trabalhou de maneira a quebrar um conjunto de padrões artísticos, orientadores e estabelecidos até então, para espetáculos de cantores e cantoras. Ela mudou paradigmas realizando espetáculos reunindo artistas de diversas áreas.

A maneira como Elis cantava e interpretava as canções deixava aflorar o seu “eu poético” referindo na voz a expressão dentro do poema, ou seja, aquela voz responsável por nos transmitir e tocar nossos sentimentos e emoções.

O autor criava o poema, a letra da canção, mas o eu poético de Elis era a voz que cantava, que expressava os sentimentos dentro do poema. Pelas características da cantora Elis Regina o desafio desse trabalho é enorme, pois é preciso entender profundamente a sua emoção e a sua VOZ.

Respeito tem seu significado original do latim: “olhar outra vez”. Por essa razão, voltamos à obra de Elis em 2018, como uma forma de prestar culto, veneração, admiração ou fazer um tributo. É como ouvir a expressão: “Eu a respeito”.

Considero que a obra artística de Elis Regina está composta de belas interpretações que refletem o respeito pela Música Popular Brasileira e pelo Brasil.

Viva “Das Tripas Sentimento 2018”.

Viva Macarenando Dance Concept.

Viva Casa Cultural Tony Petzhold.

CASSANDRA CALABOUÇO (BAILARINA)

Lembro que fiquei muito impressionado quando assisti ao espetáculo em 2000. Na verdade, eu fiquei maravilhado! Achei o espetáculo inteligente, inovador, instigante! Havia um discurso poético e político refinado e muito bem dito através de cenas, corpos e movimentos! Aquela dança era definitivamente um olhar diferente do que eu sempre havia suposto que o repertório de Elis Regina pudesse inspirar. 18 anos depois, recebo o convite para integrar o elenco de intérpretes que fará um novo Das tripas sentimentos! Que privilégio ser dirigido pela grande mestra June Machado! O elenco deste trabalho é composto de amigos – bailarinos – artistas – colegas – irmãos de profissão que eu admiro e convivo há tanto tempo. Que honra estar neste elenco! Com o convite, uma surpresa: integrar o elenco não como Nilton, mas através da minha persona drag Cassandra Calabouço. Um prazer imenso. Um desafio imenso. Das tripas sentimento.

DANI BOFF (BAILARINA)

Criar o Das tripas Sentimento em 2018 é de uma maneira revisitar o Das tripas sentimento de 2000. Na época inicial dessa visita eu era uma bailarina grávida, que entrou no elenco com o processo de criação finalizado e apresentações em andamento, entrei para uma substituição. Era ano de inauguração do Anfiteatro Pôr-do-sol e lá estava eu dançando o bêbado e a equilibrista, eu e a minha filha. Eu no palco. Ela na barriga. Nós no Das Tripas.

 Em cena prometi para ela, que jamais deixaria calar a voz da mulher e da arte. E da mulher na arte.  E 18 anos depois cá estou eu, ou melhor, cá estamos nós. Eu em cena e ela nos ensaios, nos bastidores, na plateia. E em cena também, sendo essa memória viva diante dos meus olhos. Juntar essas tripas em 2018 é falar da minha história como bailarina e mulher.

Esse momento de juntar as tripas, reorganizar as ideias e ir para a cena dizer o que é urgente, o que não pode nem deve ser calado, é dar voz. É transformar a voz em movimento.  É DAR VOZ AO CORPO.

 A atemporalidade das músicas cantadas por Elis é ao mesmo tempo impressionante e assustadora. Fascinam por dialogar com os acontecimentos contemporâneos e assustam por esse mesmo motivo. A censura está de volta, o golpe está de volta, estaríamos nós de volta aos tempos sombrios? Estaríamos relendo aquelas páginas infelizes da nossa história?

Não tenho nenhuma certeza sobre essas perguntas, nem sobre as respostas. Mas tenho a certeza que o nosso espaço temos que cavar, na marra. Rindo se possível. Como diria a própria Elis e como dizemos em cena.

Não poso terminar esse relato-diário de campo sem falar no processo de entrada nesse espetáculo.

Ahhhh esse processo delicioso de chafurdar na lama, ou melhor, nas tripas:

Chamo carinhosamente de Juntar as Tripas o processo de criação deste Das tripas Sentimento 2018, e esta maneira descreve muito bem o que foi e o que está sendo essa criação, um momento de dialogar com as memórias e dar forma a elas, coloca-las para dançar, mergulhar nesse universo de Elis. Escutar as músicas que dançamos algumas vezes, todos os dias, as vezes o dia inteiro, o processo de criação foi também um processo de desnudar essa pessoa-artista-bailarina que estaria em cena.

Muito mais do que criar o que faríamos em cena, a tarefa era mostrar quem é essa pessoa que estaria em cena, como esse corpo se movia, que significados ele criava. Foi (e está sendo) um processo de aproximação. De impregnação. Aproximar-se e impregnar-se de Elis e deixar ela falar através de nossos corpos.

Através do meu corpo ela grita. Tu escuta?

SANDRA SANTOS (DIRETORA DE PRODUÇÃO)

Em março de 1999 fui apresentada a arte da dança e não foi nada básico, minha iniciação foi ao som de Elis Regina. Naquele 17 de março Elis estaria de aniversário e para lembrar a data, a amiga de uma amiga reuniu artistas da dança e juntos interpretaram: O Bêbado e o Equilibrista, Saudosa Maloca e Fascinação. Lembro de detalhes até hoje.

Em fevereiro de 2000 nasceu o espetáculo e dentro e fora da obra renasceu uma nova Sandra, que gradativamente foi deixando no passado as tristezas de uma depressão. Neste renascimento, muito além da cenotécnica surge uma pessoa sedenta de todos os conhecimentos relacionadas a artes cênicas, iluminação, cenário, sonorização e produção.

O Das Tripas Sentimento teve seu tempo e seus ensinamentos, entre eles a lição de que o espetáculo não pode parar e para a isso a necessidade de se aprimorar, acumular conhecimentos e assim foi por 18 anos… Muitas obras foram criadas, novas técnicas estudadas e aplicadas nos mais variados temas. O que um dia começou como hobby, hoje é profissão.

E no meio do intenso 2018, June Machado mais uma vez reúne artistas e técnicos para fazer Das Tripas Sentimento, novamente estudar o legado deixado por Elis.

Esse convite não é só emocionante, é realizador. Reviver Elis, sua trajetória, sua obra, seus discursos cantados e falados, que mesmo tendo passado 4 décadas são tão atuais e necessários. Ainda temos muito o que ouvir de Elis Regina.

LUCIANA PALUDO (BAILARINA)

Estar participando desse processo tem sido um tempo de entrar em conexão com a obra de Elis – que tanto fez parte de minhas referências artísticas, na infância e adolescência. Chego a pensar, por exemplo, que o álbum “Falso Brilhante” tenha exercido uma influência muito forte, na maneira que passei a entender as possibilidades estéticas em dança – pensava isso de uma maneira muito intuitiva, até pouco tempo atrás – (para quem nunca ouviu, escute-o e preste atenção na diversidade estética presente na escolha do repertório, nos arranjos e na voz de nossa imortal Elis). Então, tudo isso ganha outras camadas e sentidos…

Dançar Elis (nossa, dançar Elis!), com essa troupe de artistas que admiro e respeito muito, tem sido um aprendizado de arte e de vida; estamos no processo desde janeiro. E June Machado nos conduz a uma espécie de “universo onírico elisiano”; ela nos faz olhar os braços de Elis (e como tem dança naqueles braços – e no seu corpo todo!); leva-nos a revisitar Lennie Dale – e a repensar, hoje, em toda influência que ele teve no gestual de Elis, no início de sua carreira. A partir daí, muitas metáforas, muitos desdobramentos e imagens alimentam a nossa poética. Muito trabalho.

Então, penso no “olho” do Gui Malgarizi, sempre atento ao que ocorre durante os nossos ensaios, em seu papel de dramaturgista – e a relação de respeito que se estabelece entre ele, June e todo o elenco. A equipe técnica luxuosa, com Arthur, Sandra e, agora, a Giulia; a Eunice, que nos ajuda nas pesquisas. A Casa Tony Petzhold que nos abriga, com suas paredes tão impregnadas de tantas memórias de danças… É bonito de ver! [e de estar ali].

Em “Das tripas sentimento, 2018” estamos “reivindicando a voz” e, a cada dia, compreendendo mais o que isso significa. Para trazermos ao público esse espetáculo, ou, como diz June, “este show”.

 

 

DENIS GOSCH (BAILARINO)

Se me perguntarem qual é o som de um domingo de manhã eu digo Elis! Desde muito pequeno me lembro de acordar aos domingos com o cheiro do café, ovo mole e “Romaria” tocada no disco de vinil. Tudo preparando e orquestrado pelo meu pai depois de voltar da tradicional feira.

– Ela era do IAPI! – dizia ele cheio de orgulho de quem foi criado no bairro. – Morava ali no bloco do Fulano, perto do Ciclano, embaixo da dona Beltrana. “Dizem” que se conheciam de vista, mas isso eu já não sei se eu mesmo inventei e enxertei em minhas memórias.

Conhecidos, vizinhos ou não o fato é que sua voz sempre embalou e preencheu de calor a minha lembrança de um café da manhã em família.

“Gracias a la vida que me ha dado tanto!”

Tanto amor e admiração que hoje se espalha hereditariamente. Mas apesar de tudo que narrei, não foi da parte paterna que recebi este legado. A verdadeira fã da Pimentinha sempre foi a minha mãe. Pouco tempo atrás, na dúvida de um presente, era só desencavar um CD ou DVD da Elis Regina. BINGO! Até hoje quando vejo imagens da “maior cantora que este país já teve” em entrevistas, shows ou programas, não consigo deixar de visualizar minha mãe. Talvez os sempre cabelos curtos… O cigarro da época em que minha mãe fumava… Ou só a memória de ser alguém que ela gosta. Ou talvez tenha algo mais, algo dessa força de mulher. Uma potência! Garra! A manha! O INÊS-plicavel amor! Essas coisas que fazem da gente o que nós somos.

“Apesar de termos feito tudo o que fizemos…”

Sabe o resto da música? Ainda bem!

ARTHUR BONFANTI (PRODUTOR)

Das Tripas (é) Sentimento. É olhar para trás e caminhar para frente. É sair do lixo com as mãos sujas de ouro. Brincar de tempo, com o tempo. É arrastão. É beco. É maioridade. Erguer voz e microfone, tomando outras proporções e cachaça. Espetáculo de referências e para reverências. É dança. É fazer das tripas sentimento.

 

 

GIULIA BAPTISTA VIEIRA (COORDENADORA DAS GARRAFAS)

Receita Sentimental de Tripas:

  1. Compõe-se em tripas poéticas
    2. Sacos velhos são como sentimentos
    3. Acrescenta-se carne da história da dança
    4. Escutam música
    5. Mãos de aves saltam de imensidões
    6. E libertam-se

Casa do Medo traz edição inspirada em José Saramago

casadomedo

Encenação oferece experiência interativa e sensorial de terror imersivo na Casa Cultural Tony Petzhold em agosto

 

Sucesso de público desde sua estreia em junho de 2017, o projeto Casa do Medo, da Macarenando Dance Concept, traz uma nova edição inspirada no romance “Ensaio sobre a Cegueira”, de José Saramago. A edição CEGUEIRA ocorre nos dias 17, 18 e 19 de agosto, na Casa Cultural Tony Petzhold.

A nova edição, “CEGUEIRA”, é inspirada no romance “Ensaio sobre a Cegueira”, de José Saramago, e desafia o público a fazer a travessia pela casa sem poder enxergar absolutamente nada. “A ideia é que a cegueira, a privação da visão, o breu total, a impossibilidade de enxergar sejam gatilhos para experimentar diferentes situações sensoriais e despertar os diferentes tipos de medo que as pessoas têm, desde um simples medo de escuro até uma complexa cegueira social contemporânea”, afirma Diego Mac, diretor do projeto.

Casa do Medo é um formato inovador de encenação que coloca o público como protagonista de uma experiência interativa e sensorial de terror imersivo. Não pense em túnel do terror, trem-fantasma ou similares de parques de diversão. Casa do Medo é diferente das atrações de terror existentes no Brasil. Trata-se de uma visita a uma casa real, conduzida por uma narrativa fragmentada pelos vários aposentos do local. Inspirada em filmes de terror e em games de survival horror, a passagem pela casa é uma experiência de grupo e um teste de coragem, e coloca o público dentro de uma experiência sensorial de cortar a respiração. É indicado para os amantes do terror e não é aconselhável ao público mais sensível. Todo o processo é realizado por profissionais treinados e habilitados para promover a experiência com eficácia e segurança, portanto, as regras devem ser cumpridas fielmente, sob pena de exclusão de participantes, avisam os organizadores.

O lançamento da Casa do Medo ocorreu em junho de 2017, com altíssimo sucesso e engajamento de diferentes tipos de público e sessões lotadas na Casa Cultural Tony Petzhold. Os ingressos são disponibilizados antecipadamente e esgotam rapidamente assim que lançados. Cada sessão tem um público restrito de 13 pessoas.

As sessões ocorrem dias 17, 18 e 19 de agosto, na Casa Cultural Tony Petzhold, das 19h às 02h, com ingressos a R$ 50,00 (50% de desconto para estudantes e idosos).

 

EDIÇÃO CEGUEIRA [AGO/2018]

17, 18, 19/ago
Sessões: 19h, 20h, 21h, 22h, 23h, 0h, 01h, 02h

 

VALORES

MEIA*: R$ 25
INTEIRA: R$ 50
(*50% de desconto para estudantes, idosos e classe artística, conforme legislação)

 COMO COMPRAR

Somente online (taxa de conveniência de 10% paga pelo cliente): https://casadomedocegueira.eventize.com.br

 

EVENTO

https://www.facebook.com/events/237291513751598/

 

+ INFO

facebook.com/casadomedopoa

facebook.com/macarenando

casadomedo@macarenando.com.br

(51) 9 8918 2124

 

REALIZAÇÃO

Macarenando Dance Concept

 

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO

  1. Você poderá ser tocado durante a visita.
  2. Você não deverá comparecer à experiência portando quaisquer objetos que prejudiquem a sua mobilidade, tais como mochilas, bolsas, acessórios ou assemelhados. Não há serviço de Chapelaria!
  3. A pessoa deverá ser capaz de: agachar, ajoelhar, subir e descer escadas.
  4. Para a edição CEGUEIRA, é expressamente proibida a entrada de menores de 12 anos, grávidas, pessoas com problemas cardíacos, claustrofóbicas e epiléticas.
  5. O preço do ingresso é por visitante.
  6. Os ingressos são vendidos antecipadamente online (mais informações abaixo). Não há venda de ingressos na hora.
  7. Os ingressos são nominais. Para eventual troca de titularidade é necessário comunicar a produção até às 16h do dia da respectiva sessão. Envie e-mail para casadomedo@macarenando.com.br com: data e hora da sessão + nome completo do titular + nome e e-mail do novo visitante. E aguarde e-mail de confirmação da troca. Importante 1: se o ingresso foi comprado com desconto, o novo visitante também deverá ter direito ao desconto e deverá levar documento comprobatório no dia da visita. Importante 2: caso não seja seguido este procedimento, não será permitida a entrada do novo visitante.
  8. As sessões possuem horários definidos, que devem ser rigorosamente cumpridos.
  9. As portas abrem-se pontualmente no horário da sessão e fecham-se 1 minuto depois. Portanto, esteja presente com antecedência mínima de 10 minutos ao início da sua sessão.
  10. Confira cuidadosamente o horário e dia de sua sessão, pois as sessões 00:00, 01:00 e 02:00 podem confundir os participantes em relação ao dia da visita. Exemplo: se a sua sessão é para “sábado 24/NOV/2018 0h”, isso significa que você deve ir na madrugada de sexta para sábado, e não de sábado para domingo.
  11. A visita tem uma duração média de 50 minutos. A sessão é encerrada após esse período, mesmo que o grupo não tenha concluído a visita e independentemente do local em que estiverem.
  12. Cada sessão pode ter um público de 13 pessoas (máximo) e 4 pessoas (mínimo). Caso não haja o mínimo de 4 visitantes para determinada sessão, será disponibilizado o remanejamento para outro horário ou o reembolso do valor pago.
  13. Ao entrar no local, o grupo receberá instruções sobre a visita e as regras que deverão ser cumpridas.
  14. Os celulares e aparelhos eletrônicos devem ser desligados e colocados em envelopes lacrados fornecidos pela produção. Todos poderão permanecer com seus envelopes e respectivos aparelhos, contudo, é expressamente proibido ligá-los durante a investigação.
  15. É expressamente proibido entrar na propriedade com: qualquer tipo de equipamento de captação de imagem ou som; qualquer tipo de objeto gerador de luz (lanternas, isqueiros, lasers ou outros); alimentos e bebidas; armas; objetos cortantes e perfurantes.
  16. É extremamente aconselhável roupas e calçados confortáveis e que permitam a mobilidade física.
  17. Uma vez iniciada a visita, é impossível sair na metade do caminho. Uma palavra-chave será informada pela produção para casos extremos e/ou de urgência.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑