Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

Gabriela Bervian

Média-metragem “Som sem sentido” na imprensa

Pata Negra promove pré-estreia de seu mais novo filme, “Som sem sentido”

som-sem-sentido-still-7

Dirigido por Gabriela Bervian, projeto retrata as mulheres que vivem silenciosas nos corredores do Hospital Psiquiátrico São Pedro em Porto Alegre.

 

O média-metragem Som sem Sentido, dirigido por Gabriela Bervian, tem sessão de pré-estreia no dia 14 de setembro, às 20h, na Sala P.F. Gastal, com entrada franca. O mais recente filme da Pata Negra tem financiamento do Fumproarte, produção de Gilson Vargas e retrata o dia a dia das mulheres internadas no Hospital Psiquiátrico São Pedro.

Segunda imersão de Gabriela na direção, Som Sem Sentido nasce de uma curiosidade: desvendar as mulheres que vivem silenciosas nos corredores do Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre. Realizado entre 2014 e 2016, o filme mostra a íntima percepção da realizadora ao penetrar nos corredores do São Pedro e, por consequência, adentrar nas suas próprias auto-percepções sobre o clichê da sanidade mental. Este documentário-ensaio pretende respirar o tempo e exalar intimidade.

Gabriela é conhecida como técnica e desenhista de som de inúmeras produções, como YOÑLU, de Hique Montanari, Ponto Zero, de José Pedro Goulart, O Carteiro, de Reginaldo Faria, Os Senhores da Guerra, de Tabajara Ruas, A Última Estrada da Praia, de Fabiano de Souza e Dromedário no Asfalto, de Gilson Vargas. Com seu curta anterior – Domingo de Marta – que marcou sua estreia como diretora, recebeu diversas premiações, como os Troféus Assembleia Legislativa no 42º Festival de Gramado, nas categorias Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Som e Melhor Roteiro; e Melhor Filme, melhor Fotografia e Melhor Atuação no Diálogo de Cinema – Mostra Cercanias.

A sessão de pré-estreia contará com a presença da diretora e debate com a crítica de cinema Daniela Strack, colaboradora do Zinematógrafo, publicação local especializada na área.

Título: Som Sem Sentido

Direção: Gabriela Bervian

Produção: Gilson Vargas e Gabriela Bervian

Realização Pata Negra

Financiamento Fumproarte – Prefeitura Municipal de Porto Alegre

FullHD – 50 minutos – 2016 – Som 5.1 – Brasil

 

Sinopse

A jornada silenciosa de uma mulher, realizadora de cinema, por de trás dos muros de um hospital psiquiátrico, onde mulheres passam anos, dias e horas sem que lá fora, os que passam há horas, dias e anos, percebam seus olhos, seus sons, suas verdades, suas existências.

 

SERVIÇO:

Sessão de pré-estreia com debate

SALA PF GASTAL

DIA 14 DE SETEMBRO, 20h

Entrada Franca

 

zerohora_10.02.2016

“Dromedário no Asfalto” na Contracapa de Roger Lerina

zh_16.07.15

Filmes da Pata Negra no Jornal do Comércio de hoje

jc_23.04.15

Domingo de Marta no Jornal NH

jornalnh3_02.11.14 jornalnh2_02.11.14 jornalnh_02.11.14

“Dromedário no Asfalto” participa do 14º Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe

arte-Dromedario

Longa-metragem de estreia de Gilson Vargas foi escolhido entre mais de 500 inscritos

 

O longa-metragem de estreia do diretor Gilson Vargas, “Dromedário no Asfalto”, é um dos selecionados para o 14º Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE), que ocorre entre os dias 08 a 13 de setembro. A produção foi escolhida entre mais de 500 inscritos do Brasil, Portugal e Espanha.

Filmado no Brasil e no Uruguai, contando com elenco dos dois países, o filme é uma co-produção entre as produtoras Pata Negra, Ponto Cego e Boomboom. Tendo como protagonista o ator Marcos Contreras, “Dromedário no Asfalto” mostra a jornada de Pedro pelas paisagens platinas, rumo ao encontro com seu pai, após anos de afastamento entre ambos. Rodado durante dois anos, com seis viagens entre os dois países, totalizando mais de 10 mil quilômetros de idas e vindas.

O longa foi feito de forma cooperativa, sem recursos oficiais para as filmagens. Na fase de montagem recebeu o prêmio Fumproarte e o prêmio para Finalização de Longas do Governo do Estado do RS, podendo, desta forma, fazer uma finalização digna da grande tela, com a mixagem de som 5.1 no maior estúdio de Buenos Aires e o tratamento imagem na Quanta Post, em São Paulo. A equipe conta com Bruno Polidoro na fotografia, Vicente Moreno na montagem e Gabrela Bervian no som, todos sócios do filme, além de Luciana Baseggio como assistente de câmera e produção.  Gilka Vargas, Besouro Filmes e o ator Marcos Contreras são produtores associados.

Dromedário no Asfalto deve chegar às salas comerciais ainda este ano. O montador e produtor do filme, Vicente Moreno, estará presente no evento. Moreno também participa do festival com a primeira exibição de seu curta, “Cedo”, que integra a mostra competitiva.

Vargas comemora, ao lado da esposa, Gabriela Bervian, o sucesso do curta metragem dirigido por Gabriela com roteiro escrito pelo casal, “Domingo de Marta”, que recebeu seis troféus Assembleia Legislativa na Mostra de Curtas Gaúchos do 42º Festival de Cinema de Gramado, no início de agosto.

A parceria de produção da dupla vem se consolidando em vários projetos da Pata Negra. A produtora recém completou três anos de existência, mas já contabiliza diversos prêmios, como os quatro Kikitos e três troféus Assembleia Legislativa pelo curta Casa Afogada no 40o Festival de Gramado, além de outros 26 prêmios em diversos festivais e concursos.

 

Sobre o Curta-SE

Criado em 2001, o Festival Luso-Brasileiro de Curtas-Metragens de Sergipe (Curta-SE) foi concebido inicialmente como um pequeno festival de curtas-metragens voltado para o público universitário. Em sua primeira edição realizada na Universidade Federal de Sergipe e quase que inteiramente organizada e produzida por sua criadora, Rosângela Rocha –, o então chamado Festival Brasileiro de Curtas-Metragens contou com cerca de 50 filmes inscritos, dos quais 14 sergipanos. 
Já na segunda edição, o Curta-SE vira o Festival Luso-Brasileiro de Curtas-Metragens de Sergipe e passa a estender sua programação para o além-mar, até a cinematografia portuguesa. É também a partir de 2002 que o festival acrescenta às mostras de curtas a participação de longas-metragens convidados e uma extensa programação de seminários, workshops e eventos culturais. 
Em 2008, o evento torna-se Festival Iberoamericano de Curtas-Metragens. Isso possibilitou a participação de países abrangidos pelo programa Ibermedia, do qual fazem parte a Argentina, Brasil, Chile, Uruguai, Cuba, México, Venezuela, Colômbia, além de Portugal e Espanha. Além disso, no mesmo ano, o Curta-SE passou a integrar em mostras competitivas longas-metragens a partir de 70 minutos. 

O Curta-SE 13 recebeu 573 inscrições nas categorias cinema digital, videoclipe, vídeo sergipano, vídeo de bolso e longa-metragem.  Neste ano, o festival bateu recorde no recebimento de inscrições de outros países: foram 79 produções vindas da Espanha (48), Argentina (18), Portugal  (12) e Venezuela (1). Sergipe teve 42 inscritos, um número 27% maior do que no ano passado. 

Domingo de Marta na imprensa

jornalnh_12.08.2014

 jc_13.08.14jornalibia_13.08.14

Pata Negra na imprensa

zerohora_12.08.14 correiodopovo_12.08.14 metro2_12.08.14 metro_12.08.14 osul_12.08.14 jc_12.08.14

Blog no WordPress.com.

Acima ↑