Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

Entrada Franca

JC_27

10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo exibe 40 filmes em Porto Alegre entre os dias 1 e 11 de dezembro

Encantados _Tizuka Yamazaki2

Evento conta com sessões gratuitas na Sala Redenção

Chega a Porto Alegre no dia 01 de novembro a 10ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos no Mundo. As exibições gratuitas de 40 filmes entre curtas, médias e longas-metragens, divididos em três mostras, seguem até 11 de dezembro, na Sala Redenção, no Campus Central da UFRGS.

Sessões com audiodescrição, debates e exibições para escolas integram as atividades em Porto Alegre. A diretora Tizuka Yamasaki estará presente na abertura, participando da exibição de seu mais recente filme, Encantados, no dia 01.

Entre os filmes que serão exibidos estão Betinho, A Esperança Equilibrista, sobre o sociólogo Hebert de Souza, 500, Os bebês roubados pela ditadura argentina, sobre a luta das avós da Praça de Maio, o recente Numa Escola de Havana, e Silêncio das Inocentes, sobre violência contra a mulher.

A 10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo teve início dia 13 de novembro e segue até o dia 20 de dezembro, passando por todas as 26 capitais do país e pelo Distrito Federal.

Sobre as mostras: A Mostra Homenagem faz uma retrospectiva representativa das 9ª edições anteriores e exibe filmes premiados em cada edição, a Mostra Temática terá como foco Criança e Adolescente, e a Mostra Panorama reunirá 24 filmes produzidos a partir de 2011 no Brasil, França, Estados Unidos e Singapura, selecionados por meio de chamada pública.

A 10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo é uma edição comemorativa, que celebra esta iniciativa de fortalecimento e disseminação da cultura e da educação em Direitos Humanos. Ela foi lançada para celebrar o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 10 de dezembro de 1948.

“A linguagem cinematográfica mobiliza corações, mobiliza mentes. Essa mostra de cinema mobiliza as pessoas a pensarem sobre esse tema que é tão importante para nós em um momento em que precisamos reafirmar os valores dos direitos humanos e o respeito às diferenças”, diz o secretário especial de Direitos Humanos do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Rogério Sottili.

Realizada pelo Governo Federal, através do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos e da Secretaria Especial de Direitos Humanos, com produção do ICEM – Instituto Cultura Em Movimento, a Mostra dedica-se a apresentar filmes que discutem temas atuais de Direitos Humanos, como: direitos das pessoas com deficiência; população LGBT/enfrentamento da homofobia; memória e verdade; crianças, adolescentes e juventude; pessoas idosas; população negra; população em situação de rua; mulheres; Direitos Humanos e segurança pública; proteção aos defensores de Direitos Humanos; direito à participação política; combate à tortura; situação prisional; democracia e Direitos Humanos; saúde mental; cultura e educação em Direitos Humanos. A produção local é da Primeira Fila Produções.

Programação:

1 de dezembro (terça-feira) – Sessão Especial para Convidados

 19h Gigantes da Alegria, Ricardo Rodrigues e Vitor Gracciano, 15 min., Doc, Brasil, 2014, Livre

Encantados, Tizuka Yamazaki, 78 min., Ficção, Brasil, 2014, 12 anos

 

2 de dezembro (quarta-feira) 

 16hO Muro é Meio, Eudualdo Monção Jr., 15 min., Doc, Brasil, 2014, 10 anos

Branco Sai, Preto Fica, Adirley Queirós, 93 min., Ficção, Brasil, 2015, 12 anos

 19hSandrine, Elen Linth e Leandro Rodrigues, 12 min, Ficção, Brasil, 2015, 16 anos

À queima roupa, Theresa Jessouroun, 90 min, Doc, Brasil, 2014, 16 anos

 

3 de dezembro (quinta-feira) 

16hCartas do Desterro, Coraci Ruiz e Julio Matos, 15 min., Doc, Brasil, 2014, Livre

Sobre Coragem, Guilherme Xavier, 23 Min., Doc, Brasil, 2014, 12 anos

            Porque temos esperança, Susanna Lira, 71 Min., Doc, Brasil, 2014, 14 anos

19hPele, um real, Aline Guimarães, 15 min., Ficção, Brasil, 2015, Livre

Muito Além do Peso, Estela Renner, 90 min., Doc, Brasil, 2012, Livre

SESSÃO SEGUIDA DE DEBATE

 

4 de dezembro (sexta-feira)

14hMeu Amigo Nietzsche, Fáuston da Silva, 15 min., Ficção, Brasil, 2012, Livre

Silêncio das Inocentes, Ique Gazzola, 52 min., Doc, Brasil, 2010, 12 anos

16hSubmarino, Rafael Aidar, 12 min, Ficção Brasil, 2015, 12 anos

           Quando meus pais não estão em casa, Anthony Chen, 99 min, Ficção, Singapura, 2013, 12 anos

19h500 – Os bebês roubados pela ditadura argentina, Alexandre Valenti, 100 min., Doc, Argentina – Brasil, 2013, 12 anos

 

7 de dezembro (segunda-feira) 

14hA Visita, Leandro Corinto, 8 min., Ficção, Brasil, 2014, Livre

Alma da Gente, Helena Solberg e David Meyer, 83 min., Doc, Brasil, 2013, 10 anos

ATENÇÃO – SESSÃO COM AUDIODESCRIÇÃO ABERTA (SEM FONES INDIVIDUAIS)

16hNau Insensata, Cristiano Sidoti, 15 min., Brasil, Doc, 2014, Livre

Do Outro Lado da Cozinha, Jeanne Dosse, 40 min., Doc, Brasil, 2013

19hNunca Mais Cochabamba, 11 de janeiro de 2007, Roberto Alem, 52 min., Doc , Bolívia, 2007, Livre

 

8 de dezembro (terça-feira)

14hDo meu lado, Tracisio Lara Puiati, 14 min., Ficção, Brasil, 2014, Livre

Colegas, Marcelo Galvão, 103 min., Ficção, Brasil, 2013, Livre

16hNa Direção do Som, Jonathan Gentil e Pedro Prado, 15 min., Doc, Brasil, 2013, Livre

Ninguém Nasce no Paraíso, Alan Schvarsberg, 25 Min., Doc, Brasil, 2015, Livre

Félix, o Herói da Barra, Edson Fogaça, 72 min., Doc, Brasil, 2015, Livre

18hAbraço de Maré, Victor Ciriaco , 16 min., Doc , Brasil, 2013/ Livre

Betinho – A Esperança Equilibrista, Victor Lopes, 89 min.,Doc, Brasil, 2015, Livre

 

9 de dezembro (quarta-feira) 

16hNuma Escola de Havana, Ernesto Daranas, 90 min., Ficção, Brasil, 2012, 12 anos

18hMemórias para uso diário, Beth Formaggini, 80 min., Doc, Brasil, 2007, 12 anos

 

10 de dezembro (quinta-feira) 

14hO Contador de Histórias, Luiz Villaça, 110 min., Ficção, Brasil, 2009, 12 anos

ATENÇÃO – SESSÃO COM AUDIODESCRIÇÃO ABERTA (SEM FONES INDIVIDUAIS)

16hCorrentes, Caio Cavechini, Ivan Paganotti e Evelyn Kuriki, 58 min., Doc, Brasil, 2006, 12 anos

19hLéo, Mariani Ferreira, 15 min., Ficção, Brasil, 2015, 14 anos

Habita-me se em ti transito, Claudia Rangel, 23 min., Doc, Brasil, 2014, 14 anos

           Quem matou Eloá?, Lívia Perez, 24 min., Doc, Brasil, 2015, 16 anos

SESSÃO SEGUIDA DE DEBATE

11 de dezembro (sexta-feira) 

14hEu não quero voltar sozinho, Daniel Ribeiro e Diane Almeida, 17 min, Ficção, Brasil, 2010, Livre

Quando a casa é a rua, Theresa Jessouroun, 35 min, Doc , Brasil, 2012, Livre

16hO Plantador de quiabos, Coletivo Santa Madeira, 15 min., Ficção, Brasil, 2010, Livre

Procura-se Janaína, Miriam Chnaiderman, 54 min., Doc, Brasil, 2007, Livre

 Serviço:

10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo

Local: Sala Redenção – Campus Central UFRGS

Endereço: Av. Engenheiro Luiz Englert, S/N, Porto Alegre

Data: 1 a 11 de dezembro

Horário: Consultar Programação

Ingressos: Grátis

Lotação: 120 lugares

Classificação Indicativa: Consultar Programação

Realização: Governo Federal, através do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos e da Secretaria Especial de Direitos Humanos, com produção do ICEM – Instituto Cultura Em Movimento. Produção Local Primeira Fila Produções.

Se essa rua fosse minha encerra temporada de 2015 com apresentação do espetáculo “Folia dos Reis”

foliadosreis_credito_cristianocaetanno

Projeto independente de arte de rua ocupa uma vez por mês o Parque Mascarenhas de Moraes no bairro Humaitá

 Espetáculo será apresentado pela primeira vez em Porto Alegre

 

O Teatro Mototóti retorna ao Parque Mascarenhas de Moares para a sétima etapa do projeto independente de arte de rua “Se essa rua fosse minha”, última edição de 2015. Os atores do grupo, Fernanda Beppler e Carlos Alexandre vivem no bairro e aproveitam o espaço do parque para ensaios e apresentações.

O projeto transforma o parque Mascarenhas de Moraes em um espaço de arte de rua, um domingo por mês, com acesso gratuito. Sediado há três anos no Bairro Humaitá, na Zona Norte de Porto Alegre, o Teatro Mototóti vem construindo essa ideia de estar mais presente na rotina da comunidade. Nesse período, o grupo adotou o parque, que fica no coração do bairro, como sua Sede Pública. Este é um conceito bastante difundido entre artistas de rua de todo o Brasil, que permite aos grupos a ocupação artística de espaços públicos, promovendo atividades diversas tais como apresentações, ensaios e oficinas.

Com atividades regulares, o foco do grupo é a formação de plateia, a longo prazo, construindo o hábito de ir para a rua consumir arte. No próximo domingo, dia 29, a companhia promoverá uma apresentação do espetáculo de Natal “Folia dos Reis”, inédito em Porto Alegre.

A montagem, um sucesso de público, estreou em 2012 na programação do Natal Luz de Gramado e durante três edições do evento encantou espectadores de todo o país. Folia dos Reis também integrou a programação das principais festividades de final de ano em diversas cidades da região sul. Somente em 2014, 15 cidades do RS e SC receberam apresentações do grupo.

 “Folia dos Reis” é um auto de Natal que conta a história do nascimento do Deus Menino, através do olhar dos Três Reis Magos. As músicas, executadas ao vivo pelos atores, são conhecidas do público, que canta junto durante todo espetáculo. Mais de 35 mil pessoas já assistiram a mais de 80 apresentações em 27 municípios. No elenco, Carlos Alexandre, Fernanda Beppler e Mariana Beppler. O Teatro Mototóti, hoje com quatro peças em repertório, vem se firmando como uma referência no teatro de rua do Rio Grande do Sul.

Neste espetáculo o grupo teve o grande desafio de conferir originalidade a uma história tradicional, tão vista e conhecida no mundo inteiro: o Natal. A releitura do nascimento do deus menino, sem vínculo religioso algum, é permeada por elementos da cultura popular brasileira. Os conhecidos ternos de reis deram origem ao cortejo de chegada dos três reis magos, personagens que vem contar a história, acreditando serem eles próprios os protagonistas do espetáculo.

A estética da obra traz o contraponto entre o popular e o sofisticado, com a Família de Nazaré vestida na simplicidade da chita e os Reis Magos nos ricos tecidos com brocados e pedrarias. Aqui, os detalhes são essenciais para criar a atmosfera da beleza do espetáculo. Por isso, todos os figurinos de chita, por exemplo, tiveram um processo de desconstrução e reconstrução. Para cada figurino, foi escolhida uma estampa e construído um patchwork, criando uma nova peça de tecido, a partir do qual foram construídas as indumentárias dos personagens. Com um tom bem artesanal, apesar do luxuoso figurino dos três reis, o espetáculo encanta pelas soluções simples e eficazes que traz no cenário e adereços.

A apresentação de Folia dos Reis tem entrada franca e inicia às 17h. A partir das 16h, o público poderá participar de outras atividades gratuitas, como aula de pilates e boxe chinês. Para saber mais, acesse: www.mototóti.com.br.

Saiba Mais

Sinopse: Folia dos Reis traz a história do Natal a partir de seus personagens mais significativos: Maria, José, Arcanjo Gabriel e o Deus Menino. Aqui, porém, são os próprios Reis Magos que contam a história, acreditando que são eles os personagens mais importantes do Natal! Entoando um festivo Terno de Reis, pedindo licença para entrar em nossa casa, chegam os Três Reis convidando o público a celebrar a felicidade de se estar junto, a cada apresentação! Assim como chegam, se despedem, levando para todos os cantos do mundo a esperança e a alegria do verdadeiro espírito de Natal.

Músicas especialmente escolhidas, executadas ao vivo pelos atores (com instrumentos de percussão, cordas e acordeom), interatividade com os espectadores, poesia em forma de imagem e som, uma boa dose de humor, figurinos exuberantes e um cenário artesanal são pontos importantes, que irão surpreender e encantar o olhar do espectador.

 Folia dos Reis – Ficha Técnica:

Concepção e Direção: Fernanda Beppler

Atuação: Carlos Alexandre, Fernanda Beppler e Mariana Beppler

Figurinos: Fabrizio Rodrigues.

Execução de Figurinos: Fabrízio Rodrigues e Zilá Pereira

Direção Musical: Fernanda Beppler

Cenário, Adereços e Identidade Visual: Teatro Mototóti

Fotos: Cristiano Caetanno

Técnico de Áudio: Vitório Azevedo

Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Produção e Realização: Teatro Mototóti

O Teatro Mototóti existe há oito anos e já possui quatro espetáculos em seu repertório. Formado pelos atores Carlos Alexandre e Fernanda Beppler em 2007, o grupo vem se destacando no cenário de teatro de rua, atuando em todo o país, tendo como características de trabalho a pesquisa e prática permanentes em teatro de rua e a construção/manutenção de um repertório de espetáculos, com o propósito de colocar em cena trabalhos autorais que dialoguem com o público nos mais diferentes lugares.

O primeiro espetáculo, O Vendedor de Palavras – Prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz 2008 –   já foi assistido por 80 mil espectadores em mais de 270 apresentações e ganhou uma versão em espanhol, para apresentações na Argentina e Uruguai. A segunda montagem do grupo, i-MUndo – Prêmio FUNARTE Artes Cênicas na Rua 2010 – estreou em setembro de 2011 na capital gaúcha e vem realizando participações em importantes mostras e festivais pelo país.  Ao final de 2012, o Grupo comemorou seu quinto ano de atividades, trazendo à cena mais um espetáculo de teatro de rua, “Folia dos Reis”, um auto que conta a história do Natal sob a perspectiva dos três Reis Magos. O espetáculo estreou no Natal luz de Gramado e integra as principais festividades de Natal do Sul do país.

Em 2013 o Grupo trouxe à cena a história da vida e obra de Hermeto Pascoal, com a peça “Hermeto Pascoal: o mago dos sons”, que mescla a linguagem teatral com a contação de histórias. 2014 foi o ano da estreia de Flor da Vida, quarto espetáculo do repertório do Grupo, contemplado com o Prêmio FUNARTE Artes na Rua (Circo Dança e Teatro) 2013. Este trabalho teve orientação de Esio Magalhães (Barracão Teatro – Campinas/SP), referência na linguagem do palhaço no Brasil.

Programação:

Circuito Se Essa Rua fosse minha | 7ª ETAPA – ÚLTIMA DE 2015
Quando: 29 de novembro – domingo
16h – aula de pilates (com profª Bárbara Neumann)*
16h – aula de boxe chinês (com instrutor Yuri Benites)*
17h – apresentação do espetáculo Folia dos Reis (Teatro Mototóti)
18h – roda de chimarrão, com bate papo entre atores e público
19h – encerramento
Ingresso: pague quanto puder no chapéu 🙂
Onde: Parque Mascarenhas de Moraes (Humaitá/Poa)
Como chegar: https://goo.gl/maps/uiXBO

*venha com roupas confortáveis, traga água para beber e uma canga ou toalha para os exercícios de chão.

Confira o teaser do espetáculo: https://goo.gl/LI9rbv

 

Projeto Acústicos RS promove shows com entrada franca em Santa Maria no dia 27 de novembro

3g1

Nei Lisboa e Tonho Crocco integram a primeira turnê do projeto, que ocorre durante o mês de novembro em três cidades do RS

 

Santa Maria recebe, no dia 27 de novembro, a turnê de lançamento do projeto Acústicos RS, que promove apresentações de renomados artistas gaúchos pelo interior do Rio Grande do Sul: uma noite e dois grandes shows em três cidades, com entrada franca. As apresentações na cidade encerram a primeira edição, que contou com Bebeto Alves, Nei Lisboa e Tonho Crocco, passando também por Uruguaiana e Bagé.

Nei Lisboa apresenta composições de seu mais recente disco, A vida inteira, além de canções inéditas do cantor e compositor. Para a alegria do público, que há anos acompanha o trabalho do artista, canções como Baladas, Relógios de sol, Telhados de Paris e Por aí também farão parte do roteiro. Tonho Crocco, vocalista da banda gaúcha Ultramen, apresenta seu disco de estreia na carreira solo, O Lado Brilhante da Lua. O título é uma homenagem ao ”The Dark Side of the Moon” do Pink Floyd, onde apresenta um começo autoral com canções que revelam felicidade e libertação.

Os ingressos são distribuídos sempre na véspera de cada apresentação, com direito a duas entradas por CPF. Em Santa Maria, o público poderá garantir suas entradas no dia 26 de novembro, das 12h às 19h, no Hotel Morotin Centro.  No dia 27, o show ocorre no Park Hotel Morotin, com apresentações de Tonho Crocco às 20h e Nei Lisboa às 22h.

Acústicos RS tem patrocínio da NET com financiamento do Governo do Estado do RS, produção e realização da Mais Produções e co-produção da Primeira Fila Produções. Mais informações através do email acusticos.rs@gmail.com.

Santa Maria

Distribuição de ingressos: 26/11 – das 12h às 19h – Hotel Morotin Centro – Rua Angelo Uglione, 1629

Show: 27/11

20h – Tonho Crocco | 22h – Nei Lisboa

Park Hotel Morotin – RS 287 KM 6,2

Saiba Mais:

Tonho Crocco

Tonho Crocco – Voz e Violão

Everton Velasques – Contrabaixo

Marco Farias – Teclados

Gelson Ribeiro – Percussão

Dejeane Arrue – Trombone

Rodrigo Siervo – Saxofone

Flávio Passos – Produção

Piquet Coelho – Roadie

Marcelo Bullum – Técnico de Som

Cantor, compositor, músico e integrante das bandas Ultramen, Tributo a Tim Maia e Flashlight, Tonho Crocco iniciou uma nova jornada sonora em 2008, com o EP “Teto Solar” que marca sua carreira solo. Meio ano em Nova York resultou em cinco faixas produzidas no ZL Studio/NYC por Zé Luis Oliveira (produtor e saxofonista de artistas como Caetano Veloso, Banda Black Rio e Bebel Gilberto) e Simon Katz (ex-guitarrista do Jamiroquai e Gorillaz). Lançado em 2009 no formato SMD, a tour correu por Londres, Paris, Barcelona e em mais de 70 cidades no Brasil. Tonho Crocco lança agora pelo seu selo independente MoMo King Records o CD e Vinil do álbum de estreia ‘O Lado Brilhante da Lua’.

Nei Lisboa

Nei Lisboa – Voz e Violão

Paulo Supekovia – Guitarra e violão

Luiz Mauro Filho – Piano/teclado

Giovane Berti – Percussão

Celito Borges – Engenheiro de Som

Carol Zimmer – Criação e operação de Luz

Nei Lisboa é uma das maiores referências da música urbana produzida no Rio Grande do Sul. Sua musicalidade eclética, rebelde e cheia de humor serviu – e continua servindo – de escola para uma geração de artistas, que fazem das terras gaúchas um celeiro de boas surpresas musicais.

Em outra medida, esse reconhecimento se confirma na voz de grandes nomes que interpretam suas músicas, como Caetano Veloso, Cida Moreira, Ná Ozetti e Zélia Duncan.

Informações: acusticos.rs@gmail.com | www.facebook.com/acusticosrs

Projeto Acústicos RS promove shows com entrada franca em Bagé no dia 21 de novembro

 

bebetoalves_divulgacao

Bebeto Alves e Nei Lisboa integram a primeira turnê do projeto, que ocorre durante o mês de novembro em três cidades do RS

 

No dia 21 de novembro chega a Bagé a turnê de lançamento do projeto Acústicos RS, que promove apresentações de renomados artistas gaúchos pelo interior do Rio Grande do Sul: uma noite e dois grandes shows em três cidades, com entrada franca. Bebeto Alves, Nei Lisboa e Tonho Crocco integram as apresentações em Uruguaiana, Bagé e Santa Maria.

Bebeto Alves comemora 60 anos de vida e 40 de carreira em 2015 apresentando uma retrospectiva em formato acústico solo. Nei Lisboa apresenta composições de seu mais recente disco, A vida inteira, além de canções inéditas do cantor e compositor. Para a alegria do público, que há anos acompanha o trabalho do artista, canções como Baladas, Relógios de sol, Telhados de Paris e Por aí também farão parte do roteiro.

Os ingressos são distribuídos sempre na véspera de cada apresentação, com direito a duas entradas por CPF. Em Bagé, o público poderá garantir suas entradas no dia 20 de novembro, das 12h às 19h, no Clube Comercial, mesmo local que promove no dia 21 as apresentações de Bebeto Alves às 20h e Nei Lisboa às 22h. A turnê encerra em Santa  Maria no dia 27 de novembro.

Acústicos RS tem patrocínio da NET com financiamento do Governo do Estado do RS, produção e realização da Mais Produções e co-produção da Primeira Fila Produções. Mais informações através do email acusticos.rs@gmail.com.

Bagé

Distribuição de ingressos: 20/11 – das 12h às 19h

Show: 21/11

20h – Bebeto Alves | 22h – Nei Lisboa

Clube Comercial – Av. Sete de Setembro, 1051

Saiba Mais:

Bebeto Alves

Bebeto Alves – Voz e Violão

Marcela Marco – Produtor de Tour

Marcelo Silva – Técnico de Som

Alexandre Vargas – Técnico de Luz

Bebeto Alves, músico, compositor, cantor e fotógrafo, seu nome está associado não só aos 30 discos lançados, mas também a músicas cantadas por nomes da MPB, como Ana Carolina, Tânia Alves, Ednardo, Belchior, Kleiton e Kledir e muitos outros.

No decorrer das três últimas décadas se tornou um dos maiores nomes da cultura gaúcha e um dos artistas mais conhecidos nacional e internacionalmente, da cena da qual foi um dos seus criadores, a partir da década de 1970.

Nei Lisboa

Nei Lisboa – Voz e Violão

Paulo Supekovia – Guitarra e violão

Luiz Mauro Filho – Piano/teclado

Giovane Berti – Percussão

Celito Borges – Engenheiro de Som

Carol Zimmer – Criação e operação de Luz

Nei Lisboa é uma das maiores referências da música urbana produzida no Rio Grande do Sul. Sua musicalidade eclética, rebelde e cheia de humor serviu – e continua servindo – de escola para uma geração de artistas, que fazem das terras gaúchas um celeiro de boas surpresas musicais.

Em outra medida, esse reconhecimento se confirma na voz de grandes nomes que interpretam suas músicas, como Caetano Veloso, Cida Moreira, Ná Ozetti e Zélia Duncan.

Informações: acusticos.rs@gmail.com | www.facebook.com/acusticosrs

Primeira edição do Festival de Música de Nova Prata ocorre entre 13 e 15 de novembro, com entrada franca

se-Fosse---©-André-Paz--

Evento promove atividades formativas e apresentações musicais gratuitas, com patrocínio da Adylnet Telecom

 Inscrições para oficinas já estão abertas

Com diversas atividades em sua programação, o I Festival de Música de Nova Prata ocorre entre 13 e 15 de novembro, em Nova Prata, RS. A primeira edição do festival, que tem patrocínio da Adylnet Telecom, pretende promover o intercâmbio cultural, proporcionando, através de programação gratuita, apresentações musicais de grupos instrumentais e autorais do RS e atividades de formação, além de divulgar e fomentar novos talentos locais e regionais, com a Mostra Paralela.

A programação conta com shows de artistas convidados, apresentação das bandas selecionadas na Mostra Paralela, exposição de arte, bate-papos com artistas e oficinas.

Três oficinas serão realizadas durante o festival e as inscrições já estão abertas através do site do evento. No dia 13 de novembro as jornalistas e mestres em comunicação, Bruna Paulin e FêCris Vasconcellos ministram o curso “De Elvis a Miley Cyrus – comunicação, cultura, juventude e consumo”. No sábado, o acadêmico do curso de Licenciatura em Música, Dinei Maroso, promove “Dinâmicas Musicais para o Contexto Escolar”, e o músico e engenheiro Lucas Protti “Noções Básicas sobre Gravação Caseira”.

O público poderá assistir às apresentações de artistas convidados como Quinteto Persch, Quartchêto e Quiçá, se Fosse, além de atrações locais como o Coro Armonial e o acordeonista Carlitos. A Mostra Paralela apresenta cinco atrações: duas de Nova Prata e três de outras cidades do RS. Quarenta grupos se inscreveram para a seleção, que contou com quatro curadores convidados. Integram a Mostra Paralela os grupos Sedan 1300, Yangos Quarteto Instrumental, Frizon Brothers Band, Subtropicais e Trem Imperial.

Com o objetivo de trazer cor e arte ao Festival, os artistas Suyê Zucchetti e Gustavo Bouyrie propõem uma exposição de murais de tecido pintados, com representações relacionadas com a música. A exposição estará aberta para visitação na noite da abertura, no saguão da CIC. E será transferida para a Praça da Bandeira no domingo, dia 15 de novembro.

O público poderá conferir as atrações em apresentações na Praça da Bandeira, Auditório da Câmara de Indústria e Comércio e na Câmara de Vereadores de Nova Prata.  A iniciativa é uma realização da Eclética Centro de Música e da CUCO Produções e conta com o patrocínio da Adylnet Telecom, Financiamento do Pró-Cultura RS – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul e Apoio Cultural de Unimed Vale das Antas, P&C Artemobili e Prefeitura Municipal de Nova Prata.

Programação:

13 DE NOVEMBRO, sexta-feira

Auditório da CIC

9h às 12h – Oficina De Elvis a Miley Cyrus – Comunicação, Cultura, Juventude e Consumo

9h às 22h – Exposição “A Música que Toca”, de SUYE Atelier e Gustavo Bouyrié

19h30 – Apresentação do Coro Armorial

20h – Abertura do Festival

20h30 – Pocket Show com Carlitos

21h – Show Quinteto Persch

14 DE NOVEMBRO, sábado

Ginásio Santa Cruz

08h às 12h – Oficina Dinâmicas Musicais para o Contexto Escolar

Câmara dos Vereadores

14h às 18h – Oficina Noções Básicas sobre Gravação Caseira (Home Studio)

Praça da Bandeira

16h – Mostra Paralela – Sedan1300

17h – Mostra Paralela – Yangos Quarteto Instrumental

21h – Show Quartchêto

Eclética – Centro de Música

15h30 – Bate-papo com convidados

Hall da CIC

9h às 17h – Exposição “A Música que Toca”, de SUYE Atelier e Gustavo Bouyrié

15 DE NOVEMBRO, domingo

Praça da Bandeira

14h às 21h – Exposição “A Música que Toca”, de SUYE Atelier e Gustavo Bouyrié

16h – Mostra Paralela – Frizon Brothers Band

17h – Mostra Paralela – Subtropicais

18h – Mostra Paralela – Trem Imperial

20h – Show Quiçá se Fosse

 

Eclética Centro de Música

15h30 – Bate-papo com convidados

*Em caso de chuva, a programação da Praça da Bandeira será transferida para o Ginásio Santa Cruz

Quinteto Canjerana se apresenta show gratuito em Gramado no dia 05 de novembro

quintetocanjerana_credito_tianaluiza

Apresentação integra turnê por dez cidades do RS

Chega a Gramado no dia 05 de novembro o show do Quinteto Canjerana. A apresentação integra turnê por dez cidades do RS realizada até o final deste ano, projeto financiado pelo Pró-Cultura LIC-RS. O grupo de música gaúcha contemporânea divulga seu primeiro disco, Promessa, lançado em 2014.

As cidades de Porto Alegre, Santa Maria, Caxias do Sul, Bagé, Passo Fundo, Rio Grande e Novo Hamburgo já receberam o grupo, que se apresenta no Teatro Elizabeth Rosenfeld, no Centro de Gramado.

O Quinteto Canjerana é formado por Fernando Graciola (violão), Maurício Horn (acordeon), Maurício “Lito” Malaggi (bateria), Tiago Ferrari Daiello (gaúcho) (contrabaixo acústico) e Zoca Jungs (guitarra e viola) que apresentam um trabalho autoral instrumental contemporâneo das músicas nativista e folclórica gaúchas.

Criado em 2012, o grupo apresenta temas autorais propõem uma sonoridade gaúcha mesclada com música de câmara, permeados com espaços para improvisação e diálogo entre os instrumentistas, que apresentam suas fortes referências da música nativista de seu local de nascimento, mas também revelando o conhecimento adquirido com os estudos da música advinda de outras partes do Brasil.

O Quinteto Canjerana valoriza a todos instrumentos do grupo, criando sólida unidade, apresentando um espetáculo vivo, alegre, leve, dinâmico, de melodias fortes e harmonias emocionantes, que tem conquistado o público por ser um espetáculo de música instrumental para todos. O disco “Promessa”, gravado ao vivo em junho de 2013 no Estúdio Dreher em Porto Alegre, reúne oito temas autorais instrumentais.

Nos dias de apresentação em cada cidade os músicos ministrarão oficinas musicais gratuitas, às 16h, através de inscrição pelo email cainarodrigues@gmail.com até a véspera da atividade. A apresentação ocorre, às 20h30, com entrada franca.

Serviço

Turnê RS – Quinteto Canjerana

Gramado

05 de novembro, 20h30 | Teatro Elizabeth Rosenfeld| Rua São Pedro, 369|  Centro |
Oficina gratuita – 16h – inscrições pelo email cainarodrigues@gmail.com

Mais informações: http://www.canjerana.com.br/

arazao_30

Zaoris tem apresentações na Travessa dos Cataventos no dia 03 de novembro

zaoris_creditofelipecampal (3)

Espetáculo inspirado nos contos e lendas de João Simões Lopes Neto tem entrada franca

O espetáculo Zaoris retorna a cartaz no dia 03 de novembro, com duas apresentações na Travessa dos Cataventos, Casa de Cultura Mário Quintana, com entrada franca. A montagem inspirada no universo de Simões Lopes Neto estreou em abril deste. Baseado nos contos e lendas do escritor pelotense, o espetáculo mergulha no universo do escritor e traz à cena duas lendas e nove canções criadas a partir da obra do escritor que é considerado a principal figura do regionalismo rio-grandense.

Zaoris conta com quatro atores e seis músicos em cena, com composições de Ita, Dico e Fernando Keiber. O musical que tange as lendas e contos simonianos através da narrativa transmitida pela oralidade, onde diversas vozes representam o estereótipo do contador de causos Blau Nunes. Intercalando lendas e canções, Zaoris relê o gaúcho dos séculos XIX e XX e o apresenta no século XXI, simbolizando os valores que sobrevivem ao tempo.

A direção de cena é de Adriane Mottola e direção musical de Fernando Keiber. Marco Froncjowiak e Maura Sobrosa Ramos assinam a cenografia, Fernando Ochôa a iluminação e Alexandre Magalhães e Silva os figurinos.

Zaoris será encenado no dia 03 de novembro, terça-feira, na Travessa dos Cataventos – Casa de Cultura Mário Quintana, com apresentações às 11h e às 12h30min.

A Realização é da Gaia Cultura e Arte, através do projeto contemplado em Edital do FAC – prêmio Iacen, com financiamento do Pró-Cultura RS.

Saiba Mais

Zaoris

Figura pertencente ao folclore, o Zaori refere-se à pessoa nascida numa Sexta- Feira santa. Possuidora de dons especiais, seus olhos, muito brilhantes, de um brilho mágico e misterioso possuem o poder de ver através de corpos opacos, terras ou montanhas, assim conseguindo localizar tesouros escondidos.

ROTEIRO

Música – GENEROSO (Ita Keiber) – sobre a lenda O Anguera

Música – TREZENTAS ONÇAS (Ita Keiber) – sobre conto homônimo

Lenda – ZAORIS (João Simões Lopes Neto – 1913)

Música – ZAORIS (Dico Keiber e Ita Keiber) – sobre a lenda homônima

Música – MÃE DO OURO (Fernando Keiber e Ita Keiber) – sobre a lenda A Mãe do Ouro

Música – À SOMBRA DA SALAMANCA (Fernando Keiber) – sobre a lenda A Salamanca do Jarau

Música – CASA BRANCA (Ita Keiber) – sobre a lenda A Casa de M’Bororé

Lenda – A M’BOITATÁ (João Simões Lopes Neto – 1913)

Música – NOITE GRANDE (Fernando Keiber e Ita Keiber) – sobre a lenda A M’boitatá.

Música – SUMIDOURO (Fernando Keiber e Ita Keiber) – sobre o conto No Manantial

Música  – UIARA  (Ita Keiber) – sobre a lenda A Uiara

FICHA TÉCNICA

REALIZAÇÃO: Gaia Cultura & Arte

COORDENAÇÃO GERAL: Márcia Giovana da Costa

PRODUÇÃO EXECUTIVA: Alexandre Mattos Meireles (Lua Nova) e Duda Keiber (222 Produtora)

PRODUÇÃO LOCAL: Tiago Wyse (Porto Alegre/RS)

COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA: Natália da Costa Weingartner e Jamile Pereira

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Mariele Salgado e Bruna Paulim

DIREÇÃO MUSICAL: Fernando Keiber

DIREÇÃO DE ATORES: Adriane Mottola

ASSISTENTE DE DIREÇÃO: Luciana Tondo

CENOGRAFIA: Marco Fronckowiak e Maura Sobrosa Ramos

CRIAÇÃO DE ILUMINAÇÃO: Fernando Ochôa

FIGURINOS: Alexandre Magalhães e Silva

 MÚSICOS

Voz: Fernando Keiber

Guitarra: Titeu Moraes

Baixo: Paulo Liska

Bateria: Duda Cunha

Percussão: Rafael Pavão

Acordeon: Matheus Kleber

ATORES

Paulo Roberto Farias

Mariana Rosa

Danuta Zaghetto

Rodrigo Mello

Serviço

 Zaoris – apresentações gratuitas novembro 2015

Casa de Cultura Mário Quintana

03/11 – 11h e 12h30min

Travessa dos Cataventos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑