Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

Tag

As Cidades Descaradas

Projeto “As cidades descaradas” no Correio do Povo de hoje

correiodopovo_19.06.15

Projeto As cidades descaradas encerra com lançamento de publicação e oficina aberta ao público

cidades_desacaradas_03bh

Projeto que percorreu Belém e Belo Horizonte será apresentado em Porto Alegre no dia 20 de junho

O projeto colaborativo As cidades descaradas, criado pela artista visual Viviane Gueller, que faz um mapeamento de situações ordinárias capturadas da vida cotidiana, promove dia 20 de junho, das 18h às 20h no Vila Flores (Rua São Carlos, 765) o lançamento de uma publicação com distribuição gratuita, resultado das intervenções realizadas em Belém e Belo Horizonte no primeiro semestre de 2015.

À tarde, na mesma data, o público poderá participar de oficina aberta ao público das 14h às 17h, cuja proposta é a construção de narrativas que recontextualizam e ressignifiquem o cotidiano em escutas e imagens através de situações de derivas e conversas. As inscrições podem ser feitas através do link para o formulário: http://goo.gl/forms/2V36Yiu2Kw.

Em Belém, a artista realizou intervenção em uma das bancas do Mercado Municipal de Carne Francisco Bolonha com três televisões de tubo. O projeto seguiu para Belo Horizonte em dois espaços centrais da cidade: a fachada digital do Espaço do Conhecimento UFMG e o Sesc Palladium. Diferentemente da proposição em Belém, onde a intervenção ocorreu durante um dia, em Belo Horizonte foram feitas inserções ao longo da programação diária dos espaços culturais.

Viabilizado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 11ª edição, As cidades descaradas iniciou sua trajetória através do trabalho de Viviane, que garimpa e edita imagens e sons, colecionando um arquivo audiovisual de situações inusitadas, para então propor intervenções urbanas, devolvendo o trabalho para o lugar onde ele nasceu. Um olhar mais atento ao imediato, à familiaridade e estranheza da rotina das cidades e seus locais de circulação cotidiana. Em 2012, a artista criou uma série de pílulas sonoras que foram veiculadas na Mobile Radio da 30ª Bienal de São Paulo. Em 2013, seguindo o conceito de pílulas sonoras, apresentou a intervenção Elevação Sonora nos elevadores do MACRS (Museu de Arte Contemporânea/Casa de Cultura Mario Quintana), em Porto Alegre. Em 2014, as pílulas surgiram em versão audiovisual, veiculadas em uma TV no Café do Cofre do Santander Cultural.

As cidades descaradas deu continuidade a esses trabalhos em Belém e Belo Horizonte. Em cada uma das cidades escolhidas, uma artista-anfitriã recebeu a artista e o projeto. Em Belém, Flavya Mutran; em Belo Horizonte, Janaína Rodrigues.

Assim como as intervenções que ocorreram em Porto Alegre, nas demais cidades essas escolhas tiveram relações circunstanciais com os lugares por onde a artista-anfitriã circula e por seus grupos de convivência a partir de uma reflexão sobre estes espaços de espera e trânsito, espaços públicos de entremeio que são compartilhados, possibilitando novos encontros e abordagens. Ao final do roteiro, a artista apresenta em Porto Alegre os resultados do projeto. Leandro Selister assina a identidade visual e Tula Anagnostopoulos a edição dos aúdios e vídeos.

Para mais informações, acesse: https://www.facebook.com/ascidadesdescaradas

Saiba Mais

Viviane Gueller é artista visual e jornalista, mestre em Poéticas Visuais no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. (2012-2014). Em 2014, foi indicada como destaque em mídias tecnológicas para o VIII Prêmio Açorianos de Artes Plásticas e contemplada pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 11ª edição. Em 2012, fez uma série de inserções sonoras para a Mobile Radio da 30ª Bienal de São Paulo. Fez parte de exposições coletivas e individuais em Porto Alegre, São Paulo, Brasília, Belém e Espanha. Recebeu o prêmio de incentivo à criatividade no 16º Salão da Câmara Municipal de Porto Alegre e foi selecionada para 58º Salão de Abril (Ceará), 29º Salão do Pará, 2º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia (Pará). Foi mapeada para o Projeto Rumos Itaú Cultural, ministrou uma oficina no projeto Mapas Práticos da 7ª Bienal do Mercosul (2009), no qual participou com sua proposição autoral de arte-reportagem. Bacharel em comunicação social, trabalhou para os jornais Zero Hora, Gazeta Mercantil e Grupo Folha-SP; para as revistas Cult e Vejinha-SP; para a rádio FM Cultura, o Site PrimaPágina e o Portal Setor 3 do Senac SP, além de atuar em assessoria de comunicação. Passou uma temporada em Nova York na Rádio e TV das Nações Unidas onde trabalhou na Divisão de Mídia – Vídeo e Produção Audiovisual e Unidade de Rádio Latino-Americana. Foi a responsável pela concepção e produção do Terravista, espaço cultural em Porto Alegre que integrava livraria, local para debates e saraus, galeria de arte e cafeteria, considerado pela crítica especializada lugar das discussões e ações culturais mais modernas da cidade e referência cultural do renascimento da Cidade Baixa (1998-2000).

 

As cidades descaradas

Oficina – 20/06/2015 das 14h às 17h – Inscrições pelo link: http://goo.gl/forms/2V36Yiu2Kw

Lançamento da publicação – 20/06/2015 das 18h às 20h

(ambos eventos são gratuitos e abertos ao público)

Vila Flores – Rua São Carlos, 765

“As Cidades Descaradas” no jornal Hoje em Dia

hojeemdia2_15.04.15

As Cidades Descaradas chega a Belo Horizonte com inserções no Sesc Palladium e no Espaço do Conhecimento UFMG

ACD_credito_JoseViana-02p

Projeto reúne imagens e sons capturados da vida cotidiana que resulta em intervenções em espaços públicos em Belém e Belo Horizonte

Primeira etapa ocorreu com uma intervenção no Mercado de Carne em Belém

Com convocatória aberta até o próximo domingo, 29 de março, o projeto colaborativo As cidades descaradas, criado pela artista visual Viviane Gueller, faz um mapeamento de situações ordinárias capturadas da vida cotidiana que resultam em intervenções urbanas. Em Belém, a artista criou intervenção em uma das bancas do Mercado Municipal de Carne Francisco Bolonha com três televisões de tubo.

O projeto segue em abril para Belo Horizonte em dois locais centrais da cidade: na fachada digital do Espaço do Conhecimento UFMG (15/04 e 16/04) e no Sesc Palladium (de 16/04 a 19/04). Diferentemente da proposição em Belém, onde a intervenção ocorreu durante um dia, em Belo Horizonte serão feitas inserções ao longo da programação diária dos espaços culturais.

A fachada externa do Espaço do Conhecimento UFMG propõe uma interface com a Praça da Liberdade chamando à atenção de pedestres e motoristas que passam pela região todos os dias. Já no Sesc Palladium, nos locais de circulação entre o teatro, o café e galeria de arte, há telas digitais onde normalmente são veiculadas as programações locais. O prédio está localizado em um ponto histórico no Centro de Belo Horizonte onde funcionou o antigo Cine Palladium, entre a Rua Rio de Janeiro e a Avenida Augusto de Lima.

Viabilizado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 11a edição, As cidades descaradas iniciou sua trajetória através do trabalho de Viviane, que garimpa e edita imagens e sons, colecionando um arquivo audiovisual de situações inusitadas, para então propor intervenções urbanas, devolvendo o trabalho para o lugar onde ele nasceu. Um olhar mais atento ao imediato, à familiaridade e estranheza da rotina das cidades e seus locais de circulação cotidiana. Em 2012, a artista criou uma série de pílulas sonoras que foram veiculadas na Mobile Radio da 30a Bienal de São Paulo. Em 2013, seguindo o conceito de pílulas sonoras, apresentou a intervenção Elevação Sonora nos elevadores do MACRS (Museu de Arte Contemporânea)/ Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre. Em 2014, as pílulas surgiram em versão audiovisual, veiculadas em uma TV no Café do Cofre do Santander Cultural.

As cidades descaradas dá continuidade a esses trabalhos em Belém e Belo Horizonte. Em cada uma das cidades escolhidas, uma artista-anfitriã recebe a artista e o projeto. Em Belém, Flavya Mutran; em Belo Horizonte, Janaína Rodrigues. Assim como as intervenções que ocorreram em Porto Alegre, nas demais cidades estas escolhas tem relações circunstanciais com os lugares por onde a artista-anfitriã circula e por seus grupos de convivência a partir de uma reflexão sobre estes espaços de espera e trânsito, espaços públicos de entremeio que são compartilhados, possibilitando novos encontros e abordagens. Ao final do roteiro, a artista apresenta em Porto Alegre os resultados do projeto. Leandro Selister assina a identidade visual e Tula Anagnostopoulos a edição dos aúdios e vídeos.

Para participar, interessados de qualquer cidade (a convocatória é aberta) devem enviar para o email ascidadesdescaradas@gmail.com a gravação de sons com até 3 minutos de duração (ruídos, vozes, leituras) ou vídeos de até 5 minutos de duração (cenas urbanas, rurais, domésticas). Os arquivos podem ser disponibilizados em qualquer formato de áudio ou vídeo.

Estes registros vão ser utilizados como material bruto para a edição final e os nomes de todos os participantes irão constar na ficha técnica do trabalho. O prazo para envio dos materiais é até domingo (29/03).

Para mais informações, acesse: https://www.facebook.com/ascidadesdescaradas

Saiba Mais

Viviane Gueller é artista visual e jornalista, mestre em Poéticas Visuais no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. (2012-2014). Em 2014, foi indicada como destaque em mídias tecnológicas para o VIII Prêmio Açorianos de Artes Plásticas e contemplada pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 11a edição. Em 2012, fez uma série de inserções sonoras para a Mobile Radio da 30a Bienal de São Paulo. Fez parte de exposições coletivas e individuais em Porto Alegre, São Paulo, Brasília, Belém e Espanha. Recebeu o prêmio de incentivo à criatividade no 16o Salão da Câmara Municipal de Porto Alegre e foi selecionada para 58o Salão de Abril (Ceará), 29o Salão do Pará, 2o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia (Pará). Foi mapeada para o Projeto Rumos Itaú Cultural, ministrou uma oficina no projeto Mapas Práticos da 7a Bienal do Mercosul (2009), no qual participou com sua proposição autoral de arte-reportagem. Bacharel em Comunicação Social, trabalhou para os jornais Zero Hora, Gazeta Mercantil e Grupo Folha-SP; para as revistas Cult e Vejinha-SP; para a rádio FM Cultura, o Site PrimaPágina e o Portal Setor 3 do Senac SP, além de atuar em assessoria de comunicação. Passou uma temporada em Nova York na Rádio e TV das Nações Unidas onde trabalhou na Divisão de Mídia – Vídeo e Produção Audiovisual e Unidade de Rádio Latino-Americana. Foi a responsável pela concepção e produção do Terravista, espaço cultural em Porto Alegre que integrava livraria, local para debates e saraus, galeria de arte e cafeteria, considerado pela crítica especializada lugar das discussões e ações culturais mais modernas da cidade e referência cultural do renascimento da Cidade Baixa (1998-2000).

As Cidades Descaradas

Envio de colaborações até domingo (29/03) para o email ascidadesdescaradas@gmail.com

Sons – até 3 minutos de duração

Vídeos – até 5 minutos de duração

Para saber mais, acesse: https://www.facebook.com/ascidadesdescaradas

Inserções em Belo Horizonte

Fachada digital do Espaço do Conhecimento UFMG:

15/04 (quarta) – 19h, 19h30, 20h

16/04 (quinta) – 19h, 19h30, 20h

Projeção no painel do Espaço Foyer Augusto de Lima do Sesc Palladium: de 16/04 (quinta) a 19/04 (domingo) das 9h às 21h

Conversa com a artista no Café Sesc Palladium: Sábado, 18/04, às 16h

 

 

diariodopara_18.02.2015correiodopovo_17.02.15

As Cidades Descaradas na imprensa

jc_27.01.15zerohora_10.02

As Cidades Descaradas recebe colaborações até 22 de fevereiro

logomarca_cidades_descaradas

Projeto reúne imagens e sons capturados da vida cotidiana que resultará em intervenções em espaços públicos em Belém e Belo Horizonte

Com convocatória aberta até o dia 22 de fevereiro, o projeto colaborativo As Cidades Descaradas, criado pela artista visual Viviane Gueller, faz um mapeamento de situações ordinárias capturadas da vida cotidiana que resultarão em intervenções em Belém e Belo Horizonte.

A primeira etapa em Belém está marcada para a primeira semana de março. No dia 03, terça-feira, às 18 horas, Viviane fará parte do Café Fotográfico, no Centro cultural Sesc Boulevard, projeto iniciado em 2008 pela Associação Fotoativa que propõe a difusão e o debate da produção e do pensamento crítico a partir da fotografia e seus diálogos com a imagem. O projeto acontece através de um encontro mensal em que convidados dialogam com o público a partir de apresentações de pesquisas, artigos, projeções de imagens e relatos de experiência no campo da imagem. No dia 06, está programada a intervenção no Mercado Municipal de Carne Francisco Bolonha, quando os materiais audiovisuais enviados pela convocatória serão apresentados. O Mercado, recentemente restaurado, foi construído em 1867 e remodelado em 1908 com uma estrutura de ferro que retrata a Belle Époque, presente até hoje.

Viabilizado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 11ª edição, As Cidades Descaradas iniciou sua trajetória através do trabalho de Viviane, que garimpa e edita imagens e sons, colecionando um arquivo audiovisual de situações inusitadas, para então propor intervenções urbanas, devolvendo o trabalho para o lugar onde ele nasceu. Um olhar mais atento ao imediato, à familiaridade e estranheza da rotina das cidades e seus locais de circulação cotidiana. Em 2012, a artista criou uma série de pílulas sonoras que foram veiculadas na Mobile Radio da 30ª Bienal de São Paulo. Em 2013, dando continuidade ao conceito de pílulas sonoras, apresentou a intervenção Elevação Sonora nos elevadores do MACRS (Museu de Arte Contemporânea)/ Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre. Em 2014, as pílulas surgiram em versão audiovisual, veiculadas em uma TV no Café do Cofre do Santander Cultural.

As Cidades Descaradas dá continuidade a esses trabalhos, em Belém e Belo Horizonte. Em cada uma das cidades escolhidas, uma artista-anfitriã recebe a artista e o projeto. Em Belém, Flavya Mutran; em Belo Horizonte, Janaína Rodrigues. Assim como as intervenções que ocorreram em Porto Alegre, nas demais cidades estas escolhas terão relações circunstanciais com os lugares por onde a artista-anfitriã circula e por seus grupos de convivência a partir de uma reflexão sobre estes espaços de espera e trânsito, espaços públicos de entremeio que são compartilhados, possibilitando novos encontros e abordagens. Ao final do roteiro, a artista apresenta em Porto Alegre os resultados do projeto. Leandro Selister assina a identidade visual e Tula Anagnostopoulos a edição dos aúdios e vídeos.

Para participar, os interessados devem enviar para o email ascidadesdescaradas@gmail.com a gravação de sons com até 3 minutos de duração (ruídos, vozes, leituras) ou vídeos de até 5 minutos de duração (cenas urbanas, rurais, domésticas).  Os arquivos podem ser disponibilizados em qualquer formato de áudio ou vídeo. Estes registros vão ser utilizados como material bruto para a edição final e os nomes de todos os participantes irão constar na ficha técnica do trabalho. O prazo para envio dos materiais é 22 de fevereiro. Para saber mais, acesse: https://www.facebook.com/ascidadesdescaradas

Saiba Mais

Viviane Gueller  é artista visual e jornalista, mestre em Poéticas Visuais no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. (2012-2014). Em 2014, foi indicada como destaque em mídias tecnológicas para o VIII Prêmio Açorianos de Artes Plásticas e contemplada pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 11ª edição. Em 2012, fez uma série de inserções sonoras para a Mobile Radio da 30ª Bienal de São Paulo. Fez parte de exposições coletivas e individuais em Porto Alegre, São Paulo, Brasília Belém e Espanha. Recebeu o prêmio de incentivo à criatividade no 16º Salão da Câmara Municipal de Porto Alegre e foi selecionada para 58º Salão de Abril (Ceará), 29º Salão do Pará, 2º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia (Belém PA). Foi mapeada para o Projeto Rumos Itaú Cultural, ministrou uma oficina no projeto Mapas Práticos da 7ª Bienal do Mercosul (2009), no qual participou com sua proposição autoral de arte-reportagem. Bacharel em comunicação social, trabalhou para os jornais Zero Hora, Gazeta Mercantil e Grupo Folha-SP; para as revistas Cult e Vejinha-SP; para a rádio FM Cultura, o Site PrimaPágina e o Portal Setor 3 do Senac SP, além de atuar em assessoria de comunicação. Passou uma temporada em Nova York na Rádio e TV das Nações Unidas onde trabalhou na Divisão de Mídia – Vídeo e Produção Audiovisual e Unidade de Rádio Latino-Americana. Foi a responsável pela concepção e produção do Terravista, espaço cultural em Porto Alegre que integrava livraria, local para debates e saraus, galeria de arte e cafeteria, considerado pela crítica especializada lugar das discussões e ações culturais mais modernas da cidade e referência cultural do renascimento da Cidade Baixa (1998-2000).

As Cidades Descaradas

Envio de colaborações até 22 de fevereiro para o email ascidadesdescaradas@gmail.com

Sons – até 3 minutos de duração

Vídeos – até 5 minutos de duração

Para saber mais, acesse: https://www.facebook.com/ascidadesdescaradas

Blog no WordPress.com.

Acima ↑