Canção marca projeto de colaborações que conta com parcerias de versões e inéditas

Chega às plataformas de streaming nessa sexta-feira, 09 de julho, o single Rio Verde, uma parceria dos Fantomaticos com Lucas Gonçalves. Depois de um ano de lançamentos inéditos por conta do álbum Esquinas, disponibilizado ao público ao longo de 2020 com 10 singles e 10 clipes, os Fantomaticos apresentam essa semana um novo projeto, baseado em parcerias, registrando colaborações com outros artistas e bandas, criadores que o grupo admira que que cruzaram os caminhos dos músicos ao longo dos anos.

Iniciando esse novo momento, a banda contou com a participação do paulista Lucas Gonçalves, que além de uma frutífera carreira solo integra as bandas Vitreaux, um dos grandes destaques dentre os lançamentos de álbuns em 2020, e a consagrada Maglore. A canção escolhida, Rio Verde, é uma composição do baixista André Krause, que integra o álbum Fantomaticos III, de 2016, mas que agora ganha releitura um pouco mais acústica, com toques de música indiana e experimentações transcendentais. Na faixa, Lucas divide os vocais com o guitarrista Augusto Stern e também acrescenta uma guitarra de 12 cordas que dá o tom do trabalho.

Inspirada por esse clima psicodélico, a banda preparou um vídeo que é uma viagem caleidoscópica por imagens inspiradoras, num fluxo repetitivo que evoca o próprio fluxo da música. E para apresentar esse trabalho ao mundo a banda chamou novamente o artista Fábio Alt, que fez uma bela capa – também uma sobreposição de imagens enigmáticas.

Por conta das colaborações, estão surgindo regravações e remixes de canções que a banda já tem no repertório, como no caso de Rio Verde, mas também algumas criações e composições inéditas. Vão passar pelo projeto músicos de todas a gerações e de diversos estilos, novidades que serão lançadas nos próximos meses.

O single estará disponível em todas as plataformas de streaming, e o clipe, no canal da banda no YouTube. Para saber mais, acesse: www.fantomaticos.com | Canal da banda no Youtube          

https://www.youtube.com/channel/UCT42G1YM9Obvd4RY3xe8QlA

SOBRE LUCAS GONÇALVES

O músico autodidata e compositor Lucas Gonçalves cresceu no Sul de Minas Gerais, em Passa Quatro.  Passou a infância descobrindo música, através da coleção de cds e vinis de seus pais.

Em 2012 se mudou para São Paulo, onde formou a banda Vitreaux, projeto em que atua como guitarrista e vocalista. Em 2017 ingressou na banda Maglore, assumindo o contrabaixo. Acompanhou diversos artistas independentes como: Gustavo Galo, Giovani Cidreira, Betina Extinta, Douglas Mam, Juliana Perdigão entre outros.

Em 2020 lançou o seu primeiro álbum de canções, o “Se Chover” foi gravado no estúdio Submarino Fantástico (SP) durante o ano de 2019 por Luciano Tucunduva. Atualmente finaliza o segundo disco, produzido em seu home estúdio, em São Paulo.

 
SOBRE OS FANTOMATICOS

André Krause – baixo e vocais

Augusto Stern – guitarra e vocais

Guilherme Fialho – guitarra e vocais

Pedro Petracco – bateria e vocais

Rodrigo Trujillo – teclado e vocais

Fantomaticos é uma banda de Porto Alegre surgida no ano de 1999, ainda de forma experimental, que logo se voltou à busca de uma expressão artística própria e ganhou notoriedade na cena alternativa de rock autoral dos anos 2000. O grupo já se apresentou em diversas cidades do Brasil e em 2015 fizeram seus primeiros shows internacionais. 

O primeiro disco, ‘No Bosque’ (2008), revela uma grande carga de experimentalismo e originalidade nas composições e arranjos das canções. Seu lançamento teve repercussão nacional na mídia especializada e levou o clipe da canção ‘Gin’ à programação da MTV.

O segundo disco, ‘Dispersão’ (2013), revela o amadurecimento artístico-musical na construção de um projeto conceitual que busca criar atmosferas e paisagens sonoras mais introspectivas e consistentes. Sobre o trabalho, o músico Frank Jorge, ícone do rock nacional, disse: “(…) é bom escutar uma voz que busca na música uma forma de expressão tendo a noção do quanto é nobre esta possibilidade. (…) A identidade/sonoridade da banda já conta com impressões digitais próprias. A banda tem o SEU som!” 

Deste álbum foram lançados quatro clipes que integram a programação de canais como MTV, Multishow e Bis, Box Brasil, com destaque para a música ‘Ao Longe’. As canções passaram pela programação da Itapema FM, Unisinos FM, Novos Horizontes, Mínima FM, entre outras e esse repertório foi apresentado ao vivo na rádio Ipanema FM.

A canção ‘Recorriendo’, foi remixada pelo artista inglês Midi Error e lançada na rádio BBC Shropshire (Inglaterra). O disco foi destaque na mídia especializada nacional e internacional, como os sites Unsigned & Independent (Irlanda) e Social Radio (EUA).

Entre o final de 2014 e o final de 2015 lançaram três Eps, com duas músicas cada. São eles: ‘Veja Bem a Sua Volta’, que ganhou bastante espaço nas rádios, ‘Keep Calm’, que tem um belo vídeo-clipe e ‘Vale’, que explora um lado acústico da banda.

O terceiro álbum, intitulado apenas ‘Fantomaticos’, lançado em 2016, propõe músicas mais diretas e minimalistas, voltadas sobretudo para a execução ao vivo. São 12 músicas inéditas produzidas e gravadas pela banda no seu estúdio, o Bunker Studio. 

A banda ainda lançou em 2018 o single ‘Andar’, um medley e uma aventura musical inspirada em influências da banda, como Beatles, The Who e Supergrass. No final deste ano também lançaram uma versão comemorativa de 10 anos do primeiro disco, ‘No Bosque’, com 3 faixas inéditas gravadas na época. 

Para seu quarto álbum de estúdio, a banda se isolou em um sítio na serra gaúcha com os equipamentos e gravou boa parte do material em sessões ao vivo, quentes e cheias de feelling. As gravações complementares foram interrompidas pela quarentena, mas a banda deu continuidade ao processo finalizando as músicas individualmente, à distância. 

Desse trabalho foram lançados 10 singles, todos eles com vídeo-clipes feitos pela banda ou desenvolvidos em conjunto com diretores e parceiros da banda. Destacam-se “Coisa com Coisa”, “Passado Moderno” e “Pelas Esquinas” que tiveram espaço em veículos como a revista Rolling Stone Brasil e em playlists editoriais, como “Indie Brasil” e “Pátria Rock”, do Spotify, além da circulação em rádios.