Busca

Bruna Paulin

Assessoria de Flor em Flor

mês

dezembro 2019

Augusto Stern lança projeto solo na segunda, 16 de dezembro

BABU INSTAGRAM COM LOGO

Material inédito e autoral do guitarrista e vocalista da banda Fantomaticos apresenta gravações intimistas lançadas em formato de singles

 

A partir da próxima segunda-feira, 16 de dezembro, o público poderá conferir o novo trabalho do músico Augusto Stern. Babu, seu apelido, é o nome de seu novo projeto solo autoral, onde apresentará gravações intimistas em formato de single. Desde o final dos anos 1990, com a criação dos Fantomaticos, Stern é figura constante na cena musical porto-alegrense, tanto com seu trabalho com a banda, quanto com sua participação no espetáculo “Uma Nova Pele”, onde integra o grupo Bruna Paulin e os Esotéricos, além de já ter gravado e produzido diversos músicos da cidade.

Com Babu, o músico apresenta uma nova faceta, seu primeiro trabalho solo. “O nome foi escolhido exatamente para dar uma ideia de intimidade, proximidade, algo que se reflete desde as canções, passando pelo visual e também o formato de veiculação. “Sem a pressão de datas e prazos, meu objetivo é ir apresentando as músicas, fotos, clipes, todo o conteúdo gerado de forma simples, minimalista, quase caseira e bastante espontânea”, conta o compositor e multiinstrumentista. 

“Eu adoro o trabalho com os Fantomaticos, sempre extremamente minucioso, com diversas formas de experimentação até atingir o resultado. É um trabalho artesanal e muito divertido! Porém eu sempre quis aliar a isso um formato que fosse um pouco mais direto e, talvez, mais descompromissado. Com o Babu eu gravo tudo sozinho em casa ou no meu estúdio e faço o lançamento o mais rápido possível. Um pouco no calor da emoção, com a ideia ainda bruta, fresca”, revela.

Primeiro single do projeto, “I Believe Her”, é uma balada de violão em formato de declaração de amor. A música em conjunto com o clipe, compõe uma homenagem às mulheres que foram inspiração na vida do artista. O vídeo foi dirigido por Patrícia Barbieri (sua esposa) e estará online também no dia 16.

Segundo o artista, nesse projeto os lançamentos serão sempre em single, de música em música, e sempre com um vídeo. Vários estilos serão apresentados e haverá espaço para participações mais inusitadas. Babu estará disponível em plataformas como Spotify, iTunes e Deezer e pode ser alcançado pelo link http://trato.red/ibelieveher 

Longa-metragem A Colmeia na capa do caderno Arte & Agenda do Correio do Povo

correiodopovo_10.12.19.jpg

Curso “Produção Executiva em Artes Visuais – planejamento e execução de exposições” ocorre nos dias 17 e 18 de dezembro

jaqueline beltrame_credito thiele elissa

Atividade ministrada por Jaqueline Beltrame ocorre no Hub Criativa Birô, na Casa de Cultura Mario Quintana

 

Ocorre nos dias 17 e 18 de dezembro de 2019 o curso Produção Executiva em Artes Visuais – planejamento e execução de exposições, ministrado por Jaqueline Beltrame. O curso abordará as diversas etapas de realização de exposições, visando capacitar profissionais da área. Dentre os tópicos abordados, estão a relação entre curadoria e produção, como montar o orçamento de uma exposição, negociação de empréstimo de obras, seguro, transporte, produção local de obras para exposição, equipe e fornecedores, especificidades de montagem de vídeo instalações, entre outras atividades que envolvem a produção profissional de exposições em instituições e espaços diversos. As inscrições podem ser feitas pelo Sympla ou através do email jaquebeltrame@gmail.com. Será fornecido certificado após o final do curso, para alunas e alunos presentes nos dois dias.

Jaqueline Beltrame tem duas décadas de experiência em produção cultural, e foi Produtora Executiva da Fundação Iberê Camargo e de diversas edições da Bienal do Mercosul; produziu exposições em locais como Santander Cultural e Instituto Ling. É uma das fundadoras, produtora e curadora do Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira, além de produtora executiva de cinema e projetos culturais em diversas áreas.

O curso tem Apoio do RS Criativo, e Apoio Divulgação da AAMACRS – Associação de Amigos do Museu de Arte Contemporânea do RS.

 

Serviço:

Curso Produção Executiva em Artes Visuais – planejamento e execução de exposições

Data e horário: 17 e 18 de dezembro, das 9h às 13h.

Local: Hub Criativa Birô (Sala Sergio Napp 2), na Casa de Cultura Mario Quintana – Rua dos Andradas, 736, Centro Histórico / Porto Alegre

Inscrições e valores:

No Sympla

Profissionais de área e estudantes: R$150,00 (+ R$15,00 taxas), em até 12 x R$ 17,06

Profissionais de outras áreas: R$200,00 (+ R$20,00 taxas), em até 12 x de R$ 22,75

Link: https://www.sympla.com.br/curso-producao-executiva-em-artes-visuais–planejamento-e-execucao-de-exposicoes__727986

Através do email jaquebeltrame@gmail.com:

Mesmos valores, sem cobrança de taxas, à vista.

Projeto Concha promove Som na Concha na quarta, 18 de dezembro

residenciaconcha_creditoSofiaLerrer.png

 

Show de encerramento da residência artística promovida pelo projeto em 2019 ocorrerá na Concha Acústica do Multipalco Eva Sopher com entrada franca; atividades do projeto este ano contaram com patrocínio do Natura Musical

 

Porto Alegre, 10 de dezembro de 2019 – Na quarta-feira, 18 de dezembro, às 20h, o público poderá conferir com entrada franca o show de encerramento do projeto de residência artística do Projeto Concha 2019, que durante oito meses reuniu 15 artistas locais para integrarem as atividades sob orientação da artista Isabel Nogueira e produção de Alice Castiel. A cada quinze dias a turma participava de atividades com convidadas de diversas áreas. O objetivo do Som na Concha é apresentar um pouco do que foi esse processo para todas elas.

A turma formada pelas musicistas Aline Araújo, Ana Paula Posada, Andressa Ferreira, Bartira Marques, Carina Levitan, Clarissa Ferreira, Giovanna Mottini, Gutcha Ramil, Jordana Henriques, Kaya Rodrigues, Mariana Martinez, Nina Fola, Nina Nicolaiewsky, Rita Zart e Thays Prado frequentou encontros e trabalhou em linguagens musicais, experimentações e composições além de atividades individuais e em grupo que as ajudaram a encontrar novos caminhos para o seus projetos na música. Também receberam as convidas Juçara Marçal, Alessandra Leão, Léa Freire, Winnie Bueno, Mestra Martinha do Coco, Angélica Freitas e Bárbara santos para atividades complementares como expressão corporal, poética, questões sobre feminismo negro além de vivências e trocas de experiência.

Este show especial e único que encerra a programação 2019, apresentará composições e arranjos individuais e coletivos desenvolvidos ao longo do processo da residência e arranjados para o espetáculo.

O Projeto Concha foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018 com com Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura – Pró-Cultura RS – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul. “Coletivos como o Projeto Concha ampliam a voz de movimentos que buscam maior representatividade dentro e fora do mercado musical”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “De uma forma geral, os coletivos promovem impacto cultural, social e econômico que multiplica o alcance de um patrocínio. A gente investe no coletivo e toda uma rede de pessoas conectada a ele também são impactadas de forma positiva”, completa.

Este ano foram realizados oito shows com onze atrações locais e nacionais e cinco oficinas formativas para mulheres na área de produção musical: fotografia, luteria, produção, iluminação e sonorização.

O Som na Concha ocorre na Concha Acústica do Multipalco Eva Sopher. Em caso de chuva as apresentações serão transferidas para o Foyer do Multipalco na mesma data e horário. Para mais informações acesse: facebook.com/projetoconchapoa

 

Protagonismo no palco

O Projeto Concha é uma iniciativa independente, criada em 2018 pela produtora cultural Alice Castiel. Ao analisar o mercado musical, tanto localmente como em eventos nacionais dos quais participou, ela notou a quantidade e a diversidade de mulheres produzindo, compondo, tocando instrumentos e cantando, mas que muitas vezes, apesar do talento, não tinham acesso a selos, gravadoras ou à programação de festivais. “Em Porto Alegre ou em qualquer cidade do Brasil, a oferta dos principais palcos é majoritariamente protagonizada por homens”, afirma. Como contraponto, Alice propôs uma programação que apresentasse exclusivamente o trabalho de mulheres, a fim de chamar atenção para o que é produzido e muitas vezes ignorado ou preterido pelo circuito oficial da música.

Nas 13 edições do projeto, realizadas no bar Agulha, em Porto Alegre, o público lotou a casa para conhecer o trabalho de mais de 20 mulheres, em apresentações de artistas locais e também de criadoras com projeção na cena nacional, criando um espaço de visibilidade e troca de referências musicais, amparado por uma rede de apoio entre mulheres e conteúdo profissionalizante. Já participaram artistas como Letrux, Juçara Marçal, Luedji Luna, Labaq, Xênia França, Maria Beraldo, Larissa Luz, Juliana Perdigão, intervenções poéticas de Angélica Freitas, Mel Duarte, Luna Vitrolira, Crystal Rocha e as atrações locais Saskia, Raquel Leão, Veña, Pâmela Amaro, Thays Prado, As Aventuras e até uma banda se formou especialmente para uma edição do Concha, batizada de Enxame.

Para mais informações, acesse: facebook.com/projetoconchapoa

 

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. O último edital do programa neste ano selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente para a rica e pulsante produção musical brasileira.

 

SERVIÇO

Som na Concha – show de encerramento da residência artística 2019

Quarta-feira, 18 de dezembro de 2019, 20h

Local: Concha Acústica – Multipalco Eva Sopher (Praça Marechal Deodoro, s/n)

Apresentações de Aline Araújo, Ana Paula Posada, Andressa Ferreira, Bartira Marques, Carina Levitan, Clarissa Ferreira, Giovanna Mottini, Gutcha Ramil, Jordana Henriques, Kaya Rodrigues, Mariana Martinez, Nina Fola, Nina Nicolaiewsky, Rita Zart e Thays Prado

Entrada franca. Em caso de chuva as apresentações ocorrem no Foyer do Multipalco

A Colmeia vence prêmio de Melhor Longa-Metragem Estrangeiro no Festival de Cinema de Zaragoza

Colmeia 2

Segundo longa de Gilson Vargas estreou em festivais no exterior e no Brasil em novembro

 

Após sua estreia em três festivais durante o mês de novembro, A Colmeia, segundo longa-metragem de Gilson Vargas, recebeu o Prêmio Augusto de Melhor Longa-Metragem Estrangeiro no Festival Internacional de Zaragoza na Espanha. O filme iniciou sua carreira em festivais no último dia 24, com exibição na programação do PÖFF 23 – Black Nights International Film Festival, na mostra Rebels With a Cause, na Estônia, seguindo para o Cine Zaragoza e chegando ao público brasileiro no 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em Brasília.

O Festival Internacional de Cinema de Zaragoza é um festival classificador do Goya e já se encontra em sua 24ª edição e ocorreu de 15 a 30 de novembro, promovendo, além de mostras, o Zaragoza Film Market, buscando consolidar uma indústria cinematográfica na cidade, como um polo de produção audiovisual e um espaço de networking para profissionais nacionais e internacionais da indústria, remanejando o foco que está concentrado em outras cidades da Espanha como Madrid e Barcelona.

Filmado em 2017 nos municípios de Maratá e Harmonia, interior do RS, o filme situa-se na no período da 2ª Guerra Mundial e traz como protagonistas um grupo de imigrantes alemães que vive isolado no interior do Brasil. Eles tentam se manter invisíveis, mas a curiosidade dos mais jovens e a insegurança perante o novo ambiente instaura uma tensão e um ciclo de violência sem volta. A Colmeia flerta com o cinema de suspense, com doses de poesia visual, refletindo sobre os conflitos gerados pelo medo e a opressão.

Segundo Vargas, diferente de Dromedário no Asfalto, seu filme de estreia, um road movie tanto em seu roteiro quanto em sua produção, A Colmeia é um filme de processo: “tivemos a oportunidade de fazer uma imersão com equipe e atores no universo do filme antes das gravações, com visitas às locações, trabalho de pesquisa dos personagens, aulas de alemão e muito ensaios”, conta.

Durante a pré-produção do longa, o elenco pode desenvolver a construção de seus personagens através de um intenso processo de imersão dos atores, que passaram alguns dias no campo e vivendo na casa onde foram rodadas grande parte das cenas do filme, um casarão erguido em 1864. O grupo viveu como os personagens, trabalhando no campo e realizando as atividades conforme o período em que se passa a história de A Colmeia: “os atores chegaram a passar uma noite sozinhos na casa, fazendo sua própria comida, tomando banho com bacias, usando ferros de passar roupa com brasas e sob a luz de lampiões”, revela o diretor.

No elenco, Rafael Fronskoviak, Janaina Pellizon, Martina Froederich, Renata de Lelis, Thais Petzhold, Samuel Reginato, João Pedro Prates e Andressa Mattos interpretam os imigrantes alemães.

A Colmeia tem roteiro de Matheus Borges, Gilson Vargas e Diones Camargo, que também assina o argumento. A direção de arte é de Gilka Vargas e Iara Noemi e a direção de fotografia de Bruno Polidoro, parceiro de Vargas em seu primeiro longa, em diversos curtas e na série de TV Travessias. O desenho de som e a montagem são por conta de Gabriela Bervian, também parceira do diretor em diversos filmes e na vida afetiva – Gabriela e Gilson, além de casados, são sócios da Pata Negra, produtora que assina o trabalho. A dupla é responsável pela produção executiva do filme, que também conta as produtoras Eduarda Nedel e Deise Chagas na equipe.

O lançamento comercial está previsto para março de 2020, após o filme circular por festivais, com distribuição da Lança Filmes. A Colmeia tem financiamento do FSA Ancine e do FAC Pro-Cultura RS com recursos do Edital Arranjos Regionais, que fomentou a realização de diversos filmes realizados no Rio Grande do Sul, como Yonlu, de Hique Montanari, Rifle, de Davi Pretto e Disforia, de Lucas Cassales. A obra também conta com apoio Institucional do Goethe-Institut Porto Alegre e do Ministério das Relações Exteriores. Para mais informações, acesse: https://www.facebook.com/cinepatanegra/

 

GILSON VARGAS

Gilson Vargas é roteirista, diretor e produtor. Dirigiu diversos curtas-metragens premiados dentro e fora do Brasil, como o curta-metragem “Casa Afogada”, vencedor de quatro Kikitos no Festival de Cinema de Gramado. Em 2015 lançou o seu primeiro longa-metragem, “Dromedário no Asfalto”. Atualmente, está realizando a série de documentário para TV chamada “Travessias”, que também possui versão no formato de longa-metragem e foi filmada em diversos países, incluindo a Rússia, Mongólia, Estados Unidos, Japão, China e Tanzânia. No teatro, fez duas incursões como diretor, tendo recebido o Prêmio Nacional Myriam Muniz pelo espetáculo Crucial Dois Um. Leciona Roteiro e Direção no Bacharelado em Cinema da UNISINOS, no Rio Grande do Sul. A Colmeia é seu segundo longa-metragem. Gilson Vargas é também sócio da produtora Pata Negra, sediada em Porto Alegre.

Livro “O homem infelizmente tem que acabar” na imprensa

oglobo2_08.12.19.jpg

 

zh_07.12.19.jpg

Luiza Lian apresenta “Azul Moderno” no Agulha

Copy of Luiza_Lian_Div_Aovivo_Filipa Aurelio_3

Com patrocínio do Natura Musical, turnê traz para o Porto Alegre na sexta-feira, 13 de dezembro, às 22h, o show/instalação

 

Luiza Lian, a artista ganhadora do prêmio APCA como Melhor Disco de 2018, traz pela primeira vez para Porto Alegre o show/instalação “Azul Moderno”. O espetáculo ocorre no Agulha na sexta-feira, 13 de dezembro, às 22h.

“Azul Moderno” é um espetáculo com grande força visual pensado a partir da noção de cinema expandido, com cenografia, projeções mapeadas e luz. Buscando um diálogo com a arquitetura, o show se adapta aos diferentes espaços escolhidos, levando ao público de cada cidade uma experiência singular.

Em um espetáculo extremamente sensível, feminino e cheio de camadas visuais, Luiza resgata referências da música brasileira do sec. XX em um repertório extremamente contemporâneo, levando o espectador através desses diferentes tempos, em um portal onde ancestralidade e tecnologia se fundem em uma profunda reflexão sobre o nosso tempo e o nosso passado. A apresentação faz parte da turnê anunciada em junho, com o patrocínio da Natura Musical, e passou por Rio de Janeiro, Recife, Goiânia e Salvador.

Os ingressos custam entre R$ 20,00 e R$ 40,00 pelo Sympla (http://bit.ly/luizalianagulha ) e no local. O Agulha abre as portas às 19h.

 

Luiza Lian

Cantora e compositora, Luiza Lian funde a experiência de uma espiritualidade sincretizada com a intensa realidade urbana. Lançou três álbuns autorais: Luiza Lian (2015), Oya Tempo (2017) e Azul Moderno (2018), sendo o último premiado como melhor disco de 2018 pela APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte e “Melhor Gravação” pelo Prêmio Multishow.

O conteúdo de suas letras, com forte teor autobiográfico, abordam temas como sexualidade e espiritualidade, e traduzem um vínculo com a sua produção como artista visual. Se pensarmos em magia como um conjunto de palavras e gestos capazes de direcionar forças que, apesar de invisíveis, influenciam nossas vidas, é bastante apropriado dizer que a música de Luiza Lian é um ato de feitiçaria.

Sinopse do Espetáculo – Azul Moderno

Espetáculo audiovisual inspirado no cinema expandido, Luiza Lian apresenta ao lado do produtor Charles Tixier, o repertório autoral dos álbuns “Azul Moderno” (2018) e “Oya Tempo” (2017). Em um show extremamente sensível, feminino e cheio de camadas visuais, Luiza resgata referências da música brasileira do sec. XX em um repertório extremamente contemporâneo, levando o espectador através desses diferentes tempos, em um portal onde ancestralidade e tecnologia se fundem em uma profunda reflexão sobre o nosso tempo e o nosso passado.

Ficha Técnica do Espetáculo Azul Moderno:

Direção Artística: Luiza Lian

Produção Musical: Charles Tixier

Vídeo Projeções: Bianca Turner

Laser: Diogo Terra Vargas

Iluminação: Amanda Amaral

Técnico de som: Caio Alarcon

Direção de Produção: João Bagdadi

Assistentes de Produção: Carolina Morena

Figurino: Ateliê Vivo – Gabi Cherubini e Flavia Lobo Felício

Beleza: Leon Gurfein

Cenografia: Beatriz Falleiros

Identidade Visal: Maria Cau Levy – Goma Oficina / Didiana Prata – Prata Design

Assessoria de Imprensa: Francine Ramos

 

selo RISCO

Selo fonográfico fundado em 2014 em São Paulo e hoje sob direção de Gui Jesus Toledo e João Bagdadi, atua como uma plataforma de suporte na viabilização fonográfica e difusão do trabalho de artistas da cena independente. Sua proposta é fomentar e investir na carreira desses artistas, por meio da colaboração em duas frentes principais: a gestão dos processos produtivos e a articulação com outros atores das cadeias criativa e produtiva da música. É casa de lançamentos de diversos artistas como: O Terno, Maria Beraldo, Tim Bernardes, Jonas Sá, Quartabê, Ana Frango Elétrico, Pedro Pastoriz entre outros.

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais. Em 2018, o edital do programa selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos, e estabeleceu parcerias com 10 festivais independentes de Norte a Sul do país. A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, com cerca de 100 shows para adultos e crianças ao longo de 2018.

 

Luiza Lian em Porto Alegre ~ Agulha

Data: Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019

Horário: O bar abre às 19h e o show começa às 22h

 

Local: Agulha – Rua Conselheiro Camargo, 300 – Bairro São Geraldo – Porto Alegre/RS – Próximo a estação do Trensurb São Pedro e das linhas T3 e T8

Classificação: 16 anos

_

| INGRESSOS |

Online: http://bit.ly/luizalianagulha

(Com opção de boleto bancário, disponível até 5 dias úteis antes do evento. Sujeito a taxa de conveniência).

Lote Único – Meia-entrada* – R$ 20 | Inteira: R$ 40

* Meia-entrada – Para o benefício da meia-entrada de estudante (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do evento. Todos os documentos válidos para esse benefício são determinados pela Lei Federal 12.933/13. Você pode conferir cada um deles aqui: https://bileto.sympla.com.br/meia-entrada/.

Pontos de venda:

Agulha – R. Conselheiro Camargo 300 / qua – sáb das 19h às 2h / dom das 18h até 00h

| TROCA DE TITULARIDADE |

Até 24h antes do evento: o(a) titular pode realizar a troca diretamente através do site ou aplicativo da Sympla: http://bit.ly/trocasympla

No dia do evento: o(a) titular pode solicitar a troca até às 18h, enviando o nome e o email do(a) novo(a) comprador(a) para contato@agulha.poa.br.

Muovere Cia de Dança promove apresentações de Tóin: dança para bebês no Teatro Eva Herz – Livraria Cultura com participação do Papai Noel

toin_creditoGuiMalgarizi

Apresentações ocorrem nos dias 14 e 15 de dezembro

 

Nos dias 14 e 15 de dezembro a Muovere Cia de Dança promove duas apresentações do espetáculo “Tóin: dança para bebês” no Teatro Eva Herz na Livraria Cultura. Esta edição contará com uma participação especial do Papai Noel para celebrar o Natal.

A partir do desejo de oferecer atividades artísticas para bebês entre 0 e 3 anos e seus cuidadores, em 2012 a Muovere Cia de Dança criou “Tóin – Dança para Bebês”, um espetáculo coreográfico dedicado a este público, inaugurando um encontro entre bailarinos e pequenos artistas, onde as formas, as cores e os sons provocam imaginários.

Inspirado em autores da literatura infantil, como Gláucia de Souza e Eva Furnari, Monteiro Lobato e Mário Quintana, em animações e em memórias de infância dos bailarinos e diretores, incluindo relatos, fotos e dossiês. A equipe de criação do projeto pesquisou um conjunto de referências pautadas no movimento do corpo, como um dos primeiros sinais que o bebê manifesta através de gestos dançados. Por Marcelo Delacroix, a trilha é composta de canções originais como a dança dos palitos, a dança dos dedinhos e das perninhas. Bruno Fernandes, Denis Gosh, Arthur Bonfanti e Aline Karpinski integram o elenco do espetáculo para dançar os personagens Ventania, Papel, Mola e Flor.

Com direção geral e coreográfica de Jussara Miranda e artística de Diego Mac, Tóin já foi apresentado em mais de 150 sessões em todo Brasil, entre festivais, mostras, feiras e escolas. A companhia também participou do programa Game para Bebês da Ana Maria Braga, Rede Globo, como também do importante projeto UM NOVO OLHAR- Festival de Artes para a primeira infância, promovido pelo SESC São Paulo.

A equipe do espetáculo também é composta pelo ensaiador e assistente de direção artística Nilton Gaffree. Os figurinos são de Antonio Rabadan, a trilha sonora original de Marcelo Delacroix e Beto Chedid e produção de Ana Paula Reis.

Os ingressos custam R$ 40,00 e tem 50% de descontos para estudantes, idosos, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência e estão à venda na Livraria Cultura e online através do site http://www.sympla.com.br

 

SERVIÇO

Dias 14 e 15 de dezembro (sábado e domingo), às 16 horas.

Duração: 40 minutos

Teatro Eva Herz – Livraria Cultura / Bourbon Shopping Country – Av. Tulio de Rose, 80. Piso 2 – Loja 302. Bairro Passo d’Areia

Ingressos R$ 40,00

À venda na Livraria Cultura e online através do site http://www.sympla.com.br

Descontos para estudantes, idosos, jovens de baixa renda, pessoas com deficiência.

São considerados doadores regulares de sangue a mulher que se submete à coleta pelo menos duas vezes ao ano, e o homem que se submete à coleta três vezes ao ano.

 

Sarau da Clara Corleone recebe Jorge Furtado e Luisa Geisler na quinta, 05 de dezembro

clara corleone_credito_Carolina Disegna

O tema da edição será “Humor” e ocorrerá no Von Teese

 

Porto Alegre,  02 de dezembro de 2019 – Na quinta-feira, 5 de dezembro, às 20h30, o Von Teese recebe mais um Sarau da Clara Corleone. O evento literário traz a cada edição um tema que pauta os textos lidos por Clara e as personalidades que participam. O de dezembro será “Humor”. Dividem o sofá do Von Teese com a anfitriã o diretor Jorge Furtado e a escritora Luisa Geisler.

O evento da escritora e atriz já recebeu as escritoras Martha Medeiros e Claudia Tajes, as políticas Manuela D’Ávila e Fernanda Melchionna, os jornalistas Katia Suman, Carol Anchieta, Roger Lerina e Paulo Germano, as atrizes Mirna Spritzer, Maria Galant e Catharina Conte, os diretores de teatro Patrícia Fagundes, Júlio Conte e Patsy Cecato, entre outros. O “Sarau da Clara Corleone – Humor” tem couvert de R$ 10,00 (em dinheiro) ou R$ 15,00 (em cartão). O Von Teese fica na Rua Bento Figueiredo 32.

Clara Corleone é formada em Arte Dramática e divide o seu tempo como produtora no estúdio Otto Desenhos Animados e hostess do Bar Ocidente às sextas. Comanda o sarau no Von Teese desde 2017 e lançou seu primeiro livro, “o homem infelizmente tem que acabar” em 2019 na Editora Zouk, pelo selo Casa da Mãe Joanna.

Jorge Furtado é diretor e roteirista dos longas HOUVE UMA VEZ DOIS VERÕES (2002), O HOMEM QUE COPIAVA (2003) e MEU TIO MATOU UM CARA (2005) SANEAMENTO BÁSICO, O FILME (2007), O MERCADO DE NOTÍCIAS (2014),  REAL BELEZA (2015), QUEM É PRIMAVERA DAS NEVES (2017) e RASGA CORAÇÃO (2018). Dirigiu também vários curtas-metragens premiados no Brasil e no exterior, como O DIA EM QUE DORIVAL ENCAROU A GUARDA (1986), BARBOSA (1988), ILHA DAS FLORES (1989), ESTA NÃO É A SUA VIDA (1991), ÂNGELO ANDA SUMIDO (1997), e O SANDUÍCHE (2000). Para a TV Globo, dirigiu a série CENA ABERTA (2003), a minissérie LUNA CALIENTE (1998), DECAMERÃO (2010), as três temporadas de HISTÓRIA DO AMOR (2011/ 2012/2013), e os telefilmes HOMENS DE BEM (2011) e DOCE DE MÃE (2012). Este último originou a série em 14 episódios DOCE DE MÃE (2014) e rendeu dois prêmios Emmy Internacional: Melhor atriz, para Fernanda Montenegro, em 2013, e Melhor Série de Comédia, em 2015. Jorge Furtado é um dos sócios-fundadores da Casa de Cinema de Porto Alegre.

Luisa Geisler nasceu em 1991, em Canoas, Rio Grande do Sul. É escritora e tradutora. Autora de Luzes de emergência se acenderão automaticamente (Alfagura, 2014), De espaços abandonados (Alfagura, 2018) e Enfim, capivaras (Editora Seguinte, 2019), foi duas vezes vencedoras do Prêmio Sesc de Literatura, além de finalista do Prêmio Machado de Assis, semifinalista do Prêmio Oceanos de Literatura e duas vezes finalista do Jabuti. É mestre em processo criativo pela Universidade Nacional da Irlanda.Tem textos publicados e traduzidos em maia de 10 países.

Sarau da Clara Corleone

“Humor” com Jorge Furtado e Luisa Geisler

5 de dezembro, quinta-feira, às 20h30

Couvert a R$ 10,00 em dinheiro// R$ 15,00 em cartão

Von Teese – Rua Bento Figueiredo 32

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑