still_07

Festival divulga vencedores da Competitiva Brasil na quinta, 10 de novembro

 

Porto Alegre, 07 de novembro de 2016 – Na próxima quinta-feira, 10 de novembro, o Cine Esquema Novo 2016 – Arte Audiovisual Brasileira chega ao fim de mais uma edição, com a exibição do mais recente longa-metragem de Julio Bressane, Beduino, às 20h, seguida da cerimônia de premiação da mostra Competitiva Brasil, na Cinemateca Capitólio, com entrada franca.

Com première mundial em agosto no Festival de Locarno, na Suíça, Beduino traz no elenco Alessandra Negrini e Fernando Eiras interpretando um curioso casal que através da arte retrata repetidas e variadas representações, em um cenário de luz onde se misturam esperança e desespero.

Logo a seguir, na premiação do CEN 2016, as 44 obras da Mostra Competitiva Brasil concorrem ao Grande Prêmio Cine Esquema Novo. A comissão julgadora é formada pelo professor do Instituto de Artes da UFRGS, Eduardo Veras, a jornalista e professora no curso de Cinema da UFPel, Ivonete Pinto e o diretor, roteirista e montador Vicente Moreno.

O vencedor do Grande Prêmio Cine Esquema Novo recebe o troféu, confeccionado pelo artista Luiz Roque e ainda levará para casa prêmios em serviços (ver lista completa abaixo) oferecidos por Kiko Ferraz Studios, Lilit Laboratório Digital, Psycho N’ Look e Locall. O júri também elegerá até cinco prêmios de escolha livre.

O CEN é uma realização da ACENDI – Associação Cine Esquema Novo de Desenvolvimento da Imagem, em correalização com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, através da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal de Cultura e Goethe-Institut Porto Alegre; coprodução da Pátio Vazio e apoio institucional do Instituto Ling, Departamento de Artes Visuais e Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFRGS, Fluxo – Escola de Fotografia Expandida e Tecna – Centro Tecnológico Audiovisual do RS. Para informações sobre o evento e programação, acesse: www.cineesquemanovo.org

Saiba Mais

Beduino, de Julio Bressane, 2016, 75min, RJ

Classificação indicativa 12 anos

Elenco:  Alessandra Negrini e Fernando Eiras

Um casal bastante curioso – dramaturgos de sua própria existência na qual a arte surge acompanhada de uma singular pretensão metafísica – procura pela coisa mais difícil, através de repetidas e variadas representações, em um cenário de luz onde se misturam esperança e desespero.

 

DIREÇÃO

JULIO BRESSANE carioca, nascido em 1946. Começou a fazer cinema profissionalmente como assistente de direção de Walter Lima Júnior, em 1965. Participou de articulações e invenções que consagraram o estilo e o modo de produção do chamado Cinema Marginal. Em 1967, apresenta no Festival de Brasília o seu primeiro longa-metragem, Cara a Cara. Em 1970, funda com Rogério Sganzerla a Belair Filmes. Bressane viveu alguns anos de exílio em Londres e quando retornou ao país, em 1972, dirige seus interesses para a chanchada, o deboche e o diálogo com tradições da cultura brasileira como a canção e a linguagem popular. Experimental, provocador, considerado um cinepoeta, Bressane já recebeu vários prêmios em Brasília, inclusive o de melhor filme com Tabu, de 1982. Outros títulos de sua vasta e apaixonada filmografia: Cuidado, Madame (1970); A Família do Barulho (1970); Tabu (1982); Brás Cubas (1985); Dias de Nietzsche em Turim (2001); Filme de Amor (2003); Cleópatra (2007); A Erva do Rato (2008); Educação Sentimental (2013); Garoto (2015) e Beduino (2016).

 Roteiro e direção Julio Bressane
Produção
Tande Bressane e Bruno Safadi
Direção de fotografia
Pepe Schettino e Pablo Baião
Colaboração no roteiro e montagem
Rosa Dias
Montagem Rodrigo Lima
Direção de arte
Moa Batsow
Figurinista
Daniela Aparecida Gavaldão
Companhia produtora TB Produções

Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2016

Prêmios:

Kiko Ferraz Studio

– 40 horas de edição de som

– 12 horas de mixagem

– 6 horas de foley

– 4 horas de estúdio para dublagem 

Lilit – Laboratório Digital

– Preparação de 5 diárias de material bruto para montagem, incluindo: conversão com LUT offline para software de edição, sincagem por timecode e/ou claquete, organização no software de edição.

– Backup duplo em fitas de LTO 05*

*até 5tb sem incluir a mídia (fita de LTO05), apenas o serviço

Psycho n’Look

– 10 horas de correção de cor

– 1 DCP de um filme de até 15 minutos

Locall

– R$ 5.000,00 (cinco mil reais) em aluguel de equipamentos a serem resgatados nas filiais dos estados de São Paulo, Curitiba ou Porto Alegre.

 

Jurados

EDUARDO VERAS – Eduardo Veras é professor do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), atuando no Bacharelado em História da Arte e no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais. É membro do Comitê Brasileiro de História da Arte. Integra o Conselho Deliberativo da Fundação Vera Chaves Barcellos e o Comitê de Acervo e Curadoria da Fundação Iberê Camargo.

IVONETE PINTO – Jornalista, doutora em Cinema pela USP; professora no curso de Cinema da UFPel; editora das revistas Teorema e Orson; sócia fundadora e ex-vice-presidente da Abraccine – Assoc. Brasileira de Críticos de Cinema; sócia-fundadora e ex-presidente da Accirs (Assoc. e Críticos de Cinema do RS); participou de júris em festivais como Gramado, Mar del Plata, Teerã, Cine Ceará,  Mostra de São Paulo, Havana, Cartagena e FestRio. É autora dos livros A Mediocridade, Descobrindo o Irã e Samovar nos Trópicos.

VICENTE MORENO – Vicente Moreno atua como diretor, roteirista e montador. Entre seus trabalhos recentes está o curta Depois da Avenida, a série Grandes Cenas e o longa Dromedário no Asfalto, do qual foi montador e produtor executivo. Graduou-se realizador audiovisual pela UNISINOS, onde atualmente é professor de montagem e roteiro, e concluiu seu mestrado em comunicação pela PUCRS, com ênfase em narratologia. Foi também professor convidado na CINETVPR em Curitiba e na Especialização em Cinema da UNISINOS.

Encerramento Cine Esquema Novo 2016 – Arte Audiovisual Brasileira

Quinta-feira, 10 de novembro

20h – Exibição de Beduino, de Julio Bressane

21h30 – Cerimônia de Premiação mostra Competitiva Brasil

Cinemateca Capitólio – Rua Demétrio Ribeiro, 1085 – Centro Histórico

Entrada Franca