br-trans-48_caique-cunha

Espetáculos com Silvero Pereira têm apresentações nos dias 29, 30 e 31 de outubro; venda de ingressos inicia na terça, dia 18

 

Eleita uma das 10 melhores peças de 2015 segundo o jornal O Globo, BR-TRANS retorna ao Rio de Janeiro para duas apresentações nos dias 29 e 30 de outubro, às 20h, na Casa de Cultura Laura Alvim (Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema). Encerrando a curta temporada, o ator e autor do espetáculo, Silvero Pereira, recebe a cantora Valéria Houston na segunda-feira, 31 de outubro, para o show Androginismo. As duas produções tem assinatura da Quintal Produções, dirigida por Verônica Prates e Valencia Losada, nomes de destaque na cena cultural brasileira.

Idealizado por Pereira e dirigido por Jezebel De Carli, BR-TRANS já foi assistido por mais de 30 mil espectadores em mais de 20 cidades brasileiras e fora do país,  com apresentações recentes em países como EUA e Alemanha. A peça protagoniza o universo de travestis, transexuais e transformistas, sendo a montagem resultado de um processo de pesquisa cênica desenvolvida através do Edital Interações Estéticas 2012 (FUNARTE/MINC), em residência no SOMOS Pontão de Cultura LGBT (Porto Alegre, RS), que teve como perspectiva o teatro enquanto instrumento capaz de entreter, promover discussão e fomentar a transformação social através da arte.

São histórias coletadas através de conversas com travestis, transexuais e transformistas entre os Estados do Ceará e Rio Grande do Sul que apresentam cenas sobre medo, solidão e violência, presentes no cotidiano dessas pessoas, vivenciadas de norte a sul deste país. Entretanto, subvertendo essas tristes histórias, a obra vai além ao abordar narrativas de superação.

SOBRE A “ARTE TRANS” DE SILVERO PEREIRA

Histórias do nordeste e do sul. Trânsito de descobertas, dúvidas, angústias, liberdades, criação e transformação.  BR-TRANS aproxima lugares, sentimentos e histórias, vividas em cena por Silvero Pereira, que costura e mistura narrativas que se inscrevem na sua vida e em sua trajetória.

A obra de Silvero já o marca. Sua arte é intrínseca a sua vida e dela, faz sua voz política. Para o artista, o Teatro é instrumento de transformação social e de mudança de paradigmas e a Arte Transformista, legítima linguagem cênica.

BR-TRANS reafirma sua arte enquanto subversão e resistência ao levar aos palcos a experiência de vida da travestilidade e da transexualidade, descontextualizando histórias já contadas sobre marginalidade, medo e sofrimento e reposicionando histórias de vida e transformação em cena.

Androginismo

Um palco reunindo a transformista cearence Gisele Almodóvar, alter ego de Silvero, e a artista transexual gaúcha Valéria Houston apresentando um repertório de vários gêneros musicais, da MBP aos hits internacionais: este é Androginismo.

Recém lançado pela dupla, com apresentações em Porto Alegre e no Rio, o espetáculo é um retrato do universo LGBTTT, não somente a partir de um critério cronológico ou estético, mas principalmente para que o público pudesse interagir com a proposta artística idealizada pelos performers. O título Androginismo é inspirado na canção composta pelos Almôndegas, grupo gaúcho que na década de 1970 emplacou essa canção na vanguarda do questionamento acerca da diversidade sexual, especialmente da travestilidade.

O espetáculo é uma homenagem divertida, festiva e poética, que une esses dois talentos do sul e do nordeste brasileiro, em torno da boa música. Ao percorrerem a fina flor da música brasileira, mas também os clássicos de Nina Simone à Edith Piaf, acompanhadas dos músicos Rodrigo Apolinário e Rafael Erê, o que temos é um momento pensado para a celebração da vida em seu estado mais elevado de alegria e emoção.

Androginismo terá única apresentação em 31 de outubro, às 20h. Os ingressos para os dois espetáculos estarão à venda a partir de terça, 18 de outubro, com valores entre R$ 15,00 e R$ 30,00.

Saiba Mais

BR-TRANS

Duração: 70 minutos

Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 14 anos

Imagens: https://youtu.be/hHY-TjCkqw8

SINOPSE: Um processo cênico antropológico-autofágico-esquizofrênico traz à cena histórias sobre medo, solidão e morte. Histórias que se encontram e se confundem entre si e com a vida e as inquietações do ator. Recortes de vidas e vidas recortadas a partir de pesquisas e conversas com travestis, transformistas e transexuais de Porto Alegre, pelas ruas e casas de show. BR-TRANS é um trânsito de informações e de fatos reais. Um traço “brasil-trans” construído a partir da convergência e dos deslocamentos entre os polos Nordeste e Sul do país.

BR-TRANS

Direção: Jezebel De Carli

Dramaturgia e interpretação: Silvero Pereira

Músico: Rodrigo Apolinário

Cenário: Rodrigo Shalako

Iluminação: Lucca Simas

Operação de Vídeo: Thiago Myiamoto

Design: Sandro Ka

Administração e Produção: Quintal Produções

Direção Geral: Verônica Prates

Coordenação Artística: Valencia Losada

Coordenadora de projetos: Maitê Medeiros

Produtor Executivo: Thiago Myiamoto

ANDROGINISMO

Duração: 60 minutos

Com: Silvero Pereira, Valéria Houston, Rafael Erê e Rodrigo Apolinário

Direção Geral: Silvero Pereira

Produção: Quintal Produções Artísticas

Direção Geral de Produção: Verônica Prates

Coordenadora Artística: Valencia Losada

Produtor executivo: Thiago Myiamoto

Iluminação: Renato Machado

Duração: 70 minutos

 

SOBRE OS PERFORMERS

SILVERO PEREIRA

Silvero Pereira, 33 anos, é ator, dramaturgo, produtor cultural, maquiador, iluminador, aderecista, diretor e artista plástico. Concludente do Curso Superior em Artes Cênicas do Instituto Federal de Educação do Ceará (IFCE). Começou a sua carreira em 1998 integrando a Cia Dionisyos de Teatro. Em 2000 ingressa para a CIA LUA de Teatro, onde atuaria nos espetáculos “Rosa Escarlate, “Dominus Tecum” e “Não Confirmo Nem Duvido”. No mesmo ano fundou o Grupo Parque de Teatro, por meio da Fundação Parque de Formação Integral do Tapuio na cidade de Aquiraz, onde desenvolveu um trabalho social e voluntário com crianças e jovens usando a arte como mecanismo educacional e social. Entre 2001 a 2004 atuaria no Grupo Bagaceira de Teatro. Já em 2006 fundou a Inquieta Cia. de Teatro, de Fortaleza-CE. Entre 2009 e 2012 foi professor do Curso Princípios Básicos de Teatro do Theatro Estadual José de Alencar, em Fortaleza, onde dirigiu e produziu os quatro espetáculos.

Em 2005 fundou o COLETIVO ARTÍSTICO AS TRAVESTIDAS onde produziu e dirigiu os trabalhos: “UMA FLOR DE DAMA” (2005), “CABARÉ DA DAMA” (2008), “Engenharia Erótica – Fabrica de Travestis” (2012), “BR-TRANS” (2013), “CABARÉ DAS TRAVESTIDAS” (2014) e “QTMT – QUEM TEM MEDO DE TRAVESTI”(2015).

Atualmente desenvolve uma pesquisa sobre o Universo Trans (Travestis, Transexuais e Transformistas) intitulado “Cartografia Artístico e Social do Universo Trans no Brasil” uma pesquisa sobre a travestilidade e transexualidade no Brasil de norte a sul. Atuou em 26 espetáculos e dirigiu 22 trabalhos.

 VALÉRIA HOUSTON

Valéria Houston participou do Programa Ídolos (SBT) e foi vencedora do Festival da Canção Francesa, promovido pela Aliança Francesa de Porto Alegre. Em Paris, fez temporadas em várias casas da tradicional boêmia parisiense. Reside em Porto Alegre, onde é uma referência na militância LGBTTT e artista reconhecida por seu talento vocal e performativo.

 

BR-TRANS e ANDROGINISMO

Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema, Telefone(21) 2332-2015

CCLA é um espaço da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ

 

BR-TRANS – 29 e 30 de outubro, sábado e domingo, 20h

ANDROGINISMO – 31 de outubro, 20h

Ingressos entre R$ 15,00 e R$ 30,00, à venda a partir de 18 de outubro