proibido-miar-11_thais-fernandes-jpg

Apresentações ocorrem nos dias 15, 16, 22 e 23 de outubro

 

Em comemoração ao Mês da Criança, a M.A.Cia – teatro, dança e assemelhados promove uma série de apresentações durante o mês de outubro do espetáculo É Proibido Miar, encerrando com temporada nos dias 15, 16, 22 e 23, na Sala Álvaro Moreyra.

O espetáculo, baseado no livro homônimo de Pedro Bandeira, traz um importante diferencial: desde sua concepção os atores utilizaram o potencial criativo da audiodescrição e LIBRAS, enquanto narrativa e gesto. “Queremos que as crianças que não enxergam ou não escutam desfrutem de atividades artísticas em igualdade de condições com as demais, conquistando autonomia por meio de recursos de acessibilidade para constituir a plateia de hoje e também a do futuro”, declara a atriz e produtora Juliana Kersting.

Ao trazer a oportunidade de assistir a um espetáculo para todas as crianças, a companhia busca mostrar que o diferente existe e está em todos os lugares. “Nossas atitudes são importantes e contribuem para o convívio entre todas as pessoas”, afirma. Para além de uma peça para crianças, É Proibido Miar é um trabalho que atinge adolescentes e adultos, ouvintes e videntes, pessoas cegas ou com baixa visão e surdos, além de pessoas com síndrome de Down, Asperge, Autismo e/ou deficiência cognitiva, de uma forma onde todos possam ter uma nova experiência através do teatro.

“Nosso objetivo é, além de oferecer a oportunidade de todas as pessoas poderem ir ao teatro, é de também promover a importância da acessibilidade”, conta o diretor Denis Gosch. Minutos antes de iniciar cada sessão, os atores convidam o público a participar de um “tour tátil” pelo espaço onde a apresentação será realizada, espaço cênico e figurinos. Assim, as pessoas cegas ou com baixa visão recebem mais estímulos sobre a história que será contada e o público vidente pode conhecer um pouco mais sobre a peça interagindo com o espaço cênico.

Financiado pelo edital Fumproarte Porto Alegre Amanhã 2014, É Proibido Miar estreou em 2015 e conta a história do cãozinho Bingo que não via nenhum problema em miar como um gato, mas sua família e sua dona não pensavam como ele. “Partilhamos do conceito de que a deficiência não está nas pessoas, mas no ambiente, na informação e nas atitudes de acolhimento não preparados para a diversidade. Quando adaptamos essas três variáveis, a deficiência desaparece e todos podemos miar, latir ou cacarejar à vontade”, diz Juliana.

As apresentações na Sala Álvaro Moreyra ocorrem às 16h, com ingressos antecipados a R$ 30,00 na Livraria Bamboletras e pela internet. Nos dias de espetáculo, as entradas custam R$ 40,00 com descontos de 50% para estudantes, pessoas com deficiência, idosos e classe artística. Para saber mais sobre a programação do espetáculo durante outubro, acesse: http://www.eproibidomiar.com.br

Direção: Denis Gosch

Atuação: Dani Dutra, Douglas Dias, Joana Amaral e Juliana Kersting

Audiodescritora: Mimi Aragón

Psicopedagoga especializada em educação para surdos: Joana Amaral

Iluminação: Casemiro Azevedo

Produção: Débora Maier e Juliana Kersting

Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor

Realização: M.A.Cia – teatro, dança e assemelhados

É Proibido Miar – temporada do Mês da Criança

15, 16, 22 e 23 de outubro, sábados e domingos sempre às 16h

Sala Álvaro Moreyra (Av. Erico Veríssimo, 307)

Ingressos: R$ 40,00

Compre antecipadamente por R$ 30,00 nos postos de venda:

– Livraria Bamboletras (Rua General Lima e Silva, 776 loja 3)

– pela internet*: www.bit.ly/miar-antecipado

* taxa de conveniência de 10%

Desconto de 50% para estudantes, pessoas com deficiência, idosos e classe artística.

Assista nosso vídeo de boas-vindas:

https://www.youtube.com/watch?v=dpydmbed-Uw

Confira nossa agenda para o mês da criança em nosso site: www.eproibidomiar.com.br

E nos siga em nossa fanpage https://www.facebook.com/eproibidomiar/