rita_jornal_2

Mostras de Rita Gil e Diego Santovito seguem em cartaz até 06 de dezembro com entrada franca

 

Inauguram no dia 31 de outubro às 19h duas novas exposições na Galeria Mascate, dos artistas Rita Gil e Diego Santovito. No evento, o estilista Régis Duarte lança sua coleção de verão 2015.

Com uma trajetória dedicada ao passado dos Campos de Cima da Serra, a artista Rita Gil procura inspiração em uma longa pesquisa de costumes através de objetos e cartas guardadas por gerações de sua família. Os 80 em 800 mostram painéis onde faz um apanhado poético sobre a moda Serrana no final do século XIX. Os modismos e costumes eram trazidos pelos mascates, que na época, eram esperados com muita ansiedade pelas mulheres da região.

Fragmentos de correspondências trocadas entre tias, relatam detalhes da vida cotidiana. O livro mais lido nas frias noites, o novo padre recém-chegado e algumas curiosidades como cortes nos cabelos e no vestuário fazem parte deste importante apanhado histórico revelado em suas colagens de forte apelo gráfico.

Diego Santovito, fotógrafo nascido em São Paulo, apresenta Idiossincráticas, coleção de imagens que resultaram do período de deslocamento que o artista realizou entre Bolívia e Peru. O artista iniciou seu percurso no dia 18 de setembro de 2013, partindo da cidade de Rio Branco, no Acre. Os recortes fotográficos evidenciam a força que o ambiente exerce nos seres que lá habitam, assim como, em alguns casos, a reatividade do ser fotografado ao perceber que está sendo alvo de uma câmera fotográfica.

As duas exposições seguem em cartaz até o dia 06 de dezembro, com entrada franca. A Galeria Mascate funciona de terça a sábado, das 14h às 18h, na Rua Laurindo, 332.

Saiba Mais

Galeria Mascate

Sentindo a carência na cidade de uma galeria que realmente misturasse arte, fotografia contemporânea, design e moda, o fotógrafo Tiago Coelho e o designer Régis Duarte criaram a Galeria Mascate em setembro de 2011.

O nome Mascate é associado à imigração árabe no Brasil, resultante do grande contingente de imigrantes proveniente do Líbano e da Síria que se dedicaram a esta atividade. A mascateação introduziu inovações que hoje são traços marcantes do comércio popular, como as práticas de alta rotatividade e alta quantidade de mercadorias vendidas, das promoções e das liquidações. Inicialmente os mascates visitavam as cidades do interior e as fazendas de café, levando apenas miudezas e bijuterias. Com o tempo e o aumento do capital, começaram também a oferecer tecidos, roupas prontas e outros artigos.

As obras são apresentadas inseridas nos espaços do Barraco Estúdio, deixando de lado a caixa branca usada tradicionalmente em mostras, museus e galerias, para serem percebidas como parte do ambiente, com um clima de “lá em casa”, como se o visitante estivesse em uma sala de estar, não em um espaço de arte. “Nossa intenção é fazer com que o distanciamento entre arte e público seja eliminado”, afirma Duarte.

 

SERVIÇO

Os 80 em 800 e Idiossincráticas

Inauguração

31 de outubro, 19h

Mostra segue até 06 de dezembro

Entrada Franca

Galeria Mascate – Rua Laurindo, 332 – Bairro Santana – Porto Alegre – RS

De terça a sábado, das 14h às 18h

Barracoestudio.com.br