Maratona_crédito-Desirée-do-Valle_1p

Dupla de atores Anderson Muller e Raoni Carneiro sobem ao palco do Theatro São Pedro em curta temporada, dias 18 e 19 de maio.

Texto é do italiano Edoardo Erba, tradução de Beth Rabetti.e trilha sonora de André Abujamra.  Denise Stutz assina direção de movimento. 

Porto Alegre, 02 de maio de 2013 – Dois personagens, por volta dos 30 anos em trajes esportivos, dedicam-se a uma única ação central durante a apresentação: correr para se preparar para participar da Maratona de Nova York – a corrida mais famosa e almejada do mundo. É assim que se desenrola o espetáculo teatral Maratona de Nova York, que, depois de fazer temporada em São Paulo, Fortaleza e Salvador, passa pela capital gaúcha apenas nos dias 18 e 19 de maio.

Com direção de Bel Kutner e interpretação dos atores Anderson Muller e Raoni Carneiro, a primeira montagem brasileira da peça fez apresentações por várias cidades do País . Sempre orientados pela ânsia de superação, os personagens (Mario e Steve) relembram determinantes momentos de suas vidas, enquanto correm para participar da Maratona de Nova York. A corrida é pontilhada por recordações, que abrem espaços para reflexões como: Correr para quê? Superar quem? Entre outras lembranças, episódios da infância que sugerem desafeto materno e o intermédio de mulheres que fizeram os amigos se conhecerem.

Anderson Muller sempre teve um sonho: correr em cena. Quando se apaixonou pela corrida, começou a buscar uma maneira de aliar o esporte ao teatro. “Alguns anos depois, encontrei Raoni Carneiro – que hoje faz comigo esse espetáculo – e ele me apresentou ao texto de Edoardo Erba. Fiquei enlouquecido e passei três anos pensando nessa peça, até que comecei a produzir”, conta o ator.

Mario, seu personagem, tem personalidade leve, é brincalhão, apesar de seu peso dramático. “Esse personagem é um presente para mim, pois me leva a conhecer melhor as levezas e os amadurecimentos que passamos com o decorrer de nossas vidas”, conta Anderson.

Já Steve (interpretado por Raoni Carneiro) é um cara determinado a correr, com características apolíneas, retas, enfático, severo consigo mesmo e muito exigente, durante o espetáculo. “Steve expressa algumas máximas de conduta de vida, principalmente em relação à superação. Ele se esforça ao máximo para poder chegar mais do que preparado na maratona de Nova York”, conta Raoni Carneiro.

A maratona

O texto de Edoardo Erba, traduzido por Beth Rabetti, levanta questões do ser humano imprevisível, limitado, genial, obstinado, traumatizado, mas sempre possível vencedor na arte de viver. “Edoardo Erba tem um texto rápido, que faz a gente pensar. É muito bom o seu jeito de conduzir o cotidiano, o inevitável e as fatalidades”, conta Anderson Muller.

A diretora Bel Kutner – que atualmente alinha os novos ensaios de Maratona de Nova York às gravações da novela “Amor à vida” da TV Globo, de Walcir Carrasco -, se apaixonou pelo texto na primeira leitura, quando foi convidada a dirigir a peça. “Pela simplicidade e agilidade dessa conversa, pela dinâmica das ideias desses dois personagens em um encontro. A tradução da Beth Rabetti é primorosa, deixando a historia de dois italianos universal. Pode ser em qualquer lugar, em qualquer tempo”, conta Bel, que é amiga do Anderson Muller há trinta anos e também está na produção ao lado dele.

Bel Kutner diz, ainda, que vê a peça como uma revisão de uma existência. “É simples, mas cheia de nuances para quem a viveu. Os personagens se irmanam nos seus objetivos, contrapondo-se alternadamente, em suas historias pessoais. É um belo jogo, vamos nos divertir descobrindo a dinâmica de cada cena.”

“Pretendo que, apesar dos esforços físicos dos personagens, os atores consigam passar todo prazer, toda endorfina dos atletas, sem tensão, sem dor. Com muito suor”, finaliza a diretora.

 

 

Apresentações em Porto Alegre

Dias: 18 e 19 de maio | únicas apresentações

Sábado às 21hs | Domingo às 18hs

Local: Theatro São Pedro

Praça Mal. Deodoro – Centro Porto Alegre – RS, 90010-300 / tel. 51 3227-5100

Duração: 60 minutos | Clasificação Etária: 12 anos

 

Ingressos à venda na bilheteria do teatro

Plateia: R$ 70,00

Cadeiras Extras e Camarotes Centrais: R$ 60,00

Camarotes Laterais: R$ 50,00

Galerias Centrais: R$ 30,00

Galerias Laterais: R$20,00

 

Descontos

50% de desconto para o cliente e acompanhante da PORTO SEGURO

50% de desconto para os 100 primeiros assinantes do Clube do Assinante Zero Hora

30% de desconto para o assinante e acompanhante do Clube do Assinante Zero hora

20% de desconto para os Maratonistas. Apresentar a carteira de maratonista na bilheteria do Teatro ou filipeta.

 

Sobre o autor

Edoardo Erba nasceu em Pavia em 1954 e graduado em letras, formou-se em dramaturgia pela Escola Piccolo Teatro de Milão.Vive em Roma. Dentre suas obras – A noite de Picasso(1990), Porco selvagem(1991), Curva cega(1992), O homem da minha vida(1999), Boas notícias (2002), em meio a outras- destaca-se Maratona de Nova York (1992) pela diversidade de montagem: Londres (1999),com direção Mick Gordon, Boston (2003), Buenos Aires (2003),Wellington-Nova Zelândia (2001),Tel Aviv (1998), Barcelona(1996/97). A peça, contemplada com vários prêmio, já foi traduzida para cinco idiomas, tendo sido publicada na Inglaterra pela Obern Book e na Argentina pelas Ediciones de La Flor. Na Itália foi publicada pela Ricordi e por Ubulibri. Edoardo Erba é também autor de programas televisivos.

Ficha técnica

Texto de Edoardo Erba. Com Anderson Muller e Raoni Carneiro. Direção: Bel Kutner. Assistência de Direção: Celso Bernini. Direção de movimento: Denise Stutz. Iluminação: Paulo César Medeiros. Trilha Musical: André Abujamra. Direção de Arte e Projeções: Mauro Vicente Ferreira e Charles Boggiss. Direção de Produção: Kauidea Produções Artísticas e Prósperas Produções. Produção Executiva: Dea Martins . Assessoria de Imprensa Mariele Salgado e Bruna Paulin.  Realização: Kauidea Produções Artísticas (Dea Martins) e Prósperas Produções (Anderson Muller e Thereza Falcão)

Censura: 12 anos

Assessoras de imprensa Bruna Paulin e Mariele Salgado