A Vinícola Guatambu, de Dom Pedrito, participa durante o próximo mês de três eventos enogastronômicos em Pelotas e Porto Alegre. A série de encontros inicia no dia 02 em Pelotas, no jantar harmonizado com vinhos e espumantes Guatambu, promovido pela Sindifisco, às 20h.

No dia 03, às 19h30, a engenheira agrônoma de enóloga da vinícola, Gabriela Pötter, ministra degustação na Fundação Ecarta, dentro do ciclo “A arte do vinho por seus artistas”. Cinco rótulos serão oferecidos no evento, entre espumantes e vinhos da safra 2011.

No sábado, dia 04, Gabriela participa da Noite de Queijos e Vinhos da Associação dos Fiscais de Tributos Estaduais do RS, às 20h, na sede social em Porto Alegre. Os três eventos são abertos ao público em geral. Mais informações www.afisvec.org.br | http://www.fundacaoecarta.org.br/cap/vinho.asp | sindifisco.pelotas@gmail.com

 

Sobre a Guatambu

Contando com administração familiar e visando diversificar seus produtos, a cinqüentenária Estância Guatambu, tradicional empresa do agronegócio, de Dom Pedrito, iniciou em 2003 o projeto de produção de uvas viníferas, com a implantação do vinhedo com mudas importadas da França e da Itália, visando aproveitar o excelente clima da Campanha Gaúcha, bastante adequado para esta atividade.

Em dezembro, a Guatambu inaugura a sua estância enoturística, a 14km da cidade de Dom Pedrito. Situada no pampa gaúcho, o projeto busca uma identificação com a arquitetura local, a cultura gaúcha, e as influências das estâncias da região do pampa. Sob o conceito de pátio central, a vinícola se desenvolverá em forma de U com iluminação e ventilação voltadas para o seu interior, como forma de abrandar o Minuano que sopra na campanha e proporcionar condições térmicas ideais para a produção de vinhos de qualidade. A vinícola possui uma arquitetura voltada para o turismo, com sala de degustação técnica, varejo, espaço gourmet com culinária típica da região e salão de eventos. Conforme Valter José Pötter, proprietário da estância Guatambu, o que motivou a família a investir na vinícola foram as premiações internacionais que os primeiros vinhos produzidos com uvas da Guatambu receberam, ao longo dos últimos 3 anos, o que consolida a região dos pampas como uma das mais promissoras da América para produção de vinhos finos. A área industrial da vinícola já está concluída, desde a vinificação até engarrafamento.